Típico Atípico Подписаться

agomechan

Pensar em perfeitos exemplos de alfa para entender e imaginar um, Eijirou Kirishima e Katsuki Bakugou seriam perfeitos para tal. Tanto pelo porte físico grande de ambos mesmo estando na adolescência e naquela academia de heróis onde os demais também treinavam bastante, alfas tinham a vantagem de seus músculos de desenvolverem mais. Porém o afeto entre eles era no mínimo incomum. • KiriBaku | Bakushuma • Alfa X Alfa


Фанфик Аниме/Манга Всех возростов.

#alfa-x-alfa #abo #omegaverse #bnha #kiribaku #bakushima #boku-no-hero-academia
Короткий рассказ
1
447 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Oneshot

Como eu corri pra postar isso!!!

Agora tô aqui pra atualizar minhas notas né


Essa fic é do Desafio do grupo do facebook: Esquadrão de Escrita

O tema era clichê e entre as sugestões eu peguei de Universo ABO.


Sabe quando eu escrevi omegaverse nessa vida? Nunca, primeira vez.

Sabe quando escrevi KiriBaku nessa vida? Primeira vez também kkkkkkkk

Meus falaram: ESSE É O MOMENTO! O UNIVERSO QUER QUE VOCÊ FAÇA ABO


Pq eu leio algumas as vezes, depende, escrever era outro lance pra mim e sempre ficava imaginando que Kirishima e Bakugou tem muito jeito de alfa, os dois... como que isso seria? Tá aqui a tentativa de imaginar como seria. Então inseri abo no universo canonico mesmo da obra pra não dificultar ainda mais minha vida.

Se der tudo certo farei mais.


Agora vou postar em outras plataformas (então se ver no Nyah! Tá?) Já postei no Wattpad e no Spirit.

Aproveitem ♡✧。 (⋈◍>◡<◍)。✧♡


◦╳╳╳╳╳╳╳╲◇╱╳╳╳╳╳╳╳◦


Típico Atípico

Pensar em perfeitos exemplos de alfa para entender e imaginar um, Eijirou Kirishima e Katsuki Bakugou seriam perfeitos para tal. Tanto pelo porte físico grande de ambos, mesmo estando na adolescência e naquela academia de heróis onde os demais também treinavam bastante, alfas tinham a vantagem de seus músculos de desenvolverem mais. Os músculos os deixando ainda maiores do que seus colegas da turma 1A. O coitado do Denki Kaminari tinha que ouvir as provocações, ser chamado de tábua pelo Bakugou, por não ter um peitoral grande como os dele. Até sobrava para o pobre Hanta Sero.

­— Saiam da minha frente, magricelos. — resmungou passando por eles pelo corredor do dormitório indo para academia.

Os dois tinham acabado de terminar sua seção de exercícios.

— Magricelos? — Sero cruzou os braços ofendido. — Pelo menos ainda sou mais alto!

— Não é justo me chamar assim! — disse Kaminari se pondo na frente do alfa. — Estou até que bem definido.

Reclamações que só fizeram o provocador rir daquele jeito sádico. Já estavam mais do que acostumados. Eram o que ganhavam sendo amigos dele, mesmo que ele não admitisse em voz alta que eram passando pelo Denki com aquele maldito sorriso zombeteiro no rosto.

Mas o que podiam fazer? Diferente dele e Kirishima, Sero era beta e Kaminari um ômega ainda por cima. Não dava para competir com eles nessa área. Na de controle da raiva era bem mais fácil, Katsuki tinha até a típica agressividade de um alfa, então não era difícil ganhar dele nisso.

Um exemplo foi o que ocorreu logo em seguida, nem sabia-se como ou porquê, foi tudo tão rápido, só que lá estava ele discutindo com o Todoroki. Um comentário do Shouto já era o suficiente para fazer Bakugou gritar a plenos pulmões. A garganta do sujeito deveria ser de aço, no mínimo, enquanto Todoroki só tinha respostas curtas e suspiros, só queria voltar a se concentrar em sua corrida na esteira.

O cheiro dos dois alfas nervosos deixava o clima tenso e sufocante na localidade, mas até para quem não era afetado como Mina e Hanta, era perceptível o clima pela discussão que desencadeou. Precisavam de algum ômega para apaziguar o ambiente. Entre colegas ali, não tinham muitos, que se entreolhavam pensando em quem tomaria coragem, Kaminari engolia em seco.

Por sorte o cheiro característico de bala de hortelã se aproximava pairando no ar e no momento que entrou no ressinto já tranquilizava Todoroki.

Midoriya olha para os dois, preocupado. O cheiro de baunilha se misturou com ela a porta, sussurrando com Sero e Kaminari para entender o que se passava.

Entretanto, tal característica tão natural de alfa, de relaxar quando ômegas passavam a exalar seus aromas confortantes, só irritava ainda mais o cachorro louco do Bakugou. O cheiro doce deles o deixava até mal, não no geral, mas especificamente o do pobre do Izuku Midoriya. O que Deku podia fazer se até o alfa interno do Kacchan implicava com ele?

Os olhos vermelhos de Katsuki chegavam a brilhar intensamente. Shouto sem pensar duas vezes praticamente pulou da esteira com elegância se colocando sutilmente entre Midoriya e Bakugou. Por instinto protetor acima de tudo, claro.

Sentando ainda no aparelho, Katsuki rangia os dentes sentido o cheiro do medo especialmente do Midoriya misturado ainda com sua tentativa de acalma-lo. Quem ele pensava que era pra querer influenciar Katsuki com “aroma ômega”? Estava o subestimando? Ele só queria puxar ferro naquela noite.

Resmungou um:

— Para com isso, desgraçado.

Que Deku compreendeu tentando controlar seus hormônios e diminuir seu cheiro.

O que não agradou nem a Todoroki:

— Ele só está reagindo a você. Precisa se controlar também, estamos em treinamento para sermos profissionais.

Nem Uraraka:

— É verdade, Bakugou. Se acalme um pouquinho?

Kaminari só cobriu o rosto maneando a cabeça. Conhecia-o o suficiente para saber que era justamente o que Katsuki não queria ouvir, das pessoas que ele não queria ouvir. Uma combinação desastrosa. Sero só teve tempo de observar Mina sair sorrateiramente e correr. Bakugou explodia ao gritos.

E quem resolveria? Quem Ashido Mina foi chamar por ajuda? Um professor que seria mais apropriado, talvez? Não.

Kirishima Eijirou, o outro alfa.

Ochako Uraraka olhou chocada para a amiga, como que com sua expressão pudesse dizer “como se dois alfas irritados não fosse o suficiente?”. Afinal, Mina era beta, não sentiria seu medo, além de vê-lo estampado em seu rosto.

Apesar que Kirishima era sim controlado. Talvez se ele lesse a situação entenderia o que está acontecendo e os ajudassem a explicar ao Bakugou o que queriam dizer? Traduzir para ele? Talvez ele entenderia? Pensavam todos ali. Talvez mais o trio: Todoroki, Uraraka e Midoriya do que Kaminari e Sero.

Kaminari e Sero andavam tanto com aqueles dois, Eijirou e Katsuki, que suas expectativas eram só meio essas, porque estava basicamente dentro do possível do que se esperar entre amizade de dois alfas, mas não era o todo deles. Um conter o outro meio que pela força seria possível e acontecia as vezes. E como dito, ambos estavam na maior parte enquadrados no padrão.

Porém… como explicar? Sabiam, assim como Mina, mesmo que não entendiam muito bem, que tinha algo ali que era difícil de por em palavras e entender também, mas acontecia com frequência.

Eijirou apareceu na porta depois de deslizar pelo corredor com suas crocks, um sorriso pontudo estampado no rosto, ignorando todo o clima não amigável ali e chamou:

— Bakugou!

— O QUE É, CABELO DE MERDA?!

— Me ajuda a malhar?

Katsuki soltou um resmungo já se levantando, surpreendendo a todos.

— Mas é um idiota, não faz nada sozinho? — Pisava duro.

Entretanto, o que não passou nem um pouco despercebido para o atento Izuku, Kacchan já se conduzia ao Kirishima no mesmo momento. E apesar da fala, o aroma do Bakugou mudou drasticamente quando sentiu o de chocolate de tom alegre característico do rapaz.

— Aw, não seja assim. — disse Eijirou despojado, já passando o braço por cima dos ombros do “amigo”. — Trabalho em equipe é bom, assim eu consigo manter o ritmo.

Geralmente alfas não se permitiam tanta aproximação, como passar o braço pelo ombro do outro tranquilamente, ainda mais com um deles irritado.

Ocorria quando um alfa quer tranquilizar um ômega, trazer para perto, o proteger. Possível de imaginar que Kirishima seja um com essa tendência muito calorosa com os demais, só que certamente teria o efeito contrário a um alfa como ele.

Certo? Mas ele estava sempre se debruçando, se escorando, em Bakugou.

Izuku, Ochako e Shouto não puderam evitar de ergue as sobrancelhas vendo a cena. Kacchan não parecia nem um pouco incomodado, nem parecia que minutos atrás estava a ponto de mandar eles pelos ares.

—Hmf! No máximo dupla. Quanto menos melhor.

— Você sempre fala isso, mas já temos praticamente um grupo bem legal de amigos.

­— Tanto faz.

Continuaram a conversar sem notar os olhos dos demais atentos a eles. Como se fossem só os dois andando pelos corredores, tapeando.

Os outros voltaram a seus fazeres, mas Deku não pode evitar de puxar seu bloco de anotações e passar a anotar algo que tinha compreendido repensando a situação, escrevendo a pergunta: será possível um alfa conseguir dar conforto a outro, quando mais de um ômega falham, e com grande facilidade?

Acrescentou que pela atual experiência, parecia que sim.

Por mais atípico que pareça.

Caminhavam juntos se dirigindo a área de onde costumavam a treinar, sendo encontrados pelos amigos mais tarde. Porque Kyouka Jirou trouxe filme de terror, seria divertido com os seis e Momo Yaoyorozu claro. Então as três: Mina, Jirou e Momo, foram chama-los.

Bateram na porta:

— Kirishima, você está ai? É a Mina.

— Pode… entrar… — ouviram ele responder entre gemidos.

O quarto de Kirishima era onde até mesmo Katsuki preferia treinar as vezes. Lá tinha mais privacidade do que aturar seus colegas de turma e tinha até alguns aparelhos para se exercitarem como o saco de pancada.

Eijirou fazia flexões sucessivas no chão, provavelmente o tanto de exercícios que fizeram acabou desfazendo o seu penteando, por isso seus cabelos vermelhos lhe caiam no rosto suando.

Bakugou estava em cima dele, sentado, abanando ambos pelo calor com uma mão, e com a outra levantando peso.

Não só isso chamava a atenção de Momo como principalmente o cômodo que estava impregnado com o cheiro dos dois. Era tão intenso o aroma de chocolate e caramelo que mal deu um passo para entrar no quarto, e já deu três para trás saindo. Para as duas betas era fácil, mas Momo sendo uma alfa era um incomodo.

Céus, a mistura era tanta que no mínimo Bakugou vinha com muita frequência ali. Mal dava para identificar aquele como território do alfa que Kirishima era. E o cheiro natural de chocolate dele não era de um alfa recessivo, era bem marcante. Não era comum uma mistura de aromas acontecer assim, a não ser de…

Ficou vermelha.

Ficou vermelha, a imaginação ia a mil.

Soltava risinhos que chamou a atenção de Jirou, olhando Yaoyorozu com curiosidade.

Por que Momo estava tendo aquela reação adorável? Seria coisa de alfa? Mas alfas não reagiam assim com ômegas? Kaminari tinhas expressões fofas que ele tentava esconder quando os três lutavam juntos, por causa da presença dominadora de Momo. Seria isso que acontecia ali? Se perguntava Kyouka sem qualquer noção que na verdade era outra coisa, e envolvia mais aqueles dois garotos que Ashido conversava do que qualquer outra coisa.

— Melhor vocês dois tomarem banho antes. — sugeriu Mina. Suas amigas nem estavam escutando tal conversa.

— É claro que vamos, olhos da guaxinim! Quem você pensa que é pra dizer o que já vou fazer?!

E ela reparava que ele continuava flexionando o braço sentado sobre o Eijirou. Chegava a ser cômico e fofo a proximidade daqueles dois.

E o outro ainda sorria quando lhe afirmou:

— Está tudo bem… deixa eu acabar essa serie… e nós vemos vocês depois.

— Não faça corpo mole, Kirishima. — alertou Katsuki.

Bastou tal comentário para os dois passarem a acelerar em seus exercícios em sincronia.

— Quem está fazendo corpo mole aqui, Blasty?

Mina e as meninas se entreolharam e saíram deixando aqueles dois ensandecidos sozinhos.

Estavam Sero, Kaminari, Momo, Jirou, Kirishima e Bakugou no quarto de Mina. Se divertiam muito com o filme.

Katsuki e Kyouka zombando do medo do pobre Denki. Mina e Sero riam daquelas provocações, mas também levavam sustos.

Momo sorria. Estava sentada ao lado de Eijirou no tapete confortável e rosa da amiga. Importante salientar que Bakugou estava na cama, e o “cabelo de merda” entre suas pernas. Não tinha dado tempo para Kirishima secar seus próprios cabelos após o banho dos dois. Queria correr logo para ver o filme. Então lá estava o “amigo” loiro secando-o com a toalha.

E Momo não parava de sorrir vendo a cena. Sua alfa interna queria estar cuidando de alguém assim. Era o que mais gostava, cuidar de todos, especialmente Jirou e Kaminari que adoravam seu chá.

Não era tão comum ver alfas cuidarem um do outro assim. Mas parecia tão certo e tão bom. Nem conseguiu distrair seu risinho, quando viu Katsuki por extinto cheira o perfume dos cabelos lavados de Kirishima diante de si.

O risinho dela eles acabaram por ouvir.

Bakugou bufou ficando vermelho, passando a zoar Sero para desviar o olhar da Yaoyorozu, porque sabia que tinha sido pego. Ao ponto que Eijirou cobriu o rosto escarlate como seus cabelos com a costa da mão, mas acabou soltando risadinhas com ela. Como uma piada interna que só eles entendiam.

Ela se levantou.

O chá estava pronto.

Para satisfação de sua alfa interna, o cuidado. E sorria porque sabia que certamente o alfa de Bakugou estava em festa pelo menos motivo naquele momento.


◦╳╳╳╳╳╳╳╲◇╱╳╳╳╳╳╳╳◦


Espero que tenham gostado!

Eu fiz essa omegaverse fluffy fofa como começo e sendo a primeira, vou em poucos passos ainda. Espero que tenham gostado desse toque adorável ( ˘ ³˘)❤

10 ноября 2019 г. 6:54:54 0 Отчет Добавить 1
Конец

Об авторе

Thais L. Meu nome é Thais, também conhecida como "Kagome chan" por ser fã de InuYasha e ter um canal com esse nome, além de minhas outras contas ter esse nome como usuário, e como na versão dublada fica "Agome", deixei assim por aqui. Escrevo sobre: InuYasha, Spideypool, Amor Doce Pretendo explorar Detroit: Became Human Leio esses citados acima e Harry Potter Minhas outras contas (❍ᴥ❍ʋ) Nyah!; SocialSpirit; AO3; Fanfiction.net

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~