misuhotita Thais Grigorio

[Fanfic ligada a Revelações] Bruce e Diana se preparam para o natal, e enquanto a princesa das amazonas vive com alegria seu sexto mês de gestação, Bruce pensa no presente ideal para dar a sua amada. Um presente não apenas para ela, mas também para o bebê que ela espera. Os dois estão prestes a viver a noite mais perfeita de suas vidas.


Kısa Hikaye Tüm halka açık.

#amor #revelações #natal #batman #Wonderbat #JusticeLeague #brucewayne #dianaprince #mulhermaravilha #LigaDaJustica
Kısa Hikaye
0
1.7k GÖRÜNTÜLEME
Tamamlandı
okuma zamanı
AA Paylaş

Capítulo Único

Dia vinte e quatro de dezembro, véspera de natal. Todas as cidades decoradas com luzes natalinas e enfeites vermelhos e prateados. Época em que as pessoas se unem em amor e celebram a fraternidade.

Na Torre da Liga, os heróis também se preparam para viver o feriado, especialmente Bruce e Diana, que vivem juntos um momento único em suas vidas, ao sexto mês de gestação, Diana já é uma completa mortal e tem sua barriga bastante aparente, a criança em seu ventre cresce saudável e protegida.

No refeitório, Super Man e Batman estão sentados em uma mesa conversando. O homem de Kripton sabe que este será o primeiro natal que seu melhor amigo viverá de verdade. O primeiro natal em muitos anos que ele não passará solitário e mergulhado em trevas. O primeiro natal em que ele passará com a nova família que construiu.

Para Batman, este será o primeiro natal que ele realmente viverá o espírito natalino. O primeiro natal em que ele saberá efetivamente viver e sentir o calor, a alegria e a esperança que só este tempo é capaz de oferecer.

Super Man continua encarando o Cavaleiro das Trevas, que o conhece bem demais para saber que o Homem de Aço quer lhe perguntar algo.

― Pode perguntar o que você quer, Super Man. – começa o Cavaleiro de Gotham.

― Você é direto em? – diz Super Man, de forma brincalhona.

― Você me conhece bem demais para saber que sim, sou muito direto. Então pare de enrolar e me diga o que está te incomodando?

― O que vai fazer de especial para a noite de natal, Bruce?

― O que?! – Batman simplesmente não entende a pergunta de Super Man.

― Como você pretende passar o natal, Bruce?

Batman continua o encarando, pois não parara para pensar nisso. Até recentemente, antes de se envolver com Diana, nunca havia pensado em festas natalinas, nem agora, para falar a verdade. Há anos passa as noites de natal sozinho na Torre da Liga, enquanto todos os outros membros vão aproveitar as festas.

Mas este ano...! Sabe que não pode ser assim. Agora não está mais sozinho, tem Diana e sua filha, que dali a três meses virá ao mundo.

― Eu não havia pensado nisso. – responde o Cavaleiro das Trevas.

Super Man sorri. Exatamente como ele havia pensado.

― Foi o que imaginei. – confirma o Homem de Aço – Você não está pensando em deixar a Diana grávida e sozinha enquanto se tranca aqui na Torre da Liga, não é, Bruce?

― Obvio que não. – responde Bruce – Só ainda não pensei no que vou fazer. Você sabe que tudo isto é bastante novo para mim, Clark.

― E como sei. E por te conhecer perfeitamente bem preciso te pedir para não estragar esta noite, Bruce. Ela será especial para Diana, afinal é o primeiro natal do filho de vocês.

― Filha. – corrige Batman.

― Que seja, sua filha então. E, mesmo que esta criança ainda esteja no ventre de Diana, não torna o momento menos especial.

Batman começa a ficar impaciente, sabe perfeitamente bem o que precisa fazer e que tem que tornar a noite de natal especial para Diana, não precisa de Super Man dando sermão e o relembrando do que já sabe.

― Não vou estragar o natal de Diana.

― Não mesmo?

― Não. Só porque ainda não tenho ideia do que fazer não significa que vou estragar uma noite que será especial para ela.

― Espero mesmo. Só não te ofereço ajuda porque você não aceitará, não é do seu feitio.

― É melhor mesmo você ficar quieto e na sua.

― Só uma última pergunta, você já comprou o presente de Diana?

Até Super Man tocar no assunto, Bruce nem sequer tinha pensado nisso. Sua falta de participação neste tipo de festa o fez esquecer que no natal as pessoas costumam trocar presentes.

Mas o que dar a ela?

Já dera para ela um iate, e vive presenteando-a com joias. Não pode presenteá-la com algo comum. Tem que ser algo diferente...! Um presente que a marque e que nunca deixará esquecer-se do primeiro natal em que passarão como um casal.

E agora, precisa pensar no presente ideal de natal para sua princesa.



*****



No shopping de Gotham, Diana, Zatanna e Shayera estão fazendo compras de natal. Diana, como sempre comprando peças para compor o enxoval de seu filho. Passara a amar este tipo de coisa. Passara a amar ver artigos para bebês e imaginar como seu filhinho ficará usando todas as roupinhas que já comprou. Nesta parte, o cartão de créditos ilimitado que Bruce lhe dera ajuda bastante, pois não precisa se preocupar com nada, só com o bem estar de seu bebê.

Shayera e Zatanna estão com ela por segurança, pois, como agora já não possui mais poderes, seu filho precisa de toda a proteção que a Liga da Justiça puder oferecer. Ainda não se acostumou com toda a “proteção” que tem a seu redor, porém, já experimentara por duas vezes a sensação de quase perder o seu filho e, a segunda vez quase lhe custou à vida...!

Aprendera a lição e, embora andar com uma “escolta” seja por vezes humilhante para uma guerreira nata como ela, é extremamente necessário para o bem de seu filho. Nada de ruim pode acontecer a ele.

Todo o shopping tem decorações natalinas, árvores de natal, guirlandas, bonequinhos de Papai Noel... Em Themyscera, nunca comemorou o natal, e, nem sabia que esta festa existia. Só depois que começou a viver no mundo dos homens é que descobriu sobre esta festa e seu significado.

Antes de se envolver com Bruce este era apenas mais um feriado qualquer. Mas agora é diferente...! Além de Bruce, tem seu filho...! Um filho que mesmo ainda em seu ventre já o ama com todo o seu ser...! E, quer dar a ele uma vida cheia de amor...!

Quer viver este natal só ela e Bruce, enquanto se deliciam com este momento maravilhoso de sua gestação que está cada vez mais próxima de se chegar ao fim...! Pois só faltam três meses para seu filho nascer e poder ter ele em seus braços.

― O que você e Bruce farão de especial neste natal, Diana? - pergunta Shayera, tirando a Princesa de seus pensamentos.

― Shayera, até parece que o Bruce gosta deste tipo de festa. – comenta Zatanna – Não leve a mal, Diana, mas, mesmo que o Bruce tenha mudado bastante com você, para mim ele continua sendo o mesmo homem frio e arrogante de sempre.

Diana sorri para a amiga. É claro que para ela Bruce continua sendo o mesmo, pois ele mudara apenas no que diz relação à família que ele está construindo a seu lado. Somente em sua presença e quando os dois estão a sós o Cavaleiro das Trevas mostra sua face amorosa e gentil.

― Para falar a verdade não sei o que iremos fazer. – verbaliza Diana – Neste ponto em especial Bruce e eu combinamos perfeitamente, pois em Themyscera não se comemora o natal, então nunca fiz tanta questão. Mas agora é diferente...!

Shayera sorri, compreendendo perfeitamente o que a amiga quer dizer. Agora não são apenas ela e Bruce, agora tem a vida que eles geraram. Eles formaram uma família e este é o primeiro natal em que realmente viverão como uma família.

― Eu consigo te compreender perfeitamente bem, Diana. – diz a thanagariana.

― Não me importo com o que faremos de especial. – completa a Princesa das Amazonas – Desde que estejamos juntos, só nós três.

As três olham para frente e veem se aproximando delas um ruivo lotado de sacolas e com um sorriso de orelha a orelha. Ao reconhecê-las, seu sorriso aumenta mais ainda.

― Meninas, não saiba que encontraria as três aqui! – começa Wally.

― O que está fazendo aqui, Wally? – pergunta Shayera, sem conseguir conter a sua curiosidade.

― Compras de natal. – responde Wally – Não poderia deixar de fazer! Esta noite entrará para a história!

― Por que será que eu tenho a impressão de que você está aprontando alguma, Wally? – pergunta Diana.

Wally faz uma cara de pura inocência, não irá revelar seus planos altamente bem bolados para a noite natal só porque a princesa quer.

― Eu?! – diz Wally com cara de santo – Por acaso eu tenho cara de quem está aprontando alguma? Eu só estou fazendo compras para o natal que entrará para a história! Este é o natal em que estou mais animado! Tive um milhão de ideias diferentes para comemorar e foi difícil escolher qual seria a melhor, mas acabei me decidindo.

As três mulheres olham para Wally sem entender uma vírgula do que ele está dizendo, com um milhão de ideias e tudo o mais. Mas não levam a sério, o que quer que ele esteja aprontando para o natal, é um problema que diz respeito somente a ele.

― Wally nós estamos indo agora mesmo para a praça de alimentação fazer um lance. – diz Shayera – Você quer vir conosco?

Wally se vê tentado a aceitar o convite, mas, sabe que se o aceitar, terá grandes chances de falar demais e revelar seu grande plano de comemoração do natal.

― Foi mal, meninas! – agradece o ruivo – Mas eu ainda não terminei minhas compras de natal e posso acabar me atrasando.

― O homem mais rápido do mundo falando em atraso? – pergunta Diana, arqueando as sobrancelhas.

― Tudo é relativo, princesa. – responde Wally.

Wally de despede das amigas e segue seu caminho, enquanto as três vão para a praça de alimentação comer alguma coisa.



*****



Na Mansão Wayne, Bruce está em seu escritório, com um catálogo em suas mãos e encarando de forma indiferente o homem de terno e gravata a sua frente. Tivera a ideia do presente perfeito para a mulher que ama, e, o conseguirá a tempo para esta noite que se tornará única na vida dos dois.

― Conforme o senhor pediu senhor Wayne, trouxe o catálogo com as peças. – diz o homem.

― Estou vendo. – responde o Wayne – Espero que eu consiga encontrar o que procuro.

― Pelas especificações que o senhor me passou pelo telefone, tenho certeza que encontrará. Eu sou o melhor, Senhor Wayne, e imagino que o senhor queira o melhor.

― Não aceito menos que o melhor.

― É para alguma namorada em especial? Ou uma de suas mais recentes conquistas? Embora eu tenha que admitir que faz um tempo que o Play Boy mais famoso de Gotham não sai acompanhado com alguma modelo ou atriz.

Bruce dá um sorriso de canto.

― Minha vida particular não lhe diz respeito. Limite-se apenas a fazer seu trabalho.

― Perdão, senhor Wayne.

Bruce volta sua atenção para o catálogo que tem em mãos, e, começa a olhar atentamente cada peça que é mostrada, sem conseguir encontrar o que quer. Nada ali parece lhe agradar, nada ali parece ser bom o suficiente para sua Princesa das Amazonas. Nada ali é belo o suficiente para ela...!

Seu rosto vai assumindo uma expressão carrancuda, enquanto continua a olhar as peças do catálogo.

Que inferno!!!

Por que não consegue encontrar algo digno de uma deusa?

Porque para ele, Diana é uma deusa. Sua deusa e de mais ninguém! Demorara em assumir este sentimento que sente por ela, e, agora que o assumiu, todas as formas de demonstrar esse amor ainda é pouco! Diana merece o melhor, e é exatamente o melhor que dará a ela. Nada menos que o melhor.

Esta noite, provará a ela o quanto ela o mudou, o quanto ela e a filha são importantes para ela e o quanto o resto não lhe importa, só o bem estar das duas.

O Wayne termina de olhar o catálogo com cara de bem poucos amigos.

― Nada disso me interessa. – diz Bruce por fim.

― O que quer dizer?! – o vendedor parece espantado – O senhor não pode simplesmente dizer que nada no meu catálogo não lhe interessa! Quem o senhor pensa que é?

― Eu sou Bruce Wayne, caso tenha se esquecido. E sim, posso não me agradar em nada. Se você tiver algo muito melhor do que tudo que tem neste catálogo, poderemos conversar.

― Não esqueci quem o senhor é. Mas me diga, o que exatamente o senhor procura? Talvez seja alguma de minhas peças que não estão em catálogos pois são poucos os que podem comprá-las.

Bruce começa a explicar para o homem o que ele quer, detalhe por detalhe, sem dizer por que precisa de algo assim. Ao final de sua explicação, o homem sorri satisfeito.

― Por que não disse desde o início que era isso que o senhor queria? – pergunta o vendedor.

― Você tem algo que se encaixe nessa descrição? – pergunta o Wayne.

― É claro. Mas como eu disse, a peça custa uma verdadeira fortuna e por este motivo não está em nenhum de nossos catálogos. Ela é uma verdadeira relíquia.

― Dinheiro nunca foi um problema para mim. Mostre-me.

O vendedor tira de sua maleta um tablet e o liga, para mostrar a Bruce a peça. O príncipe de Gotham a estuda com atenção, e seus lábios se curvam em um sorriso involuntário ao perceber que é exatamente isso o que ele procura.

― Esta senhor Wayne, é nossa peça mais cara. Como eu disse, uma verdadeira relíquia. Se o senhor a adquirir, estará presenteando quem quer que seja com um verdadeiro tesouro. Não existe em todo o mundo uma peça como esta.

― Ela é perfeita. – diz Bruce, totalmente satisfeito.

― Fico contente que ela tenha lhe agradado, senhor Wayne.

― Ficarei com ela, não importa o preço.

Bruce abre uma das gavetas de sua mesa e tira um cartão de créditos, disposto a pagar o preço que for na peça que reflete tudo o que precisa refletir em um presente de natal para a sua Princesa das Amazonas.



*****



É chegada a tão sonhada noite do vinte e quatro de dezembro e, na Mansão Wayne, Bruce e Diana estão terminando de se arrumar para a noite. Durante a tarde, Bruce lhe dissera para que usasse algo especial, mas não dissera mais nada, por mais que ela tivesse lhe perguntado. E, o fato de ele estar vestido em um smoking prova que ele está aprontando alguma.

Ela, por sua vez, está usando um vestido longo em seda vermelha, um belo modelo para gestantes, com calcinha decoradas com rubis e desnudado nas costas, deixando-a uma verdadeira deusa da beleza.

Bruce não consegue conter o desejo ao olhar para ela. A gravidez conseguiu deixa-la ainda mais bela, se é que isso é possível. Sem conseguir se conter, ele a toma em seus braços e cobre os lábios dela com os seus. A princesa abre sua boca em um claro convite, e ele aprofunda o beijo, que é repleto de desejo e amor, amor que nunca em sua vida imaginou poder sentir.

Sua vontade é despi-la neste momento e fazer amor com ela, esquecer-se do resto da noite e do mundo, e de todo o resto, só importando o ela. Mas, sabe que ainda não é o momento, prometera a si mesmo que tornará esta noite especial.

Com relutância, ele termina o beijo e Diana o encara com seus olhos azuis inebriantes.

― Bruce...!

― Está na hora, querida. Não podemos nos atrasar.

― Para onde vamos?

― Isso é uma surpresa. – responde o Wayne com um sorriso altamente sedutor em seus lábios – Agora vamos, está na hora.

Bruce conduz Diana pela mansão até chegarem na garagem, onde ele abre a porta do passageiro de um Audi conversível prata para que ela entre, e em seguida ocupa seu lugar no banco do motorista. Liga o som do carro em uma música bem leve enquanto dirige pelas ruas de Gotham City, sempre desconversando quando a princesa pergunta para onde estão indo.

Eles chegam ao porto, e, Bruce sai do banco do motorista para abrir a porta do passageiro e ajudar Diana a sair do carro. Ela olha para o grande iate ancorado e sorri.

― Então era essa a sua surpresa? – pergunta Diana, com um sorriso em seus lábios.

― Parte dela. – responde Bruce, com um sorriso sedutor – Não sei se você se lembra, princesa, mas foi no DIANA que você começou a apresentar os primeiros sintomas de sua gravidez.

― E dá para esquecer? Na época eu havia pensado que era enjoo por estarmos no mar.

― Aqui, nossa filha...

― Filho.

― Aqui nossa filha começou a dar os primeiros sinais de sua presença. Então, nada melhor do que comemorarmos nossa primeira noite de natal em família aqui.

― Bruce...!

Diana não consegue deixar de sorrir ante o comentário de Bruce.

O Príncipe de Gotham oferece seu braço de forma educada e cavalheira para a Princesa das Amazonas, que o aceita imediatamente. Ele a conduz até o iate e, ela percebe, para sua total surpresa, que Bruce o decorara por inteiro para o natal, fato este que a deixou maravilhada. Não imaginara que Bruce pudesse fazer algo assim.

Eles entram na sala, onde uma imensa e bela arvore de natal está armada e, aos pés dela, dois embrulhos de presentes, que Diana olha intrigada.

Bruce percebe o olhar admirado e curioso de Diana, e sorri satisfeito por ter conseguido impressioná-la, mesmo ela ainda não sabendo que as surpresas da noite estão apenas começando.

― Espero que tenha gostado da decoração, princesa.

― É perfeita, Bruce. Não imaginava algo assim.

― Eu te amo, Diana. E quero que este seja apenas o primeiro natal dos muitos que passaremos juntos.

― Eu também te amo, Bruce. Mas do que eu poderia imaginar ser capaz de amar alguém.

Os dois começam a se beijar mais uma vez, totalmente inebriados de paixão. Nada mais importa, só um ao outro e aquele momento. Enquanto a beija, Bruce pousa uma de suas mãos no ventre de Diana, e sente o bebê chutar. Um calor inexplicável começa a tomar conta do coração do Cavaleiro das Trevas, e ele aprofunda o beijo.

Os dois estão totalmente envolvidos em um clima de romance que não percebem a chegada inoportuna de um ruivo, totalmente vestido de Papai Noel e com enorme saco vermelho com o símbolo do Flash em suas costas.

Ele coloca o saco no chão, tira de algum lugar um microfone e começa a cantar:

“Dingo Bells, Dingo Bells

Batman cheira bem

O batmóvel já chegou

E o Flash Noel também!”

Flash termina sua música com um sorriso de orelha a orelha em seu rosto. Totalmente satisfeito por ter conseguido chegar a tempo depois de ter se enrolado na hora de pregar a barba de papai Noel.

Bruce e Diana levam o maior susto com a chegada repentina de Wally. Eles se separam e Bruce encara Flash com o rosto vermelho de raiva. Como ele ousa estragar sua noite assim?

WALLY O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI? – pergunta Bruce, sem conseguir conter a sua raiva.

― Wally não, Morcegão! – responde o ruivo, com um sorriso de orelha a orelha – Esta noite eu sou o Flash Noel e vim alegar a noite do bat bebê! Porque com um pai como você o pobrezinho nunca vai saber o que é a alegria natalina.

SEU IDIOTA!!!!!!!!!!! – grita Bruce, incapaz de se conter após ouvir o último disparate de Flash – ME FAÇA UM FAVOR E DÊ O FORA DAQUI!!!

― Não, obrigado. – diz Wally, com um ar inocente – Eu acabei de chegar e além do mais tive um trabalhão danado para colocar essa barba e vocês ainda não viram todos os presentes que eu trouxe para o bat bebê!

Diana não consegue conter o riso, pois Flash não percebe que a cada palavra que ele diz deixa Bruce mais furioso.

Por sua vez, Bruce está com vontade de expulsar Flash o mais rápido possível e continuar sua noite com Diana. Não quer compartilhar seu recém-adquirido espírito natalino com este idiota que ama se intrometer onde obviamente não é chamado.

EU JÁ MANDEI VOCÊ IR EMBORA, WALLY! – diz o Príncipe de Gotham.

Wally continua a não dar ouvidos para Bruce, e senta-se totalmente à vontade no sofá do iate, e começando a abrir se enorme saco de Papai Noel com o símbolo do Flash.

― Chega aqui, princesa. – diz Wally, sem se importar com a raiva de Bruce – Eu trouxe um monte de presentes para o Bat bebê.

Não querendo desapontar Flash, Diana senta-se ao lado dele no sofá. Ele se apegara demais a ideia de ser tio de seu filho, fato que ela até acha divertido.

Totalmente animado, Flash começa a tirar de seu saco de papai Noel os presentes para o bat bebê, vários bonequinhos do Flash, de todas as formas e de todos os tamanhos. E por último, um bonequinho do Batman com cara de enfezado. Ao ver este último, a raiva que Bruce tenta reprimir explode dentro dele.

Sem se importar com mais nada, o Cavaleiro das Trevas se aproxima de Wally e de forma totalmente brusca o segura pelo colarinho.

DÊ O FORA DAQUI AGORA COM TODAS ESSAS PORCARIAS!!! – diz Bruce, totalmente furioso.

Por sua vez, Wally olha confuso para Bruce, sem conseguir entender porque ele ficou tão furioso por conta de uns presentes inocentes.

― Nossa, Morcegão. – diz Wally, se livrando de Bruce – Tanto estresse assim faz mal para o coração. É natal! É festa de alegria e espírito natalino! Onde é que está o seu?

― Provavelmente bem longe de você! – diz Bruce, contendo sua raiva – Se não quiser que eu te mate, Wally, acho melhor dar o fora daqui!

Wally reconhece na hora o olhar de raiva de Bruce e entende perfeitamente que o Morcegão está falando sério. E, sem nem pensar duas vezes, Wally usa sua velocidade para sumir da vista do Cavaleiro das Trevas antes que sobre para ele.

Ao ver que estão novamente a sós, Diana começa a rir olhando para os bonequinhos que Flash havia esquecido.

― Não leve o Wally tão a sério, Bruce. Você sabe que ele gosta de brincar.

― Ele que vá brincar com qualquer outro, pois para mim ele já está passando dos limites.

― Esqueça o Wally e venha aqui, meu amor. Nós ainda temos uma noite inteira pela frente.

Diana não precisa falar duas vezes. Bruce se aproxima dela e captura a boca dela com a sua em um beijo avassalador e cheio de promessas. Ela retribui com paixão e os dois continuam exatamente de onde haviam parado antes de Flash aparecer sem ter sido convidado e interromper o beijo dos dois.

Eles continuam com este beijo carinhoso e apaixonado e Diana sente seu bebê chutando em seu ventre.

― Ele chutou. – diz a princesa maravilhada.

― É porque “ela” está feliz por estarmos juntos esta noite.

― Já disse que é menino!

― E eu já disse que é uma menina e não costumo errar em meus palpites.

― Mas desta vez você irá errar, pois nascerá um menino lindo como o pai.

― Veremos, princesa.

Os dois vão para a sala do jantar, que está preparada para um jantar à luz de velas e, como Diana não pode beber por conta da gestação, as bebidas alcóolicas foram substituídas por sucos de frutas naturais.

O casal começa a jantar, sempre com gestos de carinho e conversando sobre o bebê, e, como sempre, discordando com relação ao sexo dele.

Terminam o jantar e vão para a beira da piscina, onde a bela lua cheia ilumina a esplendida noite estrelada, o cenário perfeito para o que Bruce tem em mente.

― Esta noite foi perfeita, Bruce. – comenta Diana, olhando bem no fundo dos olhos de seu amado.

― Mas a noite ainda não acabou, Princesa. – diz Bruce, com a voz rouca de desejo.

― Não?

― Não, minha querida, para nós, a noite está apenas começando. Espere-me aqui.

Bruce deixa Diana sozinha na beira da piscina e vai até a sala, onde deixara dois embrulhos na árvore de natal. Ele os pega e volta para onde está Diana. Os embrulhos são de tamanhos diferentes, um de tamanho pequeno e outro de tamanho médio, ambos embrulhados com papel vermelho e fita dourada.

Primeiro, ele entrega a ela o embrulho menor.

― Este não é para você, princesa, é para nossa filha.

― Filho.

― Abra.

Diana abre o embrulho e encontra um pequeno colar de ouro, com um pequeno pingente em forma de estrela. Diana sorri.

― É para que nossa filha saiba que ela é a estrela da minha vida. Porque a luz da minha vida é você, Diana.

Os olhos de Diana se enchem de lágrimas ao ouvir as palavras de Bruce.

Sem dar tempo para a princesa se recompor, o príncipe de Gotham entrega para ela o segundo embrulho.

― Agora este é o seu.

Diana abre o embrulho e dá de cara com uma caixa de veludo.

― Uma joia! – ela diz.

― Não uma qualquer, abra.

Ela abre a caixa de veludo e seus olhos não desgrudam do que vê. Um colar em ouro branco belíssimo e com um pingente que a deixou deslumbrada. Um diamante vermelho em forma de coração. O vermelho do diamante parecia brilhar incandescente diante de seus olhos surpresos.

― Bruce...! – Diana não consegue encontrar palavras para dizer a ele.

Bruce se aproxima dela e tira o colar da caixinha de veludo, o colocando no pescoço desnudado de sua princesa.

― Ficou perfeito em você.

― Não sei o que dizer...!

― Este diamante é único em todo o mundo. E estou lhe dando para que você saiba, minha amada, que você é a única dona do meu coração.

Os olhos de Diana se enchem de lágrimas de pura emoção, ao ouvir palavras tão lindas de seu Cavaleiro das Trevas. Bruce a abraça e a beija com ternura, enquanto o bebê se mexe no ventre de Diana.

― Feliz natal, Bruce, amor da minha.

― Feliz natal, minha doce Diana. Rainha do meu coração.

03 Mayıs 2021 01:01:48 0 Rapor Yerleştirmek Hikayeyi takip edin
0
Son

Yazarla tanışın

Thais Grigorio Meu nome é Thais, tenho 34 anos de idade, Otaku, Nerd, DCnauta e Wonderbat assumida. Escrevo desde os meus 14 anos de idade. Apaixonada por histórias ambientadas na época medieval.

Yorum yap

İleti!
Henüz yorum yok. Bir şeyler söyleyen ilk kişi ol!
~