O que tem no PC do Namjoon Подписаться

cy-p-hx cy-hx '

Yoongi estava tão entediado a ponto de olhar o que tinha dentro da pasta "Teorias de Platão" no computador de Namjoon. — pwp; namgi • (collab)


Фанфик Группы / Singers 18+.

#gay #yaoi #namjoon #namgi #bts #suga #yoongi #lemon #boyxboy #pwp #sugamon #bangtan #rm #collab
Короткий рассказ
2
5667 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

;teorias de platão

****

[Esta história é uma collab!]

****

Min Yoongi grunhiu frustrado, pressionando por fim o botão vermelho no controle remoto para desligar a televisão, coisa que pensava em fazer desde que dera a terceira volta por todos os canais sem encontrar um programa de seu agrado. Não havia nada para fazer, muito menos alguém para atormentar; os demais seis membros do grupo arranjaram rapidamente compromissos assim que o dia de folga foi anunciado, deixando o rapaz magricela sozinho com sua cama, seu cobertor e uma casa tranquila para que dormisse à vontade.

Mas o que não estava em seus planos, era a falta de sono.

Suspirou pesarosamente, arrependido por ter recusado o convite de Taehyung e Seokjin para um passeio. Poderia estar entediado em outro lugar ao invés de um dormitório solitário. No sofá, jogados no assento ao seu lado, jaziam o caderno de composições, uma caneta qualquer e o celular envolto nos fones de ouvido — cujo utilizara para checar todas as redes sociais e mensagens, inclusive alguns comentários de ARMYs, até não haver mais nada de interessante.

— Que droga... — balbuciou, erguendo-se de pé.

Caminhou a passos lentos até o corredor que levava para os quartos dos garotos, na esperança de encontrar algo que o distraísse. Abriu a primeira porta, que pertencia a Jimin e Hoseok, torcendo o nariz ao se deparar com dezenas de peças de roupas espalhadas pelo cômodo inteiro; não entendia como aqueles dois conseguiam fazer uma bagunça tão grande enquanto se arrumavam. Tornou a fechar a porta, sabendo que não encontraria nada interessante em meio àquelas dezenas de roupas jogadas.

O próximo quarto era o de Namjoon e Jungkook, que surpreendeu o rapaz de fios pretos ao não encontrar nada quebrado. Talvez o Kim não tivesse oportunidade sequer de pensar em tocar nos brinquedos pertencentes ao maknae mantidos na estante, caso contrário estariam em cacos assim como a face do rapper estaria vermelha pelos tapas do moreno mais novo.

Inspirou o cheiro adocicado dos perfumes de Jeon que se impregnavam no cômodo, adentrando no local e jogando-se na cama de Namjoon que rangeu com o peso inesperado. Pensou em abrir os armários e fuçar nas coisas de seus dongsaengs, mas a súbita preguiça de levantar-se novamente o consumiu, fazendo-o optar por simplesmente puxar o notebook da cômoda ao lado. Se procurasse direito, talvez encontrasse algum novo projeto de RM, apesar da certeza de que a maior parte da memória era ocupada com pornografia.

O moreno sorriu com a ideia, abrindo os arquivos. Fazia muito tempo desde a última relação sexual que tivera — devido ao fato de que seu tempo livre era ocupado com coisas relacionadas ao grupo, como compor músicas e ensaiar novas coreografias —, então não havia mal em querer se aliviar um pouco. Não é?

Ponderou ir para o próprio quarto, o qual dividia com Jin, mas constatando que não haveria diferença já que a casa se encontrava completamente vazia, optou por ficar. Abriu uma pasta estrategicamente nomeada de "Teorias de Platão" e escolheu um vídeo ao acaso.

A gravação se iniciou com uma mulher de traços ocidentais mordendo os lábios e passando ambas as pelos seios volumosos enquanto tentava lançar um olhar sedutor para a câmera. E, na opinião de Yoongi, fracassando. Gargalhou das expressões forçadas da atriz, tratando de fechar o vídeo. Se fosse possível broxar com o pau já mole, isso teria acontecido naquele momento certamente.

Mulheres eram tão... Sem graça.

Após abrir mais três vídeos e se deparando com figuras femininas em todos eles, percebeu que na pasta havia somente pornô — argh — hétero.

Suga bufou, tratando de procurar uma melhor. O rapper mais novo, por mais que não tivesse confessado nem para os demais membros, era bissexual — um segredo confiado somente ao rapaz franzino de pele pálida, assumidamente gay.

Vagou por entre centenas de arquivos, encontrando vez ou outra algumas pastas de pornô, surpreendendo-se com o conteúdo. Havia desde sadomasoquismo e exibicionismo até os fetiches mais estranhos. E, se não envolvesse mulheres, teria adorado um tal de Daddy Kink.

— Namjoon do céu, você é um perfeito tarado.

Soltou um muxoxo descontente, estava começando a acreditar que não havia pornô gay naquele computador quando encontrou uma pasta nomeada "Swag" no meio das músicas classificadas como românticas. Provavelmente era apenas algum álbum de música, contudo, clicou. E dentro da pasta, havia outra pasta. Sorriu abertamente ao ler "não abra", certo de que encontrara.

Francamente, quem esconde pornô na pasta de músicas?

Ao abrir seu conteúdo, novamente havia uma pasta, "É sério". Então "Você não quer ver isso" e depois "Para". Franziu o cenho, sem entender o que Namjoon estava planejando com tudo aquilo. A última pasta era nomeada como "Eu avisei" e abria para uma nota. Yoongi sentia a curiosidade revirando tudo em seu interior, querendo descobrir do que se tratava, entretanto, a merda da nota tinha senha.

Porra, ele só queria bater uma punheta.

Respirou fundo para buscar quaisquer vestígios de paciência que ainda possuía para não mandar o Kim se foder e abrir um site de pornô qualquer. Pôs-se a pensar, sempre com a possibilidade de ligar para o amigo e perguntar qual era a porcaria da senha martelando em sua cabeça. O que caralhos ele poderia colocar?

Min praguejou, digitando a primeira coisa que lhe veio à mente: seu próprio nome. E, por algum motivo, a nota abriu.

Não se perguntou porquê raios Namjoon colocaria seu nome como senha de um provável pornô, apenas visualizou rapidamente as dezenas de links que estavam anotados no local e clicou no primeiro antes que a curiosidade o consumisse.

A página da internet abriu, lenta, fazendo o moreno quase agonizar com a demora para carregar o conteúdo. Afinal, para tanta coisa, Namjoon deveria estar escondendo ouro.

Quando o Tumblr por fim carregou, o moreno se deparou com um blog chamado minkitty colorido com tons pastéis, principalmente rosa claro. Em sua descrição, havia apenas "sobre Min Yoongi".

Franziu o cenho mais uma vez, estranhando; afinal, o que havia de errado em um blog dedicado a ele que Kim Namjoon precisava a todo custo esconder? Moveu o cursor para baixo, arregalado os olhos com o que estava postado ali.

— Puta merda...! — arquejou, estático.

Era um blog de pornô dedicado a ele.

As fotos publicadas mostravam o corpo de um rapaz extremamente pálido, magro e delicado, sem nunca exibir o rosto. E, porra, parecia mesmo seu corpo naquelas poses provocantes, usando meias femininas e calcinhas, separando as nádegas para expôr sua entrada, segurando o pau irritantemente rosado. Sentia como se seus olhos estivessem prestes a saltar as órbitas de tanto que os arregalava.

Caralho, Namjoon!

Não sabia que merda o rapper fazia com um blog daqueles e, para não ficar imaginando, fechou rapidamente a página. Logo estava de volta à nota, clicando em outro link para de deparar com um tumblr semelhante. E outro. Depois outro. E mais um. Todos eram blogs pornôs dele.

Mordeu o lábio inferior com força, sentindo o coração acelerar com a aflição de não saber o que fazer. Seu melhor amigo, Kim Namjoon, a pessoa que confiava sua vida de olhos fechados e que passara os melhores momentos, se excitava com aquelas imagens que lembravam muito a si. Provavelmente se tocava vendo aqueles mesmos vídeos que via naquele momento, onde o "sósia" de Yoongi rebolava sobre dois de seus dedos e gemia manhosamente. Saber daquilo era... excitante.

— Namjoon! — vociferou, fechando os olhos e jogando a cabeça para trás, deitando no travesseiro do mais novo.

Tentou inutilmente pensar em outras coisas, porém, seu cérebro só conseguia focar no aroma natural do rapaz que emanava dos cobertores — naquele momento, sequer sentia os perfumes fortes de Jungkook — e no quanto ele queria fazer o mesmo que o cara da gravação.

Porra, ele estava duro!

O vídeo que ainda era exibido na tela, fazia sons constrangedores, gemidos soltos pelo prazer em que o sósia estava propenso. Pela primeira vez, sentia inveja de alguém. O cheiro masculino forte em nada ajudava, a mente fervilhante era perturbada por imagens de o que o maior fazia e sentia, enquanto via a gravação.

Dentro das calças de moletom, o de Yoongi pau pulsava, incômodo por querer ser liberto. O quarto ficava mais quente a cada momento que se passava, tornando o ambiente perfeito para sua desejada masturbação.

Qual o problema de bater uma para o seu melhor amigo? Namjoon era muito gostoso afinal de contas.

Arrastou um joelho no outro, tendo efeito imediato em sua virilha. Arqueou a bunda para trás, sentando-se repentinamente e recostando as costas na parede para poder conter os espasmos que viriam logo a seguir. Com a canhota, segurou o membro sob o tecido da boxer, puxando o travesseiro do moreno para poder se esfregar em seu cheiro.

Começando com os quadris, trouxe a almofada de penas para o meio de suas pernas, rebolando ali durante alguns segundos, podendo se excitar ainda mais.

Seus olhos focaram novamente na tela do computador enquanto os dentes maltratavam o lábio. Estava tão excitado que sequer havia se tocado diretamente. Decidido então, ainda com o pênis em atrito ao cheiro de onde Namjoon dormia, tocou a glande já úmida. Estremeceu o corpo com o toque, por sempre se sentir "sensível" demais. Rapidamente livrou-se de suas roupas, enrolando a almofada como num cilindro para que estocasse nela.

Com os movimentos brutos dos quadris, jogou-se para frente, apertando o tecido branco de capa que cobria o travesseiro. Ele se incomodaria caso gozasse ali?

Não que o Min realmente se importasse, mas seria extasiante misturar seu cheiro com do amigo. Repensando em todo seu semblante e corpo, perguntava-se, como nunca havia reparado no mais novo antes? E melhor, o que o Kim poderia fazer consigo?

Mantendo em mente a imagem das diversas formas como o maior poderia fodê-lo, Yoongi passou a mão pelo corpo, atingindo sua entrada com os dedos. Não possuía lá muita maestria, e desequilibrava-se facilmente ao tocar o ânus, mas a sensação de prazer era boa demais para ser deixada de lado.

Com o indicador, atravessou a auréola, penetrando-se. Mesmo que já sôfrego, precisaria de mais, caso almejasse o pau do moreno. Então, introduziu o anelar, arqueando os ombros rudemente para frente, os olhos um tanto marejados pelo esforço da masturbação. Ansiando por mais, rogou o nome de quem tinha em mente, audível para qualquer um que quisesse ouvir.

Gemendo despudoradamente, segurava ainda o pênis, apenas para manter a fricção com o que quer que fosse. O topo da cabeça encontrava-se na parede, e nos lábios um sorriso que se alternava em mordidas violentas no lábio, e um biquinho de satisfação ao vociferar o nome dele.

— Namjoon-ah — chamou, deslizando-se sobre os próprios dedos. — O que será você faria se me visse agora, hmn...?

O que não daria para chupá-lo?

Deixou com que todo o ar escapasse, sentindo os quadris formigarem em conjunto com a ereção palpitante. Com a imagem fixa do mais novo estampada em mente, suspirou, abrindo e fechando a boca de modo vagaroso, fantasiando com seus corpos juntos. A atenção que dava a si mesmo, durante o toque íntimo, era insuficiente para o tamanho de seu desejo. Já ilusionando, passou a sentir que seus olhos encontraram o Kim parado junto à porta do quarto, que com toda certeza era apenas uma miragem.

Com o peito batendo forte, os pêlos eriçados, pulsou o orifício para baixo, preenchendo ainda mais seu interior com os dedos, apoiando o braço no colchão, observando a expressão da imagem do moreno a sua frente. Era inevitável vê-lo e não sentir tesão.

— Y-Yoongi? — Ouviu-o questionar, assustado.

— É mesmo você, Nammie, hmnn? — Friccionou novamente o pênis sobre o travesseiro onde o outro repousava-se para dormir.

— Mas que porra você tá’ fazendo? — viu os ombros do Min falharem, deixando sua sombra cair sobre o colchão, para que finalmente pudesse ver o notebook com seus arquivos sexuais abertos. — Argh, não.

— Namjoonnie…

— Você não leu os avisos? — Tapou a boca com uma das mãos, sentindo-se nervoso com a cena do mais velho masturbando-se. — Eu vim buscar as chaves do apartamento, e…

— Venha até aqui, sim? — retirou os dedos de dentro do corpo, levantando-se para chamar o maior. — Não era isso que você queria? Nós podemos fazer… — puxou a manga da camisa do Kim, subindo a destra sobre a barra de sua calça.

Como alguém poderia resistir àquilo?

— Acho que talvez eu possa me atrasar um pouquinho… — engoliu em seco, observando se ainda havia sobriedade na expressão de Yoongi. — Você bebeu alguma coisa ou...

— Cala a porra da boca. — Trouxe-o até a cama, irritado com o falatório do outro. Abriu os lábios minimamente ao derrubá-lo sobre o colchão já quente devido aos movimentos anteriores, subindo sobre a virilha do companheiro e apoiando ambas as mãos sobre o colchão, aos lados da cabeça de Namjoon, cercando-o. — Dessa vez, eu quem vou quebrar essa cama.

— H-hyung...

O Min não permitiu que completasse a frase, abaixou o corpo e atacou diretamente o pescoço do rapper mais novo, passando a ponta da língua por sua epiderme. Quase deixou um sorriso vitorioso escapar ao ouvi-lo suspirar, mas preferiu se concentrar em chupar aquela área enquanto rebolava em seu colo.

— Você gosta disso, Joon-ah? — Provocou, forçando o quadril para baixo e mordiscando seu pescoço ao final da frase. — Tanto quanto gosta de ver estranhos que se parecem comigo usando calcinhas e se masturbando? Ou daquelas kinkies? Quer que eu te chame de Daddy, Namjoonnie?

Gemeu rouco em resposta, sentindo os dedos compridos de Yoongi infiltrando-se por baixo de sua camisa e logo arrancando o tecido de seu corpo. As unhas curtas do mais velho rasparam em seu peitoral, de leve e sem deixar marcas, apenas para arrepiá-lo e fazê-lo reagir de alguma forma. O Kim balbuciou seu nome, ainda desconcertado com as atitudes repentinas, mas instintivamente agarrou as coxas do outro e apertou sua carne.

O mais velho puxou o tecido da camisa, praticamente arrancando-a, antes de debruçar novamente sobre o outro, colando seus dorsos. Sem parar de mexer o quadril, seus olhos pequenos fitaram atentamente no rosto de Namjoon; os olhos semicerrados, as bochechas vermelhas, os lábios grossos. Ele ficava tão gostoso daquele jeito, ainda mais com o pau duro roçando em sua bunda.

O Min se surpreendeu quando uma das mãos do amigo de longa data se desprendeu de sua coxa para pegar em sua nuca, puxando-o para iniciar, pela primeira vez, um beijo. As línguas deslizaram rapidamente uma sobre a outra, se envolvendo de forma excitante. Tudo era excitante, na verdade. Namjoon apertando sua cintura com força, instintivamente forçando-o a rebolar mais; o pau de Yoongi que sujava o abdômen dele de pré-gozo, seus arfares, o suor que começava a brilhar sobre seus corpos.

O menor se afastou minimamente, sugando a língua molhada do Kim devagar.

— Deixa eu te chupar.

Atordoado, o líder engoliu em seco, tentando não demonstrar nenhum sinal de nervosismo, apenas transparecendo pequenas gotículas de suor que já pregavam em sua testa, denunciando sua ansiedade. Ele abriu a boca, mordendo o lábio em seguida ao sentir a mão quente do mais baixo segurar seu falo de força moderada enquanto afastava-se para ficar de frente para sua virilha.

Os lábios róseos do Min se moldaram num riso farto, ao observar o membro ereto do parceiro. Sem cortar o contato visual, roçou o lábio inferior no pênis do outro ainda coberto, que logo jogou a cabeça para trás, com o mínimo contato de carícia do baixinho. Yoongi se divertia com todo seu controle sobre o outro rapaz, e como ele sentia tesão como menor de seus toques.

Ele não precisaria se esforçar muito para fazê-lo gozar.

Porém, obviamente, ele não permitiria que o Kim se liberasse tão rápido. Tirou suas roupas e envolveu a mão em seus testículos, dando atenção a glande úmida, que ainda sim, o Min insistia em molhar com sua saliva. Experimentando o gosto do maior, iniciou uma sucção morosa, torturando o outro que tapava a boca, num controle insano de não emitir som nenhum.

O ventre de Namjoon queimou, eriçando todos os pelinhos existentes de seu corpo. Ele quase se sentia domado pelo amigo, unindo os dedos a sua cabeça, ao tentar ritmar a velocidade de seu boquete. Yoongi o impediu com apenas um toque generoso de sua língua sobre a glande inchada. O maior se remexeu na cama, subindo os quadris para aproveitar a chance de estocar na garganta do mais velho.

O Min segurava a cintura do Kim, abaixando a cabeça no instante em que o outro subia os quadris, alcançando fundo em sua boca, nunca deixando de observar suas feições de prazer.

Só parou de chupá-lo quando sentiu que estava prestes a atingir o ápice, onde prensou a ponta de seu pau com os dígitos, esfregando a uretra para que não se desfizesse em seu rosto.

— Joon-ah, você parece nervoso. — Engoliu um pouco do líquido que ficou na base de seus lábios, sorrindo sacana para o Kim.

— Filho da...

— Uhn, não era para você conseguir falar. — Apertou mais os dedos na base do pênis do líder, que estava prestes a urrar, não de dor, mas pela forma que seu fetiche estava sendo extasiado. — Você quer que eu seja bonzinho, Oppa?

O Kim sequer conseguia abrir os olhos, de tão excitado. Brincalhão, o Min se remexeu, aprumando-se sobre o corpo do companheiro, preparando-se para cavalgar em si, tocando a mão livre em sua boca, na saliva de Namjoon, e estocando-se com o dedo.

— Desculpe, eu quis fazer você se sentir melhor... — riu, esfregando o indicador sobre o umbigo. — Achei que iria preferir gozar dentro, Namjoon-ah. — Retirou o dedo de seu próprio canal, sentando-se sobre o pênis do parceiro, de costas para ele.

Sem muita preparação, Yoongi roçou sua entrada sobre a virilha do outro, afastando as nádegas com os dígitos, dando-lhe a completa visibilidade de seu ânus. Rebolando para deixá-lo louco, o mais velho virou-se, sorrindo ao jogar as pernas pelos quadris do maior — que, afoito, traçou as mãos sobre sua cintura, já ansiando em ritmar as cavalgadas do Min.

— Como está se sentindo, Nammie? — questionou, lambendo os lábios em êxito.

Não ouvir a voz de seu parceiro lhe agradou, significando que seu desejo era tão extremo que sequer conseguia falar ou se expressar; obviamente, o Min gostaria de brincar ainda mais consigo, decidindo apoiar as mãos sobre as pernas do maior, levantando o dorso para ser estocado.

Um gemido fraco escapou de sua garganta, ao ter o canal implementado por inteiro, sentindo um arrepio lhe correr o corpo, fazendo com que o pescoço pendesse para trás; dando a mais bela das visões ao mais novo, que acompanhava tudo de camarote. Sem se esforçar muito, o baixinho remexeu os quadris, acostumando-se com a dor cortante que lhe atravessava.

Arfou, com o suor já acumulando na base de seus fios, sentindo as mãos de Namjoon prensarem-no para baixo, contra seu membro.

Colou suas bocas, permitindo que as línguas se encontrassem, afoitas, novamente enquanto o maior guiava seu corpo e movimentava o próprio quadril contra si, enterrando-se cada vez mais fundo. Gemendo alto contra os lábios alheios, rebolava como podia para enlouquecer o outro.

— Y-Yoongi h-hyung... — O Kim gemia seu nome de uma forma tão gostosa de se ouvir que fazia seu interior arder em chamas.

O rapper mais baixo segurou as mãos de Namjoon com as suas, afastando-as de seu corpo para poder movimentar-se da forma que gostaria. Diminuiu um pouco o ritmo, cavalgando lentamente enquanto encarava o melhor amigo que possuía uma expressão frustrada. Era tão bom vê-lo necessitado por si.

Ouviu um lamento ao cessar os movimentos por completo e levantar-se do colo do mais novo. Não conseguiu evitar rir de sua confusão, antes de posicionar-se no espaço vago do colchão, apoiando o peso em suas mãos e joelhos, afastando suas pernas para que o outro pudesse vislumbrar sua entrada se contraindo.

— Não demore, Joon-ah.

Logo o Kim estava ajoelhado atrás de si, apertando suas nádegas com força enquanto Yoongi fazia questão de empinar mais a bunda. Ele inclinou-se para deixar uma mordida no local, contornando a marca com a ponta da língua e traçando um caminho até seu anus.

— Namjoon! — ralhou ao sentir o músculo molhado adentrá-lo, arrancando um riso do outro. — Me fode de uma vez, caralho.

Ajeitando a postura, o maior segurou o próprio pênis pela base, pincelando a glande na entrada de Yoongi. Quando o mesmo abriu a boca para reclamar novamente, Namjoon penetrou-o por completo, arrancando-lhe um gemido alto e extenso.

O corpo menor estremecia a cada movimento, sentindo-o ir cada vez mais fundo. Seus gemidos confundiam-se entre o som dos corpos se chocando conforme o Kim aumentava a velocidade das estocadas.

Seu nome saía desajeitado dos lábios de Namjoon enquanto ele surrava sua próstata e fazia-o gritar de prazer. O Min precisou se apoiar totalmente sobre o colchão, recostando o peitoral sobre a cabeceira, diversas vezes perdendo o equilíbrio pela rapidez aplicada em sua traseira. As mãos firmes do líder puxavam-no para mais perto, voltando mais depressa para o encontro de seus ventres.

Sem se virar, o maior desceu uma a canhota para o pênis do mais velho, que pedia por determinada atenção. Já trêmulo, o Min ansiava por mais, voltando o dorso para trás para poder sentir a próstata latejar. O barulho que ambos reproduziam criava um clima sexual, onde Yoongi era o mais exposto por chamar o nome do outro, pervertidamente.

— Oppa, — chamou, encenando o que os vídeos encontrados em seu computador reproduziam. — Eu tenho sido um bom garoto? — questionou manhoso, fraco pelas estocadas intensas em seu canal.

Seu interior queimava, urrava pelas carícias que o Kim fazia em si. Ele possuía uma maestria hábil em suas masturbações, — o que, na mente de Yoongi, ele fazia em si próprio, enquanto pensava no baixinho. Quantas vezes Namjoon teria feito aquilo pensando no mais velho? Quantas vezes teria visto aquelas pornografias todas? Quantas vezes teria gemido seu nome?

O mesmo número de vezes que o Min havia feito pensando no melhor amigo.

Sem qualquer culpa, o mais velho ergueu o dorso, desfazendo-se na mão do maior, contraindo o ânus ao mesmo tempo.

— Não era para você ter gozado tão rápido. — riu o Kim, alegando dever ter torturado o Min. — Queria ter feito você se contorcer mais.

— Você ainda pode, Namjoon-ah. — concluiu, virando-se de frente, permitindo o maior observar seu dorso sobre a cama, se remoendo ao pedir por mais afeto em sua próstata. — Quer me beijar? — perguntou, levantando os braços, chamando o outro para se aproximar.

Sem pensar muito, seu melhor amigo o levantou sobre o colo, fodendo-o de pé. Seus lábios se chocaram, iniciando um beijo terrivelmente molhado e desejado. Com os braços ao redor do pescoço suado do maior, arranhou suas costas, gemendo baixo ao assoprar seu lóbulo e maltratá-lo com os dentes. A luxúria domava ambos, e, ainda sem se retirar do mais velho, Namjoon penetrou-lhe mais algumas vezes, finalmente, podendo se desfazer no interior apertado do Min — que, preenchido, rebolou, ainda com as pernas agarradas ao quadril do maior, assim como os braços.

O beijo tinha cessado para que o Kim pudesse gemer por gozar.

— Realizei seu fetiche, Oppa? — questionou o Min, ainda encenando os típicos pornôs de Tumblr. O mais novo assentiu, cansado, derrubando ambos os dorsos sobre o colchãozinho de cama de solteiro.

— Você me deu um baita trabalho, Yoongi-hyung. — terminou, com o peito subindo e descendo com velocidade, demonstrando toda a energia gasta por eles.

— Huh, ainda não quebramos a sua cama. — riu, já voltando a subir no corpo do maior, não dando tempo para seu pênis descançar. — Vamos de novo até quebrar?

Riram, com o mais velho mordendo seu ombro e pescoço, acariciando as regiões, não ligando para as marcas que ficariam sobre sua epiderme. Ele era gostoso, fazer o quê?

O ruído de um telefone tomou o ambiente, onde o Kim estendeu o braço em direção ao chão, procurando pelo celular. Atendeu-o, ainda sendo atiçado pelas provocações sexuais de Yoongi — que friccionava ambos paus.

— A-a-alô!? — fungou, sendo beijado. — A-ah, as chaves… — concluiu, pesaroso, sendo estimulado pelo Min, que ocupava sua boca com seu peitoral. — Tudo bem, tudo bem — suspirou. — Yoongie, eu vou ter que ir…

— Vai mesmo me deixar assim, esperando por você?

— Eu sinto muito, hyung! — concluiu, dando aquele risinho constrangido que dava a mostra as covinhas de suas bochechas. — Voltarei o quanto antes! — puxou a roupa para vestir, dando um beijo apressado sobre a testa do baixinho.

— Eu vou encher seu computador de pornografia e fetiches que eu tenho de você! — gritou, bravo, já puxando o notebook de volta para o colo, ainda com o link do aplicativo aberto.

‘Gay Daddy’.

— Hmnm, parece interessante. — riu, apertando a tag para buscar mais fotografias e vídeos. — Esse será o meu próximo fetiche para você, Oppa.

Min Yoongi sabia que não voltaria a ficar entediado tão cedo.


5 августа 2018 г. 0:44:23 0 Отчет Добавить 3
Конец

Об авторе

cy-hx ' Perfil para postagem de histórias collabs entre (@daigu00 e @cyaneo);

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Похожие истории