Sua cor favorita era azul Подписаться

sailorji Luna Kim

A cor azul não apenas recordava a Seokjin o dia em que Taehyung foi embora. . . . . {"Um erro assim tão vulgar Nos persegue a noite inteira E, quando acaba a bebedeira, Ele consegue nos achar" — Refrão de Bolero, Engenheiros do Hawaii}


Фанфик Группы / Singers 13+.

#239 #slash #vjin #noite-de-devaneios #songfic #yaoi #taejin #bts
Короткий рассказ
3
4.7k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Noite em claro



[Kim Seokjin]


Taehyung gostava de jazz e de azul. Isso é incrivelmente condizente com ele e sua lembrança daquela noite na minha cabeça. Sua pele brilhava com a lua e os fios castanhos esvoaçavam com o vento frio da madrugada. Aquele azul da madrugada que envolvia em sua existência o frio e ainda assim dava indícios do dia que se tornaria quente depois era o que mais combinava com Taehyung.

Taehyung foi e me deixou como um boêmio que eu nunca quis ser.

Éramos totalmente o oposto um do outro, e não era porque os opostos se atraíam, era porque Taehyung me completava. E Taehyung foi embora, dizendo que eu deveria encontrar alguém mais parecido comigo, mas todas aquelas pessoas que iam e vinham eram muito parecidas comigo e nenhuma delas era Taehyung, então eu não conseguia sentir o mesmo do que eu sentia com Taehyung.

Meu apartamento solitário é o meu melhor amigo, principalmente nas madrugadas vazias e inertes com um vinho barato que lembra-me que Taehyung amava vinhos e eu dizia que iria fazer uma receita italiana só porque levava o vinho que Taehyung gostava, mas no final não deu certo e foi um fracasso, mas ainda eu gostei porque Taehyung gostou e vê-lo feliz era o mais importante. O álcool já não faz mais o efeito que todos disseram que faria, só me deixou um pouco desinibido para falar o que não deveria, se eu estivesse mais sóbrio, como eu deveria sempre estar, eu não tinha falado sem pensar e deixado Taehyung ir.

Não consigo me entregar o perdão por um erro tão vulgar.

Deixei de roer as unhas, mas elas estão quebrando por causa do estresse e por causa do descuido comigo mesmo. Eu tenho cuidado de mim mesmo, mas a dor da partida de Taehyung me afundou em nicotina e vodca, me deixou fumando desespero e bebendo angústia, só para mostrar uma cara embriagada no espelho do banheiro antes de dormir.

Olho para o meu reflexo e não me reconheço mais.

E eu fiquei esperando Taehyung voltar, fiquei esperando Taehyung se importar, fiquei esperando Taehyung perceber que eu afundava em saudades e resistia em sua função, fiquei esperando por um Taehyung que não veio, me deixando em dúvida se deveria ir ou não ir em sua direção ou se não deveria seguir sua pista. Taehyung deixa pistas confusas, se dizendo covarde demais para que pudesse conversar comigo decentemente, fugindo de encontros numa cidade tão pequena e sumindo de vista com nossa vida em conjunto, com os sabores de sorvete que só nós gostávamos, com as conversas no banco quando a chuva lá fora caía, com as músicas que tínhamos em comum que nos aproximou. E Taehyung foi na contramão sozinho, quando andar na contramão era uma coisa nossa.

E eu não estou me reconhecendo sem Taehyung, mesmo depois de tanto tempo, eu só queria voltar no tempo e ter pensado melhor no que falar enquanto o jazz tocava ao fundo e garrafas de vodca barata compunham a mesa cheia de palavras não pensadas e de declarações pobres não correspondidas. Arrependimentos, arrependimentos. Lembranças cortantes e um nó na garganta que não cessa.

O dia lá fora já está amanhecendo novamente, a madrugada azul, que nem a cor favorita de Taehyung. 

1 сентября 2018 г. 16:16:23 0 Отчет Добавить 1
Конец

Об авторе

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Похожие истории