Talvez eu goste de você Подписаться

lolly nico f

O que fazer quando você percebe estar vendo a sua melhor amiga de maneira diferente? Talvez Chaeyoung tenha gostado mais do que gostaria daqueles momentos de contato físico e olhado mais do que o necessário para Lalisa ultimamente, e talvez, mas só talvez, quisesse mais disso.


Фанфик Группы / Singers Всех возростов.

#chaelisa #chaesa #gl #femmeslash #yuri #chaeyoung #rosé #lisa #lalisa #blackpink
Короткий рассказ
5
4.9k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Mas só talvez

Chaeyoung estava nervosa. Olhava as horas no seu relógio de parede de instante em instante, sentindo o nervosismo lhe dominar a cada minuto que se passava e o horário marcado se aproximava. Tinha chamado sua melhor amiga para ir à sorveteria naquele final de tarde, coisa comum entre as duas em fins de semana, só que, daquela vez, com um propósito completamente diferente. Nem ela acreditava que faria aquilo, ainda parecia meio surreal.

Foi no começo de fevereiro, quatro meses e meio antes, que olhou para a amiga com olhos diferentes pela primeira vez. As duas estavam na casa da outra, tomando banho de piscina e jogando conversa fora. Lalisa sempre a chamava para ir lá tomar um solzinho, pegar um bronze e curtir, principalmente quando estavam de férias do colégio, então era normal ver a garota só de biquíni, tanto que não entendeu por que ficou observando. A tailandesa tinha um corpo lindo, isso não era surpresa para ninguém, mas nunca tinha parecido tão bem moldado para Chaeyoung como naquele momento.

Aquela foi a primeira vez que Chaeyoung sentiu atração por Lalisa.

Os dias se passaram, as aulas começaram e a amizade das duas estava melhor que nunca. Por estudarem na mesma sala, passavam muito tempo juntas no colégio, sem contar os dias em que dormiam uma na casa da outra. E foi em um desses dias que Chaeyoung viu as coisas mudarem outra vez.

Era uma quinta-feira fria, talvez a mais fria do mês. As garotas estavam assistindo a um filme de terror na televisão da sala, aproveitando que os pais de Chaeyoung tinham ido a um evento da empresa em que trabalhavam. Uma tevê, um prato de brigadeiro e a companhia uma da outra era tudo o que precisavam. Debaixo daquele cobertor que dividiam, era apenas elas duas, independente de estarem sozinhas ou não.

Em algum momento da noite, Lalisa reclamou de frio. Chaeyoung ofereceu outra coberta, mas a loira recusou, dizendo que tinha outra maneira de se aquecer. Em seguida, chegou mais perto até seus braços estarem se encostando e deitou no ombro da mais velha. O coração de Chaeyoung acelerou e ela não soube o porquê. Era só a melhor amiga, não tinha motivo para ficar nervosa.

O filme, Lights Out, era de longe um dos melhores do gênero que já tinham assistido. Tinha uma boa história e algumas cenas surpreendiam Chaeyoung, que não se assustava facilmente. Lalisa, no entanto, dava gritos baixos quando as luzes se apagavam e se encolhia contra a melhor amiga. Em uma dessas vezes, agarrou os dedos da outra, que chegou a prender a respiração. E mal a soltou até o final do filme, assim como Lalisa não soltou a sua mão.

Chaeyoung não fez grande caso do fato. A amiga certamente estava focada demais no longa para perceber que suas mãos continuavam dadas, então a morena deixou pra lá.

Nas vezes seguintes em que assistiram a filmes juntas, a mesma coisa aconteceu. Lalisa se assustava e apertava a mão da garota, a soltando depois somente para repetir o ato quando tomava outro susto. Chaeyoung estava se acostumando, tanto que em uma das vezes que foi dormir na casa de Lalisa e esta segurou sua mão, ela apenas as afastou e pegou de volta, desta vez de um jeito que não machucasse os seus dedos com a força que a tailandesa os apertava. E, mais uma vez, continuaram daquele jeito até o filme acabar: com os dedos entrelaçados.

Percebeu que gostava daquilo quando assistiram a um filme de aventura e não houve qualquer contato semelhante aos anteriores. Chaeyoung mal prestou atenção na tevê, lançando olhares uma vez ou outra para a melhor amiga, sentindo falta da sensação das suas mãos juntas. Porque ela queria dar a mão para Lalisa Manoban e talvez aquilo tivesse um significado perigoso.

A partir daí, Chaeyoung começou a olhar para Lalisa mais do que o necessário, fosse enquanto estudavam ou quando saíam com outras garotas. Não era culpa sua, afinal, que aquela blusa que ficava grande para a loira lhe caísse tão bem, ou que o seu coque mal feito combinasse consigo e a deixasse mais bonita do que o habitual. Porque Lalisa Manoban era linda, e Chaeyoung só queria fitar aquela beleza para sempre.

Com isso veio a vontade de a tocar. Não de um jeito sujo, mas sim de um jeito puro. Chaeyoung se sentia tentada, quando as duas andavam lado a lado, a abraçá-la pelos ombros ou colocar a mão na sua cintura. Quando estavam sozinhas, o espaço entre elas parecia incômodo, e ela só queria se aproximar como naquele dia até os seus braços se tocarem. Sentia sua garganta se apertar só de pensar que não podia fazer aquilo.

Dias mais tarde, percebeu que queria poder fazer todas aquelas coisas. Queria dar a mão para Lalisa quando quisesse, não só enquanto assistissem a filmes de terror. Queria a abraçar, ficar coladinha a ela sempre, não só quando a noite estivesse fria e quisessem se esquentar. Queria poder ficar olhando para o seu rosto e corpo sem desculpas. Queria simplesmente poder.

E sentir aquilo pela melhor amiga heterossexual era uma barra. Não era fácil a ouvir falar sobre garotos ou contar sobre com quem ficou, quais bocas beijou e quem se declarou para ela. Lalisa era incrível, e os outros a verem como Chaeyoung a via deixava a coreana possessa. Tão possessa que decidiu se declarar, e agora não tinha mais volta. Já havia marcado com a amiga na sorveteria favorita delas e estava em cima do horário, já a caminho do que com certeza mudaria a relação das duas. Se as aproximaria ou afastaria, Chaeyoung não sabia, e só restava cruzar os dedos atrás das costas enquanto caminhava pela rua pouco movimentada.

Como sempre, Lalisa exalava charme. Com o cabelo solto, sua típica blusa do Rolling Stones que tanto gostava e uma camisa de flanela amarrada na cintura, Lalisa estava de parar o trânsito.

Arrumaram uma mesa, se sentaram e pediram o que queriam. Enquanto os sorvetes não chegavam, Chaeyoung tentou agir normalmente e puxou assunto, deixando o clima o mais leve possível.

Os pedidos não demoraram a chegar, e ambas se calaram e comeram em silêncio. Chaeyoung estava nervosa, mal conseguia olhar para Lalisa, e já pensava em deixar para outro dia. Talvez nunca contar. É, aquela era uma boa opção.

A sorveteria não estava cheia, mas havia algumas pessoas ali. Um número considerável de testemunhas para caso desse errado. Meu Deus, e se desse errado?

Quando terminou seu Sundae, Chaeyoung chamou Lalisa baixinho, tentando tomar coragem. Suas mãos estavam geladas.

“Lisa”, disse e respirou fundo uma última vez. “Talvez, mas só talvez, eu goste de você.”

A melhor amiga não reagiu. Sua expressão não mudou, nada aconteceu, e aquilo deixou Chaeyoung à beira de um colapso. Se fosse para brigar consigo, gritar ou coisa assim, que o fizesse de maneira reservada, só que, pelo amor de Deus, não chamasse atenção dos outros.

Alguns instantes de silêncio que mais pareceram uma eternidade depósito, Lalisa sorriu, e Chaeyoung jurou ter se apaixonado outra vez. Nossa, ela estava muito caidinha pela melhor amiga.

Lalisa se aproximou por cima da mesa, levou o polegar até o canto da boca de Chaeyoung e tirou o pouco de sorvete de menta que tinha ficado ali. Em seguida, como se não ligasse para quem estava presente, limpou o dedo em um guardanapo, segurou o rosto da morena e selou seus lábios. Chaeyoung sentiu o coração parar por centésimos, apenas o tempo de perceber que, sim, aquilo estava acontecendo, e retribuir o beijo que não passou de um selinho longo.

“E talvez”, Lalisa se afastou, deixando outro beijinho sobre os lábios da outra, “mas só talvez, eu goste de você também.”

No final das contas, Chaeyoung era só uma boba apaixonada. E talvez Lalisa também fosse.

Mas, é claro, só talvez. 

2 июля 2018 г. 0:59:49 0 Отчет Добавить 4
Конец

Об авторе

nico f "i'm on a curiosity voyage and i need my paddles to travel. these books are my paddles. i need my paddles!" wattpad: intohobi spirit: intojk

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~