Broken Inside Подписаться

ariane-munhoz Ariane Munhoz

Vermelho como o sangue das vítimas que escorria por suas mãos, preto como a cor de sua alma desde que foi consumido pelas vozes que haviam tomado sua mente e destroçado seu espírito deixando-o quebrado por dentro.


Фанфик Аниме/Манга 18+.

#deathfic #darkfic #tragedia #violencia #angst #terror #deku #kacchan #dekuvilão #vilaindeku #bnha
Короткий рассказ
3
4760 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Vermelho

Vermelho.

Gotejando das pontas de seus dedos, pingando contra o chão com aquele som engraçado como os sapatos emborrachados que usava.

Ping! Ping! Ping!

Preto.

Como a escuridão que o cercava, como a cor das pupilas dele enquanto as íris douradas mergulhavam no breu.

Vermelho dos cabelos espetados, da alegria vibrante, das risadas fora de hora que o alcançavam quando ele mesmo nunca foi capaz.

− Ne, Kacchan, você não sente minha falta? – A pergunta foi lançada no ar enquanto Midoriya se agachava, as botas de borracha fazendo um som engraçado contra o chão.

Squeak! Squeak! Squeak!

Bakugou ergueu os olhos (escuros demais) na direção de Izuku, a expressão endurecida, com raiva incontida enquanto o observava.

− Deku... seu grande filho da... – Uma bicuda na boca arrancou-lhe três dentes fazendo-o cuspir ainda mais sangue. Midoriya segurou seus cabelos forçando Katsuki a encará-lo.

− Não consigo te ouvir assim, Kacchan, com a boca cheia de sangue! – A gargalhada escapou de seus lábios, sobrepujada apenas pelas as vozes que há tanto tinham lhe consumido.

− Dev..ia ter visto...

− O quê? – Izuku agachou-se até quase encostar a orelha na boca de Katsuki.

− ...doente...

Os olhos de Midoriya se estreitaram.

− ... insano...

Ele respirou fundo.

− ... nojento...

Outro chute.

− Sei que você ainda está mal, Kacchan, mas não dei a Kirishima menos do que ele mereceu. – respondeu. – E é por isso que agora está morto junto com todos os outros.

Os olhos, mergulhados naquele ódio, consumidos por toda a insânia quando o encarou pela última vez.

− ENTÃO ME MATA LOGO, SEU FILHO DA MÃE! – Bakugou bradou, o coração tempestivo dentro do peito.

− Ah, não, Kacchan, com você tudo é mais especial.

A porta se fechou, o breu se estabeleceu. Escorado na porta, rindo insanamente, Midoriya escutava as vozes em coro gritando em sua mente, opinando, dizendo o que deveria fazer. Mais um usuário do One for all levado pela quirk. O homem mais forte do mundo consumido pelo próprio poder.

Notas:

Não existe uma lógica pra essa história. Eu só pensei nela e escrevi. Não tem nem uma ordem coerente e nem nada, mas é isso. É um universo aparentemente muito usado e eu fiz o Deku perder a noção de tudo e se entregar à insânia. Espero que gostem!

14 октября 2018 г. 22:50:35 2 Отчет Добавить 4
Конец

Об авторе

Ariane Munhoz Dona de mim, escritora, louca dos pássaros, veterinária e mãe dos Inuzuka. Já ouviram a palavra Shiba hoje?

Прокомментируйте

Отправить!
Blue Martell Blue Martell
Eu adorei! É brilhante! Eu adoro histórias assim, nascidas do nada. São as mais belas. Eu nunca assisti BNHA, mas sendo seu trabalho vim ver e claro, deixar minha opinião. E como sempre impecável, Ariane, além de incisivo é muito perspicaz e identitário pra quem já teve algum problema psicológico e etc. Eu sei o bastante de BNHA pra saber que o Midoriya é bem diferente desse aqui, e por isso admiro a mudança e fluidez que você o adaptou, menos o Kaachan falando filho da mãe, acho que ele continuaria chamando de filho da puta mesmo hahahah Parabéns pelo trabalho! 💙
30 октября 2018 г. 2:42:10

  • Ariane Munhoz Ariane Munhoz
    Aiai, olha essa bb super fofa vindo aqui me prestigiar! Eu adoro histórias impulsivas também. Você precisa ler BNHA! Tem coisas maravilhosas lá! Eu fico feliz que você tenha gostado! Eu pensei em colocar o Kacchan xingando, mas não sei pq abrandei aqui hauahuaha Obrigada pelo comentário! 30 октября 2018 г. 18:25:57
~