As Três Palavras Подписаться

missunofirework iara oliveira

Yoongi entra em little space pra escapar dos problemas e da realidade, que vai lhe esmagando devagar e dolorosamente. Hoseok é a pessoa na vida de Yoongi que lhe impede de fazer besteira, que cuida de Yoon quando ele aparece, e a pessoa que impede seu amigo de cometer suicídio, planejando o seu. Duas personalidades completamente diferentes colidiram há quatro anos atrás, e hoje se vêem diante da necessidade de fazer uma escolha. Por que o amor melhoraria algo? - Hoseok se pergunta. Melhoria o que, afinal? Yoongi responde, Lá no fundo ele vem murmurando baixinho: "A vida." yoonseok oneshot | yoon!bottom | little space


Фанфик Группы / Singers 18+.

#love #gay #amor #yaoi #lgbt #jin #namjoon #fanfic #bts #suga #yoongi #hoseok #jungkook #jimin #taehyung #boyxboy #jeongguk #yoonseok #sope #j-hope #rm #angsty
Короткий рассказ
2
5251 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo Único

Primeiramente bom dia, a pessoa que vive shippando sope com outras pessoas mas acaba voltando sempre pra sope finalmente escreveu algo que não fosse taekook, - vida longa aos reis - e dessa vez uma oneshot.
Não vou encher linguiça, mas antes de ler, tem coisas que vocês precisam saber, isso é, pra quem não sabe.


Glossário:


little space: Nome dado à "fase" de mentalidade que permite alguns adultos regredirem à infância, se comportando como crianças, idade essa que pode variar desde recém-nascidos até 7 anos de idade. É temporário, acredito que possa ser chamado de infantilismo. (não sou especialista no assunto, mas pesquisei)


O adulto que entra nessa subdivisão mental pode acabar se comportando como um alter-ego. A criança não tem conhecimento do que o adulto aprendeu, viveu ou conheceu. É uma página em branco que vai sendo construída de novo paralelamente à vida do adulto, que segue normal. Lembrando que essa história é narrada no ramo da ficção.


Normalmente a criança possui um cuidador, quase como uma babá, que pode ou não criar "laços afetivos" e chamar de daddy, que é o nosso caso.


Alguns daddys realizam atividades sexuais com seus littles, porém isso não acontece aqui.
Os dois só se relacionam no big space, ou seja, quando Yoon se torna Yoongi.


Yoon: Yoongi no little space.


Let's do it.


...


A campainha soou por todo o andar, percorrendo o ar em alguns milésimos de segundos e chegando aos ouvidos de seu alvo, que estava do outro lado do apartamento.


Yoongi abriu um sorriso enorme ao escutar sua deixa, se levantando do chão onde pintava seu cachorro Holly na cor azul, pois talvez sua intenção fosse desenhar Holly e a fita azul que tinha pendurada na cabeça, mas Yoongi gostou do azul e acabou usando a mesma cor no desenho todo.

Levantou-se do chão, pegando almofadas e travesseiros que encontrou ao redor de seu quarto, prendendo seu cachorro num quadrado para que ele não saísse de lá.

"Fique aí, Holly.... Não terminei de desenhar" pediu pacientemente olhando no fundo dos olhos do cachorro, acreditando que se comunicasse com ele por cinco segundos, e tinha que ser cinco segundos, nada mais e nada menos, ele lhe obedeceria.

Satisfeito quando sentiu que ele tinha entendido que não era pra sair de lá, Yoongi saiu correndo até o outro lado do apartamento, sorridente que seu Daddy tinha chegado.

Porém... Pobre Yoongi.

A meia que usou pra correr no chão de madeira lhe fez escorregar e cair de bunda no chão do corredor.

Hoseok, ao perceber que o garoto demorava demais, entrou com a chave cópia que tinha, e o único motivo que não tinha usado antes foi pelo pacto que fez com Yoongi.

Little Yoon costumava dizer que gostava de receber seu daddy na porta como se fosse uma esposa recebendo seu marido em casa depois do serviço, não pelo papel da mulher, mas era uma cena de um dos filmes preferidos do mais novo, Hoseok não conseguia dizer não.

Voltando...

Os gemidos de dor e soluços discretos e baixinhos que vinham do corredor levou Hoseok até o pequeno.

"Bebê..." o mais velho balançou a cabeça, com a testa franzida em compaixão pelo menor, caminhando até o último, deixando o buquê trazido na mesa alta de vidro ao seu lado.

"Seokie..." Yoon tinha um bico nos lábios, segurando seu joelho com força, olhando seu daddy lá debaixo com olhos encharcados pela dor. "Isso dói" soluçou, com medo de tocar na ferida.

Hoseok suspirou, se abaixando ao seu lado e pedindo com delicadeza que Yoon colocasse seu joelho descoberto em seu colo para que o médico lhe examinasse.

Dessa vez não era brincadeira, Hoseok era mesmo um médico, mais especificamente, um neurologista.

O mais velho reconheceu que a ferida era superficial, e nem ficaria a cicatriz com os cuidados adequados, mas sabendo que Yoongi era inocente nessa parte do dia, fez o que o little Yoon gostaria que ele fizesse.

"Tá tudo bem bebê, o daddy vai cuidar de você... o que você quer que eu faça?" Hoseok estendeu os dedos longos na testa do menor, colocando suas mechas atrás de sua orelha, ganhando um bico de Yoon que continuava a fungar, mas mais calmo agora.

"Leite... e panquecas, Seokie" falou cabisbaixo, observando sua ferida ainda exposta no joelho, o lábio trêmulo entregando que voltaria a chorar.

"Tá bom, amor. Eu vou cuidar disso pra você, daí podemos tomar um banho e eu faço as panquecas, tá bom?" Hoseok tocou com delicadeza o rosto pálido do menor, ganhando um assentir fraco do bebê frágil. Depois de um sorriso e um beijo na testa, Hoseok se levantou do chão com Yoon no colo, caminhando até seu quarto, segurando o garoto com todo o zelo, como se sua vida dependesse disso (dele), e dependia.

Hoseok conhecia Yoongi há quatro anos, quando se viram pela primeira vez numa entrevista de emprego no hospital. Yoongi tem um diploma de enfermagem, então queria trabalhar na clínica logo quando saiu da faculdade, porém, pelo currículo não tão suficiente segundo os colegas de Hoseok, o garoto foi dispensado.

Hoseok sempre teve um coração grande demais, e ao ver a expressão tão triste de Yoongi, como se fosse sua última chance e tentativa, foi atrás do garoto, dizendo que talvez, poderia lhe ajudar com recomendações.

Yoongi não queria. Se não o queriam pelo seu currículo e pelo profissional que era, não seria só pela influência de um médico que aceitaria tirar a chance de alguém melhor que ele.

Mas Yoongi continuou tão triste mesmo após a renúncia de sua proposta... Então Hoseok usou sua hora de folga pra levá-lo numa cafeteria, quase como uma obrigação pra Yoongi, que odiou Hoseok de primeira. Aliás, odiar é uma palavra muito forte, Yoongi só... achava o cara bom demais (no sentido de coração, tá bom leitores segundas intenções?).

E como o bom e velho ditado fala, onde tem demais, tem problema.

Mas o tempo é dono de revoluções.

Quando Yoongi deixou o pai que abusava de si quando estava em little space, e conseguiu seu próprio apartamento com seu dinheiro, quem esteve pra lhe apoiar foi Hoseok.

Quando decidiu fazer outra faculdade completamente diferente da primeira, quem apoiou foi Hoseok também.

Quando terminou com o primeiro namorado e doeu como o inferno, quem apoiou? Hoseok, claro.

Hoseok foi a pessoa que teve todas as lágrimas, alegrias, crises de humor e recaídas de ex de Yoongi dos últimos quatro anos.

Mas dois deles foram necessários para que Yoongi confiasse plenamente no cara para entrar pela primeira vez em little space na sua frente.

Hoseok era médico, mais especificamente, um neurologista. Ele sabia no que se consistia o little space.

Mas com Yoongi era diferente.

Pois ele pensava... Será que é muito errado eu me fascinar mais ainda por alguém quando ela está se comportando como uma criança?

Isso faz de mim um pedófilo?

Mas não. Esse não é o ponto.

Yoongi e Hoseok só tiveram seu primeiro beijo seis meses atrás. Mas foi algo tão intenso, e necessário, e urgente, que fizeram amor no mesmo dia também.

E depois de um pai abusivo, e um namorado que lhe traiu, Yoongi encontrou a sua âncora em Hoseok, e pode-se dizer que... nunca se sentiu tão bem nas mãos de alguém.

Yoongi se entrega todo pra Hoseok.

Hoseok se entrega todo pra Yoongi.

Enfim,

Hoseok pousou o mais novo sentado na sua cama de casal, estranhando que haviam almofadas demais no chão, e que Yoongi tinha deixado que Holly as usasse como cama.

"Bebê... não coloca o dedo na boca" Hoseok pediu com gentileza, tirando o dedo com cuidado da boca de Yoon, mas suspirando quando Yoon usou o seu como chupeta.

"Yoon..." Hoseok pediu seu dedo de volta, mas Yoon fingiu não escutar, encarando o parceiro que ainda não devia ser chamado de namorado com olhos de dog, implorando por algo sem palavras, mas não precisava, Hoseok já sabia o que ele queria.

"Já falamos sobre a mamadeira, Yoon. Só depois do banho" Hoseok advertiu.

Yoon continuou encarando-o no fundo dos olhos.

E você sabe o que aconteceu? Hoseok cedeu.

Aquela criatura fofa...

"Vou fazer seu leite, mas está machucado e preciso preparar seu banho também-

"Eu já sei banhar sozinho, daddy!" Yoon tirou o dedo de Hoseok de repente da boca, e pego desprevenido, Hoseok abriu os olhos antes de sorrir.

"Ah, é? Direitinho?" seu sorriso foi crescendo.

Yoon assentiu freneticamente, segurando o dedo de Hoseok, pronto pra uso.

"Direitinho. E o dodói não pode molhar senão arde, sabia?" Yoon abandonou o dedo de Hoseok, fazendo do seu show seu machucado novamente, que olhava com curiosidade.

"Sério, bebê? E só sara com beijinho?" Hoseok perguntou, se ajoelhando na frente da cama e apoiando seus cotovelos na frente do garoto.

Yoon lhe olhou, seus olhos pequenos lhe examinaram.

"Só com beijinho do Seokie" assentiu com um bico fofo nos lábios, e como sempre, Hoseok queria se desmanchar ali na frente do quase-namorado.

Digamos quase porque...

Yoongi, que é o Yoon fora do little space, não é tão fácil de lidar assim. É inteligente, sensato, mas... intimidante. Yoongi adora discutir, tornando coisas não muito sérias em algo... monstruoso. Então, bem, ele não é tão sensato.

Resumindo, Yoongi não admite as amizades suspeitas de Hoseok, aquelas que passam uma madrugada inteira fazendo plantão na clínica, e de manhã buscam café juntos e vão falar das vidas cansativas e das coisas em comum que têm.

Pra Yoongi, amizades perigosas.

Hoseok e ele vivem brigando por isso. Mas ainda não namoram, imaginem se namorarem.

Depois que Hoseok cuidou do machucado de Yoongi, preparou a banheira com muita espuma e brinquedos de borracha seguros para que ele brincasse até que voltasse da cozinha com sua mamadeira.

Mais uma rotina, que pra Hoseok não era cansativa como o resto do dia que tinha, mas revigorante.

Quando voltou com sua mamadeira, que deixou esfriar um pouco mais enquanto terminava de banhar o garoto, ouviu melodias conhecidas saindo de sua boca, enquanto brincava de avião com o patinho de borracha.

"Hum hum~~" Yoon cantava enquanto Hoseok terminava de passar o sabonete pelo seu peitoral e pescoço. "Se eu fosse um peixinho e soubesse nadar... eu tirava o meu daddy lá do fundo do mar" cantarolou inocentemente, e Hoseok sorriu em silêncio, deixando que o garoto divertisse os dois antes de Yoongi querer voltar, já que às vezes não era uma das melhores voltas.

Hoseok estendeu a toalha limpando Yoon, estreitando os olhos e conferindo as horas no monitor do computador.

18:07

Yoongi costumava voltar às 19 e pouco, logo depois que tinha se cansado e divertido o que queria no little space com Hoseok. Não era especificamente um horário que tinha biologicamente registrado, mas normalmente era o horário que acordava de seu cochilo depois do leite.

Os horários atípicos de Min Yoon.

Yoon foi colocado na cama com seu leite, assistindo desenho na TV como uma criança comportada até que aquele leite acabasse.

Enquanto isso, Hoseok aproveitou e foi tomar um banho, já que estava todo molhado pelo banho que deu no menor, e ainda de roupa de hospital.

Descansar, era sua única meta.

Mas você sabe, às vezes as pessoas perdem a noção de tempo no banho.

Hoseok viajou. Pensou na sua relação com Yoongi. Ficou triste, sorriu, chorou e riu. Nada é perfeito.

Porém a complicação do relacionamento dos dois era grande demais, tomou um tempo incalculável pro cérebro e corpo cansados do médico.

Incalculável também pra Yoongi no little space.

O leite de Yoon acabava, com a mamadeira querendo sair da boca, Yoon viajou enquanto assistia o desenho que costumava ver todo dia sem falta, como se fosse uma dona de casa que almejava sempre terminar seu serviço e assistir a tão amada novela pra fugir dos problemas e da vida problemática.

Yoongi também tinha problemas. Vários. E por isso utilizava do little space, que passou a usar com mais frequência pelas brigas recorrentes com Hoseok, pra se ver livre da depressão que o pós-briga trazia a seu pobre coração.

Pois Yoongi fingia ser forte, e nunca deixou que Hoseok lhe visse chorar.

Mas quando saía do little space, quando Hoseok ia embora... Yoongi desabava.

E aos poucos a imagem do daddy de Yoon, tão zeloso e amável, no seu papel de anjo protetor, foi sendo substituído...

A sensação de proteção, se tornou em dependência.

O gosto de admiração, em saudosismo.

O cheiro de leite e panquecas, em álcool.

E em alguns minutos, um pouco depois que seu leite acabou e seu transe tirou sua "atenção" do desenho animado na TV, Yoon foi embora.

E Yoongi voltou.

...

Hoseok acordou num susto, olhando ao redor e reconhecendo que havia cochilado na banheira. Se sentindo extremamente irresponsável por praticamente deixar uma criança sozinha por tempo indeterminado, ameaçou sair da banheira às pressas pra conferir se Yoon estava bem.

Mas não foi necessário.

Colocando suas mãos nas laterais da banheira pra se apoiar e se levantar, avistou a pessoa que pretendia procurar lhe olhando da curta escada decorativa do outro lado do banheiro, perto da porta.

Tinha as pernas cruzadas, o calcanhar dobrado em um dos joelhos, apoiando as mãos pra trás na escada e encarando Hoseok, não sério, mas triste.

Hoseok desviou o olhar percebendo que não estava lidando mais com little Yoon, mas com o dono de todos os seus problemas.

O mais velho encarou a espuma, pensando no que falar, pois normalmente, ele sempre começava a conversa, e Yoongi, sempre uma discussão.

"Me desculpe" Hoseok ouviu de repente, subiu seu olhar curioso pra Yoongi, logo o desviando ao ver dor neles, uma dor que Hoseok não suportava vê-lo passar, por mais que a sua fosse maior que a dele.

Hoseok nada disse, depois de uns segundos, apenas balançou a cabeça, abrindo um sorriso sem graça de canto.

Se alongou brevemente dentro da água, alcançando seus joelhos antes de voltar as costas pras laterais da banheira.

"Tá tudo bem, Yoongi." forçou um sorriso.

Yoongi negou. "Você não consegue ser sincero comigo? Me dizer que está dolorido? E cansado? Que eu te esgoto?" falou baixo, mas numa altura suficiente para que o mais velho lhe ouvisse, numa melancolia que doía como um tiro.

E Hoseok sabia como era, já havia levado um.

"Você não me esgo-

"Para de mentir." Yoongi pediu.

Hoseok calou-se.

Yoongi tinha os olhos fechados, inspirando ar e tentando não chorar.

"Hoseok... - pediu a atenção do moreno, que a negou. Hoseok sabia onde Yoongi queria chegar. - Eu te faço mal, você aparece cada dia mais esgotado aqui em casa, a gente mais briga do que ri, não éramos assim antes... E eu sei que sou eu o culpado, eu que faço as coisas darem errado, eu-

"Não, Yoongi." Hoseok lhe impediu de continuar. "Você tem que parar de sempre se culpar por tudo, como se eu fosse uma vítima sempre e não cooperasse pro seu comportamento e pras nossas brigas." Falou apressado, com olhos provavelmente brilhantes pelas lágrimas que ameaçavam voltar.

"O que você faz? Hein, o que você faz?" Yoongi tinha raiva da humildade de Hoseok às vezes, pois ele via que Hoseok se via como um problema na relação dos dois também, quando o problema, era só ele.

"Eu continuei as brigas, Yoongi. Eu não policiei seu alcoolismo, eu não te ajudei a voltar pros estudos... Eu fui um completo merda contigo." Hoseok balançou a cabeça, mexendo com as mãos debaixo da água espumada.

Dessa vez os olhos brilhantes eram os de Yoongi.

Hoseok sabia que Yoongi ia negar, ia dizer que Hoseok foi á única coisa boa que lhe aconteceu em toda a sua vida. E talvez, diria as palavras mais lindas que Hoseok já ouviu (pena que somente uma vez), como na primeira vez que fizeram amor:

Você me traz paz, e eu quero sentir isso pelo máximo de tempo que você me quiser.

Hoseok podia prometer, e ele prometeu mentalmente a si mesmo, que esse tempo seria muito longo.

E ele ainda mantém a promessa. Ele ainda quer Yoongi.

Mas não tem nada de paz mais que os segura.

Silêncio. Os dois estavam pensando.

Yoongi e Hoseok tiveram uma briga feia ontem, por isso Yoongi pediu desculpas.

Um foi elevando a voz com o outro, mais e mais, e Yoongi bêbado, acabou quebrando várias garrafas de bebida alcoólica que jogou da mesa no chão. Ainda bem que no chão, e não em Hoseok.

Mas Yoongi se sente tão mal, porque foi quase.

Sabe o motivo da briga?

"Devíamos terminar." Yoongi disse com dificuldade.

Esse era o motivo da briga. De novo.

Hoseok sabia. Sabia que ele falaria isso, sabia que brigariam, sabia que Yoongi sabia que ele iria discordar.

Mas ele estava tão cansado de insistir em algo que o outro lado não queria persistir.

Como disse, eles não namoravam.

Mas sabe o que eles queriam terminar? Tudo.

Min Yoongi queria acabar com a própria vida.

Hoseok nunca deixou.

"Você não sabe o que fala, Yoongi..." Hoseok engoliu o choro.

Os dois tinham tanto pra falar, mas tudo que queriam e tinham que dizer, já haviam dito.

Conheciam todos os finais possíveis dessa conversa.

E hoje, na maioria das hipóteses, isso não acabava nada bem.

Então, sim, Hoseok estava exercendo seu mestrado imaginário em artes cênicas mais cedo, quando sorria e fazia o little yoon, que fugia da realidade, também fazê-lo esquecer da sua.

Por isso era revigorante, pois quando Yoongi voltava... Devo dizer?

Ficaram calados, procrastinando o sofrimento do término. Se tornaram tão dependentes do outro, que mesmo não tendo pronunciado que tinham algo sério com palavras, seus corações assinaram o contrato inconscientemente.

Mas daí... Hoseok começou a chorar, não conseguiu segurar.

Ele estava... destruído.

Os olhos de Yoongi encharcaram ao ver Hoseok, e então o mais novo levantou do seu lugar, caminhando até o mais velho na banheira e entrando de roupa pra sentar em seu colo.

Pra lhe abraçar.

Yoongi fechou os olhos com força, pousando a cabeça de Hoseok em seu peito, escutando seus soluços e tentando ser forte.

Então.... Hoseok chorou, por minutos seguidos.

E Yoongi fez o seu melhor, acariciando os cabelos úmidos do amante, sentindo seu corpo e o seu cheiro que se tornou seu.

Depois que os dois se acalmaram, e podia-se sentir seus corações mais brandos, Hoseok falou:

"Eu não consigo terminar isso, Yoongi... Isso vai me matar" abraçou- o de volta, deixando suas mãos na cintura de Yoongi por baixo d'água.

"Já estamos mortos, Hoseok" Yoongi sussurrou, deixando seus lábios em seu couro cabeludo.

"Mas você me deixa viver... Às vezes é doentio o que temos? É. Às vezes nos tornamos tóxicos pro outro? Sim. Mas nos amamos, Yoongi... Somos a única motivação do outro. Você é a única coisa boa que tenho"

E assim o era com Yoongi também.

O último segurou seu rosto com cuidado, pedindo que lhe olhasse silenciosamente, calculando todos as possíveis dores que continuariam tendo, mas que estavam escolhendo ter pra ter as possíveis alegrias também.

"Vamos dormir, Hoseok. Amanhã conversamos direito." Yoongi disse com a voz cansada, beijando a testa de Hoseok e saindo da banheira com cuidado.

Estavam enrolando? Sim. Nenhum dos dois queriam terminar um com o outro.

Mas nem por isso significava que não deviam.


...


De manhã, quando o sol nasceu, o médico acostumado a cantar com os galos abriu os olhos pro teto. O quarto estava escuro, a arquitetura do apartamento do Min era propositalmente noturna. Não era à toa que Yoongi era pálido, anti-social e misofóbico.

Consegue ver? Consegue entender o que é persistência pra esses caras?

Por que o amor melhoraria algo?

Hoseok se perguntou.

Yoongi se mexeu na cama, o que era uma surpresa pro médico. Normalmente, quando o mais velho dormia aqui, Hoseok se levantava bem cedo, fazia o café, deixava pronto pra quando Yoongi acordasse e ia trabalhar. Na maioria das vezes Yoongi não tomava café, já que acordava ao meio-dia, mas o de Hoseok... bem, às vezes ele tomava.

Pensando ser apenas um movimento do sonolento buscando por posições melhores, Hoseok continuou sério encarando o teto, mexendo no seu anel no dedo anelar. Um anel qualquer.

Posso ser direta? Yoongi temia se expressar.

Por isso, nunca disse que amava Hoseok em palavras. Hoseok também nunca fez isso. Nunca precisaram.

Mas por esse motivo também que quase nunca dormiam juntos, dessa vez no sentido erótico, leitor segundas intenções. Era de se contar nos dedos quantas vezes fizeram amor.

Porra, o relacionamento atípico desses dois...

Mas não era falta de vontade. Era o medo de Yoongi deixar sair demais enquanto permitia que Hoseok tomasse conta de si, de tudo que tinha, que levasse tudo, tudo que era, que decifrasse tudo o que fazia, e porque fazia.

Yoongi tinha medo de Hoseok perceber que ele era mais a parte podre da maçã do que a boa, e que Hoseok o descartasse depois disso.

Pobre Yoongi... Hoseok sabia de tudo. Mas não desistiu, estava ali lhe implorando que Yoongi nao desistisse dele.

Amantes precisam de amores, amantes precisam de cores.

Amantes precisam se amar.

Yoongi abriu um olho primeiro, analisando Hoseok pensativo no seu canto. Depois abriu o outro, e pode ver e admirar o quanto era bonito.

Yoongi lembrou de quando se conheceram, foi fazendo uma progressão de tempos e momentos que passaram nos últimos anos.

E nos últimos meses, se esforçou pra pensar somente em coisas boas. E veio várias, por mais difícil que seja acreditar.

E lembrou do dia que pediu com os olhos, sem palavra nenhuma ou gesto, que Hoseok lhe fizesse sentir no céu, e lhe fizesse esquecer dos problemas de uma forma menos habitual (referia-se ao little space). E com apenas um olhar, Hoseok estendeu a mão e lhe puxou pra um beijo. Foi um dia muito bom.

Mas Yoongi pensou no curioso: só faziam amor quando ele pedia, Hoseok nunca fez um pedido oculto como ele costumava fazer. E bem, quem dera se fosse um costume de verdade.

Então Yoongi o olhou, e depois de uns segundos Hoseok percebeu que estava acordado, e abriu um breve sorriso em forma de bom dia, que Yoongi retribuiu.

Pensou, pensou, pensou.

Até que a ideia veio.

Yoongi começou a murmurar uma música, levando seus dedos pro peito nu de Hoseok e fazendo um passeio discreto pelo seu peitoral; naturalmente.

Hoseok nada percebeu de estranho. Continuava em seus devaneios.

Mas os dedos de Yoongi faziam coisas mágicas, e começaram a provocar os mamilos de Hoseok, que depois de uns segundos, teve que engolir em seco.

Yoongi sabia que era sensível ali.

Inocentemente, Yoongi começou a assoviar como quem não quer nada com nada, e evitou contato visual, continuando a provocar os mamilos de Hoseok, descendo uma mão com paciência até o cós de sua cueca, que provocou por um minuto.

Quando viu que era suficiente, pelo ritmo pesado e ofegância que começava a notar na respiração do mais velho, Yoongi parou.

Tirou as mãos de Hoseok, continuando a assoviar, mas agora focado em observar suas unhas.

Hoseok lhe encarou, querendo saber o que ele queria com isso, porque agora tinha uma semi-ereção nas pernas, e só Deus sabia o quão raro eram as ocasiões que Yoongi lhe ajudava a se livrar delas.

Hoseok encarou-o.

Yoongi parou de assoviar.

Hoseok suspirou.

Yoongi desistiu de olhar as unhas.

Hoseok se remexeu na cama.

Yoongi engoliu em seco e o olhou.

"O que foi?" tentou não demonstrar interesse. Que ironia.

E lá estava o que Yoongi queria, e não se esforçou muito pra ter, pois era Hoseok, aquele que se entregava todo pra Yoongi.

Lá estava o olhar oculto pidão.

Mas Yoongi queria mais.

"Verbalize" exigiu.

Hoseok lambeu os lábios nervoso. Verbalizar na relação dos dois era um obstáculo.

Alguém travou.

"O que você quer que eu fale?" Hoseok quase se atrapalhou nas palavras e gaguejou.

"O que você quer." Yoongi disse simples.

Simples assim.

Hoseok respirou fundo e contou até dez, sua barriga começava a doer, nesses momentos... a personalidade de Yoongi, cada movimento e exalada de ar que dava lhe excitava.

"Eu quero você, que você me toque... Que me deixe te tocar"

Hoseok verbalizou. Yoongi, ah, Yoongi... Yoongi suspirou e puxou Hoseok pra um beijo.

Puta que pariu, a autora não tem certeza se consegue descrever a forma que os dois se sentem quando isso acontece. Mas ela vai tentar.

Imagine que você goste de alguém, tipo, pra porra, mas esse alguém não te nota, ou tem outra pessoa e você se sente como uma segunda opção. (Hoseok quando Yoongi namorava)

Você vive de imaginações, de beijos imaginários, de conversas imaginárias e de prazeres imaginários que essa pessoa não pode dar pra você. Porque estão impossibilitados por algum motivo, nesse caso, amor não correspondido.

Imagine que você gosta desse alguém há quatro anos.

Aliás, você ama esse alguém há quatro anos, julgando que ele não gosta de você.

Certo dia, vocês descobrem que sempre se amaram, e um dia todos aquelas coisas que vocês imaginaram vivendo com o outro, se realiza.

Mas você tinha tantas expectativas, mas você ama tanto essa pessoa, que depois de quatro anos de desejos reprimidos, vocês finalmente se beijam pela primeira vez.

Consegue imaginar?

Esses caras se sentem assim. Como se cada beijo fosse dado pela primeira vez, e esse beijo é o reforço de que o amor deles é sim correspondido, e as coisas boas que um dia imaginam, podem voltar a se concretizar.

Em palavras mais sucintas, os dois se sentem estúpidos com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo. E sabe aquela sensação de beijar alguém que ama pela primeira vez?

A explosão. Os fogos de artifício. As bolhas químicas, a tempestade hormonal e a temperatura climática absurdamente quente no seu peito.

As batidas audíveis, a respiração ofegante, a blusa sendo tirada do corpo do outro, os beijos estalados, cheios de saliva. Os olhares trocados e a ausência de palavras que vai ser compensada com mais três daqui a pouco.

Que não são eu te amo.

Yoongi rebola no colo de Hoseok, que geme baixinho com os chupões molhados que seu parceiro deixa em seu pescoço, puxando seus fios de cabelo e sussurrando em seu ouvido que quer ouvir mais.

Yoongi coloca um dedo na boca de Hoseok, segurando seu queixo e admirando a beleza daquele que ama, continuando a rebolar em seu membro e se deliciando com os barulhos deliciosos que saem dos lábios do mais velho.

As mãos longas de Hoseok vão pras coxas descobertas de Yoongi, e só Deus sabe o quanto Hoseok ama aquele par de pernas. Suas mãos sobem pro quadril do enamorado, segurando sua cintura pra baixo e motivando que Yoongi continue rebolando em seu colo com tal erotismo.

Mas Hoseok precisa de mais.

Corpos são virados, Hoseok retira a bermuda de Yoongi junto com sua cueca pelas suas pernas, fazendo contato visual antes de abraçar as pernas do mais novo e se abaixar pra beijar seu membro duro.

Yoongi mordeu o lábio, antes disso deixando escapar um breve gemido, quando a língua habilidosa de Hoseok ajuda a chupar seu pau, suas bolas, e a beijar sua entrada, antes de ficar ali.

Yoongi é virado de barriga pra baixo, sua bunda é empinada pra cara de Hoseok, suas pernas abrem na cama, e, meu deus... Yoongi grita, geme, se remexe na cama porque Hoseok está fazendo sua barriga queimar de prazer, e fazendo seus olhos revirarem, fazendo seu pau expelir pré-gozo no lençol branco.

"H-hum... H-seokie..." as costas do mais novo foram arqueadas, seus tornozelos foram segurados na cama e Hoseok lambusou a entrada do garoto com seus lábios.

Yoongi gemeu quando Hoseok usou uma de suas mãos pra masturbá-lo, gemeu um pouco mais alto quando introduziu seu dedo médio no menor, e revirou os olhos quando Hoseok lhe puxou pra sentar em seu colo, na verdade em seu dedo, que quando foi sentar novamente, se tornaram dois.

Hoseok lhe segurou, suas costas estavam no peito do seu dominador, e Yoongi estava gemendo enquanto se acostumava com os dedos longos que era mais apaixonado ainda quando dentro de si.

Enquanto sentava, Hoseok beijou suas costas, puxou seu cabelo com uma mão e mordiscou sua orelha enquanto falava coisas sujas. Suor começou a acumular na testa de Yoongi, e quando o casal reconheceu o ponto que tanto gostavam preparado, Hoseok retirou seus dedos.

Sem tempo de agir, Yoongi foi deitado de costas na cama, um travesseiro posicionado abaixo de sua cabeça, e suas pernas automaticamente abertas pro seu dono entrar.

Contato visual. Tão forte...

Uma cueca voou no quarto.

Hoseok entrava com cuidado, ambos ofegantes e cheios de luxúria nos olhos. Mantiveram o contato visual, até que Hoseok entrasse por completo.

Um beijo ao entrar, outro ao sair.

Daí, a mágica.

Uma pessoa extremamente calada gemendo demais, outra extremamente romântica fodendo a alma da outra.

E ali tudo era bom, não gemiam de dor, e não fodiam no sentido mau.

Yoongi se entregou todo pra Hoseok.

Beijos, o contraste dos lábios dos dois juntos era lindo, e perigoso ao mesmo tempo.

Pois o beijo que aqueles dois tinham não se via em qualquer lugar.

Merda, Yoongi apoiava as pernas na cintura de Hoseok e deixava que ele beijasse sua testa enquanto gemia. Depois se beijavam, Hoseok ia mais devagar, antes de encontrar o ponto mais fraco de Yoongi e lhe fazer gritar.

Contraditório.

Então... quando o ápice se aproximava, uma vontade que queria devorar Yoongi como cobras devoram onças lhe assustou.

Suas mãos foram pro rosto de Hoseok, segurando com cuidado, e ainda gemendo, pediu:

"Promete nunca me deixar? E sempre me trazer paz de novo? Por mais d-difícil que seja?"

Hoseok pareceu pensar, já fazendo caretas e gemendo pelo gozo que vinha.

Yoongi implorou que Hoseok lhe olhasse, e Hoseok, cedeu.

As três palavras vieram.

"Eu prometo, Yoongi." falou baixo, quase murmurou, era quase como uma proposta de casamento que recebeu um sim. Quase tão forte como um eu te amo.

No fundo, era.

O consumo desse amor veio, representando pra Yoongi tudo o que ele tinha medo de externalizar.

Um sofrimento terno, mas não eterno.


5 сентября 2018 г. 22:47:50 0 Отчет Добавить 0
Конец

Об авторе

iara oliveira Voc� pode me encontrar nas seguintes redes sociais com o mesmo nome: missunofirework(s) Social Spirit Wattpad

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Похожие истории