2minpjct 2Min Pjct

De amantes para inimigos. Min Yoongi e Park Jimin foram namorados durante o Ensino Fundamental e Médio, porém um mal-entendido acabou por separar os dois e fazer com que a mágoa e o ódio mútuo se instalassem entre eles. Agora, cinco anos depois, os dois fazem parte de uma equipe de super-heróis chamada "Banggers" e têm que trabalhar juntos para manter a cidade "ArmyVille" livre de problemas, mas... digamos que o clima fica muito pesado quando os dois estão juntos no mesmo ambiente. Quando dois bandidos sequestram uma criança, os dois super-heróis são enviados para enfrentá-los, mas será que eles poderão deixar suas diferenças de lado para derrotar um inimigo em comum?


Hayran Kurgu Sadece 18 yaş üstü için.

#romance #drama #yaoi #bts #yoongi #jimin #violência #comédia #luta #yoonmin #assédio #ação #374 #sugamin #minimini #suji #super-heróis #2min #abuso-psicológico #minmin #sujim #2minpjct #relacionamento-homossexual
2
1.1k GÖRÜNTÜLEME
Tamamlandı
okuma zamanı
AA Paylaş

De Amantes para Inimigos?

Escrito por: vgguk_ymin / @vgguk_ymin

Notas Iniciais: Hey, como estão? Espero que bem, eu sou Baah e esse é meu primeiro projeto pelo 2Min e confesso que estou um pouco ansiosa por essa postagem, afinal não sei qual será a reação de vocês quanto a fic.
Como é meu primeiro projeto, espero e vocês relevem qualquer coisa e prometo que irei melhorar nas minhas próximas postagens :)

Quero agradecer as betas @Sra_Lovegood/@SraLovegood e @Adrift_ pela paciência na betagem, pela ajuda e os ensinamentos que me passaram. Também quero agradecer a snuffyoon / @monpecs pela capa e baner maravilhosos.

Desejo a todos uma boa leitura e lembrando que críticas construtivas sempre são bem vindas :)

Então sem mais, vamos lá. Boa Leitura.


~~~~


'Cause baby, now we've got bad blood

(Porque, meu bem, agora nós temos um conflito)

You know it used to be mad love

(Você sabe, isso costumava ser um amor louco)

So take a look what you've done

(Então dê uma olhada no que você fez)

'Cause baby, now we've got bad blood, hey

(Porque, meu bem, agora nós temos um conflito, hey)


5 anos atrás

Dormitório Korea University


— Eu te odeio, Min Yoongi, eu te odeio muito por ter me enganado e me feito de palhaço depois de todo esse tempo que estamos juntos — Jimin disse com os olhos banhados em fúria.

— Hey, hey, pera lá. O que aconteceu? O que eu fiz pra você estar com toda essa fúria nesse corpo tão pequeno? — perguntou, confuso.

— Você me enganou, foi isso o que você fez. Você brincou comigo e quebrou meu coração da pior forma possível. — A cada frase dita, Jimin batia com o dedo indicador no peito de Yoongi.

— Como eu te enganei, baby? — Yoongi segurou os braços de Jimin, impedindo que ele continuasse a bater nele e fazendo-o encarar seus olhos. Ele percebeu que algo tinha acontecido com Jimin, e ia além do motivo da aparente raiva dele por ele.

— Você e Taemin... os dois juntos... me enganaram... Eu nunca vou te perdoar por isso... Como pôde fazer isso comigo depois de tudo o que passamos?

— Ajudaria muito se você falasse o que Taemin e eu fizemos para que eu possa me explicar e resolvermos esse mal-entendido.

— Não tem como resolver, está tudo acabado para sempre. — Lágrimas começaram a sair dos olhos de Jimin. — Você é um falso e mentiroso. Maldita hora em que fui me apaixonar por você. — Soltou-se dos braços de um Yoongi confuso e correu para fora do dormitório, batendo a porta ao fechá-la.

— Mas o que foi que eu fiz dessa vez? — Yoongi perguntou enquanto se jogava na cama, com os neurônios a mil, pensando no que poderia ter acontecido para que o Park reagisse daquele jeito.


Dias atuais

Quartel General Banggers, Seul, Coreia do Sul


O Quartel General Banggers ficava situado na cidade de Seul, em uma área mais afastada do centro da cidade. Foi fundado há 25 anos, com o objetivo era proteger ArmyVille de pessoas que queriam acabar com a paz da cidade e também ajudar seus moradores em tarefas do cotidiano. O prédio era rodeado por uma enorme floresta, tinha paredes feitas de pedra e uma fonte em formato de escudo na entrada.

Quando se entrava no prédio, da recepção, era possível ver vários quadros de outros super-heróis que já passaram pela academia, além de um quadro enorme com a foto do fundador e outro com o atual líder.

O uniforme da academia era composto por uma calça tactel, uma blusa de manga curta preta , tênis e uma capa que tinha o escudo do instituto.

Para entrar na companhia de super-heróis, a pessoa tinha que realizar uma inscrição e, em seguida, fazer um teste de aptidão. Se ela tivesse algum superpoderes — como força, teletransporte, poder para controlar algum dos elementos principais ou qualquer outro poder —, seria realizado um teste específico e, se conseguisse uma aprovação de 80%, já poderia começar o treinamento.

Caso a pessoa não tivesse nenhum poder especial, também poderia fazer sua inscrição na academia e realizar um teste de aptidão. O teste para pessoas sem poderes era diferente dos outros, pois eles iriam avaliar as habilidades individuais, como agilidade, raciocínio e força. Se o candidato tivesse uma aprovação de 90%, ele poderia começar o treinamento.

O instituto possuía três andares e contava com um refeitório grande, quartos para os trainees, uma biblioteca e várias salas de treinamento e reunião. E era em uma dessas salas em que os atuais super-heróis estavam reunidos.

— Jimin, você e Yoongi irão em uma missão — Namjoon, o líder do grupo de super-heróis, falou de forma séria. — E não aceito contestações sobre isso, Park, já é uma decisão tomada — ele disse assim que Jimin abriu a boca para falar algo, despertando risadas em Jungkook, Taehyung, Hoseok e Seokjin, que também estavam na sala.

— Isso não é justo — Jimin disse com um bico. — Com tantas outras pessoas aqui neste quartel, você tinha que me fazer ir em uma missão com ele? Você sabe que não nos damos bem.

— Não tinha mais ninguém disponível para essa missão além de vocês — Namjoon disse. — Taehyung e Hoseok vão ajudar uma senhora a achar o gato dela que se perdeu no meio da mata. Jungkook vai fazer a escolta da filha e do filho do dono do estúdio de tatuagens em que ele vai, em troca de uma sessão grátis. E Seokjin vai ajudar um senhor a cuidar de sua fazenda em troca de um passaporte para um curso de culinária que ele tá doido pra ir.

— Mas é só um gato, por que precisam ir duas pessoas?

— Vai por mim, aquilo lá não é só um gato, é o capeta na forma de um bichinho fofo — Hoseok disse com os olhos arregalados e a voz meio trêmula.

— Não deve ser pra tanto assim. — Jimin claramente não acreditava em nada do que saía da boca de Hoseok.

— Diga isso pra última pessoa que tentou pegar esse gato além da dona. A pessoa acabou indo parar no hospital, levando 2 pontos em um corte na testa e 3 pontos no braço esquerdo — Taehyung disse, e Jimin arregalou os olhos.

— Esse gato realmente é um demônio.

— Eu te disse — Hoseok falou e deu de ombros.

— E Jungkook? Não é rico o suficiente para pagar as próprias tatuagens?

— Jimin, mi amore, nunca recusamos nada de graça. Essa é a lei da vida — ele disse e deu uma piscadela em direção ao loiro, que corou.

— E Jin? Passaporte para um curso de culinária? Você não pode assistir algum tutorial no Youtube?

— Moleque, essa vai ser uma oportunidade única, afinal o curso não vai ser gravado, os melhores cozinheiros da Coreia estarão lá e as vagas são limitadas. Agora, se você pagar ₩ 138.118,94* para eu ir nesse curso, eu vou contigo nessa missão.

— Claro que não, isso é muito caro! — Jimin arregalou os olhos.

— Então você não pode me impedir de ajudar o fazendeiro — Seokjin disse como se fosse óbvio. — Logo, todos devemos usar o pensamento de Jungkook: nunca recusamos nada de graça, principalmente coisas caras, como um curso e uma tatuagem.

— E você, Namjoon? Aparentemente não tem nenhuma missão para fazer, então podia ir comigo.

— Eu? Eu sou o líder, pequeno gafanhoto, dou ordens, não vou em missões — Namjoon disse, presunçoso.

— O universo parece que me odeia. — Jimin se jogou dramaticamente no chão.

— Não, o universo não te odeia. Ele apenas está te mandando ir em uma missão para salvar uma criança de ArmyVille, que está em perigo nas mãos de um maníaco. — Namjoon se abaixou ao seu lado. — Agora, minha pequena criança, pare de ser um covarde e vá fazer seu trabalho.

— Eu não sou um covarde — disse quando já estava em pé. — Eu só não gosto dele. Não nos gostamos.

— Continue tentando se fazer acreditar nisso enquanto vai para a sua missão. — Namjoon sorriu e foi em direção à porta da sala, abrindo-a para que Jimin saísse. — Te vejo daqui a pouco, Park. — Mesmo emburrado, Jimin fez o que o outro pediu e saiu resmungando corredor a fora.

— Acha que isso vai dar certo? — Seokjin perguntou assim que a porta da sala foi fechada. — E se os dois tentarem se matar? Como faremos?

— Eles não vão se matar, porque não se odeiam a esse ponto. O que aconteceu entre eles foi um mal-entendido, que podia muito bem ter sido resolvido se os dois tivessem conversado. — Namjoon revirou os olhos. — E também, os dois são ótimos em combate. Yoongi pode se tele transportar, e Jimin, apesar de não ter nenhum poder, é bom em combate corpo a corpo. E eu não acredito que eles falharão nessa missão — terminou, dando de ombros.

— Mas Jimin disse que eles conversaram — Taehyung disse, confuso.

— Eles não conversaram. — Namjoon se sentou no sofá que tinha na sala. — Jimin é emotivo, e Yoongi não tem um dos melhores humores, mas era muito paciente quando o assunto envolvia o Jimin, até, é claro, ele o chamar de falso e mentiroso, sem dizer-lhe o motivo.

Pegou um copo e serviu a água que estava em um pote.

— Aí vocês já sabem o que aconteceu. Os dois idiotas, no calor do momento, falaram coisas para machucar um ao outro e, como também são orgulhosos, nenhum dos dois foi atrás para conversar ou pedir desculpas. Daí se desenvolveu todo esse ódio e rancor.

— E você sabe o motivo que fez eles brigarem? — Hoseok perguntou, e Namjoon assentiu com a cabeça. — Vai nos contar?

Namjoon colocou o copo na mesa, levantou-se do sofá, pegou uma folha e uma caneta que estavam jogadas em sua mesa de trabalho e escreveu algo no papel. Assim que terminou, virou a folha em direção aos meninos e observou suas reações.

— Você tá brincando comigo que esse foi o motivo dos dois terem brigado. — Jungkook estava incrédulo.

— Juro juradinho que é esse motivo aqui, o causador de toda a discórdia e caos entre eles.

— Meu Santo G-Dragon, esse mundo está completamente perdido. — Jungkook balançou a cabeça em negativa. — Esse foi o motivo mais idiota para se brigar, e é claro que uma conversa resolveria tudo.

— Sim, concordo contigo, porém sabemos como o Jimin é, ele costuma deduzir as coisas por conta própria — Seokjin disse. — E o erro do Jimin foi não ter escutado o que Yoongi tinha para dizer.

— Sim, concordo que o Jimin foi muito imaturo — Taehyung falou. — E eu jurando que os dois tinham conversado. — Balançou a cabeça em descrença.

— Uai, achei que fosse defender seu amigo, afinal vocês são inseparáveis. — Jungkook revirou os olhos.

— O fato de Jimin e eu sermos inseparáveis não é motivo para que eu sempre passe a mão na cabeça dele. — Taehyung encarou Jungkook com os olhos ardendo de raiva. — É questão de senso, coisa que eu tenho muito, ao contrário de certas pessoas — terminou de falar, pediu licença para Namjoon e saiu da sala.

Um silêncio pesado se fez no ambiente e, um tempo depois, Seokjin e Hoseok saíram da sala dizendo ter assuntos para resolver, deixando Jungkook e Namjoon sozinhos.

— O que eu disse de errado para o Taehyung ter reagido daquele jeito? — Jungkook perguntou a Namjoon, que o encarou antes de lhe dar uma resposta.

— Às vezes, Jungkook, devemos nos colocar no lugar do outro. Acredito que nem foi pelo que você disse, e sim pela forma como disse. Você praticamente anulou os sentimentos de uma pessoa, pois, para você, esse motivo não é o suficiente para uma briga. Os dois estavam machucados, principalmente Jimin, pois não queria acreditar que Yoongi realmente era capaz de fazer aquilo — Namjoon falou. — Mas você deve se lembrar que cada pessoa reage de uma forma, e uma pessoa magoada e confusa machuca muitas pessoas à sua volta, mesmo que inconscientemente. Foi isso que aconteceu entre Yoongi e Jimin — ele finalizou e saiu da sala, deixando um Jungkook pensativo para trás.

[...]

— Eu não acredito que, com tantas pessoas para escolherem, optaram por ser justo você a vir nessa missão comigo, Min — Jimin disse, revirando os olhos, enquanto iam ao encontro do local onde o vilão estaria.

— Acredite, Park, estou tão feliz quanto você com essa notícia. — Yoongi também revirou os olhos e passou na frente de Jimin, empurrando-o para o lado e escutando um resmungo desse.

— Não precisa ser grosso desse jeito — falou com uma careta, pelo jeito grosseiro do outro consigo.

— Eu não fui grosso, baby, e você sabe disso. — Yoongi deu um sorriso malicioso no final da frase, e Jimin sentiu um arrepio subir por seu corpo quando escutou tal apelido, apelido esse que Yoongi costumava usar consigo quando eram namorados.

Ele deveria sentir ódio desse apelido, mas, por algum motivo, seu corpo reagiu de uma forma positiva. Balançou a cabeça, como que para espantar certas lembranças; não tinha tempo para perder com isso. Preferia ficar em silêncio até que eles precisassem falar um com o outro.

Os dois seguiram sem se olharem até o destino final, uma casa abandonada em uma área rural de Seul. Quando passaram pelo portão, encontraram uma cena digna de um filme de terror.

Havia muitos ossos e corpos espalhados pela frente da casa e um rastro de sangue, aparentemente fresco, os convidava a entrar na casa. Os dois passaram com cuidado pela frente da casa e, assim que entraram, o cheiro forte de ferro os atingiu em cheio.

Quando olharam em volta, na sala, depararam-se com mais corpos espalhados, além de paredes cobertas de sangue.

— Só de ver esse cenário, me subiu uma ânsia muito forte — Jimin falou, e Yoongi apenas concordou com a cabeça. Realmente era uma cena assustadora e, mesmo que ele possuísse um estômago mais forte, também sentiu uma ânsia tomar conta dele. — Como alguém pode ter coragem de fazer isso? A que ponto a loucura do ser humano pode chegar em busca de poder?

— Eu realmente não tenho uma resposta para suas perguntas, baby, mas te garanto que, se tivesse, te responderia com o maior prazer.

Depois que Yoongi disse isso, eles escutaram passos vindos do andar de cima da casa e já imaginavam que se tratava do maldito vilão que vieram enfrentar.

Suas suspeitas se confirmaram assim que um homem alto parou no topo da escada e olhou na direção que eles estavam. O homem vestia calças e botas de couro preta, assim como uma camisa que tinha as mangas arregaçadas até os cotovelos. Vestia também um sobretudo preto, que se encontrava aberto, e possuía cabelos tingidos em um tom de azul escuro, perfeitamente alinhados em um topete. Parecia que era uns 10 anos mais velho que eles.

— Parece que meus convidados de honra finalmente chegaram. — O tom de voz usado pelo homem arrepiou todos os pelos do corpo de Jimin, e ele ficou ainda mais enjoado quando viu que o homem também cheirava a ferro e tinha algumas manchas de sangue espalhadas pelo corpo. — Sejam bem-vindos à minha humilde residência. Acredito que não tenham gostado muito da recepção, pela cara de vocês, mas espero que as próximas visitas apreciem a verdadeira obra de arte que eu mesmo fiz.

— Quem é você? De onde veio? E o que quer sequestrando e matando todas essas pessoas? — Jimin indagou.

— Sempre as mesmas perguntas idiotas de sempre. "Quem é você?", "O que quer?", "Por que está aqui?" — disse, revirando os olhos. — Será que vocês não se cansam de ser sempre patéticos assim? Tentem mudar um pouco o disco, esse já está ficando velho e gasto.

— Eu tô pouco me fodendo para o que você acha das perguntas que fazemos — Yoongi disse, mordaz. — Apenas diga o motivo idiota para você fazer o que tem feito com todas essas pessoas e sequestrar um criança.

O homem o olhou irritado e depois transferiu seu olhar para Jimin, que se encolheu no lugar.

— Já te disseram que você é muito insolente, pirralho? — Voltou sua atenção para Yoongi novamente.

— Me dizem isso o tempo todo. Mas quem disse que eu ligo para isso? Apenas diga logo o motivo pra fazer toda essa palhaçada e vamos acabar com isso.

— Você realmente é muito insolente, garoto, mas o meu papo hoje não é com você e nem era com essas pessoas aí — ele falou, e Yoongi franziu o cenho. — Eu precisava chamar a atenção do príncipe de cabelo loiro que veio contigo. E tem jeito melhor do que matando pessoas?

— É comigo? Eu ao menos te conheço? — Jimin perguntou, confuso.

— Você não se lembra mesmo de mim, Mochi?

Assim que Jimin ouviu a palavra sair da boca do homem, seus olhos se arregalaram e seu corpo começou a tremer. Não podia ser ele, não é? Ele deveria estar morto. Mais especificamente, morto há cinco anos. Como podia estar aqui na sua frente?

— Senhor Shin? — Jimin perguntou, meio incerto. Se suas suspeitas se confirmassem, Jimin estaria no inferno.

Surprise — Shin disse com um sorriso malicioso.

Jimin não conseguiu segurar a bile que lhe subiu à garganta e acabou vomitando em seus pés. Isso não podia estar acontecendo!

~~~~


Notas Finais: Espero que tenham gostado e que possamos nos ver no próximo capítulo :)

18 Mayıs 2022 22:56:23 0 Rapor Yerleştirmek Hikayeyi takip edin
0
Sonraki bölümü okuyun Cara a Cara com o passado Parte I

Yorum yap

İleti!
Henüz yorum yok. Bir şeyler söyleyen ilk kişi ol!
~

Okumaktan zevk alıyor musun?

Hey! Hala var 3 bu hikayede kalan bölümler.
Okumaya devam etmek için lütfen kaydolun veya giriş yapın. Bedava!