Nara´s Подписаться

gridpudim Grid Pudim

A família Sabaku e a família Uchiha eram parceiras de negócios, juntos tinham espalhado por todo o mundo a maior empresa de seguros de vida já existente. Dessa união, nasceu uma grande amizade entre Temari e Itachi. Estudaram juntos e descobriram o amor juntos também. Mas isso acabou quando Temari engravida de Itachi aos 16 anos, ela estava desesperada, teria de largar os estudos, já Itachi se pôs a falar com Rasa, para que casassem, ele estava feliz em ser pai, mesmo assustado, iria cumprir seu papel. Mas os pais de Itachi não pensavam assim. Fugaku não queria que seu filho perdesse a melhor época de sua vida cuidando de uma criança e Mikoto acreditava piamente que Temari havia o seduzido para engravidar de Itachi. Resolveram que Itachi moraria com os Sabaku, mas os Uchihas, a não ser Itachi, não teriam contato com a criança, e assim fizeram por dois anos. Até Temari fugir de casa com algumas roupas suas, uma mala grande da bebê e as economias da sua mesada. Saiu escondida ao calar da noite, chamou um táxi que as deixaram em uma cidade pequena do interior, onde suas vidas começariam de novo.


Фанфик Аниме/Манга 21+.

#naruto #shikatema #konohana #nejiten #gaalee #ItaTema #hashimito
1
4576 ПРОСМОТРОВ
В процессе - Новая глава Каждые 15 дней
reading time
AA Поделиться

Capítulo 1

Notas do autor: Olá meus amores! 
Mais uma long fic que eu espero que vocês gostem e já vou deixar alguns avisos a vocês.
1º - Sim, terá crackship (se não tivesse, não era fic minha hahaha)
2º - Essa fanfic é baseada em Gilmore Girl, mas ela não será como Tomodachi, que tem releituras de cenas. Essa só é baseada no conteúdo todo da história que me deu inspiração pra escrever essa fic.
3º - Não tem NADA de time 7, pode aparecer um ou outro de relance na história, como vai acontecer nesse capítulo, mas não tem nada realmente deles, então se vc ta esperando Naruto, Sakura, Sasuke e até a Hinata, não vai achar nada de significante deles.
4º essa fic terá casais que eu nunca usei, então é um desafio de mim pra mim mesma HUAUHAHUUHAUHAHUA
Bom gente, eu realmente espero que agradem vocês, é uma história que fala sobre reviravoltas da vida e MUITO amor! <3 Então... Boa leitura


***

Cidade de Konoha — Colégio Kurama


Temari entrou correndo no banheiro do colégio com um pacote de papel pardo nas mãos e um copo pequeno de plástico. O banheiro estava vazio, entrou apressada para dentro de uma das cabines, abriu o pacote em desespero e olhou para aquele teste de gravidez, nunca havia feito isso antes, estava nervosa, não queria que suas suspeitas se confirmassem. Levantou a saia xadrez azul e se equilibrou em cima do vaso sanitário, tentando fazer o xixi entrar no copo e não pingasse para fora do vaso também.

Itachi estava do lado de fora do banheiro, esperando Temari, esfregava suas mãos com força tentando aquece-las do frio e também tentando tirar a ansiedade da sua cabeça, batia o pé esquerdo freneticamente no chão e mordia a pele solta da boca.

Depois dos minutos mais dolorosos e demorados de sua vida, Itachi ouve a porta pesada do banheiro bater e vê Temari olhando para o nada com o teste de gravidez em mãos. Itachi não pensou duas vezes e foi correndo até a namorada que parecia ter visto um fantasma, de tão branca que estava.

— Temari? — Itachi perguntou fazendo a namorada olhar pra ele com cara de espanto. — E então?

Temari não respondeu, olhava profundamente para os olhos escuros de Itachi que também estava nervoso, tanto quanto ela. Levantou a mão aos poucos, mostrando pra ele o resultado do teste.

— Dois riscos. — Itachi falou olhando para o teste sem entender nada, então Temari levantou a outra mão, havia a caixa do teste e a explicação do que aqueles riscos significavam.

Ele leu e voltou a olhar para a namorada que não tinha reação nenhuma. Ficou mais apavorado ainda ao entender que seria pai. Como falaria com os seus pais sobre isso? Como lidaria com essa situação? Iria casar? Era tão novo.

Parou de pensar e abraçou logo sua namorada, a amava, com certeza a amava com todas as forças, mas estava com medo.

Temari estava em estado de choque, não conseguia abraçar Itachi de volta, só conseguia pensar que havia acabado com a sua vida, e se pôs a chorar assim que seu namorado a abraçou. Foi um longo abraço, que era mais do que isso, significava, para Itachi que estaria com Temari nisso, que a ajudaria e seria o melhor pai do mundo.

— Vamos pra casa. — Itachi olhou de volta para Temari que chorava sem parar. — Precisamos resolver isso.

— Itachi. — Temari falou pela primeira vez em horas. — Eu estou com medo.

— Eu também estou. Mas somos fortes, confia em mim.

Temari acenou afirmando com a cabeça e voltou a abraçá-lo. Sentia-se melhor nos braços dele, sempre foram melhores amigos, cúmplices e amantes. Se conheciam desde os primeiros dias de suas vidas.

A família de Temari era muito rica, e a de Itachi também, ambas fundaram uma rede de seguros de vida, a maior do mundo, espalhada por todos os lugares. Todas as reuniões eram quase festas familiares.

Itachi e Temari sempre fugiam de todos para se beijarem em algum lugar escondido da casa. Até o dia que Kankuro, Gaara, irmãos mais novos de Temari e Sasuke, irmão mais novo de Itachi, acharam os dois beijando dentro do guarda-roupas de Gaara.

A partir daquele momento, a família toda sabia e o namoro fora oficializado. Karura Sabaku fez uma grande festa para toda a família e amigos em sua mansão. Queria mostrar para o mundo que a relação de amizade e negócios havia dado frutos e as famílias Uchiha e Sabaku estavam unidas além do dinheiro.

Mas agora não era só um relacionamento de adolescentes, um bebê estava a caminho e Temari sabia que não era uma notícia feliz. Seu pai, Rasa Sabaku, tinha planos para ela, queria que sua filha estudasse na mesma faculdade que ele se formou e tivesse um bom emprego. Mas ela estragou seus planos.

***

Mansão Sabaku


— Hana, a porta! — Karura gritou do seu quarto para que a criada abrisse a porta. — Algum maluco esqueceu o dedo na campainha.

— Sim senhora! — Hana respondeu correndo para abrir a porta.

Assim que abriu viu Temari e Itachi pálidos e a menina com o dedo grudado na campainha.

— Temari, entre, você tem as chaves, por que não… — parou de falar ao perceber que os dois entravam se arrastando pelos corredores da casa e não respondiam nada. — Logo o almoço será servido.

Hana saiu andando e fora até a cozinha enquanto o jovem casal andava se arrastando ainda para até a sala, caíram os dois juntos no sofá de estofado macio fazendo um grande barulho.

— Ora, mas primeiro a campainha, agora esse barulho, essa casa é de loucos… — Karura descia apressada pelas escadas de mármore fazendo barulho com os saltos, mas Itachi e Temari não ouviam absolutamente nada. — Mas, são vocês dois, Temari, você tem as chaves, não precisa fazer esse escândalo com a campainha.

— Mãe. — Temari se levantou e Itachi acompanhou a namorada também ficando de pé.— Precisamos falar com você e com o papai.

— Temari, seu pai não está, só chega às 18 horas, como todos os dias. — Karura respondeu sem entender o porque sua filha e Itachi pareciam pálidos e aflitos. — O que houve filha?

— Nós contaremos quando ele chegar. — falou Itachi.

— O almoço está na mesa, senhora Sabaku. — Hana anunciou quando entrou na sala.

— Obrigada Hana, já vamos. — Karura respondeu. — Chame os meninos, eles estão no quarto de Kankuro jogando.

— Tudo bem, senhora Sabaku. — Hana se retirou.

Temari e Itachi foram juntos até a mesa posta e sentaram-se em seus lugares de costume, logo atrás veio Karura sem entender absolutamente nada. Alguns minutos depois veio Kankuro correndo pela escada e Gaara.

— Ahhh! Eu ganhei de novo! — Kankuro pulou entrando na sala de jantar e abriu os braços mostrando o quando era melhor que Gaara no video game.

— Ele roubou, mamãe! — Gaara respondeu atrás do seu irmão. — Ele sempre rouba de mim.

— Você que é muito ruim. — Kankuro sorriu para o irmão ruivo e ambos sentaram em seus lugares.

— Parem de brigar, hoje Hana fez carne assada com purê, vocês adoram, não é?

Os dois sorriram ao ver Hana aparecendo com os pratos montados em sua bandeja de prata. Ela levou o prato de cada um para o devido lugar e se retirou, voltou após alguns minutos e serviu suco para todos.

— Obrigada Hana, quando eu precisar, te chamo novamente. — disse Karura.

— Sim senhora.

— E porque vocês dois estão aí com cara de bunda? — Kankuro perguntou cortando sua carne e Gaara riu pelo o que o irmão falou.

— Modos a mesa, Kankuro. Não quero mais ouvir você falando algo assim. Se não tiro seu video game.

O filho do meio revirou os olhos e colocou a carne na boca.

— Nada Kankuro, coma e fique quieto. — Temari respondeu.

— Mãe, Temari me mandou ficar quieto, você não manda em mim espinhenta.

— Espinhento é você, seu nojento.

— Ei, vocês dois, parem agora, será pior para ambos se continuarem com os insultos, parecem dois porcos brigando, onde já se viu, cadê a educação que eu lhes dei? — brigou Karura sendo, ainda, uma dama. — Não quero ouvir mais nenhuma palavra de ninguém.

Itachi estava tenso e não conseguia nem prestar atenção na briga de irmãos a mesa, ele só pensava em como lidaria com Rasa Sabaku. Como lidaria com seus pais e como seria daqui pra frente. E então teve uma ideia e mesmo sem falar com Temari, tomou uma decisão.

— Eu… posso falar, senhora Sabaku? — Itachi perguntou.

— Claro querido!

— Bom… — Itachi engoliu a seco e Temari virou o rosto para olhá-lo, ela estava apavorada e sem saber o que ele ia falar. — Como Temari e eu queremos conversar com você e o senhor Sabaku, acredito que seja bom também chamar meus pais.

— Hm… — murmurou Karura engolindo a comida que mastigava. — Seus pais estão disponíveis hoje?

— Estão sim!

— Bom, então aprontarei um bom jantar para ambas as famílias. — Karura parecia feliz.

Ela adorava o relacionamento dos dois, era encantada por Itachi e o achava um ótimo pretendente para sua filha, era de boa família, tinha boa educação e, com certeza, iria estudar em uma ótima faculdade.

Itachi era dois anos mais velho que Temari e tinha certeza que o menino iria informar que passou em uma das faculdades que prestara e agora ficaria longe de Temari.

Karura olhou terna para Itachi, sabia que era um bom menino e que só queria o melhor para Temari. Mas faria o jantar para que todos pudessem desfrutar dessa comemoração que ela inventou em sua cabeça.

***

A tarde foi caindo e os Uchihas chegaram para o jantar inesperado na mansão Sabaku, Itachi andava de um lado para o outro no saguão, Temari roia as unhas sentada no sofá da sala fingindo olhar para a televisão que passava um programa de auditório.

Mikoto e Fugaku, pais de Itachi entraram na sala de tv, onde estava Temari e a cumprimentaram, perguntaram por Itachi e ele apareceu no ambiente.

— Olá filho. — disse Fugaku e Itachi cumprimentou logo o pai e a mãe, antes que a mesma falasse qualquer coisa.

Os pais de Temari também apareceram na sala e Temari desligou a Tv quando ouviu seus irmãos chegando junto com Sasuke.

— Que bom, todos reunidos. — falou Karura juntando as mãos. — Estou ansiosa para saber o que esses dois precisam falar para nós.

— É sobre a faculdade, não é filho? — perguntou Mikoto sorrindo para Itachi. — Tenho certeza de que foi aprovado em todas que prestou, afinal você é um Uchiha.

— O jantar está servido. — anunciou Hana fazendo Temari soltar um suspiro.

Todos se colocaram na mesa e comeram, conversaram e deram algumas poucas risadas, Kankuro, Gaara e Sasuke foram os primeiros a terminarem e saírem correndo da mesa para voltar ao video game.

Assim que todos terminaram, Karura conduziu-os para a sala de estar próxima, tomariam um último drink e finalmente Temari e Itachi teriam de contar o que tanto queriam.

Fugaku e Mikoto sentaram-se e Rasa preparou um martini para ambos. Itachi e Temari tomavam somente um refrigerante e Karura pediu uma água de coco com mto gelo. Rasa pegou seu Whisky sem gelo e sentou-se perto da esposa.

— Bom, finalmente saberemos em que faculdade Itachi passou. — falou Fugaku dando um gole em seu drink.

— Pai, eu, tenho algo mais importante para anunciar. — Itachi falou levantando-se e todos o olharam. — Eu e Temari estamos juntos a algum tempo e apesar de sermos novos, estamos muito apaixonados. — Mikoto e Karura sorriram uma para outra. — Bom, nós, eu…

— Eu to gravida! — Temari falou se levantando do sofá e todos arregalaram os olhos.

— O que? — Rasa falou alto.

— Você terá um neto, ou neta, ainda não sabemos.

— Você tem certeza disso, Temari. — perguntou Karura.

— Fiz o teste hoje e tenho roupas que já não estão me servindo. — Temari respirou fundo depois de falar e sentiu a mão gelada de Itachi pegar a sua.

— Iremos nos casar. — Itachi falou e Fugaku levantou-se também.

— Casar? Você acaba de completar 18 anos, não tem maturidade pra isso. — Mikoto levantou-se e se colocou ao lado do marido, segurando sua mão.

— Não autorizamos casamento. — ela falou. — Um filho agora? Vocês são duas crianças, Itachi é novo e tem toda uma vida pela frente. Temari irá abortar.

— O que? — Temari perguntou junto com Karura que também se levantou.

Todos se olhavam, um para o outro, todos em pé. Os olhos dos pais de Itachi e dos pais de Temari chamuscavam de ódio.

— Eu não vou abortar! — Temari disse convicta e Mikoto olhou para a menina.

— Você seduziu meu filho e acabou com a vida dele, é isso? — Mikoto falou com o nariz em pé, mostrando-se a metida riquinha que sempre fora.

— Minha filha não faria nada disso. — disse Rasa. — Temari é bem educada e não precisa do dinheiro da sua família, ela não faria nada para prejudicar Itachi, até porque teriamos como mantê-la e manter a criança.

— Meu filho não irá cuidar de criança nenhuma, está na época de estudar e decidir seu futuro. — falou Fugaku.

— Eu não quero saber sobre seu filho, Fugaku. Quero o melhor para o meu neto agora. — Rasa falou colocando seu copo em uma pequena mesa. — Itachi, você disse que quer casar com a minha filha, certo?

— Sim, senhor. — Itachi apertou mais a mãe de Temari.

— Irão casar. E poderão morar aqui até resolvermos tudo, acredito que Temari ficaria melhor amparada com as criadas e Karura.

— Itachi não irá se casar. — Mikoto falou e Fugaku concordou.

— Nosso filho irá lidar com os negócios da família, assim como qualquer Uchiha.

— Não. — Itachi se colocou à frente de seus pais, não aguentava mais ver todos querendo lidar com a sua vida e com seu futuro. — Eu não farei isso, a vida é minha, e eu terei meu filho, ou filha, ainda não sabemos.

— Bom garoto. — Rasa colocou a mão nos ombros de Itachi que afirmou para o sogro.

— Eu amo Temari, iremos ter a criança.

Todos ficaram em silêncio, Temari parecia mais pálida do que nunca, não se sentia bem, queira vomitar, queria chorar, queria gritar, queria sair daquele lugar. Todos palpitavam sem saber, sem perguntar o que era realmente queria, sua cabeça estava a mil por hora e não sabia mais o que fazer e nem o que falar. Olhou para sua mãe e Karura se colocava firme ao lado de Rasa, nunca viu seus pais tão unidos e brigando com os Uchihas, eles nunca haviam brigado, nunca haviam falado alto um com o outro e agora por conta uma fugida do jantar para se atracar com Itachi na casa da piscina, sem prevenção e só confiando na tabela de fertilidade que suas amigas haviam falado sobre, na escola, pensou que não engravidaria. Agora tudo estava em jogo, as empresas de seus pais, seu futuro, não iria mais para faculdade e tão pouco terminaria a escola em tempo certo. Havia um furacão em sua cabeça e em seu estômago.

— Itachi, filho, você ainda é muito novo. — Mikoto falou chegando mais próxima do filho.

— Mãe, a criança não tem culpa, eu quero ter meu filho.

— Itachi, pare de ser idiota, você precisa ir a faculdade, não terá tempo para crianças. — Fugaku falou colocando a mão no ombro de sua esposa. — Sua mãe está certa. Temari pode ter deixado você encantado, mas é uma responsabilidade que você não precisa ter agora.

— Temari não tem culpa! — Itachi gritou nervoso.

— Claro que tem. — falou Mikoto. — Se as pernas continuassem fechadas.

— Fugaku, tire sua mulher da minha frente. — Rasa falou fechando o punho.

— Porque? vai bater nela, Rasa? — Fugaku perguntou colocando Mikoto atrás do seu corpo.

— Não, mas eu vou. — Karura falou indo em direção a mulher, mas foi parada quando sentiu as mãos geladas de Temari segurarem seu punho.

— Mãe… — Temari falou e desmaiou.

***

—Temari! Temari! Temari! — Karura salpicava gotas de água no rosto da filha.

Os olhos de Temari abriam aos poucos, a audição foi se aguçando e ela conseguiu entender que estava no chão da sala.

— Mãe. — falou ainda deitada no chão.

— Levante-se filha. — Karura e Hana a ajudaram enquanto Temari voltava a ter consciência de tudo.

Ao olhar em volta, percebeu que não havia mais ninguém ali. Mas escutava os gritos de seu pai com Fugaku.

— Onde Itachi está, mãe? — Temari perguntou e Karura a ajudou a se sentar no sofá.

— Está com seu pai no escritório. — Karura pegou um copo de água com açúcar que Hana havia preparado e deu a filha. — Itachi está do seu lado, ele te amo muito, filha.

Temari não respondeu, suspirou e bebeu a água com açúcar, só queria que tudo aquilo acabasse e ficasse em paz.

Rasa abriu a porta pesada de seu escritório e deixou que Fugaku e Itachi saíssem primeiro. Fugaku chamou Mikoto e conversavam sem que Temari ouvisse o que realmente falavam. Sua sogra chamou por Sasuke e o menino veio correndo pela escadaria.

— Ah mãe, já? — Mikoto colocou a blusa de Sasuke nas costas dele e o empurrou para que fosse em direção a porta. — Eu tava ganhando…

— Vamos, meu filho. Vamos.

Itachi respirou fundo ao ver a cena que a mãe fazia e foi até perto de Temari que ainda estava sentada no sofá com o copo de água nas mãos.

— Eu vou buscar minhas coisas, já volto. — deu um beijo na testa de Temari e saiu sem que a menina entendesse qualquer coisa.

— Tchau tia Karura! — Sasuke acenou para a anfitriã da casa e Fugaku bateu a porta, indo embora.

Temari respirou fundo e colocou a mãe em sua cabeça, sentia que ia explodir a qualquer momento.

Os passos rápidos e fortes de Karura foram ouvidos por ela que olhou para o corredor que a mãe caminhava e gritou pelos nomes dos filhos mais novos. Kankuro e Gaara vieram correndo ao ouvir os gritos da mãe que parecia nervosa.

Rasa sentou-se de frente para Temari que tinha o coração vibrando de um jeito que ela nunca sentira antes, estava aflita com o que ouviria.

Karura sentou ao lado do marido e os meninos ao lado de Temari, um sofá de frente para o outro, o que separava era uma pequena mesa de vidro com pés de cobre.

— Precisamos conversar. — falou Rasa com mais um copo de whisky em mãos. — Bom, como Temari está grávida… — Rasa foi interrompido pelo grito de Kankuro.

— O que? Temari tá o que?

— Grávida, Kankuro. — falou Karura apertando suas têmporas. — Deixe seu pai falar.

Kankuro arregalou os olhos tentando olhar para Temari que só olhava para os seu copo em mãos.

— Itachi vai morar conosco. E a parceria com os Uchihas será desfeita.

— Desfeita? — perguntou Karura em um tom de voz alto.

— Fugaku está irredutível com a ideia, não queria nem que Itachi assumisse a criança. Isso já foi um avanço.

Algumas lágrimas sofridas rolavam pelo rosto de Temari, com sua cabeça baixa, não deixava que ninguém visse a sua fraqueza, ela não queria ser fraca, não era, mas naquele momento, precisava transbordar.

— Agora Hana irá arrumar o quarto de hóspedes, Itachi irá dormir lá e terminará a escola, Fugaku já a pagou até o fim do ano. Mas a faculdade, não poderá cursar. — Rasa falou levantando-se. — Irá trabalhar como um homem de família, e se casará com Temari depois que a criança nascer.

— Vocês já decidiram tudo, não é? — Temari falou ainda olhando para o copo em suas mãos. — Já decidiram a minha vida e a da minha criança, como se eu fosse um robô programado pra aceitar.

Temari levantou o rosto que estava vermelho devido ao choro.

— Quando você tiver dinheiro para cuidar da sua própria vida, terá opinião. — Rasa caminhou em direção a porta deixando a cara de choro de Temari para trás. — Agora eu tenho muito o que fazer.

Karura respirou fundo e abraçou a filha que desmoronou no colo da mãe em choro. Ela sabia o quanto sua primogênita era forte, mas nessas condições, não estava em condições de enfrentar ninguém.

6 ноября 2018 г. 13:39:45 0 Отчет Добавить 0
Прочтите следующую главу Capítulo 2

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 2 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму