Apenas um coração Подписаться

nathymaki Nathy Maki

Strange estava montando uma lista de possíveis entidades que representavam uma ameaça para Terra. O que ele não sabia, era que um certo deus das Mentiras estava muito irritado por não fazer parte dela. E, com a ajuda de um prestigiado detetive, isso logo se tornaria uma corrida contra o tempo.


Фанфик Кино Всех возростов.

#tempo #Dr-Estranho #loki #luta #ação #sherlock #universo-marvel #crossover #juntaink
6
3840 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Um visitante inesperado

Crossover: MarvelxSherlock

***

Aquele estava sendo um dia e tanto para o Dr. Stephen Strange.

Primeiro, sua breve visita a Christine havia sido interrompida por um ataque de ciúmes de seu manto da levitação que, de forma insistente, cismava em arrastá-lo para longe, e agora havia um deus em seu santuário exigindo saber a localização do irmão.

Maldita hora em que achou por bem ajudar asgardianos! E o ser de cabelos preto, olhos escuros e um belo rosto angular, vestido em um impecável terno negro continuava em sua sala, braços cruzados, o encarando com uma expressão que indicava que ele lhe devia algo, como se o fato de ter derrubado suas barreiras e invadido o Sanctum de Nova York com tanta facilidade não fosse nada.

― Pensei que o serviço de Midgard fosse mais eficiente do que isso. Estou esperando há horas. – O “visitante” fingiu interesse nas unhas, antes de erguer o rosto e avaliar o “anfitrião”. ― Entretanto, vejo que o senso de moda dos mortais não melhorou muito desde a minha última visita. – Fez pouco caso das vestes longas e de mangas compridas de cor azul, além do manto vermelho que se agitava as suas costas.

― Essas são as melhores roupas de Kamar-Taj. – Retrucou, ofendido pela ousadia do comentário. ― Devia ver o que a anciã vestia. Era tão amarelo que até mesmo os girassóis deviam sentir inveja.

― Não que seja do meu interesse o que você usa ou deixa de usar, estou aqui pelo meu irmão, Thor, e a sua localização.

― Olha só, Sr....?

― Loki, Deus da Trapaça, verdadeiro Rei de Asgard, o magnífico e fabuloso. – A mão acenou no ar, em um gesto indigente. ― Escolha o que preferir.

― Pois bem, Loki. – Strange retrucou, aborrecido. Nunca antes encontrara alguém tão cheio de si e irreverente. "Ele é exatamente como você." Uma voz estranhamente parecida com a da Anciã cochichou em sua consciência. "Ora, cale-se" devolveu, a última coisa que precisava agora era de um sermão sobre sua conduta. ― Eu não sei por onde anda seu irmão, e mesmo que soubesse, não há nenhum motivo pelo qual eu deveria ajudá-lo. Ao invés de invadir meu Sanctum sem qualquer aviso anterior, devia procurá-lo com os Vingadores.

O rosto fino se torceu em uma careta de desgosto.

― Eu tinha sinceras esperanças de nunca mais vê-los. – Strange assistiu o excêntrico convidado perambular de um lado a outro da sala – um espaço bem decorado em tons de bege e marrom, cercado por prateleiras e dividido ao meio pela escadaria que levava ao piso inferior –, puxando livros das prateleiras, tocando em artefatos e os retirando do lugar para então recolocá-los em seguida. Passou a mão pelos fios já se tornando grisalhos e se perguntou qual o melhor modo de lidar com a situação. ― Bem, vejo que os magos da terra são completamente inúteis. Devo me retirar. – “Ele continua a falar como se houvesse sido convidado." ― Até uma próxima visita, Strange.

― É doutor Strange. – Pontuou, enfático. Nem por toda magia do mundo as pessoas começariam se refeririam a si com o termo apropriado. ― E espero que a próxima não venha de fato a acontecer. Mas, caso aconteça, jogarei você em uma dimensão onde cairá eternamente.

― Boa sorte na tentativa. – O sorriso partiu os lábios finos e uma das sobrancelhas se ergueu em desafio. ― Strange.

O manto da levitação oscilou as suas costas, mas o mago o conteve assistindo seu intruso descer as escadas com elegância. O manto continuou a puxá-lo de forma insistente e impaciente, como estivera o dia inteiro.

― Tudo bem, tudo bem, ele já foi. – Mais puxões. Sentiu os pés arrastarem no linóleo do piso decorado com padrões fluídos. ― Mas qual o seu problema hoje?

Como o bom manto que era, ele não respondeu apenas continuou a arrastá-lo em direção ao local em que Loki estivera. Uma das pontas se esticou em direção a um dos artefatos como se dissesse em alto e claro tom: "Este aqui!" E o mago o examinou mais atentamente. Tratava se de um antigo relógio de prata de bolso, delicadamente gravado com uma ampulheta cujo vidro se encontrava rachado, deixando verter a areia contida em seu interior. Era uma das relíquias retiradas de um dos muitos traidores do caminho natural. Um artefato perigoso e cujo poder era imenso e totalmente descontrolado, selado pela Anciã há séculos. Caso caísse em mãos erradas, o Guardião nem podia imaginar a extensão do dano causado.

― Eu sei, eu sei, o relógio de prata do tempo passado. – O manto agora apontava do relógio para Loki que alcançava o extenso hall. ― Então isso é... – Os olhos voltaram se para o artefato guardado em uma cuidadosa caixa de cristal especialmente criada para restringir seus poderes. ― É falso! Maldito Deus das Trapaças!

O manto se ergueu as suas costas, sincronizado com seus pensamentos e o levou com um solavanco até o piso inferior, onde Loki brincava com o relógio jogando-o para cima e o pegando novamente com maestria.

― Ora, ora, demorou mais o que o esperado para perceber.

― Devolva o relógio, Loki, filho de Odin, e esquecerei que o pegou. – Os olhos claros de Strange faiscaram, resolutos. Era o Guardião daquele Sanctum, o que diria Wong se fosse enganado tão facilmente? ― Esse é o único aviso que terá.

― Não acho que vá acontecer. – Loki fez pouco caso das palavras duras dirigidas a si e continuou a brincar com o objeto, a corrente de prata produzindo um ruído arrastado ao se entrechocar no ar. ― Com o desaparecimento daquele tolo do Thor, posso usar esse relógio para avançar no tempo de Odin e tomar para mim o trono de forma definitiva.

― Pensei que estivesse procurando por seu irmão.

― Acho que esqueceu com quem está falando. – O sorriso voltou a face. ― Não é à toa que me chamam de deus das mentiras. Já cuidei desse assunto, Surtur irá mantê-lo ocupado por um bom tempo. O suficiente para que eu possa, enfim, garantir que nunca mais verei aquele velho tolo novamente.

― Não sabia que fazia esse estilo de vilão. – Debochou Strange. ― Não sabe que aqueles que contam seu plano de uma vez sempre são derrotados no final?

― E quem iria me impedir? – Os braços se abriram, abarcando todo o local vazio. ― Você? Um mero mago que mal tem a percepção de que um de seus mais valiosos artefatos foi trocado por uma falsificação?

― Exatamente.

Strange estralou os dedos e os girou em uma forma circular, conjurando um círculo refulgente que pairou no ar. Com uma das mãos, ele empurrou-o em direção a Loki que voou vários metros para trás ao ser atingido. Armaduras foram derrubadas com a força e o impacto do corpo lançado em direção a uma enorme porta gravada com um símbolo intricado como uma matriz de linhas sobrepostas.

O guardião conjurou seu chicote de energia em uma das mãos e o escudo na outra, lançando a ponta do chicote que cobriu toda a distância que o asgardiano havia percorrido. Ao sentir o contato, girou o pulso para que o chicote se enrolasse no alvo e avançou na direção dele, assistindo-o levantar como se nada houvesse acontecido. Com uma paciência ímpar, Loki limpou o pó do terno e fitou o fio reluzente enrolado em seu pulso com um olhar crítico.

― É uma pena que não vá sair deste lugar com ele para chegar a realizar este plano.

― Nada mal, mago. – Loki assentiu. ― Mas ainda não é bom o suficiente.

O deus estendeu a mão a frente e um cetro longo de ouro se materializou o qual foi de pronto agarrado. O ar tremulou enquanto uma intricada armadura dourada intercalada por faixas de tecido verde se materializava em seu corpo e um longo capacete com dois chifres pontudos cobria a cabeça.

― Você brilha, impressionante. Mas como esse brilho vai te ajudar?

Em um movimento rápido e fluido, o deus girou a arma entre os dedos e partiu a linha de energia como se cortasse manteiga.

― Quem sabe? Talvez assim.

Strange flutuou, mirando de cima o seu inimigo e absorvendo a postura confiante, mas, ainda assim com aberturas demais que permitiam um ataque. Os braços se moveram e logo o mago segurava duas faixas compridas conhecidas por serem os Grilhões de Sheol, que prendiam o alvo e eram indestrutíveis. Saltou sobre o deus na intenção de capturá-lo, mas foi pego de surpresa com o seu súbito desaparecimento junto a uma onda de fumaça escura que se espalhou pela sala, para, segundos depois, senti-lo cair sobre as suas costas, o segurando firme contra o chão.

― Você se mexe demais, doutor. – Tendo fechado os olhos, momentaneamente distraído com o pó escuro que toldava sua visão, os abriu apenas para confirmar que Loki já estava atrás de si, prendendo de forma segura suas mãos e impedindo-o de fazer quaisquer movimentos ou conjurar os selos que necessitava. ― Você é inútil sem suas mãos.

Com as mãos amarradas não havia muito o que Stephen poderia fazer. Felizmente nesse momento, sua capa agiu, atingindo os olhos do asgardiano, distraindo-o tempo suficiente para que o mago conseguisse se soltar. Com as mãos pressionadas firmemente uma contra a outra, puxou de sua memória a página de um antigo livro que vinha estudando o qual descrevia um forte ataque nomeado de Raios de Balthak. Eletricidade percorreu sua pele e ele liberou o golpe, assistindo dúzias de raios partirem em direção a Loki cujo corpo se desfez em pedacinhos.

― Eu bem que avisei. – Falou em tom definitivo. Palmas arrastadas soaram a sua volta.

― Meus parabéns, acabou de destruir um holograma. – A voz ecoou as suas costas de onde Loki saia da poeira caminhando a passos lentos, parando no exato local que o seu holograma estivera. ― É tudo o que tem, Strange?

― É Doutor Strange para você. – Gritou erguendo-se no ar e se lançando contra o adversário. Os dois colidiram contra a pesada porta que no segundo seguinte já não mais existia.

Rolaram pelo chão, engalfinhados, e Loki puxou sua adaga do interior das vestes, tentando acertar o mago que desviava com habilidade, afinal não era apenas um mestre nas artes místicas, mas também um mestre nas artes marciais. O manto se moveu e se enroscou na cabeça do asgardiano, tapando sua visão.

Strange saltou para trás já conjurando sua magia, quando as partículas presentes no ar tremeram e uma força repulsiva explodiu de onde o deus se encontrava. O mago foi jogado para trás e colidiu contra um pedestal erguido no meio da sala rodeada de grossas colunas de pedra onde descansava um artefato em forma de olho de aparência familiar. Três grandes e pesadas portas, cada qual com um símbolo diferente decorando-as, se encontravam dispostas ao redor.

― Muito bem, doutor. Eu quase senti essa. – O manto continuava sua tentativa de se enroscar em seu corpo. Loki puxou a adaga para junto de si e atacou a capa que recuou de volta para as costas do mago.

Só então se deu conta que estavam na biblioteca subterrânea de Kamar-Taj. Ao que parecia, o portal que interligava os dois locais havia se ativado durante a luta sem que ele o houvesse feito. Observou os arredores, atentando-se para quaisquer ruídos de pessoas passando por ali. Como uma luta de tal porte aos fundos da grande biblioteca não havia alertado Wong ainda?

― Se espera por ajuda, ela nunca virá. Lancei sobre todos do complexo um feitiço do sono do qual não acordarão tão cedo.

Stephen se pôs de pé, o corpo dolorido por ter sido jogado com força contra o pedestal, mas não o suficiente para detê-lo ou impedi-lo de retomar o relógio roubado. Não era a primeira vez e muito menos seria última que estaria enfrentando um inimigo formidável. Ergueu as mãos e voltou a focar a atenção no embate.

― Devolva o artefato e volte para Asgard, é meu último aviso. – As mãos brilhavam de poder, círculos mágicos conjurados que certamente causariam um grande estrago ao local.

― Mas doutor, eu pensei que o anterior tivesse sido o último. Isso quer dizer que ainda há mais por vir? – Strange não respondeu, atacou Loki com raios de energia que foram defendidos com as mãos nuas. O asgardiano ergueu o olhar e se viu cercado por várias cópias do mago. ― Ótimo truque, mas se torna inútil se o seu adversário também o conhece. – Do mesmo modo que Strange, Loki acenou e, em segundos, se encontrava cercado de hologramas de modo a não se distinguir o verdadeiro deus entre os demais.

Logo uma batalha entre várias cópias de seus criadores se iniciou. Durante a confusão de luzes e sons, Strange retomou a posse do olho de Agamotto que lançou uma luz reveladora distinguindo qual o corpo era o verdadeiro. O mago abriu um portal e se lançou por ele, aparecendo diretamente atrás do asgardiano. O chicote atingiu a face e desceu perigosamente em direção a garganta antes que Loki se afastasse. Os hologramas se dissiparam e os demais clones de Strange fizeram o mesmo gesto, aparentando ter múltiplas mãos.

― É o fim, Loki. – O mago abriu o olho de Agamotto e com os selos em torno da mão direita apontou o braço em direção ao corte que causara no adversário acelerando o tempo e o fazendo se abrir e verter ainda mais sangue. Um rugido de raiva veio do asgardiano que se lançou sobre o mago atirando a adaga em uma linha perfeitamente alinhada com o coração. Stephen desviou com um giro, e perdeu o foco no adversário por míseros segundos, tempo suficiente para Loki se recuperar.

― Só será o fim quando eu disser que é. – e com isso, o deus se atirou contra uma das portas gravadas com os símbolos que logo deu lugar a uma enorme mansão de cores e formas muito parecidas com a invadira em Nova York. Correu pelo hall se jogando nas portas duplas de entrada antes que o mago o seguisse. Levou a mão ao pescoço cobrindo o ferimento, os olhos buscando um local onde pudesse se curar e cumprir assim seu objetivo. O sangue escorria, manchando a capa verde e pingando na brilhante armadura dourada. ― Aquele projeto de mago ainda me paga.

Um enorme ônibus de cor vermelha surgiu a sua frente, soando a buzina de forma alta e insistente, e um corpo se chocou contra o seu antes que pudesse usar seus poderes e atirar longe aquele veículo que ousava atrapalhar seu caminho.

― O que pensa que está fazendo? – Veio o grito em sua direção. ― Quer piorar ainda mais a taxa de suicídio na Inglaterra?

Loki parou de se mexer, surpreso ao assistir a ousadia daquele mortal ao gritar daquele modo consigo. Levou apenas alguns segundos de confusão para registrar o casaco azul-escuro e o lenço enrolado no pescoço, completado por uma aparência que era de certa forma, muito familiar.

― Vocês são tão parecidos. É como ver uma alucinação. – Então, num rompante, compreendeu o que se passava. ― Oh, entendo, então foi isso o que aconteceu. – Uma risada escapou dos seus lábios e ele voltou sua atenção para aquele que o socorria agora.

― Pode me ouvir? – Os olhos escuros e profundos fixaram os azuis que corriam rapidamente por todos os detalhes da situação, desde a roupa estranha e até mesmo excêntrica ao capacete com as formas pontudas que parecia ser de ouro puro, se detendo em especial no longo corte localizado perto demais da carótida cujo liquido vital escorria e pingava no asfalto. Uma multidão já se reunia a sua volta e era apenas questão de tempo até que as autoridades chegassem ao local. ― Preciso que responda as minhas perguntas. Quem o atacou?

O deus sorriu como se soubesse de algum segredo que não iria revelar e ergueu um dedo ensanguentado, levando-o até ao peito daquele que era o seu “salvador”.

― Você.

22 марта 2019 г. 12:33:26 6 Отчет Добавить 2
Прочтите следующую главу Encontro

Прокомментируйте

Отправить!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Pontuação: "ele não respondeu apenas continuou" em vez de "ele não respondeu, apenas continuou"; "do relógio para Loki que alcançava" em vez de "do relógio para Loki, que alcançava"; "O manto se ergueu as suas costas, sincronizado com seus pensamentos e o levou com um solavanco" em vez de "O manto se ergueu às suas costas, sincronizado com seus pensamentos, e o levou com um solavanco"; "empurrou-o em direção a Loki que voou vários metros" em vez de "empurrou-o em direção à Loki, que voou vários metros". Vírgula indevida em "O que ele não sabia, era"; "A mão acenou no ar, em um gesto" 2)Concordância: "cabelos preto" em vez de "cabelos pretos" 3)Acentuação: "que se agitava as suas costas" em vez de "que se agitava às suas costas"; "oscilou as suas costas" em vez de "oscilou às suas costas"; "ergueu as suas costas" em vez de "ergueu às suas costas"; "O sorriso voltou a face" em vez de "O sorriso voltou à face". 4)Regência: "assistiu o excêntrico" em vez de "assistiu ao excêntrico" (o verbo assistir pede artigo "a" quando possui significado de "ver", sem o artigo o verbo muda de sentido para "ajudar"). 5)Outros: "se refeririam a si" em vez de "se refeririam a ele". "Os olhos voltaram se" em vez de "Os olhos voltaram-se". "demorou mais o que o esperado" em vez de "demorou mais do que o esperado". Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Gostei muito da sua história, Nathy; como sempre, tá arrasando! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
21 апреля 2019 г. 8:48:52
Willver Hst Willver Hst
A-D-O-R-E-I com todas as letras! Escolheu muito bem o tema e o jeito tão realista como descreve os personagens, principalmente os da Marvel. Os pensamentos dos personagens o jeito detalhado de escrever é maravilhoso!!! Continue assim Nathy Maki!(ainda me recuperando da historia!) Bejos !) -Willver Hst
3 апреля 2019 г. 13:15:31
Laiana Claro Laiana Claro
Eu simplesmente adoro o Loki, aquela poc! kkk Achei que a sua caracterização de todos os personagens ficou muito boa e amei as cenas de ação. Foi uma história realmente divertida de se ler, meus parabéns! Espero que você vá bem no desafio!
3 апреля 2019 г. 11:28:45
A Louca dos Cavalos A Louca dos Cavalos
GENTEEEE. ISSO VAI SER UMA LEITURA MUITO SATISFATÓRIA ♥ MDS. VOU ACOMPANHA-LA COM CERTEZA. VAI ARRASAR NESSE DESAFIO DE CROSSOVER E QUE BELA MENTE QUE VOCÊ TEM PARA PENSAR EM TAL IDEIA DE MISTURA DE MUNDOS. SHERLOCK ♥ DOCTOR STRANGE ♥ BENEDICT CUMBERBATCH ♥ SÓ PAPEL TOP ♥ MUITO OBRIGADA POR ESTA LEITURA FORMIDÁVEL. BJSS DE CAVALINHOS ♥
2 апреля 2019 г. 18:13:27
HunterPri Rosen HunterPri Rosen
Mas gente... eu tô é chocada kkkkkk Adorei! Estava doida para ver um crossover desses e amei esse primeiro capítulo. Manto defendendo seu mago magia é muito amô <3 Ficaram perfeitas as descrições dos personagens, a maneira como agiram, muito bom mesmo. Que cena maravilhosa entre os hologramas kkkkkkkkkk tô chocada :v E esse encontro do Lokito com o Sherlock no final foi a cereja do bolo, maravilhoso! Nesse trecho aqui, acho que o correto seria "Nada mal", certo? "— Não mal, mago..." Parabéns pela história e inté o próximo capítulo ;-)
28 марта 2019 г. 13:26:17
Yuui C. Nowill Yuui C. Nowill
Eu fiquei... perdida? Digo, eu suspeitei que era uma oneshot, aí fiquei me perguntando como se daria o crossover. Mas ao final percebi que havia mais capítulos e pensei "OH! Agora entendi". Muito interessante. A luta entre Strange e Loki foi muito boa, a descrição criou vivacidade na cena! E apesar de eu não ter visto Doutor Strange, consegui visualizar tudo muito bem. Me pergunto o que o Sherlock fará agora que Loki o acusou de ter feito aquilo com ele? Ansiosa para descobrir!
24 марта 2019 г. 16:04:55
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 2 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму