kim_daryl1530377198 Kim_Daryl

Um intercâmbio realizado pela faculdade de artes para a Suécia acaba fazendo o casal Taegi dividir um dormitório com o dançarino prodígio da escola Jung Hoseok. Após uma coreografia apresentada pelo Jung, o casal decide testar o quanto o outro era flexível. Afinal, se dois é bom, três é melhor.


Фанфик Группы / Singers 18+.

#bts #vkook #taekook #pwp #Jhistory #CapítuloÚnico
Короткий рассказ
3
3.3k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo Único


Suécia. Um lugar lindo e diferente, que Taehyung e Yoongi nunca pensaram que iriam conhecer, nem possuíam a vontade de ir visitar este lugar até que o intercâmbio foi possível. Fazia pouco mais de três meses que o casal se encontrava naquele país maravilhoso, desfrutando tanto das aulas com novos professores quanto da beleza turística que aquele local os proporciona.

Namoravam há quase quatro anos inteiros, tendo se conhecido justamente na faculdade que ambos cursaram: a Faculdade de Artes e Música de Seoul. Foi onde eles se conheceram; Taehyung era um estudante da área vocal e Yoongi estudava para virar compositor, ambos foram colocados em um trabalho juntos, o que acabou gerando uma amizade entre os garotos.

O Kim se apaixonou pelo sentimento contido nas letras escritas pelo mais velho, e o Min se apaixonou por como a voz do outro conseguia transmiti-los a outras pessoas. A primeira música que escreveu para Taehyung havia sido Stigma, uma música que escreveu após conversar bastante com o outro, e não conseguiu mais tirar da cabeça aquela voz rouca, grossa e profunda. As emoções transmitidas a Yoongi pelo outro foram imprescindíveis.

A partir desse dia, não escreveu letras para mais ninguém além do mais novo — em questões de trabalho —, sua dupla, a pessoa que queria que as cantasse se tornou apenas ele. Kim Taehyung, seu melhor amigo e, depois de meses na amizade, seu agora namorado. Os dois eram o típico casal que todos queriam ser e que todos adorariam estar no lugar de algum dos dois ou, o mais típico de acontecer: de quererem compartilhar os lençóis.

O casal sempre teve certos gostos meio diferentes em relação à vida sexual. Mais especificamente, certos fetiches. Min Yoongi, grande adorador de bondage, que se tratava do prazer em ser amarrado ou imobilizado. Kim Taehyung amava narratofilia, atração por palavras obscenas e de baixo calão durante o ato. Eram dois espécimes fascinantes e que não escondiam de ninguém suas preferências na hora do sexo.

Todos os seus parceiros decidiram dividir a cama com eles sabendo sobre tudo isso. Ah, outro fetiche deles. Não era bem um fetiche, mas eles amavam. Threesome... Ah, como eles gostavam de ter um terceiro, era uma experiência tão boa. Não que só fizessem sexo quando havia outra pessoa junto, longe disso, até porque por mais que gostem disso, ainda eram possessivos um com o outro. Era só uma noite e nunca mais. E o relacionamento deles se mantinha assim; Apesar de tudo, eles amavam apenas um ao outro.

— Estou na vontade, Yoon — Taehyung exclamou repentinamente durante o intervalo para o almoço que tinha entre as aulas. O Kim estava andando até a sala de prática que o lado dos dancers possuía, arrastando seu namorado sonolento junto a ele, porque precisava do caderno que esqueceu com seu melhor amigo, Park Jimin, um dos melhores dançarinos da faculdade.

— Vontade de que, Tae? — Yoongi estava com tanto sono que compreender o que o outro dizia era uma tarefa um tanto complicada, mas tentava prestar atenção nele já que o outro detestava quando não o escutavam.

— De ser fodido — soltou alto fazendo o outro acordar e olhá-lo, o sono ainda implícito em seu rosto, mas agora um pouco mais atento.

— Okay. E você já tem alguém em mente? — Virou o corredor, se aproximando da sala que Jimin tinha indicado a eles antes.

— Não. Não tem ninguém interessante por aqui. — O bico nos lábios do outro deixava claro a insatisfação que ele sentia.

Eles já tinham dividido a cama com vários estudantes dos mais variados cursos do intercâmbio e da faculdade, estavam com falta de “recursos”, por assim dizer. Ficaram pensando sobre as opções que tinham — afinal, haviam muitas pessoas que querem compartilhar um momento com eles. Chegaram à porta de número trezentos e doze rapidamente, encontrando o amigo dançando, mas diferente do que pensavam ele não estava sozinho.

Ao som de Slow Motion, dois corpos se moviam em frente ao enorme espelho, a sensualidade que a música exigia sendo perfeitamente representada pelos dois homens que ocupavam aquele espaço. Jimin que perdoasse, mas Taehyung só conseguia focar no dançarino desconhecido que, por Deus, parecia não ter ossos no quadril de tão bem que o rebolava ao ritmo, lentamente. A coreografia era quase um pecado aos olhos do Kim e, ah, ele nunca quis tanto se afundar em um pecado. A música parou, dando fim aos movimentos de ambos, os auais se jogaram no chão, ofegantes, mas sorrindo. Foi nesse momento que o casal, antes observando pela porta, resolveu entrar e fazer sua presença ser notada.

— E aí, Tae? Finalmente você chegou — Jimin disse após olhar na direção da porta, se levantando junto ao outro rapaz, foi em direção à mochila jogada em um canto e pegou o caderno do Kim. — Aqui.

— Valeu, Chimchim. — Pegou o caderno, virou e estendeu a mão para o ainda desconhecido que observava a interação dos outros. — Kim Taehyung. E esse que não falou nada é Min Yoongi.

— Jung Hoseok, prazer. — Agora, o que era desconhecido não o era mais. E Taehyung faria questão de descobrir mais sobre ele.

— Ah, querido, prazer é só na cama — disse, fazendo o outro ficar vermelho, ouvindo o riso baixo de Yoongi atrás de si.

— Ahn, Jimin, eu tenho que ir pegar papéis com o diretor, foi um... — Interrompeu-se antes de terminar. — Foi bom conhecê-los. — Pegou a mochila e saiu da sala, acenando para os outros.

— Me esperam tomar uma ducha 'pra irmos almoçar? Eu pago dessa vez — Jimin perguntou, pegou as coisas e parou na porta, esperando resposta, saindo apenas ao receber um aceno positivo.

— Yoon.

— O que? — Yoongi despertou, quase dormindo em pé, e prestou atenção na face do namorado que estampava o sorriso malicioso que tanto amava.

— Eu quero ele.


(...)


— Vai, Jimin, preciso de informações — Taehyung praticamente implorava. Tinham ido em um restaurante perto da faculdade que servia um dos pratos típicos da Suécia, que os três estudantes amavam.

— Taehyung, eu já falei tudo que eu sei — Jimin soltou, já estressado com a insistência do outro. Só queria comer seu rökt lax em paz e descansar um pouco antes de voltar às aulas. — Ele é um novo aluno de intercâmbio que veio da França, ele 'tava comigo porque o professor nos colocou para criar uma coreografia juntos.

— França? Mas ele é coreano, não? — Yoongi se pronunciou pela primeira vez desde que entraram no restaurante. Era uma pessoa de poucas palavras, principalmente se não tivesse tido suas oito horas de sono.

— Os pais dele são coreanos e ele nasceu na Coréia, mas se mudaram ‘pra França a trabalho quando ele era menor.

— Interessante, dizem coisas ótimas sobre os franceses. — O sorriso malicioso no rosto do Kim já dizia tudo sobre as tais coisas ótimas.

— Yoongi, seu oxigenado, você não anda apagando o fogo desse garoto direito! — o dançarino exclamou, jogando os cabelos tingidos de azul para trás. — Ah, aí vem a comida.

— Cala a boca, baixinho — o de cabelos loiros resmungou antes de ajudar a moça a arrumar a comida na mesa. — Taehyung, você também. Entendo que quer saber mais dele, eu também quero, mas agora vamos todos comer.

— Mas, Yoon…

— Mas nada. Jimin pode chamar ele pra ir com a gente naquele parque de diversões que pretendemos conhecer, daí você pergunta tudo que quiser a ele.

O Kim apenas assentiu, aprovando a ideia do namorado, e se concentrou na comida. O resto do almoço se passou entre brincadeiras, comida e muito falatório. Os três eram amigos há anos e se entendiam muito bem, tanto que optaram pelo mesmo local para fazer o intercâmbio. Esse era o tanto que a amizade deles era forte, até tentaram dividir quartos, mas acabaram não conseguindo mudar. Yoongi e Taehyung ficaram juntos por conta do curso e do fato de serem um casal e Jimin acabou ficando com dois outros estudantes do curso de dança, um de jazz e outro de balé.

Os quartos eram feitos para acoplarem três estudantes, mas o que dividia o quarto com o casal acabou voltando mais cedo para a cidade natal, deixando-os com uma vaga no dormitório. Havia sido dito que ia chegar alguém naquela tarde pra ocupar o lugar, porém não disseram muitas informações sobre quem seria ou o curso remanescente. O próximo destino deles era o dormitório para recepcionar o novo companheiro de quarto, ordens dos superiores. Então, assim que terminaram de almoçar e tudo mais, Jimin foi direto para a próxima aula, e os outros dois, em direção ao dormitório masculino.


(...)


É o destino.

Essa era a frase que passava pela mente tanto de Taehyung quanto de Yoongi ao abrirem a porta do dormitório e darem de cara com Hoseok. Bem, pelo menos parte dele. Ele se encontrava de quatro no chão tentando alcançar algo embaixo da cama que ficava bem na visão da porta e, ao entrarem, foi com ela que toparam. Yoongi tinha que admitir, era uma bela bunda.

— Hum, Hoseok? — chamou calmante o nome do outro para tentar não assustá-lo, falhando visivelmente ao que, escutando a voz do loiro, o Jung levantou a cabeça, batendo-a na cama e soltando um grunhido de dor. — Caralho, você tá legal?

— Talvez. — Riu com uma careta no rosto ao sentar no chão após, dessa vez, sair com cuidado de baixo da cama.

— Onde dói? — Yoongi abaixou-se em frente a ele e passou as mãos por seu cabelo, acariciando de leve e fazendo o outro lhe encarar. Estavam olho no olho. As bochechas do moreno encontravam-se levemente avermelhadas pela proximidade entre eles.

— Certeza que está bem? Foi uma puta pancada — Taehyung falou, assustando o Jung que se levantou, afastando assim a mão do outro. — Amor, seria bom você pegar um gelo.

— Também acho, baby. Vou ver se tem algum na mini geladeira. — Yoongi levantou da posição que estava e foi em busca do gelo.

— Vocês são...? — o de cabelos pretos perguntou, meio confuso ao ouvir os apelidos carinhosos trocados.

— O quê?

— Sabe, amantes…

— Ah, não! — Yoongi voltou com um pano com gelo dentro. — Somos namorados.

— Ah, wow. — O Jung não podia negar que ficou triste com essa nova informação, afinal os dois eram pedaços de mal caminho ambulante, então ficou triste ao saber que as chances com qualquer um deles era zero.

— Por que essa reação? Não acha que combinamos? — perguntou Taehyung, de forma a deixar claro que estava brincando.

— Não, não. Eu acho que vocês formam um casal lindo.

— Jura?

— Sim. Parece aqueles casais de atores de cinema. — O comentário fez os dois rirem. — Não riam de mim, é que vocês dois são lindos iguais atores.

— Então acha a gente lindo, Hoseok? — Yoongi sorriu de canto, aproximando-se dele.

— É... Eu... Acho... — respondeu, vendo agora Taehyung próximo de ambos; Yoongi abraçou este por trás e encarou Hoseok nos olhos.

— Também te achamos muito bonito, Hoseok. — Yoongi levou seus dedos ao rosto do moreno, passando levemente pela bochecha e parando no queixo para levantar a cabeça, a qual o outro tinha abaixado levemente. — Não é, baby?

— Muito, muito lindo. — Taehyung sussurrou contra a pele de Yoongi, mas encarando os olhos de Hoseok.

A tensão que estava crescendo entre eles, naquele momento, não era algo que o moreno esperava que fosse acontecer quando entrou naquele quarto horas atrás, mas não estava reclamando. O desejo que aqueles dois despertavam nele era algo novo, porém não era ruim na sua visão. Ele só não esperava sentir o gelado na cabeça naquele momento.

— Tá gelado, porra. — Afastou-se. Yoongi tinha posto o gelo em sua cabeça, onde havia batido.

— Desculpe. — Ambos seguraram o riso ao verem a reação do Jung, e isso era óbvio. — Toma, coloque você.

O Jung pegou o objeto oferecido e colocou na cabeça, soltando um chiado pelo choque térmico que levou.

— Bem vindo ao nosso quarto, bae, vai ser um prazer 'pra gente dividir ele com você.

Hoseok não sabia o verdadeiro significado por trás do sorriso do casal, apenas retribuiu o sorriso sem saber que estava, como diziam os filmes de terror, cavando a sua própria cova.

(...)


Algumas semanas se passaram, Hoseok estava definitivamente integrado no agora quarteto de amigos. Taehyung, Yoongi e Jimin conheceram a personalidade do Jung e descobriram um pouco mais sobre ele também. Ele era uma pessoa cheia de energia e estava sempre com um sorriso no rosto. Uma pílula da alegria. Caramba, fazia até Yoongi rir, um feito incrível, visto que apenas Taehyung conseguia fazer isso.

O casal permanecia querendo-o para ser o parceiro deles, mas agora quriam-o também por perto só pra ter sua simples companhia. Apesar de terem se tornado amigos, isso não os impediu de fazer pequenas provocações com o outro. Esquecer de levar a roupa pro banho era o preferido de Taehyung; amava sentir os olhos dele sobre seu corpo. Já Yoongi provocava com mãos bobas, exatamente como estava fazendo nesse momento. Estavam os quatro no refeitório combinando sobre o passeio que fariam para Gröna Lund, um parque de diversões famoso na Suécia.

— Então, combinamos às quatro horas? — o Park perguntou, dando uma mordida no hambúrguer que havia pedido.

— Não acha que 'tá muito cedo? — questionou o de cabelos vermelhos. — O que acha, Hobi?

— Hum? O quê?

— Hobi? ‘Tá me escutando, seu filho da mãe? — Jimin resmungou para o outro, que parecia aéreo apenas a olhá-lo.

— O que foi? O gato comeu sua língua, bae? — Yoongi perguntou irônico.

— Às quatro ‘tá perfeito pra mim.

Hoseok só conseguiu responder isso antes de se calar novamente, com medo de acabar soltando algum gemido. Apesar de por cima da mesa às coisas estarem acontecendo normalmente, por baixo dela era diferente. Sua parte traseira era apertada pela mão de Yoongi, enquanto o pé de Taehyung massageava seu membro. Ele não podia mentir, já havia sacado tudo há um tempo, afinal quem esquecia tantas vezes da toalha? Ele gostava das provocações. E não podia mentir dizendo que, quando iam vê-lo dançar, não acabava dando uma leve provocadinha.

Acabou descobrindo sobre as coisas em relação àqueles dois por bocas alheias, as quais diziam lhe invejar por dividir o quarto com eles. Ficou um tanto surpreso, contudo ele não podia dizer que não gostou de saber daquelas informações, já que, agora, pelo menos sabia ter uma mínima chance com eles.

Começou a retribuir de forma discreta, tentando deixar claro que os desejava como notou que era desejado também, o que acabou resultando na situação de agora. O que antes eram atitudes discretas resultaram em ações mais perigosas e livres. E como Hoseok estava adorando o perigo...

Os nós de seus dedos brancos pela força com que os apertava na borda da mesa, a boca ferida já pela mordida desferida sem qualquer cuidado em relação à força, fazendo o gosto ferroso inundar de leve sua boca. Mal percebeu quando Jimin se levantou, dizendo precisar conversar com algum professor, e lhe deixou sozinho com aqueles dois.

Seu corpo inteiro se arrepiou ao ter a boca de Yoongi encostada em seu ouvido, sussurrando para si, enquanto Taehyung lhe lançava olhares com todas as intenções do mundo em sua direção. Eram estímulos demais para Hoseok aguentar. Quando um pequeno gemido escapou por sua boca, seus olhos se arregalaram, enquanto olhava ao redor com medo de ter sido ouvido.

— Que coisa feia, Hoseok — sussurrou Yoongi no ouvido do outro. — Seus gemidos tem que ser só nossos.

— Recomendo você segurar bem, baby — ditou Taehyung antes de fingir derrubar um dos talheres embaixo da mesa, indo até lá embaixo. O próximo movimento de Taehyung surpreendeu Hoseok. Quando sentiu a mão do mais novo abrindo seu zíper, olhou desesperado para o homem ao seu lado, o qual lhe sorria minimamente. Seus dedos ainda apertando e acariciando suas coxas. Hoseok só conseguia agradecer por serem quase os únicos naquele refeitório e o resto estar em aulas, porque sabia que não teria forças para sair dali sem deixá-los terminar o que começaram e não queria uma plateia.

Os dedos de Taehyung se prenderam na cueca do moreno, puxando-a e soltando, fazendo-a bater na pele sensível de Hoseok, a boca deste sendo maltratada por seus dentes. Ao passo que a boca do mais novo prendeu sua cabecinha ainda por cima da cueca, os longos dedos de Yoongi se infiltraram dentro do tecido abaixando de surpresa o tecido e libertando o membro duro do outro, o qual bateu na bochecha do Kim.

Eles não tinham tempo para enrolações ou preliminares naquele momento e por mais que Hoseok soubesse disso não deixou de se surpreender ao sentir a boca de Taehyung lhe abocanhar por inteiro. O gemido que ele deixou escapar foi inevitável quando a boca do outro subiu, lentamente soltando a intimidade, enquanto passava a língua pela glande. Automaticamente o Jung olhou ao redor, notando apenas um grupo de três alunos olhando-o estranho antes de sair do local.

Voltou a atenção para o Min ao seu lado, notando o sorriso sacana antes deste embrenhar seus dedos nos cabelos vermelhos do garoto ainda embaixo da mesa e fazê-lo enfiar o Jung até o fundo de sua garganta, o barulho de engasgo podendo ser ouvido por ambos os garotos.

Yoongi ditava o movimento da cabeça do Kim, que subia e descia, sugando e saboreando. O rosto de Hoseok se encontrava escondido no pescoço do mais velho ali, abafando seus pequenos arfares na pele branca e macia. Não se conteve em dar pequenas mordidas ali, ouvindo os primeiros sons de prazer saírem do loiro. Tudo ainda de maneira baixa e sussurrada.

Taehyung sentia sua garganta sendo maltratada, mas gostava daquela sensação. Era um sádico infernal. Estava dando seu melhor para dar prazer ao outro, sentindo seu próprio membro implorando por uma ajuda extra. Queria sentir o outro dentro de si. Apertou a mão de Yoongi em sua nuca fazendo o outro entender o que queria. Dando um último beijinho no falo do outro — antes de subir sua cueca —, saiu do local, encontrando os olhos confusos de Hoseok sobre si.

— Vamos levar a brincadeira para um local mais privado, baby. — O Kim só viu o Jung assentir em resposta, o qual arrumou sua calça, assim ficando pronto para levantar. Yoongi seguiu o exemplo do outro, não sem antes trocar um olhar com Taehyung. Finalmente o teriam.

(...)


A porta mal se fechou e o corpo de Yoongi já se encontrava contra ela, sendo prensado pelo corpo do avermelhado, que o beijava o de forma selvagem e cheia de desejo. Hoseok se encontrava sentado na cadeira de estudos que possuíam; o quarto era bem estilo europeu com pequenos papéis de parede com lugares turísticos da Suécia neles, mas o Jung mal podia notar qualquer coisa enquanto observava os outros dois, afinal ele não era tão santo quanto pensavam.

Parafilia era o nome de seu fetiche, o prazer em observar. E ver Yoongi sendo dominado de tal forma era maravilhoso. As mãos do Kim percorrendo o corpo esguio, enquanto elas alcançavam a bunda para apertá-la com força, faziam-no sentir sua excitação crescendo dentro da calça. Quando as bocas se descolaram e o loiro o encarou, enquanto gemia ao ter seu pescoço mordido, não conseguiu se segurar. Nem soube como abriu a zíper tão rápido, mas logo já se encontrava massageando seu membro, recebendo então a atenção deles para si.

— Parece que temos um voyeur aqui, bae — Yoongi sussurrou no ouvido do namorado, o qual se afastou, olhando o que ocorria sorrindo malicioso.

— Vamos dar algo para ele ver — respondeu puxando o outro pelas coxas, que, entendendo o que ele queria, prendeu ambas as pernas ao redor da cintura do mais novo, soltando apenas ao sentir suas costas baterem em sua cama, a qual deixava ambos na visão do Jung.

As bocas se juntaram novamente, enquanto os dedos longos adentravam a camisa que o Min usava, arranhando conforme sentia os puxões que ele dava nos fios vermelhos, agressivo como sabiam que gostavam, o beijo se quebrando apenas para permitir a saída da camisa para logo ser retomado. As línguas disputavam uma contra a outra em um beijo sensual e calmo apesar do momento.

Quando o ar se fez necessário, Taehyung não perdeu tempo. Desceu beijos pelo corpo do menor, primeiro pelo pescoço, onde distribuiu mordidas, sendo recompensado com arfadas leves, até chegar aos mamilos rosados. Circulou um com a língua antes de puxar entre os dentes. O primeiro gemido alto da noite. No que não estava com a boca os dedos faziam o trabalho, se revezando entre eles. Afastou-se apenas para retirar o cinto do outro, virando Yoongi até que ficasse com a bunda em sua direção, puxou suas mãos, usando o cinto para prendê-las. A calça e a cueca do loiro tendo o mesmo destino que a blusa, deixando-o ao natural e totalmente exposto.

— Não acha que está muito vestido, Tae Tae? — A voz de Hoseok surgiu, fazendo-se notar e tendo a atenção de Taehyung, o qual lhe sorriu, enquanto ficava em pé para tirar a blusa lentamente, botão por botão, até deixá-la cair sozinha de seus ombros e alcançar o chão. Parou por ali, fazendo as sobrancelhas do Jung se franzirem em confusão. — Por que parou?

— Imaginei que fosse querer fazer as honras. — Apontou para a calça com aquele sorrisinho cafajeste que possuía. O Jung não esperou mais para ir fazer o que foi pedido, arrancando com pressa a calça e cueca do outro junto à sua, jogando-as em qualquer lado. Ah, a visão que Hoseok tinha era maravilhosa. O corpo moreno do mais novo era simplesmente deslumbrante em contraste com o corpo branco e delicado do Min. Ao fundo, ainda amarrado, contemplava a beleza da situação.

O Jung foi chegando perto, fazendo com que o Kim desse passos para trás até chegar na cama novamente. O instigando a subir, seguiu-o até estarem todos sobre o colchão.

— Por que você não chupa ele bem gostoso ‘pra eu ver? — sussurrou no ouvido do de fios vermelhos, vendo-o se arrepiar por inteiro. Assentiu e apertou as bandas do loiro bem forte entre suas mãos, antes de passar a língua lentamente pelo buraquinho. Yoongi gemeu ao ter o músculo molhado do outro acariciando-o e o invadindo.

Os gemidos dele incentivaram o moreno a se mover para mais perto do Kim, juntando seu quadril na bunda empinada para roçar seu membro pela entrada pulsante do outro. Levou seus dedos até a própria boca os molhando antes de passar na entrada do Kim, enfiando um e o ouvindo gemer abafado, ainda concentrado no beijo grego que dava no loiro. Hosok começou a fazer movimentos leves com o dedo, logo acrescentando o segundo.

— ‘Tá esperando o que, baby? — A voz de Yoongi soou, levando Taehyung a se afastar.

— Você me dizer o que deseja, amor — retrucou em tom baixo, a voz grossa soando mais sexy ainda.

— Me fode, bae — disse, fazendo tanto Hoseok quanto Taehyung sorrirem.

O moreno retirou os dedos ao ver o outro se movimentar, se erguendo, e pegou o membro alheio em suas mãos, masturbando de leve, enquanto posicionava na entrada rosada do Min, tendo a ajuda do movimento de quadril de Taehyung, o qual se moveu para frente, lentamente penetrando enfim Yoongi, que gemeu alto ao sentir o outro dentro de si. Hoseok só sentiu a mão do Kim ir de encontro à sua bunda, puxando-o para perto quando já estava totalmente colado ao seu corpo.

— Eu quero você dentro de mim agora.

Hoseok não esperou mais nenhuma palavra ser dita e o invadiu sem avisar e de só uma vez, fazendo o corpo ser empurrado para frente, assim penetrando o Min mais fundo. O gemido dos três ecoava em uníssono pelo quarto. Taehyung começou os movimentos de entrada e saída, seu membro penetrava Yoongi e, quando saía, o membro de Hoseok o penetrava. Logo ambos começaram a se mover no mesmo ritmo, um se acostumando aos movimentos do outro, os gemidos sendo soltos, corpos sendo arranhados, cabelos sendo puxados. O prazer que eles sentiam era enorme.

A velocidade foi aumentando gradativamente, O antes lento e calmo se tornou rápido e selvagem. O primeiro a vir foi Yoongi, com um gemido baixo e longo, o aperto do Min fazendo Taehyung chegar também, caindo sobre o corpo desfalecido do loiro. Ambos respiravam pesadamente, tentando recuperar o fôlego após tudo, despertando ao ouvirem outro gemido e olharem na direção dele. Hoseok ainda não havia chegado e se masturbava rapidamente, encostado na cabeceira da cama.

Bastou apenas uma troca de olhares para Taehyung desamarrar Yoongi e ambos se encontrarem de frente ao membro do Jung, substituindo a mão dele por suas bocas. Lambiam cada comprimento, dando atenção às bolas negligenciadas e sendo recompensados pelos sons que o moreno deixava sair livre por seus lábios. Devido ao tamanho prazer, Hoseok nem avisou que estava para gozar, apenas soltou um barulho mais alto, atingindo ambos os rostos dos garotos à sua frente.

Mal recuperou o fôlego e estavam envoltos em um beijo triplo bagunçado e molhado, seu próprio gosto sendo sentido pelos três garotos. Limparam apenas os rostos e deitaram-se juntos na cama pequena, deitados no peito um do outro.

— Isso foi incrível. — Hoseok foi o primeiro a quebrar o silêncio.

— Você ainda não viu nada ainda, baby — Yoongi falou, beijando de leve o pescoço do outro.

— ‘Pera, vai ter uma outra vez? — questionou, confuso.

— Nós dois queremos repetir a dose. Você não? — A voz grossa soou.

— Sem dúvidas. Mas ouvi que vocês nunca repetem parceiro.

— Você é diferente. Gostamos de você — retrucou o Min. — Espero que queira continuar nessa relação maluca com a gente.

— Ah, eu quero. Como já disseram antes, Trois C'est Mieux — falou num francês fluente, notando as caretas confusas dos outros dois. — Três é melhor.

A partir daquele dia, o melhor duo passou a ser o melhor trio. Porque é como dizem, três é melhor que dois.

9 февраля 2019 г. 16:21:30 0 Отчет Добавить Подписаться
119
Конец

Об авторе

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~