Devolve Meu Celular Подписаться

teffychan Steffanie Pinheiro

Sinopse: Shino e Kiba decidiram aproveitar ao máximo a folga extra que receberam do trabalho fazendo todo o tipo de coisas. No entanto, graças a uma confusão com os celulares de ambos, as provas de sua diversão foi parar em mãos erradas. Pois o Protótipo Byakugan no qual trabalhavam podia ver muito mais do que eles imaginavam.


Фанфик Аниме/Манга 18+. © Todos os direitos reservados

#yaoi #naruto #homossexualidade #nudez #alcool #shinokiba #heterossexualidade #nudesvazado
6
4.3k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Informação Desnecessária

Notas Iniciais:

* História postada também no Nyah! Fanfiction;

*Essa história faz parte do Desafio ShinoKiba do Mês de maio para a comunidade ShinoKiba Yaoi do Nyah com o tema "nudes vazado".


_______________________________




Aquela era uma bela noite com céu estrelado e uma música divertida tocava alto na casa de algum vizinho que certamente estava dando uma festa. Mas Shino não estava apreciando nada disso, pois no momento ele estava dando sua própria festa. E apreciava algo muito melhor, diga-se de passagem.

De alguma forma Kiba o convenceu a beber vinho naquela noite para comemorar a folga extra que tinham recebido do trabalho, mesmo Shino não sendo muito fã de bebidas alcoólicas. O convenceu até a permitir que filmassem os acontecimentos daquela bela noite de folga extra. Os dois beberam mais do que de costume. E ali estava o resultado. Agora Shino deliciava-se com os beijos do namorado, as mãos acariciando sua musculatura. Já fazia dois anos que moravam juntos, então a essa altura já conhecia o corpo de Kiba como a palma de sua mão. Sabia onde precisava tocá-lo para lhe dar mais prazer, conhecia seus pontos mais sensíveis. E os gemidos do rapaz em seu ouvido comprovavam que ele estava indo pelo caminho certo.

Kiba segurou o namorado pelos cabelos e o trouxe para mais perto. Não conseguia dizer nada coerente, mas sabia que Shino entendia o que ele desejava. Ele sempre entendia. Arranhou as costas do rapaz com mais força do que de costume, as unhas mais parecendo garras. Ouviu Shino balbuciar alguma coisa sobre estar quase lá, mas não permitiu que o namorado se afastasse até que chegassem ao fim.

E quando chegaram permaneceram deitados um ao lado do outro de mãos dadas. Estavam suados, ofegantes, mas felizes. Não porque tinham feito aquilo três vezes na mesma noite, mas porque estavam juntos. Os dois estavam ao lado da pessoa que amavam, tinha o apoio de suas famílias, amigos e até colegas de trabalho. Nada poderia ser mais perfeito.



~~~~~X~~~~~X~~~~~



Foi uma tortura quer que ir trabalhar de ressaca no dia seguinte.

Shino e Kiba trabalhavam com produção de jogos online. Kiba passava a maior parte do tempo livre jogando antes de começar a namorar com Shino, então se encaixava perfeitamente no cargo de testador de jogos. Shino cuidava da parte da programação, desenvolvendo os códigos dos jogos.

É claro que arranjar trabalho em um ramo como esse não era nada fácil. Mas conseguiram um emprego fixo com a ajuda de uma amiga de infância. Shino desconfiava que era porque seu primo era o dono da empresa onde trabalhavam, mas nunca tocou no assunto.

— Bom dia Hinata — Shino cumprimentou — Como vai o protótipo do novo jogo?

— Olá rapazes. Estamos nos testes finais — ela mal desgrudou os olhos do computador. Cuidava do estilo visual do jogo e levava seu trabalho de artista gráfica muito a sério — Kiba, eu preciso que você teste o Protótipo Byakugan mais uma vez… nossa, que cara é essa? — ela o encarou com mais atenção — Você parece exausto.

— Hã… é que um vizinho ficou ouvindo música alta até tarde ontem à noite e eu não consegui dormir direito — Kiba coçou atrás da cabeça. Não era exatamente mentira, porém não era esse o motivo pelo qual estava cansado.

— Sei — Hinata não parecia totalmente convencida, mas preferiu não fazer mais perguntas — Bem, você precisa estar em boas condições para testar o protótipo. Melhor tomar um café.

— Vou buscar para você — Shino ofereceu, deixando suas coisas por ali — Também quer Hinata?

— Sim, por favor. Com adoçante.

— Você terminou o relatório sobre o Protótipo Byakugan que eu te pedi na semana passada? — ela perguntou quando Shino se afastou.

— O que? — Kiba fez um esforço para se lembrar do que a amiga falava — Ah! Sim, terminei! — respondeu aliviado com a própria resposta. Felizmente tinha terminado antes de inventar aquela comemoração, mas se divertiu tanto que não se lembrou de imprimir — Só não tive tempo de imprimir. Posso te mandar por e-mail?

— Tudo bem.

Kiba pegou o celular que tinha deixado em cima da mesa da amiga e enviou o arquivo para Hinata. Ela parou o que estava fazendo para examinar o relatório pelo próprio celular.

— Kiba, isso não é o relatório… — ela deixou escapar um gritinho agudo. Os olhos estavam arregalados e ela jogava o celular de um lado para o outro como se fosse uma batata quente.

— Cuidado Hinata! — Kiba tirou o celular das mãos dela antes que a amiga derrubasse o aparelho no chão — Por que está fazendo todo esse escândalo?

— Eu é que pergunto! Por que enviou isso para mim? — ela bateu as mãos na mesa.

— Do que está falando?

— Disso aqui — Hinata tirou o celular das mãos de Kiba e mostrou o arquivo que ele tinha lhe enviado por-e-mail. Não foi relatório que ela pediu, e sim o vídeo que ele gravou com ele e Shino… bem, se divertindo.

— Droga… — Kiba enrubesceu por ter sua vida íntima exposta desse jeito, ainda que por um acidente que ele mesmo criou. Estava quase tão corado quanto Hinata, o que era algo difícil de acontecer — Desculpa Hinata. Desculpa mesmo! Eu me enganei de arquivo. Ainda estou cansado e te enviei isso por engano.

— Isso explica o motivo do seu cansaço — ela murmurou, o rosto ainda enrubescido.

— Desculpa, de verdade! Eu jamais te enviaria uma coisa dessas de propósito! — Kiba exasperou-se — Por favor, não conta isso para ninguém! Por favor!

— Não contar o que? — uma voz perguntou atrás dele, sobressaltando-o. Kiba virou-se devagar e deu de cara com seu chefe.

— Bom dia Neji — Hinata cumprimentou, fazendo o possível para se recompor — Kiba teve uma ideia nova para o Protótipo Byakugan, mas quer fazer uma surpresa.

— Ah, é mesmo? — Neji encarou o rapaz — E que ideia seria essa?

— Hã… bem… — Kiba não sabia o que responder. Não tinha nenhuma ideia nova, seu trabalho era apenas testar os jogos e procurar por possíveis bugs. Hinata provavelmente inventou aquilo para despistar Neji, mas Kiba não poderia inventar uma nova ideia assim do nada — Bom, se eu contasse não seria surpresa! O senhor vai ver quando ficar pronto — ele riu, tentando transmitir confiança. Mas riu de nervoso.

— Tem razão, desse jeito estragaria a surpresa — Neji concordou, depositando suas coisas na mesa próxima — Mas eu espero que seja uma surpresa boa. Não se esqueça de que esse protótipo precisa ficar pronto a tempo para que possamos apresentá-lo na Convenção Internacional de Jogos. E se você estragá-lo…

— Kiba? Por que ainda está aqui? — Shino retornou com os cafés. Entregou um para o namorado e outro para Hinata — Bom dia senhor — ele cumprimentou Neji, que respondeu com um breve aceno de cabeça.

— Hinata, estou indo para a minha sala. Envie-me o relatório da atualização do jogo — Neji pegou apenas o celular, deixando o restante dos pertences ali e se retirou.

— Também preciso continuar trabalhando naqueles códigos. É melhor você não perder tempo por aqui, Kiba — Shino aconselhou. Pegou a mala e o celular, colocando-o no bolso interno do longo casaco, desaparecendo ao virar em um corredor.

— Hinata, que ideia foi aquela sobre eu ter uma surpresa para o jogo? — Kiba perguntou — Eu não tenho surpresa nenhuma!

— Bem, então terá que inventar uma — ela respondeu simplesmente, tentando se focar no trabalho sem sucesso — Céus, não consigo tirar aquela imagem da minha cabeça — ela enterrou o rosto nas mãos.

— Por favor, esquece isso — ele pediu.

— Bem que eu queria — Hinata respondeu — Eu vou precisar do relatório de verdade dessa vez. Antes que o Neji comece a reclamar… — ela interrompeu-se quando o celular começou a tocar. Mas aquele toque não pertencia a nenhum dos dois.

— É o celular do Shino — Kiba pegou o celular que o namorado tinha deixado em cima da mesa — Ele deve ter levado o meu por engano… ah não.

— O que foi agora?

— Qual o endereço de e-mail que te enviou o vídeo?

— Sério que você quer que eu assista aquilo de novo? Estou começando a achar que você fez isso de propósito, Kiba… céus, você enviou até fotos! Espera aí — aproximou um pouco mais o rosto da tela do computador — Esse é o e-mail do Shino.

— Droga! Como eu não percebi isso antes? Droga! — Kiba deu um tapa na própria testa — Eu filmei com o celular do Shino, e não com o meu. E deixei uma cópia reserva do relatório no celular dele caso acontecesse algum problema com o meu. Devo ter confundido os aparelhos — Kiba falou mais para si mesmo — Desse jeito parece que foi o Shino quem te enviou isso.

— Acalme-se. Acha que eu vou querer deixar isso guardado? — Hinata perguntou — Vou excluir o vídeo e as fotos, então… — ela parou de falar quando o celular de Shino tocou novamente — Que insistente. Quem é?

— Parece que o chefe quer falar com o Shino. É melhor eu ir avisá-lo — Kiba girou nos calcanhares, indo na direção da sala do namorado, mas parou no meio do caminho — Ah, Hinata. Por que você abriu seu e-mail no computador dessa vez ao invés de olhar o celular?

— Neji confundiu meu celular com o dele e o levou — ela mostrou o aparelho que pertencia ao primo.

— Droga! — Kiba correu na direção da sala de Shino.

No entanto Shino não estava mais em sua sala e sim na sala de Neji. Como Kiba imaginou, ele conhecia a senha para desbloquear o celular de Hinata e viu que “Shino” havia lhe enviado um arquivo hoje. Aquilo não era trabalho dele, mas sabia que Shino fazia algumas tarefas para o namorado de vez em quando, então abriu acreditando que era o relatório. E teve basicamente a mesma reação que Hinata. Exceto que foi bem menos compreensivo.

— Vai me explicar isso ou não? — Neji perguntou pela terceira vez após mostrar a “prova do crime” a Shino.

— Eu realmente não sei o que dizer senhor. Não sei como isso foi parar no celular da Hinata — Shino dizia a verdade, embora soubesse que Neji jamais acreditaria nele. Estava atordoado demais para tentar entender como aquilo aconteceu. E a expressão furiosa de Neji não ajudava em nada.

— Você sabe que assediar uma colega de trabalho é crime, não é Aburame? — Neji começou a andar de um lado para o outro.

— Sim senhor.

— E sabe que há provas contra você — o mais velho prosseguiu — E que, se você não tiver uma boa explicação para isso, poderá sofrer até um processo.

— Sei disso — Shino repetiu. Sabia também que Neji só estava nervoso daquele jeito porque o assédio em questão envolvia sua prima. Se fosse com alguma outra funcionária ele também seria chamado a atenção, é claro, mas não de modo tão rigoroso. Só não sabia como aquelas fotos e o vídeo foram parar no e-mail de Hinata.

— E mesmo sabendo disso tudo ainda se recusa a falar por que enviou um vídeo e fotos pornográficas suas e do seu namorado para a minha prima? — Neji bateu com as mãos na mesa.

— Ele não eu enviou! Fui eu — Kiba invadiu a sala. Tinha escutado parte da conversa enquanto procurava Shino pela empresa e percebeu a tempo o rumo que aquela conversa estava tendo.

Os dois encararam Kiba confusos. Shino sabia que o namorado jamais faria algo assim, então do que ele estava falando? Estava tentando assumir a culpa por algo que ele tinha feito? Mas Shino nunca tinha enviado aquelas fotos para Hinata, muito menos o vídeo! Os três podiam até ser amigos de infância, mas nunca tiveram esse tipo de intimidade. Nenhum deles seria capaz de enviar fotos ou vídeos com um conteúdo daquele tipo para a amiga.

Pelo menos não de propósito. Pensando bem, tudo aquilo foi gravado com o celular de Shino. E ele sabia que havia cópias de alguns dos trabalhos de Kiba em seu aparelho. Lembrou-se de que tinha pegado o celular do namorado por engano alguns minutos atrás, o que significava que Kiba provavelmente estava com o seu. E se aconteceu outro engano além de trocarem os celulares…?

— Eu enviei as fotos e o vídeo para a Hinata — Kiba continuou falando, interrompendo seus pensamentos — Pretendia enviar o relatório sobre o protótipo do jogo para ela, mas enviei outro arquivo por acidente.

— Então foi você quem enviou aquilo para a Hinata? Com o endereço de e-mail do Aburame? — Neji ergueu uma sobrancelha.

— Havia uma cópia do relatório no celular do Shino, por isso aparece o endereço de e-mail dele — Kiba explicou — Foi um engano terrível, eu sei, e sinto muito. Mas não culpe o Shino, por favor.

— Então saia daqui você também.

— O que? — Kiba exclamou — Mas…

— Saiam daqui os dois. Saiam agora antes que eu chame a polícia. E fiquem longe da Hinata, ouviram?

— Mas eu já disse que…

— Vamos logo Kiba — Shino mandou, guiando-o para fora da sala, deixando a empresa em seguida.




7 мая 2019 г. 18:02:53 0 Отчет Добавить 0
Прочтите следующую главу Capítulo 2 – É Muita Informação De Uma Vez Só

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 3 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму