Короткий рассказ
0
4.5k ПРОСМОТРОВ
В процессе
reading time
AA Поделиться

One

      Havíamos acabado de gravar o pv de “Illuminati”, com certeza seria sucesso e os Malicious iriam pirar. Para comemorar o nosso esforço e trabalho por encerrar o pv, Közi nos ofereceu um convite a um bar para beber e fomos de carro.

O caminho até o bar foi silencioso da minha parte enquanto Közi e os outros integrantes menos Mana que estava do meu lado, conversavam trivialidades. Ainda em direção ao bar que não era tão longe, eu pensava no pv ou melhor durante a gravação do pv que foi cheia sensualidade e nudez. Porém, algo não saia da minha mente, Mana. O homem que estava ao meu lado no carro quieto, invadia a minha mente enquanto eu lembrava claramente do seu corpo nu na cama durante a gravação, me pergunto qual macia e deliciosa seria sua pele ao contato a minha?

Nunca foi novidade para mim e para alguns integrantes que eu amava Mana e sempre quis algo a mais com ele, porém nunca fiquei a vontade de falar isso a ele, afinal, ele não parecia querer retribuir os mesmos sentimentos a mim, então me contentava com seus toques durante os fanservices e os poucos contatos que tínhamos fora dos holofotes.

Já dentro do bar os meninos não esperaram em pedir as bebidas e se afogarem como loucos, enquanto Mana bebia quase nada e eu estava na segunda latinha de cerveja pensativo enquanto os meninos riam de alguma piada mirabolante de Közi. Para evitar o clima tenso que já se instalou desde que eu e Mana estávamos no carro, resolvi beber um pouco mais e esquecer os meus pensamentos sobre o corpo nu de Mana.

Quando a farra se encerrou, eu e Mana carregamos os integrantes bêbados de volta para casa, o trabalho foi grande, mas realizamos tudo com sucesso. Cada um de nós se dirigiu para os respectivos quartos sem nem desejar um "boa noite" um ao outro.

Para dormir foi difícil, acabei tendo dois sonhos eróticos com Mana e acordei com algo deveras bem alegre. Sem conseguir dormir e com vergonha de aliviar sozinho enquanto o resto da banda dormia, resolvi descer para beber água daquele jeito mesmo, afinal, ninguém iria acordar e ver o meu problema naquela hora da madrugada.

Já na cozinha escura e com o copo de água em mãos, suspirei tenso e nervoso pela minha situação até ouvir um baque e uma voz suave, baixa porém grossa me chamar a atenção e quase me fazendo cuspir a água e fazer o copo cair no chão.

-Mana?-O reconheci pela silhueta delicada no escuro que logo acendeu a luz iluminando a cozinha que estava escura, revelando ele que estava com os cabelos alaranjados soltos e usava um robe de cetim azul bastante curto que mostrava suas belas coxas que me fazia lembrar da cena mais cedo. Sem dizer nada, ele se aproximou da geladeira que estava ao meu lado e pegou o copo que estava no escorredor que estava na pia em minha frente, bebendo água.

-Porque não está dormindo?-Ele me questionou com sua voz baixa e calma como sempre.

-Me pergunto o mesmo para você.-Respondi deixando o copo em cima da pia.

-Acho que estamos quites.-Disse ele olhando para minha cintura se referindo ao meu problema.

-Hum, tem algo em mente para se livrar disso?-Perguntei me encostando levemente na pia abrindo um pequeno sorriso sem mostrar os dentes, enquanto ele me olhava atentamente.

-Não pretendo me livrar dele e sim aliviar, e acho que podemos ajudar um ao outro.-Respondeu malicioso ainda mantendo o tom de sua voz.

-Como bons amantes?-O questionei desencostando da pia e ele assentiu abrindo um sorriso malicioso sem mostrar os dentes.

Puxei Mana pela cintura o beijando ferozmente enquanto apertava seu corpo ao meu sentindo nossas ereções se chocarem um com o outro fazendo uma fricção gostosa enquanto nossas roupas nos atrapalhavam. Passei a minha mão sobre o corpo coberto pelo robe desesperado querendo retirar, porém senti as mãos de Mana sobre meus braços me afastando levemente do seu corpo.

-Vamos subir.-Sussurrou ele quase inaudível e então ele abandonou o copo na pia e juntos fomos para o meu quarto.

Mal chegamos no quarto eu fechei a porta e o joguei sobre minha cama tirando a minha camisa branca de pijamas e beijando-o novamente até quase ficarmos sem ar, desci meus beijos sobre seu pescoço e sentindo sua pele macia, suave e cheirosa sob meus lábios, fui mordendo levemente e chupando a carne do seu pescoço, fui descendo até a clavícula enquanto minhas mão abriam o robe de cetim desesperado.

Suas mãos com suas unhas pintadas de azul arranhavam a carne das minhas costas enquanto eu descia cada vez mais parando para analisar seus mamilos rosados e convidativos, fui mordendo levemente e chupando cada um enquanto ele gemia baixo e mordia seus lábios que agora estavam vermelhos pelo beijo ardente, fui descendo beijando e lambendo cada parte do seu corpo, mordia, chupava, marcava cada pedaço daquela pele macia.

Fui descendo mais me deparando com seu membro excitado e saindo pré gozo, não hesitei em masturba-lo lentamente enquanto Mana tentava segurar seus gemidos mordendo seus lábios, aproximei minha boca perto do seu pênis e comecei a lamber pouco a pouco e abocanhei fazendo ele soltar um gemido um pouco alto e logo em seguida pondo a mão esquerda sobre a boca tentando não gemer enquanto sua outra mão foi em direção aos meus cabelos fazendo um leve carinho e logo em seguida pegando um punhado de meu cabelo e ditando os movimentos com o quadril enquanto gemia baixo.

Sabendo que ele estava próximo ao ápice, segurei sua cintura e parei os movimentos ouvindo ele sussurrar o porquê de eu ter parado, nada falei, chupei meus dois dedos e direcionei até sua entrada acariciando levemente enquanto eu ouvia ele gemer e pegando seu pênis para iniciar uma outra masturbação, parei os movimentos e peguei a fita que prendia o robe de Mana amarrando suas mãos na cabeceira da cama enquanto ele me olhava indignado.

Tirei minha calça do pijama branco juntamente com minha cueca box preta e me aproximei de sua entrada clarinha que piscava deliciosamente pra mim, me aproximei mais e passei minha língua molhando aquele lugar, ainda não satisfeito o penetrei com a minha língua enquanto ele gemia um pouco mais alto e judiando cada vez mais seus lábios na tentativa de conter o que sentia.

Sabendo que ainda era pouco, fui na gaveta ao lado cama e peguei o lubrificante junto com a camisinha e me aproximei dele desamarrando o nó que dei na fita do robe o deixando livre, abri o pote e derramei o lubrificante nas minhas mãos melecando tudo e o deixei em cima da gaveta, Mana abriu ainda mais as pernas me dando mais a visão de sua entrada, com os dedos lubrificados penetrei um dígito enquanto via seu rosto se contorcer da dor passageira, me aproximei do seu pênis o chupando enquanto colocava mais outro dígito enquanto ele gemia de prazer mas ainda sabia que sentia dor.

Esperei um pouco enquanto acariciava seu membro e comecei a penetra-lo com um vai e vem calmo enquanto ele gemia baixo e ainda contido para não acordar os outros, aos poucos fui acelerando até ele gemer alto demais, eu havia encontrado. Tirei meus dedos e coloquei camisinha e passei mais lubrificante no meu pênis espalhando por todo o membro, me aproximei de sua entrada e massageei meu pênis na entrada antes de penetrar.

Penetrei calmamente e sem pressa para evitar mais dor, já completamente dentro comecei a beijá-lo calmamente espalhando selos sobre seu rosto suado, bonito e sem nenhuma maquiagem, desci os beijos pelo seu pescoço e aos poucos fui movimentando e Mana começou a gemer alto e para evitar que os outros integrantes acordassem, eu o beijei ferozmente enquanto arremetia o meu corpo com o dele acertando em cheio aquele lugar a qual ele naquele momento estava revirando os olhos e gemia de tanto prazer.

Eu arremetia cada vez mais enquanto esfregavamos os nossos corpos suados, e eu o beijava, beijava cada parte de sua pele que estava coberta suor, eu sentia que tanto eu e ele iriamos chegar ao ápice, arremeti com mais força e precisão naquele ponto até chegarmos ao orgamo e Mana gritar com sua voz suave e ao mesmo tempo grossa e nós dois deitarmos um ao lado do outro.

-Amantes?-O questionei afastando a minha franja castanha do meu rosto e olhando para ele que sorria para mim assentindo enquanto controlava a respiração, o puxei deitando sua cabeça em meu peito enquanto acariciava seus cabelos alaranjados e velava o seu sono, e ali caí no sono, cobertos de suor, nus, e com rastro do que aconteceu naquela noite.



25 октября 2018 г. 0:16:00 0 Отчет Добавить 0
Продолжение следует…

Об авторе

Yuzi Stein Hi, I'm YuziStein and welcome to my profile. 💜

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~