Короткий рассказ
1
3.6k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo único

De repente 1,90m.

Você já se perguntou como é frustrante ser pequeno? Acho que não, afinal, só uma pessoa pequena se pergunta isso, não é mesmo? Com Gion não seria diferente, odiava seu tamanho. Mesmo sendo aluno do primeiro ano e, agora, jogando no time de rugby do colégio Jinko, nada havia mudado. Continuava pequeno. Uma merda, não é? Não importa aonde estivesse, sua altura sempre era motivo de piada e no ensino médio não seria diferente, nem mesmo em seu time, sempre a mesma coisa “nossa, como ele é pequeno”. Sempre que ouvia isso pensava em voar no pescoço da pessoa e lhe obrigar a retirar suas palavras. Bom, não era um comportamento adequado e desde que entrara para o time de rugby tem conseguido lidar melhor com isso ―Bom, se não mudasse o hábito de comprar briga por conta disso, certamente, o capitão do time lhe mataria, afinal, Sekizan era o jogador mais imponente do time―.

Como se já não bastasse o fato de ser pequeno e jogar rugby há pouco tempo, mesmo já sendo viciado no esporte, descobriu algo que nunca imaginou acontecer em sua vida, aliás, consigo: estava apaixonado. Nossa, como não imaginou que se apaixonaria? Isso é normal com adolescentes, sim? Foi o que pensou, mas não dessa vez. Estava apaixonado, mas por um homem! Iwashimizu Sumiaki, mais conhecido como tronco de árvore. Aliás, só Gion lhe chamava assim, bem, que fosse.

Dada a situação, era ruim o bastante, não é? Sim, mas já ouviram falar que se uma coisa está ruim, ela pode sim ficar pior? Pois é, com o pequeno jogador não seria diferente. Ao descobrir e aceitar essa paixão pelo melhor amigo, decidiu procurar sobre. Sua cabeça era bastante aberta e teria de lidar com isso, afinal, era louco pelo loiro, pelo menos, foi essa a conclusão que chegou depois de se masturbar com a camisa que pegou emprestado dele num dia de treino. Achou incrível como a internet oferece tanta informação, em menos de uma semana Gion sabia, basicamente, tudo sobre esse tipo de relação e o, até então, tabu sobre sexo entre homens. Isso deveria ser ótimo, não é? Se tivesse permissão, ao menos, já saberia o que fazer e como fazer. Seria possível que alguma vez na vida algo estaria dando certo? Céus, tamanha era sua felicidade! Até que leu um comentário em um blog dizendo:

“Sabem como identificar o seme em uma relação homossexual? O maior, tradicionalmente, é o ativo. ”

― Não ferra comigo. ―Resmungou baixinho, pois sua raiva já não cabia em si mesmo, mas berrar não a faria diminuir.

O que faria? Era muito menor que o parceiro, aliás, nem sabia dos sentimentos do mesmo. Obviamente, não queria que aquele tronco de árvore afeminado fosse o ativo. Iwashimizu era, praticamente, uma mulher com pênis! Obrigado, mundo, nada poderia ficar pior. E foi com esse sentimento que dormiu. Era domingo, estava um tédio, seguindo sua habitual rotina, tocou uma antes de dormir, pois desde que descobrira seus sentimentos, era impossível conter-se à noite, pois sua mente estava cheia de flash’s do amigo no treino. De quatro. Suado. Corado. Sorrindo. Sem camisa. Jogado no chão. Com sono. Iwashimizu domava sua mente com autoridade.

Do lado de fora, caía uma chuva que espantava qualquer um que passasse, bem, não que Gion ligasse, não tinha compromisso mesmo, mas esqueceu a janela aberta e com isso, a brisa fria da chuva lhe pegou muito bem, após o banho quente ―pós punheta― o que lhe resultou...

Segunda-feira ― 06h00min

― Não ferra comigo... ―Resmungou após medir sua temperatura, não estava só com gripe, mas febre e tamanha era sua dor de cabeça. ―Parece que não teremos aula hoje. ―Sussurrou se jogando na cama, na falsa esperança de que conseguiria, ao menos, ir treinar.

Infelizmente, não conseguiu. Nos próximos três dias, Gion não saiu de seu quarto e sua mãe estava levando a comida, não gostava de lhe incomodar e o menino também não dava tanto trabalho. Estava tão indisposto que... por três dias, esqueceu-se de rugby, Iwashimizu, altura, sexo... qualquer coisa, sua cabeça doía demais para isso.

**

**

Quinta-feira ― 6h18min

― G-Gion-kun? G-Gion-kun? ―A voz trêmula e afeminada lhe pareceu familiar. Estaria sonhando? Não, não poderia, poderia? Abriu os olhos lentamente fitando o teto branco do quarto. Estava em casa. Em seu quarto. No segundo andar. Então... ― G-Gion-kun, posso entrar? ―Entrar? Espera, era o...

― Tronco de árvore? É você? ―Gritou de dentro do quarto assustado.

― Sim. Você não estava indo às aulas e treinos, também não respondeu minhas mensagens, então fiquei preocupado. O capitão também perguntou de você, por isso vim. ―Mensagens? Que mensagens? Não se lembrava de nada disso. Aliás, seu celular... aonde estava? Avistou o aparelho do lado da cama, numa mesinha e tratou de pegá-lo logo. ―Eu não posso entrar? Está tudo bem?

― S-Só um momento! ―Ligou o aparelho e assustou-se com o que viu:

Tronco de árvore: Segunda-feira06h40min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 06h45min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 06h55min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 9h10min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 9h20min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 13h16min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 14h00min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 17h56min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Segunda-feira ― 19h44min ―27/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 09h45min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 11h55min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 19h34min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 20h08min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 21h12min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Terça-feira ― 23h26min ― 28/02/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 13h212min ― 01/03/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 17h45min ― 01/03/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 20h09min ― 01/03/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 21h31min ― 01/03/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 22h00min ― 01/03/2019

Tronco de árvore: Quarta-feira ― 23h56min ― 01/03/2019

Iwashimizu tinha mandado infinitas mensagens! Estava prestes a mandar o loiro entrar quando percebeu uma coisa: estava duro. Por que, caralho, estava duro? Pela voz do amigo? Pelas mensagens preocupadas? Não sabia, mas não poderia ser visto assim, não agora.

― Estou entran― quando percebeu, a porta do quarto abrindo, pulou da cama e com menos de três passos chegou à mesma, no entanto, essa foi aberta pelo loiro, o que resultou na queda do pequeno asa em cima do loiro. ―Itai. ―Resmungou quando bateu a cabeça no chão. De todas as posições, por que em cima de Iwashimizu, entre suas pernas, com sua ereção na coxa do maior? — G-Gion-kun?

— Gomen! —Levantou-se rápido, logo, desequilibrando. Estranho. Não se recordava de ser tão pesado, o que estava acontecendo? Seria por não estar se aliviando por esses dias? Não. Não poderia ser, né? — Você está bem, Iwashimizu? —Questionou estendendo a mão e assim que o gigante ficou de pé se deu conta que algo estava, de fato, errado. — Oe, por que está abaixado? —No entanto, o loiro nada dizia. O que raios era essa cara de terror que estava fazendo? Mas logo percebeu que Iwashimizu não estava abaixado o que significava...

― O que... aconteceu, Gion-kun? ―Olhar Iwashimizu debaixo pareceu um sonho tornando-se realidade. Correu para dentro do quarto e quando se olhou no espelho percebeu o que tinha acontecido. ― De repente, você mede... 1,90m? ―O loiro ajoelhou-se descrente. Gion estava do seu tamanho.

― Estou enorme! ―Gritou o asa do time Jinko comemorando um sonho que se tornou realidade. ― Tronco de árvore, segura aí 5 minutos, vamos pro colégio! ―Correu pro banheiro e o banho frio resolveu sua ereção, agradecia mentalmente por essa loucura ter acontecido, se Iwashimizu perguntasse algo, diria que seu pau também cresceu. Por não ter roupas de seu tamanho, pegou a camisa de um de seus irmãos da época do colegial e no colégio dariam jeito.

10minutos depois~

― Gion-kun, o que aconteceu?

― Eu não sei. Estava resfriado esses dias, por isso faltei. Aliás, me desculpe não ter respondido suas mensagens, a verdade é que eu não tinha visto. Foi mal. ―Coçou a nuca em sinal de desconforto, odiava o fato de não ter visto, afinal, Iwashimizu sempre respondia seus pedidos egoístas. Além disso, era apaixonado pelo loiro. Falando em paixão, Gion não deixou de notar que Iwashimizu estava, como sempre, lindo! Hoje, em especial, por mostrar uma expressão tão sensível. Estava preocupado consigo e isso era adorável.

― Entendo. De qualquer forma, isso é ótimo, Gion-kun. Como se sente? ―Perguntou sorrindo, de certa forma estava contente, sabia do complexo do amigo e ficava triste por vê-lo se sentir inferior por conta da altura. Mas para além disso, por achar que Gion estava sexy. Logo reprimiu tal pensamento balançando a cabeça como se tentasse os afastar. No colégio fora a mesma coisa, Gion surpreendeu a todos e o sorriso satisfeito não saía de seu rosto. Iwashimizu observava tudo de longe, estava tão feliz quanto.

**

Enfim, o tão esperado treino chegou e lá não seria diferente, todos comemoravam com o “pequeno” asa, ele sempre quis ser alto, afinal.

― Gion, hoje você vai receber os tackles de Iwashimizu. O resto, passe! Vamos.

― Hai! ―O time todo respondeu em alto e bom som.

O treino, como de costume, foi de deixar todos jogados no chão de tão exaustos. Iwashimizu não pegou leve, confessava, costumava pegar leve com Gion pelo mesmo ser bem menor, no entanto, tudo estava diferente. Gion não estava apenas mais alto, sua presença em campo era tamanha como, ou quase como, Sekizan ―o tão respeitado capitão do time. Não compreendia bem toda a situação, mas encarar Gion estava sendo uma tortura e ter o contato de um tackle era pior ainda. Seu corpo estava febril e a camiseta branca, suja e suada de Gion que marcavam seu corpo definido, definitivamente, não estava ajudando. Estava louco para sair dali, ir ao vestiário, tomar um banho e correr para casa para fazer algo que havia se tornado rotina desde que descobrira seus sentimentos por Gion: se masturbar. Mas a vida costuma ser bem traiçoeira, às vezes.

― Iwashimizu e Gion, vocês guardam o equipamento hoje. ―A ordem do capitão deixou claro que: Iwashimizu estava: f o d i d o.

― Hai! ―Gritou o amigo, empolgado.

― Gion-kun, você não se cansa nunca? ―Perguntou derrotado.

― Nah, não é isso! Mas hoje sinto como se o treino inteiro não tivesse sido nada. Será que além de crescer, acabei ficando mais forte? ―Sorria empolgado, Iwashimizu se sentia um lixo por encarar os lábios de Gion com tanto desejo. Um lixo.

Guardaram tudo e estavam exaustos. Como de costume, decidiram tomar banho no vestiário, pois Iwashimizu sempre, sempre resmungava de ir embora sujo, achava incômodo. Mas, hoje, diferente do habitual, escolheu uma cabine bem longe do amigo. O motivo? Sua ereção era dolorosa. Não compreendia bem, mas o fato de estar perto de Gion e ouvir sua voz cantarolando no banho deixava tudo mais excitante, não poderia esperar mais. Encostou-se à parede e enquanto mordia o antebraço, tocava-se. Uma pena sua excitação ser tamanha que... um pequeno gemido lhe escapou. Foi bem baixo, por isso continuou.

― Iwashimizu! ―A voz de Gion atrás de si o fez ejacular no ato e quando deu-se conta, Gion estava, de fato, atrás de si. Praguejou-se mil vezes mentalmente por não poder disfarçar, já que a parede estava suja de gozo e a expressão de Gion era de descrença. ― V-Você...

― Gomen! Gomen! ―Gritou com lágrimas nos olhos, queria cavar um buraco na terra e desaparecer para sempre, mas sabia que isso não aconteceria. ―Gi―foi interrompido pela mão do mesmo que tapou sua boca. Gion o encurralou na parede e encarou sério. Iwashimizu estremeceu.

― Por quê? ―Ele poderia responder “por que, o quê?” Sim? Mas não cometeria tal erro, era óbvio que Gion estava interessado no que havia lhe deixado excitado a ponto de se tocar no vestiário. Sabia que poderia ser pego, mesmo assim não parou. Por quê? Por milésimos de segundos, Iwashimizu previu o fim de sua amizade, o fim de sua parceria em jogo, o fim de seus sorrisos bobos todos os dias, o nojo de Gion por si e tais pensamentos vieram em lágrimas, grossas lágrimas que doeram em Gion.

― Porque... eu... gosto de você, Kenji. ―Ouvir seu primeiro nome pronunciado entre lágrimas não poderia ser mais bonito, mesmo que doloroso, pois nesse mesmo momento percebeu que, até mesmo para si as coisas poderiam, uma vez na vida, dar certo. Lentamente, a mão que estava no pescoço de Iwashimizu desceu ao ombro, braço, antebraço, logo chegando à mão do loiro, essa que Gion segurou entrelaçando seus dedos com paixão, tal gesto chamou os olhos dourados, bem delineados, de Sumiaki.

― Ótimo, porque eu também gosto de você, Sumiaki. ―Sussurrou baixo, suavizando sua expressão. ― P-Posso... te beijar? ―Questionou quase que implorando por um sim e era óbvio que o loiro não lhe negaria isso. Afinal, era seu maior desejo. Quando o loiro fechou os olhos, permitindo-se corar como nunca antes, tal visão serviu de incentivo para o asa avançar os lábios tão sonhados. O beijo, no começo, era bem desajeitado. Ambos nunca haviam beijado e não teriam coragem de dizer isso um ao outro, mas o desastre do primeiro contato deixava tudo claro. Com pressa e desajeito, o ar acabou se fazendo necessário. Afastaram-se e não conseguiam deixar de se encarar, o sorriso bobo, o rubor na face, tudo só fazia comprovar a paixão que sentiam e isso os deixava animados. Iwashimizu abraçou o moreno, inalando seu cheiro, adorava-o, era forte, másculo, sempre quis lhe abraçar assim e tal gesto o permitiu sentir a ereção do outro. Corou. Gion também estava excitado consigo? Tal pensamento o fez sorrir tímido escondendo-se no pescoço do outro que enlaçou sua cintura. ―Nee, Sumiaki... ―Sussurrou baixinho ao pé do ouvido fazendo o loiro se arrepiar inteiro. ― está tudo bem... se eu te tocar? ―Assustou-se com a pergunta e encarou o moreno por reflexo.― Só... tocar. Não quero parecer um tarado, mas você realmente me deixa duro e... é doloroso, então, só tocar... eu posso? ―Iwashimizu não estava em condição de recusar, afinal, também havia ficado ereto. Sorriu.

― S-Só... se eu puder também. ―Parecia um tomate de tão vermelho que estava, mas realmente queria tocar.

― Okay... ―Respondeu tímido, beijando o ombro do loiro e ali, debaixo do chuveiro, os dois tocaram-se num ritmo nem rápido nem lento, podendo desfrutar o contato um do outro, podendo deliciar-se com os gemidos sôfregos e diversas vezes abafados por beijos meio desastrosos, mas beijos, beijos cheio de paixão e desejo, curiosidade e amor, sinceridade, amizade, cumplicidade e muita, mas muita... honestidade. O banho durou pouco para tanta paixão contida. Mas durou.

Depois de saírem do vestiário e arrumarem tudo, trancar, os dois estavam sós. Mas, diferente de outros fins de treino, agora, cientes de uma paixão recíproca.

― Ei, Tronco de árvore, quer lanchar? ―Questionou.

― A-Agora?

― Sim, por quê? Não pode? Não quer?

― N-Não, não é que não queria, Gion-kun, é que minha mãe vai querer me bater por chegar tão tarde, além disso, ela deixa minha comida separada, se eu lanchar, provavelmente, não conseguirei jantar....

― Oh. Entendo!

― Por favor, me desculpe!

― Está tudo bem, podemos almoçar juntos amanhã. Né?

― Claro! ―Iwashimizu estava prestes a dobrar a esquina que os separaria quando Gion, repentinamente, o puxou, colando seu corpo na parede ― G-Gion-kun?

― Nee, se... amanhã... eu não for grande... mesmo assim, você ficaria comigo? ―Era doloroso de ver, mas Gion recusava-se a acreditar que simplesmente havia crescido, era mais como se os deuses lhe fossem pregar uma peça deixando ser alto um dia e no outro tudo voltaria ao normal. Então, pelo menos isso, pelo menos esse sentimento... queria manter.

― Sim. ―Sorriu abraçando-o, percebera que realmente desejava abraçar Gion ―Afinal, eu me apaixonei por você no momento que brigou com aqueles senpais. ―Se referia ao primeiro encontro de ambos.

― Eu te amo, Sumiaki. ―Sussurrou choroso.

― Eu também. Eu também, Ken~ji~kun~ ―cantarolou fazendo o outro corar.

No outro dia, Gion percebera que...

― Wah! 1,92m. eu cresci, de novo! ―Gritou comemorando. Dessa vez os deuses decidiram lhe presentear e não sacanear.

F.I.M

23 марта 2019 г. 21:18:16 0 Отчет Добавить 0
Конец

Об авторе

BELITH Ariana|1996|Heterossexual|Fujoshi|Autora| Tradutora| Jojofag | "Escrever é arte"

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~