7
4764 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Café das 6:00

Notas inicias:


Olha eu de novo com outra fic desta vez Sasuke x Naruto e universo alternativo. Essa já existe a um tempo mas só agora estou postando aqui. Vindo originalmente do Wattpad.

.....

Vai embora
que eu to pagando pra ver
Sei que tu vai desistir
E vamos tomar aquele café das 6:00

Não haviam mais lágrimas, o costume da situação já acabara com elas a muito tempo, lembrava-se de no começo chorar muito diante das ameaças de abandono do outro, mas isso foi só até a quinta vez. Da sexta em diante já não chorava mais, todavia ainda rogava para que fosse mentira, para que ele não fosse, agora só até a 12° vez.  Já era a vigésima em menos de dois anos, agora não fazia nada, apenas observava, com o olhar estoico e o cigarro pendente nos lábios, ele partir. Sabia que no dia seguinte, na hora do café ele voltaria, com a mesma face imutável que fazia um incrível paradoxo com os olhos vermelhos em sinal de choro.

Amargo como
Todo sorriso falso e aperto de mão
Como...
Todo te amo que não vem do coração
Como um limão

E como já era de praxe, na manhã seguinte ele retornara. A face se mantinha como sempre: marmorizada, bonita e imutável. Os olhos obsidianas tinham um leve traço de vermelho, única prova da noite mal dormida por conta do choro.
Naruto já não sabia o que fazer, apesar das fugas repentinas serem de certa forma já costumeiras, elas ainda deixavam seu peito pesado, um sentimento ruim, amargo.

Como um limão

Tudo começara três anos antes quando toda a família de Sasuke morrera num acidente, desde o acontecimento ele havia mudado, não muito por fora. Mas por dentro sim, e o Uzumaki percebia isso em cada gesto diferente, cada momento em que tentava tocar no assunto e o Uchiha fugia.

Amargo como
Todas as contas não pagas e decepção
Como...
Todos os feitos errados que traz solidão
Como um limão
Como um limão

Ele parecia cada vez mais distante, e isso assuntava o loiro, poxa sabia como o outro se sentia, tinha perdido o padrinho com o qual crescera, sabia perfeitamente como era ruim, como apertava e rasgava o peito ao mesmo tempo, como ficava mais perto do abismo a cada lembrança, que passaram a ser apenas isso: Uma lembrança.
O caso era que fora justamente Sasuke que lhe ajudara na época fora ele que lhe tirara do abismo escuro e sem fundo em que se encontrava. E agora quando era o Uchiha que estava dentro do abismo – não precisava de palavras ou noites acordadas banhadas em choro para Naruto ver quão fundo ele estava enterrado – o Uzumaki não conseguia fazer nada, nem sequer encontrava uma abertura para começar a curar as feridas do outro, parecia que Sasuke na verdade criara um muro repelente a si. E na sua cabeça aquilo só queria dizer uma coisa: Sua presença estava a fazer mal ao parceiro.
E era justamente por isso que naquele momento se dirigia ao quarto, pronto para fazer uma mala com suas coisas, dessa vez era diferente, dessa vez seria  ele o que passaria pela porta e não o que aguardaria dentro do frio apartamento. Ignorou a porta fechada do quarto – um claro aviso de que Sasuke não queria ver ninguém – E adentrou o cômodo, os olhos vagando pelo local atrás do dono de suas angústias, mas de todas as cenas que ele imaginava encontrar, ver seu namorado deitado em posição fetal chorando não era o que esperava.

Você quer....
Você quer...
Você quer gritar, sumir do mundo pra chorar
Ter uma paz em valhala
Ter uma paz em valhala

Era de cortar o coração ver aquela cena, ver justo ele sempre tão contido prostrado ao chão em meio ao pranto. Aproximou-se com cuidado, sua mente lhe avisava que provavelmente ele seria ignorado, ou até mesmo acabaria machucado, no entanto era mais forte que ele, o amor que sentia por aquele homem superava qualquer aviso que sua mente lhe desse. Não importava o quanto se machucaria por isso, para cola-lo não se importaria em se quebrar.
– Shhh. – encostou-se no outro numa vã tentativa de abraça-lo.
– Me deixa, por favor. – A voz rouca pelo choro praticamente implorava.
A questão era que não podia fazer isso, não podia deixá-lo. Era de sua natureza ajudar quem precisasse e naquele momento mesmo que não admitisse, Sasuke estava extremamente necessitado.
– Não posso. Não consigo deixá-lo.
– Por favor Naruto.
– Já disse que não. – rebateu com firmeza, estava cansado de ser afastado. – Não consigo te deixar, mesmo que antes de entrar aqui este fosse exatamente meu pensamento.
A última fala deixara o moreno mais atordoado, pois por mais que não dissesse não suportaria perder Naruto, não ele. Suas ações indubitavelmente demonstravam o contrário, todavia na sua mente ele sabia a verdade. Na sua mente ele tinha ciência de cada mínima paranoia que o fazia se afastar quando queria estar junto.
– Então vai! Me deixa! Tira das costas o peso que estou sendo, ultimamente eu só tenho te machucado, você deve me odiar não é? Eu me odiaria.
Aquela era a gota d’água para Naruto, não suportava mais escutar, não aguentava mais vê-lo se quebrara aos poucos.

Você quer gritar
Sumir do mundo pra chorar
Ter uma paz em valhala
Ter uma paz em valhala

– Eu... Eu não consigo mais.  Simplesmente não dá. – As lágrimas agora também desciam pelo seu rosto. – Eu quero te ajudar porra! Mas você não me diz o que tem. Me deixa no escuro sem saber o que fazer!
Silêncio.
Era isso, sempre acontecia a mesma coisa, ele sempre ficava em silêncio. Mas não hoje, Naruto estava cansando de não saber, cansado de ficar no escuro.
– Me fala caralho! Joga pra fora, ou não sou digno de saber o que tanto te aflige?! – poderia dizer que o outro não se importara com as palavras proferidas, isso se não fosse as lágrimas que aumentava na face pálida. – Você acha o que? Que eu não sei que esta no fundo do poço? Que não escuto você chorar baixo no banheiro pra mim não escutar? Porra Sasuke, eu escuto, eu vejo, eu me importo caralho!
Mais perto. Suas pernas se moviam sozinhas, e antes que pudesse parar o impulso já estava prensando o corpo alheio na parede.
– Me fala, por favor. – A voz entrecortada transbordava toda a aflição que sentia no momento.
– Eu...Eu tenho medo. – Desta vez a resposta veio, mas em um sussurro tão baixo que o Uzumaki não conseguiu entender.
– Não te ouvi, fala de novo. – pediu.
– EU TENHO MEDO PORRA! –gritou em plenos pulmões, deixando o corpo escorregar pela parede.
– Medo? Medo de que?
– Eu não quero que você se vá. Eu não quero ficar sozinho, mas eu não quero fazer com que algo de ruim aconteça com você.
Os olhos de Sasuke pareciam brilhar em vermelho, Naruto sabia que quando isso acontecia era porquê ele estava fora da borda, seja lá o que o incomodasse era ali que descobriria.
– Nada de ruim vai acontecer comigo! Muito menos por sua causa!
– Quem garante?! Eu só trago tragédia!
Foi aí que  Naruto viu, no mais profundo breu dos olhos de Sasuke –  cor esta que agora refletia seu estado de espirito – o motivo de tudo aquilo, o porque do moreno estar agindo tão estranho desde o acidente: Culpa. Era ela a responsável por tudo, o Uchiha se sentia culpado pelo que tinha acontecido.
Naruto até poderia dizer que isso lhe deixara surpreso, mas na verdade aquilo só confirmara suas suspeitas do que havia acontecido com seu namorado. E agora o Uchiha pensava que também poderia causar algo de ruim para Naruto.
– Hey, você sabe que não foi culpa sua, não é? – questionou chegando mais perto do outro, pondo os braços ao redor dos ombros alheios.
– Sei. – A resposta veio baixa e nada convicta.
– Sasuke. Olha pra mim! – inquiriu, puxado o rosto pálido para que ficassem  frente a frente, olho no olho. Sabia que daquele modo o Uchiha não conseguiria mentir ou se esquivar. – Não. Foi. culpa. Sua!

Vai embora que eu to pagando pra ver
Sei que tu vai desistir
E vamos tomar aquele café das 6

Sasuke queria acreditar que Naruto nunca mentiria para ele, mas ele sabia que não podia acreditar no que o loiro falava naquele momento, ao menos não enquanto ele ainda escutava o toque chato do celular em sua mente, a voz do policial que ele sequer conhecia dizendo " sinto muito senhor, mas eles não resistiram" e principalmente não conseguiria acreditar enquanto em sua mente ainda estivesse viva a lembrança de que mais cedo naquele mesmo maldito dia ele ligara para pedir que seus pais e seu nii-san irem para sua casa, e que mesmo eles recusando, mesmo com mau pressentimento que tinha no peito ele insistiu, insistiu tanto que eles vieram. Mas nunca realmente chegaram.
Não, não podia acreditar enquanto ainda tivesse tudo isso em mente, mas ao mesmo tempo era tão cansativo discordar de Naruto, era tão inútil negar pra ele que simplesmente soltou aquilo que tanto lhe atormentava.
- Foi sim. Foi minha culpa e nada pode mudar isso.
Um soco. Foi tudo o que Sasuke sentiu. Acompanhado dos outros que vieram em seguida, podia revidar, tinha forças para isso, não obstante estava paralisado, preso em sua própria culpa, tão dormente que nada fez, apenas sentiu quando os socos deixaram de vir. Assim que olhou pra cima viu a face morena normalmente alegre contorcida em um choro mudo. Fechou os olhos diante da imagem e quando os abriu ele já não estava lá.
Desta vez era Naruto que tinha ido embora.

(...)
Vai embora que eu to pagando pra ver
Sei que tu vai desistir e vamos tomar aquele café das 6


....

Notas Finais

Foi isso minna espero que tenham apreciado o leve angst. Posto o próximo ainda essa semana.


Música: Café das 6:00 Kamaitachi


20 ноября 2018 г. 19:52:50 0 Отчет Добавить 5
Прочтите следующую главу Beautiful Pain

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 1 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму