(2018) Irresistível Подписаться

alicealamo Alice Alamo

A insegurança de Oikawa sempre fora um dos motivos da irritação de Iwaizumi, mas, quando o namorado resolveu fazer uma tempestade por causa dos óculos, aí foi a gota d'água. Iwaizumi teria que fazer algo a respeito, ainda mais porque, para seu azar, Oikawa usando óculos tinha se tornado uma das suas visões preferidas.


Фанфик Аниме/Манга Всех возростов.

#fluffy #oikawa #iwaizumi #iwaoi #yaoi #romance
Короткий рассказ
8
4.8k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo Único


Notas Iniciais: Fic feita para Ariane <3


Havia uma coisa que Iwaizumi odiava mais que tudo: a insegurança de Oikawa. Como alguém que conhecia o levantador da Aoba Jousai desde as fraldas, Iwaizumi sabia de cor e salteado todas as qualidades e todos os defeitos de Oikawa e, por isso, odiava do fundo do coração quando ele começava a se preocupar com aquilo que, definitivamente, não tinha coerência alguma.

Na semana anterior, havia sido sobre suas habilidades como levantador, e Iwaizumi tentou mesmo relevar o episódio já que tinham acabado de assistir um jogo em que Tobio levantava de uma forma que, segundo Oikawa, ele mesmo nunca seria capaz; mas, na anterior a essa, havia sido sobre seu cabelo e, na outra, sobre suas notas e agora… Agora Oikawa voltava com a insegurança a respeito de sua aparência, mais especificamente por causa dos óculos que teria que usar durante o período da manhã todo se quisesse continuar com as lentes de contato nos treinos e jogos à tarde.

Oikawa estava sério, chateado, o bico formado em seus lábios era visível do outro lado da sala de aula, e as garotas se amontoavam ao redor dele para lhe oferecer lanches e elogios que Iwaizumi tinha certeza que ele recusava com um sorriso falso e uma risada forçada. Tamborilou os dedos na mesa, sua irritação era tão evidente que os amigos já tinham desistido de tentar chamá-lo para a conversa. Respirou fundo e viu Oikawa suspirar quando as garotas enfim lhe deram uma pausa. A cabeça dele se apoiou nos braços cruzados sobre a mesa, ele tirou os óculos e fechou os olhos e, para muitos, Oikawa só estaria com sono, aproveitando o intervalo para cochilar alguns minutos, mas Iwaizumi o conhecia, bem demais. Oikawa estava fugindo, se escondendo.

Ele era lindo, e sabia disso, quer dizer, às vezes… Oikawa era vaidoso, e ser obrigado a usar os óculos era um golpe muito grande para sua autoestima. Bobagem? Talvez; para Iwaizumi, com certeza, mas ele entendia que, para o namorado, não. Por isso, havia ido junto para ajudá-lo a escolher o modelo, tinha lhe garantido que a armação era bonita, que ele ainda seria incomodado pelas garotas da escola ou por quem quer que fosse. E Oikawa havia ficado bem, tinha aceitado, mas foi só pisar na sala com aqueles óculos que a confiança desmoronou em segundos.

Bagunçou o cabelo com raiva, Oikawa parecia uma criança! Uma que precisava ser constantemente lembrada de suas qualidades, que precisava de alguém sempre ao seu lado para não deixá-lo estagnar e encorajá-lo. E não que Iwaizumi reclamasse disso! Ele entendia o outro, não se importava nenhum pouco de ser aquele a dar a mão para Oikawa e convencê-lo sempre a ir em frente, mas… a verdade mesmo era que… bem… a verdade era que estava irritado com Oikawa por ele estar tão inseguro a respeito daqueles malditos óculos quando, para Iwaizumi, ele nunca tinha estado tão bonito!

Quando Oikawa havia experimentado aquele modelo e se virado em sua direção perguntando o que havia achado… não soube o que responder. Sentiu as palavras escorregarem para dentro do peito e abraçarem o coração de modo a fazê-lo bater mais rápido, o rosto ficou quente à medida que se percebia admirando demais o namorado e, mesmo assim, não conseguiu disfarçar a expressão surpresa. “Lindo”, impediu-se de dizer, “Fofo”, quis se bater por ter pensado, “Ainda mais beijável”... Limpou a garganta na hora e deu de ombros, murmurando um “Não ficou ruim” que fez Oikawa voltar a se olhar no espelho em dúvida, “Eu gostei. Leva esse, confia em mim”, complementou.

Os óculos ornavam com o rosto dele, tiravam um pouco da imagem descontraída de Oikawa, mas, para Iwaizumi, já tão acostumado à seriedade com que o outro treinava e analisava os jogos de vôlei, aquilo não era novo. Ainda assim, o ar mais sério lhe parecia sedutor, suas mãos várias vezes quiseram-lhe tocar o rosto, e ele até mesmo o fez, com a desculpa de estar tirando um fio de cabelo que estava grudado na bochecha de Oikawa.

Era por isso que não entendia, por isso que estava odiando Oikawa se recusar a permanecer com os óculos como se o fizessem algum mal. Levantou-se, os amigos pararam de conversar como se quisessem ver que atitude tomaria, caminhou até a mesa de Oikawa já olhando feio para as garotas que davam a entender que fariam o mesmo. Colocou as mãos no bolso ao parar de frente à mesa e a cutucou com o pé. Oikawa ergueu a cabeça minimamente, apenas para espiar quem o chamava, e esfregou o rosto contra o braço, manhoso, antes de se levantar. O filho da mãe já sabia que Iwaizumi estava irritado e fazia hora de propósito por isso.

— Vem comigo — Iwaizumi falou, sem mais delongas. — E coloca esses óculos no rosto,, Trashykawa.

— Rude, Iwa-chan — Oikawa respondeu com um falso bocejar antes de obedecê-lo.

Entraram em uma das salas vazias, uma usada somente por um dos inúmeros clubes no período da tarde, e Oikawa fechou a porta atrás de si enquanto evitava encarar Iwaizumi com os braços cruzados na frente do corpo apoiado em uma mesa.

— Fala — Iwaizumi começou, o tom impaciente de sempre fazendo Oikawa formar um bico nos lábios e apelar para o sarcasmo.

— Assim vou achar que não me ama, Iwa-chan. Você podia ser mais gentil.

— Fala logo, Shittykawa — Iwaizumi descruzou os braços e se aproximou do outro.

Oikawa soltou o ar de forma dramática e mordeu a bochecha enquanto tentava achar as palavras.

— Odeio esses óculos — cuspiu com certa raiva, inconformado, e viu Iwaizumi arquear a sobrancelha ao mesmo tempo em que não parava de se aproximar de si. — Eles me deixam esquisito e eu n-

A boca de Iwaizumi estava sobre a sua, os lábios dele fechando-se sobre o seu inferior e o chupando de uma forma tão indecente que fez Oikawa se arrepiar por completo.

— Iwa-chan…

— Desculpe, o que dizia? Continue, estou ouvindo.

Oikawa piscou, sem graça, o rosto vermelho, encolhendo-se conforme as mãos de Iwaizumi apertavam sua cintura e o corpo dele tocava o seu, extirpando qualquer distância que pudesse existir ali. Os rostos estavam próximos, tão perto um do outro que ele podia sentir o ar que saía da boca do outro e fazia a sua secar.

— Continue, Oikawa, to ouvindo — Iwaizumi reforçou, olhando-o nos olhos, e Oikawa concordou sem saber mais se poderia ter outra reação.

— Eu odeio ess-

Iwaizumi correu a língua pelo espaço entre os lábios de Oikawa e o fez soltar todo o ar de uma vez. Deslizou a boca para a bochecha dele e sussurrou:

— Continue.

— Iwa-chan… o quê?

— Continue, vamos.

Oikawa lambeu os lábios e abriu a boca para falar, contudo, sua atenção repousou nas mãos de Iwaizumi deslizando para suas costas, no aperto delas em seus músculos, nos dedos a voltarem à cintura numa carícia que nada tinha de inocente.

— Por que odeia os óculos? — Iwaizumi perguntou quando o silêncio se estendeu.

— Porque — Oikawa começou a responder, mas o arrepio causado pela boca de Iwaizumi em sua orelha o fez arfar antes de prosseguir. — eles me deixam… esqui- — A voz sumiu quando sentiu o lóbulo de seu ouvido sendo chupado e a coxa de Iwaizumi entre suas pernas. — Iwa-chan! — exclamou inconformado, a voz fraca pela vergonha causada pela excitação que o outro despertava em seu corpo. — O que está fazendo?

— Ah… desculpe, você estava tentando falar alguma coisa, Tooru? — ele perguntou irônico, a voz rouca pronunciando o nome do outro como Oikawa só havia ouvido durante as vezes em que haviam perdido o controle ao buscar prazer um no outro.

— Eu…

— Desculpe, não deu pra prestar atenção no que você dizia. Sabe por quê? — questionou, sério, olhando diretamente para Oikawa e segurando-o pelo queixo quando o viu querer desviar o rosto envergonhado. Deslizou o polegar pelo lábio dele e soltou o ar incomodado, balançando a cabeça em descrença. — Porque, Oikawa, a única merda em que eu consigo pensar quando vejo você com esses óculos é te beijar, seu idiota! Entendeu, agora?

Oikawa arregalou os olhos e assistiu à vergonha que enfim parecia recair sobre o namorado que se afastava sem graça e irritado. Ajeitou o uniforme enquanto o sorriso surgia e deu alguns passos na direção do outro, que estreitou o olhar, desconfiado.

— Você diz isso, mas ainda não me beijou, Iwa-chan… — provocou e quis rir da expressão enraivecida que tomou Iwaizumi.

— E nem vou. Só pelo drama, você não merece. — Iwaizumi bufou, e Oikawa o olhou indignado. — E seus óculos estão sujos, limpa.

— Iwa-chan! — chamou, seguindo-o para fora da sala e parando na frente dele com uma rápida inspeção para saber se tinha alguém por perto. — Foi você que sujou eles… eu mereço um beijo de desculpas.

Iwaizumi arqueou a sobrancelha e, em dias normais, com certeza xingaria Oikawa e diria não, mas…

Suspirou, derrotado.

… não naquele dia…

Puxou Oikawa pela cintura, a mão na nuca dele e a boca colando-se à outra em um beijo mais intenso do que o local permitia.

… afinal, não havia mentido, era impossível resistir a Oikawa usando aqueles malditos óculos.



Notas Finais: 

Olá! Espero que tenham gostado <3

Ari, eu sei que to te devendo um monte de fic, mas fica aqui a primeira delas então! Espero que tenha curtido e que sirva para te dar uma forcinha nesses dias tão corridos!

Obrigada a todos ;) 

27 сентября 2018 г. 19:12:03 2 Отчет Добавить 7
Конец

Об авторе

Alice Alamo 23 anos, escritora de tudo aquilo em que puder me arriscar <3

Прокомментируйте

Отправить!
Isis Isis
Aaa que coisa gostosinha de ler. A cara do Iwa ficar puto pelo Oikawa estar inseguro kkkk. Oikawa vai gostar de ver ele.puto mais vezes se for assim, pq olha... que belo jeito de afirmar um ponto de vista, rs. Quando vc tiver um tempinho pra revisar, dá uma olhadinha pq vi uns errinhos de digitação e umas palavras comidas. Tbm achei alguns períodos um pouco longos... Eu não acharia nada ruim o Oikawa resolver aproveitar essa confissão do Iwa num outro momento, se é que me entende, rs. Bjs!
27 сентября 2018 г. 17:06:13

  • Alice Alamo Alice Alamo
    Isis, quantos comentários eu to te devendo?? hahahaha Como você ainda não me matou por isso? Enfim, eu amo Iwaoi, meu deus, me apaixonei mesmo por esses dois. O Iwa com certeza ficaria puto pelo Oikawa ficar inseguro, mas ele também faria sempre o possível para ser um porto seguro pro nosso Bakakawa. Muito obrigada! Eu vou dar uma revisada na história <3 Beijos!! 27 февраля 2019 г. 18:05:24
~