Things i almost remember Подписаться

luraywriter Luray Armstrong

E Sasuke estaria sempre ali, para amá-lo e cuidar da pessoa mais preciosa em sua vida. E nem a morte os poderá separar. Capa por Bárbara Vitória


Фанфик Аниме/Манга 18+.

#alzheimer #yaoi #universo-alternativo #sasunaru #naruto #inkdisney
Короткий рассказ
19
5.5k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Lembranças

Notas:

Essa fic é participante do desafio Inkdisney, com a música Once upon a december do filme anastasia.


Dancing bears, painted wings

Things I almost remember
And a song someone sings
Once upon a december

Someone holds me safe and warm
Horses prance through a silver storm
Figures dancing gracefully
Across my memory

Far away, long ago
Glowing dim as an ember
Things my heart used to know
Things it yearns to remember

And a song someone sings
Once upon a december”


Sasuke observou Naruto levar o chá até a boca e fazer uma careta. Ele nunca gostou muito de chá. Comeu a bolacha em seu prato e olhou para Sasuke com aquele olhar pidão de sempre.

Naruto sabia que não podia ficar contrabandeando comida para ele (pelo menos não as besteiras que ele queria), pois devia seguir a dieta. Ou pelo menos achava que ele soubesse naquele dia.

Naruto nem sempre sabia das coisas. Estava curioso para saber o que ele sabia naquele dia. Tentava se animar, nos dias em que era particularmente difícil, pensando que todo dia era uma nova aventura.

Naruto tem alzheimer. Faz alguns anos, Sasuke está acostumado. Ele tem 60 agora e só foi diagnosticado aos 55, ele se acostumou.

Sasuke tem 62. Naruto e ele são casados há 30 anos, mas Naruto nem sempre sabe disso. Às vezes, ele lembra melhor de quando eram crianças correndo por Konoha e tocando o terror na casa do vizinho do avô de Naruto, Orochimaru. Às vezes, ele lembra de quando eram adolescentes, se pegando o tempo todo no banheiro da escola de Ensino médio. Às vezes, ele lembra de tudo. Às vezes, ele esquece de Sasuke.

A doutora diz que é normal esquecer uma ou outra pessoa específica, lembrar nomes e esquecer rostos e vice-versa.

A primeira vez que Naruto esqueceu de Sasuke, doeu. Juntos há tanto tempo e por causa daquela doença maldita ele mal lembrava quem ele era. Doía até hoje, na verdade.

Mas o próprio Naruto ensinou Sasuke a ver o lado positivo em tudo. E o lado positivo era sempre se reapresentar quando o loiro esquecia dele, o que nem mesmo era tão comum assim. Dizer que era só mais um morador da Casa de idosos e convidar ele para o almoço, para jogar xadrez (ele ainda perdia toda e qualquer partida contra Sasuke, mesmo que a estratégia dele fosse a mesma desde que nascera; isso não tinha nada a ver com a doença, já que Naruto nunca ganhara), ver ele sorrir para si como no dia em que se conheceram.

Era bom ver que no final do dia, Naruto parecia ter se apaixonado por ele de novo, mesmo que Sasuke já não fosse tão bonito assim. Isso o ajudava a parar de chorar baixinho na cama.

Hoje, Naruto lembrava dele. Não sabia até que parte da vida deles ele lembrava. Era mais comum perder a memória recente, geralmente ele lembrava que eram casados.

Havia muito para se lembrar. Eles tinham muita história.

Se conheceram bem crianças, seus pais sempre foram amigos. A mãe de Naruto dizia que Sasuke já brincava com ele mesmo quando estava na barriga. Sasuke já tinha 2 anos plenos quando Naruto nasceu e Kushina adorava contar o quanto ele sempre estava interessado em ajudar ela a cuidar dele.

Porque eles eram assim, seus pais sempre imaginaram que Sasuke manteria uma relação um tanto quanto paternal com Naruto, mas isso só durou até os 4 anos do mais novo. De repente, os dois estavam sempre brigando e implicando um com o outro e ninguém entendia bem o porquê daquilo.

Ninguém sabia que Naruto começara a se sentir deixado de lado por Sasuke, já que ele havia feito novos amigos na escola, amigos da idade dele, e o pequeno começou a achar que estava sendo ignorado, então provocava as brigas para chamar atenção dele.

As briguinhas bobas duraram até os 10 anos de Naruto, quando eles foram para a mesma escola. Mesmo em séries diferentes, agora Naruto podia passar o intervalo junto de seu melhor amigo. Isso o ajudou a fazer parte do grupo dele e Itachi, irmão de Sasuke, também deu uma mãozinha para que Sasuke fosse mais compreensivo com o mais novo.

No Ensino Médio, as coisas mudaram um pouco de figura. Os ciúmes de Naruto apenas se fortaleceram e isso começou a abalar a amizade deles. Itachi sabia que era um ciúme diferente. Os pais de Naruto também sabiam. Até Sasuke começou a desconfiar. O único que não sabia sobre os próprios sentimentos era Naruto, e ninguém ousava dizer nada a ele. Existem coisas que temos que descobrir sozinhos.

Aos 15, quando Sasuke tinha 17, Naruto percebeu que também tinha interesse em garotos. Ainda sem notar que o que sentia por Sasuke era para além de amizade há muito tempo, pediu ao melhor amigo um beijo. Na sua cabeça avoada, se ele beijasse um garoto e gostasse ele saberia se era de fato bissexual.

Sasuke lembrava bem de ter achado que aquele era o jeito do amigo de se confessar, e como também já estava apaixonado por ele, o beijou e assumiu automaticamente que estavam namorando a partir dali.

A briga foi terrível quando, três dias depois, Naruto beijou outro garoto porque, agora que sabia que também gostava deles, ia aproveitar, e para ele não havia nada de errado. Já para Sasuke, Naruto o havia traído.

Foram dois meses para fazer Naruto entender os próprios sentimentos, perceber os de Sasuke e conseguir o perdão dele. E então, em dezembro, eles realmente começaram a namorar de verdade, com ambos sabendo disso.

Sasuke foi para a faculdade primeiro, fazer Direito.

Isso foi um grande abalo para os dois, já que o mais velho tinha suas energias sugadas pelo estudo, enquanto Naruto estava com os hormônios a toda. Foi um período turbulento.

Ainda mais quando Jiraya morreu.

Jiraya era o avô de Naruto. Um idoso meio pervertido, que ganhou a vida sendo escritor de livros eróticos, mas criou muito bem, junto de Tsunade, seu pai, Minato. Ele era a pessoa mais divertida que Naruto já conhecera em toda a vida e adorava estar com ele, não houve sequer um ano em que não tivesse ido visitá-lo no interior.

Morreu por um ataque do coração. Fazia três anos que havia ficado só, Tsunade morrera de causas naturais, a idade. Desde então, todos notaram, ele estava ficando mais depressivo. Minato conseguiu fazê-lo morar consigo por 3 meses para conseguir cuidar dele, mas o pai era teimoso e voltou para a antiga casa. Os médicos disseram que ele provavelmente levara algum susto que gerou o ataque.

Simples assim.

Uma das pessoas que Naruto mais amava morreu simplesmente assim. Ele ficou desolado. Naquele semestre, Sasuke levou bomba em várias matérias, mas jamais se arrependeria de ter matado aula para fazer companhia a Naruto. Quantas lágrimas ele secou? Quanto choro ele assistiu morrer apenas quando ele dormia? Quantos quilos viu Naruto perder naquele ano? Quantas vezes teve que brigar com ele para fazê-lo dormir ou comer?

Ele apenas se recuperou quando decidiu ser cardiologista. Queria cuidar do coração das outras pessoas para evitar que outros morressem como seu avô. Foi Kushina quem plantou a ideia em seu coração, e só assim ele conseguiu se reerguer. A partir dali ele correu contra o tempo para recuperar suas notas (que nunca foram lá muito boas) e conseguiu passar para medicina.

O que já era complicado, ficou ainda pior naquele relacionamento. Sasuke e Naruto mal se viam e quando se encontravam era para dormirem (e simplesmente dormir, de verdade) na casa um do outro.

Saiu de suas memórias quando viu Naruto levantando, sozinho, teimoso como sempre sobre usar a bengala da qual precisava. Se levantou também fingindo que estava apenas o seguindo, mas na verdade estava tentando ficar próximo o suficiente para o segurar se ele caísse.

Não que ele estivesse em condições tão boas assim. Também era idoso, tinha um problema no joelho, e, por conselho de Sakura, ele e Naruto moravam na casa de cuidado para idosos. Havia cuidadores, enfermeiras e um médico ali. Sasuke sempre achou, desde o início, que dava conta muito bem de cuidar de si mesmo e do seu marido e, portanto, podiam ficar sim na sua casa. Mas não era uma ideia inteligente bater de frente com Sakura quando ela colocava algo na cabeça.

Era algo que ela e Naruto tinham em comum. Eram grandes amigos, também. Se conheceram na faculdade de Medicina e, com o tempo, Sasuke se acostumou à presença dela (e parou de achar que ela estava dando em cima dele, quando ela só estava sendo ela mesma; excessivamente gentil com todos). Principalmente quando ela começou a namorar com Ino, no tempo em que estava fazendo a residência junto de Naruto.

Tinha que admitir, elas sempre foram lindas juntas. Completamente adoráveis, e Naruto as apoiaria e ajudaria até se quisessem congelar o inferno. Por isso, não ficou surpreso quando Ino e Sakura decidiram formar uma família, depois de casarem, e pediram a Naruto o esperma que fecundaria Sakura. Infelizmente, depois de alguns exames, descobriram que o loiro era estéril.

Então, com a voz manhosa, que era seu calcanhar de Aquiles, e a determinação Uzumaki o loiro convenceu o mais velho a ser o doador.

Sasuke se sentiu bem menos surpreso do que achava que deveria quando, quatro meses depois da primeira tentativa de fecundação, soube que Sakura estava grávida dele.

Ainda menos surpreso quando se viu constantemente visitando as mulheres com Naruto para ver suas filhas; as gêmeas Sarada e Himawari.

Naruto adorava as duas e, daquela forma, elas cresceram com dois pais e duas mães.

Por isso, Naruto andava com pressa, mesmo que o corpo não aguentasse andar muito rápido. Pensou que ele esqueceria, mas ele sabia; era dia de visita. Sentou com ele nos jardins e esperou, Naruto não costumava ser lá tão pontual para as consultas com médicos, mas na hora de ver essas garotas…

As duas morenas chegaram, a pequena Hima usava um vestido florido, enquanto Sarada vestia calça jeans e camisetas. O mais velho achava engraçado; Sakura o amaldiçoava por Sarada ser mais fechada que sua irmã.

Dizia que porque ele sempre deu mais atenção a ela e ela estava sempre com ele, acabou pegando a personalidade ruim dele. Sasuke concordava, ela era muito parecida consigo. Já Hima puxou mais às suas mães e Naruto, sempre sorridente, animada e dada ao contato social.

— Olá, papais. — Himawari correu para abraçar os dois, sentados no banco que havia no jardim. A presença dela sempre fazia Sasuke sorrir, não precisava de muito.

Sarada era mais contida, cumprimentou-os e sentou-se ao lado de Sasuke, sorrindo pequeno.

Por toda a manhã, eles conversaram. Sasuke ouviu de novo Naruto pedir que Himawari trouxesse seu noivo para que ele conhecesse e ela teve que contar de novo que eles já estavam casados há dois anos. Então ele teve que escutar, de novo, Naruto dizer que iria acabar com a raça do desgraçado e Sarada rir disso, enquanto Himawari tentava acalmar seu pai, com medo que ele se estressasse de verdade.

Era como ver uma cena de filme de longe. Ele estava ali e não estava, fazia parte mas não fazia.

Naruto contou várias histórias que ele já havia decorado. Era engraçado, ele sempre mudava algo pois não lembrava todos os detalhes, mas mesmo assim Sasuke sabia todas as variações. Principalmente a verdadeira.

Dessa vez, ele estava contando sobre o quase acidente de carro que sofrera quando quis fugir de casa com Sasuke. Na versão que ele contava às meninas dessa vez, ele havia encontrado policiais e eles os levaram de volta para casa, onde tomaram uma bela surra de Kushina.

Bem, a surra era verdade. Ele geralmente não esquecia disso. Mas não houveram policiais. Naquele dia, Sasuke e Naruto haviam apanhado de homofóbicos na rua durante a madrugada. Não reconheceram as pessoas, e rapidamente concluíram que de nada adiantaria denunciar, já que não haviam câmeras por perto, ninguém os vira e eles não viram o rosto de todos direito.

Pela manhã, Naruto pegou o carro que ganhara de presente, arrastou Sasuke e fugiu. Eles simplesmente dirigiram por uma semana, sem um rumo certo, fodendo no carro e pagando motéis para poderem tomar banho apenas. Quando a gasolina acabou e o dinheiro já não era muito, eles decidiram reabastecer e voltar.

Jamais esqueceria da rapidez com que as lágrimas de Kushina viraram ódio ao revê-los. Ela nunca soube o que motivou a fuga, Naruto disse que não a queria preocupar e ele apenas seguiu. Algo nele se quebrara naquele dia, e Sasuke não estava em condições de repará-lo, estando ele mesmo muito machucado.

Quando as garotas foram embora, Naruto chorou. Alterações de humor bruscas eram normais neste estágio da doença, e ele sempre fora coração mole.

Sasuke o abraçou e eles ficaram ali. Ele tinha uma nova foto em seu celular agora. Sempre tirava alguma (mesmo que sempre tenha odiado fotos) quando eles recebiam visitas, pois, não só uma vez, ele teve um grande trabalho em acalmar o mais novo quando ele esqueceu das últimas visitas dos amigos e começou a chorar dizendo, com toda a certeza, que todos haviam morrido.

Ele tinha delírios às vezes. Se tornou mais e mais comum ao passar dos anos.

Um dia, ele acordou e o viu vestido com seu melhor terno. Ou quase vestido, já que ele não conseguira pôr a gravata ou fechar os botões. Ele notou o marido acordado e pediu ajuda. — Essas roupas modernas são bem complicadas de colocar, né? — Naruto comentou, com um sorriso envergonhado.

Ele tinha aquele terno há 6 anos. Era seu preferido.

Sasuke não se importava muito com aquilo, os esquecimentos e as confusões, não foi muito difícil de se adaptar a isso. Sim, claro que era complicado às vezes, e em alguns casos até engraçado, mas não era um grande problema de verdade, até então.

Mas aquele dia foi particularmente triste.

Sasuke o ajudou a terminar de se vestir, sem fazer perguntas, todavia curioso para saber o que aquela cabecinha complicada do Uzumaki estava planejando.

Ele o arrastou para o jardim depois de obrigá-lo a vestir a melhor roupa que possuía, já que Sasuke fingiu que não tinha terno e, de alguma forma, mesmo que não houvesse esquecido as ocasiões em que o viu de terno, inclusive seu casamento, ele acreditou e eles ficaram ali sentados por 3 horas seguidas.

Quando perguntado pelo que esperava, Naruto agia como se fosse óbvio para Sasuke e começava a ficar agressivo (o que estava se tornando cada vez mais comum com o progresso da doença). Até que ele soltou:

— Acho que a mamãe e o papai estão atrasados. Será que é algum engarrafamento, Sasuke?

Então ele entendeu. Naruto estava delirando. Delirando não só que os pais estavam vivos como que também iam visitá-los naquele mesmo dia.

Ele não contou a verdade para Naruto. Não teve coragem.

Com que cara ia contar pra ele que os pais morreram por causa da idade, lembrando de todas as lágrimas e a dor que assistiu ele sentir quando descobriu do ocorrido?

Preferiu inventar uma ligação em que os pais dele o avisaram que não poderiam ir naquele dia e ver a decepção leve e passageira no rosto dele, do que assistir aquilo tudo de novo, sem nada poder fazer.

Caminharam até a cozinha para buscar seu almoço. Como sempre, iriam almoçar no jardim mesmo; Naruto sempre foi bastante ligado à natureza e Sasuke sempre adorou o silêncio, logo eles criaram o costume de almoçar sentados por ali, ao invés de comerem nas mesas chiques do local.

Eles ficaram ali mesmo, debaixo de uma árvore mais afastada em um dos cantos do jardim, olhando para as pequenas flores amarelas que havia naquela área.

Usualmente, depois do almoço eles iriam tirar um cochilo pela tarde, mas naquele dia eles não foram dormir, e sim conversar com Kiba. Sasuke sentou-se ao lado dele e Naruto ficou em pé, apoiado na coluna que sustentava a cobertura da varanda.

— Como vai, velho do pau mole?

Sasuke achava incrível o fato de que mesmo quando Naruto esquecia o apelido que dera a Kiba (“cara de cachorro”), ele conseguia inventar novos ainda piores.

— Ora, Naruto, até parece que você anda muito mais duro do que eu.

— Pergunte ao Sasuke.

— Vocês têm mais de 60 anos, por que discutem como adolescentes de 17 que vão medir o pau com uma régua no banheiro da escola? — Sasuke murmurou.

Kiba e Naruto se conheceram na Casa de idosos, quando ele e Sasuke se mudaram para lá. Já haviam feito todo o tipo de loucura, pois os dois eram eternos adolescentes presos em corpos que envelheceram.

Lembrava muito bem do dia em que eles resolveram sair para um piquenique no parque próximo à Casa e, na volta, tiraram as roupas e correram pelados pela rua até à Casa.

Sasuke realmente não precisava daquela visão da bunda de Kiba. Ele tinha pesadelos até hoje.

Claro, considerando a idade, eles não correram de verdade, estava mais para um andar mais rápido.

Mas Sasuke não ficava de fora das loucuras cometidas com Kiba. Fora a ele que pediu ajuda para encontrar maconha, depois de pesquisar e descobrir que podia ajudar no tratamento do alzheimer. Supostamente haviam remédios à base da erva, mas como eram ilegais no país ele teve que ir na fonte. Kiba quem lhe deu nome e local e ele jamais esqueceria da cara daqueles jovens ao ver um idoso comprando maconha. Quer dizer, um idoso que não parecia ser hippie.

Ele, que podia sair livremente da Casa sem acompanhamento, já que não tinha nenhum problema de saúde, comprava a maconha e fazia brownie na casa praticamente abandonada, agora, onde ele e Naruto moravam antes. Voltava dizendo que comprara a comida e Naruto adorava comer um depois do almoço.

Ele apenas parou quando, um dia, depois de comprar mais da erva e deixar escondida em casa para fazer mais brownie depois, ele chegou e viu as enfermeiras do lugar particularmente felizes e brincalhonas e descobriu que seu marido havia dividido seu lanche com elas.

Foi inesquecível que, Marta, a enfermeira mais velha, sempre séria, começara a dançar pela casa ao som de Girls just wanna have fun. Ele se sentiu inclinado até a fazer mais e levar para elas, há muito que não via aquelas mulheres tão felizes e alegres, mas logo decidiu que não era uma boa ideia.

Kiba parecia sempre alegre perto de Naruto, e de fato, geralmente, ele estava. Mas todos que viviam naquela Casa (que era um lugar que atendia ricos, claro, cheio de enfermeiras e pessoas aptas a tratar de idosos) tinham uma história um pouco triste. Ele estava ali para cuidar do marido com Alzheimer e Kiba estava ali porque tinha depressão e tentara se matar.

Quando Shino, o marido de Kiba, morreu após um ataque de tubarão no mar, ele caiu em depressão. Ele tinha certo trauma com água e era praticamente impossível fazê-lo chegar perto de mesmo uma banheira ou um lago, porque ele estava lá quando aconteceu. Contudo, se Sasuke não o conhecesse, se não soubesse, jamais diria que ele tinha depressão.

Ele e Naruto viviam se provocando e brincando um com o outro, ele até mesmo sorria fácil naqueles momentos.

Mas a vida o ensinara que a depressão não tem rosto. E nem idade. Para ele, era a pior doença que existe. Nem mesmo alzheimer ou o câncer se igualavam. Lembrava da doce Maria, a enfermeira novata que estava ali há apenas três meses. Era gentil e amorosa, jovem, Naruto se afeiçoou rapidamente a ela e a tratava como uma filha, até mesmo Sasuke, que não era fácil de ser conquistado, gostava da companhia dela. Lembrava do sorriso doce sempre em sua face. Do riso escandaloso para as piadas ruins de Naruto. De ajudá-lo a controlar seu amante quando ele começou a ter surtos violentos pacientemente. Da imagem dela com os pulsos cortados no banheiro próximo à cozinha.

Depressão, para ele, era a pior doença que existia. Matava sua alma antes do seu corpo. Ele conseguia enxergar o vazio nos olhos de Kiba, às vezes, mas nunca foi capaz de ver nos olhos de Maria. Mas estava lá, ela estava se tratando, descobriu mais tarde, mesmo assim, se foi. Ele nunca se perguntou o porquê, ouvira os comentários maldosos por dias seguidos o suficiente para se lembrar do quão ruim o mundo podia ser, não havia por que se questionar. Ele entendia muito bem o sentimento.

Passaram a tarde toda conversando com Kiba. Por algum motivo, Sasuke não se incomodava muito com a presença dele mais. E, bem, ele e Naruto eram praticamente melhores amigos, de alguma forma sempre arranjavam assunto para conversar, e quando este acabava eles voltavam às provocações bobas de adolescentes imaturos.

Sequer parecia que Naruto era um cardiologista importante, renomado e respeitado.

No comecinho da noite eles voltaram à cozinha para pegar o jantar. Jantaram na varanda baixinha junto com Kiba, Naruto extremamente carente encostado em si. Hoje ele parecia particularmente bem, sem delírios, ou surtos violentos. Estava feliz. Cada dia que passava a tendência era que a doença piorasse, mas havia dias em que seu amado estava simplesmente melhor, sem explicação alguma.

Os médicos e as enfermeiras mais românticas diziam que era o amor. Que o melhor remédio que Naruto tomava diariamente era o amor de Sasuke.

Ele achava aquela explicação muito… brega. Costumava revirar os olhos quando os outros começavam a dizer aquilo.

Porque quando diziam aquilo, era como se dissessem que ele fazia muito, que fazia algo extraordinário. Não era assim. Sentia que fazia nada mais e nada menos do que sua obrigação. Ele prometera centenas de vezes que jamais abandonaria Naruto e era apenas o que ele fazia. Aliás, como poderia deixar sozinha a pessoa que ele amou a vida toda? Que sempre esteve lá para si muito mais do que esteve para ele?

Lembrava claramente de quando perdera toda a sua família no acidente de carro que deixara seu joelho problemático até hoje. Foram 5 anos num estado depressivo terrível em que muitos “amigos" o abandonaram. Lembrava dos sonhos em que via Itachi cozinhando para si, ou Mikoto lendo para ele quando criança, ou Fugaku o ensinando matemática. Ele acordava aos gritos, chorando, e Naruto apenas o abraçava e beijava seu rosto, acordando cheio de olheiras no dia seguinte para ir trabalhar.

Como poderia não amar essa pessoa? Como poderia não estar com ela a cada segundo de sua vida? O seguiria a qualquer lugar, estaria com ele em quaisquer circunstâncias, porque ele o amava. Não havia nada de extraordinário nisso para ele, pois é simplesmente o que o amor de verdade é.

Muitos acreditavam que era Sasuke quem se sacrificava e mudava a vida de Naruto, mas era o contrário. Naruto quem mudara a vida de Sasuke, o amor dele era o remédio do mais velho.

Naruto o fazia transbordar. Ele era sempre mais com seu amado. Ele era o remédio para a dor que ainda assolava seu coração. Não conseguia imaginar nem seu futuro, ou o presente, ou passado sem ele. Parecia não existir Sasuke sem ele.

Lembrava bem da juventude deles, toda a paixão que os envolvia e os hormônios à mil. Fazendo sexo em todo lugar e sempre que podiam. Houve uma vez, que não foi a primeira, em que sabia que, para ele e Naruto, o sentimento de que aquele momento foi como um divisor de águas foi o mesmo para ambos.

Foi como se pudessem dividir o relacionamento dele como antes e depois daquela noite. Foi quando perceberam a profundidade do que era o amor entre eles.

Sasuke lembrava de ter beijado Naruto com calma, apreciando o gosto doce da boca macia. Tocou a pele sob suas mãos, apertando a carne, sentindo o corpo dele.

Amava cada pedaço de Naruto com toda a sua alma.

Os toque se tornaram intensos, vivos, apaixonados. Penetrou o amante e ambos foram arrebatados pelo prazer simultâneo.

No fundo de seus corações, sabiam que aquilo não era só sexo.

Havia uma diferença enorme entre foder, transar e fazer amor. Naruto nunca entendeu o que queriam dizer quando falavam isso, não antes de conhecer Sasuke. Mas agora ele sabia.

Experimentara os três com o homem entre suas pernas e sabia que naquele exato momento eles estavam fazendo amor.

Foi um momento que Naruto apenas conseguia descrever como mágico. Não desviaram os olhos um do outro nem por um minuto, os toques, os beijos, tudo transmitia um amor intenso e o mais novo achava que era capaz de explodir pela força do sentimento que o tomou naquele momento.

Até hoje era assim. Havia momentos que, sem razão alguma, sua respiração acelerava e ele sentia o peito apertar… mas não era ruim. Não era uma dor, não era um problema. Era amor.

O sorriso de Sasuke ainda lhe roubava o fôlego. Seus abraços ainda o faziam se sentir quentinho por mais que estivesse frio. Depois de todos esses anos, parecia que havia se apaixonado por ele ontem. Não havia sentimento mais mágico que aquele.

Sasuke sempre fizera tudo por ele. Tudo o que podia e o que não podia. Lembrava claramente de todas as vezes que ele falara que não ia querer adotar filhos pois detestava crianças, mas mal contrariou quando o pediu para doar o esperma para Sakura e Ino. Foi, de certa forma, uma queda e tanto saber que era estéril, depois de tanto fantasiar com uma criança loirinha nascendo das meninas e ele as ajudando a criar. Mas foi ainda melhor ver aqueles dois projetinhos de gente tão parecidos com Sasuke irem crescendo e, ainda por cima, ver quem dizia odiar crianças o tempo todo dando carinho e atenção, à seu modo, às meninas.

Sasuke sempre foi um bobo que gostava de fingir que não sentia muito, quando estava sempre lotado de amor no peito.

Era bom sentir todo esse amor, já que foram muitas as coisas que ele perdeu por causa da doença. Quando foi diagnosticado, ele logo teve que deixar seu emprego. Foi frustrante e um baque terrível, mas ele entendia.

Quando, depois de algum tempo, começou a perceber a dificuldade em achar as palavras certas para se expressar em alguns momentos ele preferiu que fosse assim. Ele só conseguia imaginar o que aconteceria se, por exemplo, receitasse um remédio errado para um paciente.

As coisas que ele mais odiava sobre a doença era a sua dependência de outros para atividades simples, como tomar banho ou se vestir, e a confusão com palavras. Era irritante perceber que usou a palavra errada para algo ou simplesmente sequer lembrar qual palavra deveria usar.

Sasuke sempre foi muito paciente nesses momentos, mas a frustração continuava em sua mente.

Também odiava as memórias nubladas. Era raro que algo estivesse claro em sua mente. Lembranças de coisas que nunca ocorreram, lembranças cortadas, lembranças que nunca mais se mostraram desde a primeira vez que ele esqueceu. Havia álbuns e mais álbuns de fotos no quarto dele da Casa, e o número de fotos que ele não lembrava de ter tirado, ou pessoas que ele não lembrava de ter conhecido... A lista de coisas das quais ele quase lembrava era enorme.

A doença era um inconveniente tremendo. Ele vivia se perdendo dentro da Casa mesmo morando nela há anos.

Mas não era o fim do mundo.

Estava tudo bem, porque ele ainda tinha Sasuke. Provavelmente, viveriam naquela casa até o fim de suas vidas, o que o incomodava, mas não era pra tanto, pois estaria com seu amado. Cada dia a mais com ele era o melhor dia de sua vida.

Já no quarto, se preparando para dormir, Naruto pegou o celular, não muito moderno, que era dos dois e, com algum esforço, colocou Fly me to the moon, cantada por Frank Sinatra, para tocar. Era uma memória um tanto nebulosa, como as outras, mas lembrava dele cantando aquela música para si, baixinho, no seu ouvido, enquanto dançavam na festa de casamento deles. Não lembrava quem mais estava no salão naquele momento, mas não tinha certeza se era por causa da doença. A voz de Sasuke em seu ouvido, seus braços o envolvendo, sempre foram capaz de fazer todo o resto desaparecer. No ano passado, em dezembro, eles fizeram 30 anos de casado. Se passaram 30 anos desde este dia.

Puxou a mão de Sasuke, que arrumava os travesseiros para que se deitassem, e começou a conduzi-lo na dança.

— Naruto, seu bobo, desligue a música, é hora de dormir.

— Ah, não, Sasuke. Está cedo, só velhos dormem essa hora.

— Só velhos? E você é o quê?

— Ah, Sas, você que é velho, eu ainda dou um caldo.

Sasuke riu. Naruto adorava a risada dele.

— Okay, jovem, mas o vovô aqui precisa dormir, desligue a música.

Se Naruto não estivesse vendo o sorriso bobo na face do seu amado, o olhar brilhando, e como ele se deixava conduzir por si, ele acreditaria que ele falava sério sobre desligar a música.

— Sas…

Bem, não custava nada tentar, né?

— O que foi, amor?

Naruto mal podia acreditar que ainda arrepiava quando ele o chamava de “amor”.

— Eu tô com saudades de você...

—Mas como assim? Eu tô aqui!

— Não, deixa eu terminar. Eu tô com saudades de você… eu quero fazer amor, Sas.

Sasuke riu. Dessa vez, Naruto não gostou tanto da risada. Ora, ele estava falando sério!

— Como você consegue continuar um adolescente cheio de hormônios, Naruto? Não temos mais idade para sexo.

— Ah, vai, Sasuke, até parece. Eu ainda desejo você como sempre desejei. Ou é você que não me quer mais desse jeito?

— Como você ousa dizer isso? Eu te quero como sempre quis.

— Então vamos, Sas…

Naruto usou a sua melhor arma; a voz manhosa. Ele sempre conseguia o que queria de Sasuke quando falava assim, ele sabia. E Sasuke sabia que ele sabia.

O moreno o beijou, devagar, lento e Naruto sabia que havia ganhado.

Puxou Sasuke até a cama e deitou, sentindo o carinho que a mão dele fazia por seu corpo.

Era como no passado. Bem, claro que não tinham mais a vitalidade de quando jovens, mas o sentimento, a paixão, a sensação do coração estar transbordando de amor era a mesma.

Não.

Pensando bem, não era a mesma.

Era maior.

Cada dia a mais que viveram juntos, se amando, brigando, perdoando um ao outro, cuidando um do outro o amor crescia mais e mais, de uma forma que quando jovens eles jamais pensaram que fosse possível.

Não importava o alzheimer de Naruto, ele jamais esqueceria seu amado. Nem no seu coração ou sua alma.

E Sasuke estaria sempre ali, para amá-lo e cuidar da pessoa mais preciosa em sua vida.

E nem a morte os poderá separar.

13 июня 2018 г. 0:29:14 18 Отчет Добавить 21
Конец

Об авторе

Luray Armstrong Perfil também disponível no Wattpad. Facebook: Luray Armstrong . SNS ❤ TODOKIRIBAKUDEKU ❤ KageHina ❤ Solangelo/Pernico ❤ Sheith ❤

Прокомментируйте

Отправить!
KL Kitsune Lyra
Olha eu relendo, agora no inks, eu To chorando ne? Óbvio! Nunca vou me cansar de dizer o quanto essa fic é linda e eu sou apaixonada por ela, por sua escrita, pela sua visão do otp mais lindo de todos, ver cada momento descrito, a evolução de toda uma história de 30 anos de relacionamento e ainda mais, ver o ponto de vista dos dois sobre a DA, as dificuldades vencidas, o amor explodindo, To chorando mais, mas tudo bem, vale mt a pena! Parabéns pelo escritor maravilhoso que vc é, seu lindo!

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    AAAAAAAAAA EU VO EXPLODIR DE AMOR POR VC ❤❤ Foi mt pesquisa pra essa fic e me orgulho mt disso, fico feliz do resultado ter ficado bome mt feliz por vc gostar! Mt obrigado msm aaaaaa❤❤ 30 июня 2019 г. 10:11:09
Jéssica Wakin Jéssica Wakin
que historia, eu to chorando aqui no trabalho nunca li uma fic com eles idosos e eu achei muito lindo, o amor deles é tão palpável, da pra sentir e você descreveu tudo tão bem, sua descrição é muito perfeita. obrigada por esse hino de fic <3
15 августа 2018 г. 9:34:32

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    De nada hahaja me senti mt importante Eu tb nunca tinha lido, por isso quis escrever. Tenho outro plot com eles idosos tb. Um dia sai kkkkkk To me sentindo mt foda com vc realçando tanto o quanto descrevo bem kkkkk ai mds corei Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 16:57:27
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Primeiro quero começar te parabenizando pelo uso da música, porque conseguimos sentir a letra durante o texto inteiro e tudo se encaixou muito direitinho com a ideia que essa música queria passar. Você tratou aqui de um tema que é muito complicado e sensível, que é o Alzheimer. Essa doença é destruidora de muitas formas diferentes, porque ela literalmente engole a vida de todo mundo. Imagina esquecer quem tu é? E pro Sasuke, que precisa ver o amor da vida dele desaparecer e sumir um pouquinho mais a cada dia? Ainda assim, você conseguiu tratar do tema de maneira muito suave. A gente consegue sentir o drama, mas a leveza do amor do Sasuke diminui as dores. Preciso dizer que senti os personagens um pouco novos; 60 e tantos anos não te deixa tão destruído assim (a menos que você tenha tido uma vida sofrida, o que não foi o caso deles). As dores aparecem e tudo mais, mas eles definitivamente não estão "velhos demais para transar". A maioria das pessoas nessa idade ainda trabalha. Um programa bacana que fala sobre idade e personagens idosos é "Grace and Frankie", é muito real a forma como as personagens são tratadas e tudo mais, acredito que você possa gostar. Mas voltemos à sua história! O que foi a Himawari e a Sarada? A forma como você as inseriu na história foi ótima, colocando-as como filhas tanto do Sasuke e do Naruto quanto da Sakura e da Ino. O Naruto se arrumando para ir recebê-las me deixou com o coração meio apertado até, porque naquele dia ele se recordou e foi tão importante que precisava aproveitar cada segundo com elas. O Naruto colocando sua melhor roupa para esperar pelos pais também foi um baque no meu coração, e o Sasuke foi tão delicado com a maneira de lidar com isso que mostrou perfeitamente o quanto ele já estava acostumado aos delírios (o que é o que acontece com famílias que passam por essa situação). Eu me admirei com o Sasuke, que tenta sempre levar tudo da melhor maneira. Ele tem todos os motivos para estar com raiva, frustrado e chorando, mas ainda assim consegue ver o melhor nas situações e se adaptar sempre que possível para ficar perto da pessoa que ama. A fim de que a leitura fique mais fluida, seria bom você cuidar com repetições nas próximas histórias. Palavras com a mesma sonoridade (sabia, dia, por exemplo) quando aparecem várias vezes uma perto da outra, podem deixar a leitura um pouco mais lenta e um tanto fora do ritmo. É uma revisão simples a ser feita. A história está muito boa! Obrigada por ter participado do desafio, espero que tenha se divertido, e continue sempre escrevendo. Ah, não posso deixar de te elogiar pelo título! Deu pra compreender a relação dele com as coisas que o Naruto quase lembrava, ou achava que tinha lembrado. Combinou muito com a história! Beijos e até a próxima <3

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    Urfa, fico feliz, tava realmente com medo da música não ter encaixado direito com a fic, ela toda. Eu tenho um probleminha em mentalizar idades aosmdodmd. O resto tudo bem, mas a parte do transar foi mais uma desculpas que ee inventou pela timidez que ainda mantém, n algo q ele realmente pensa. Foi lindo mesmo ele lembrar da Hima e da Sarada. Eu nem sei pq fiz tanta questão de colocar isso na história, mas pra mim era tão importante. Quase como se eu n tivesse criado esse Sasuke e esse Naruto, Mas o Sasuke que tinha vindo ele mesmo me contar a história deles e eu só escrevi. Me atentarei nisso nas próximas histórias! Obrigado pelas dicas ❤ 26 августа 2018 г. 17:17:20
Lara Gilmore Lara Gilmore
Já tive um parente com Alzheimer, e sei como era difícil lidar com a doença. Mas todos nós nutríamos um carinho imenso pela pessoa em questão. Sobre a fic, foi tocante. Amei a cumplicidade de Sasuke com Naruto e como independente de qualquer coisa, nunca pensou em desistir de seu amado, pois o amor é mais forte e intenso que isso. Parabéns, por retrato isso tão bem na sua fic e parabéns tão bem pela a excelente escrita. Abraços.

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    Caralho, muito obrigado. Tive medo de exagerar ou fazer algo errado ent pesquisei bastante, mas msm assim fiquei com medo. Fico feliz q ficou bom. Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 16:59:32
AnnyeCS AnnyeCS
Mds Luray! Era pra ser uma fic feliz não era? Eu tô é me desmanchando em lágrimas! Tá vendo essa poça de água no chão! SOU EU LURAY! OLHA O QUE VOCÊ FEZ COMIGO! Isso foi tão fodidamente maravilhoso e lindo, mas tão desgraçadamente triste! Eu não sei direito o que dizer! Eu só sei sentir! Você conseguiu contar toda uma história, a infância, a adolescência, eles adultos e idosos. Eu vi a vida deles passando diante dos meus olhos, as lágrimas os sorrisos, tudo. Olha cê tá de parabéns! Isso aqui tão lindo pra caralho!

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    AAAAAAAAAAAA MT OBRIGADO ❤ Kkkkkkkkk Mas como assim ue? É uma fic feliz, vcs q tão chorando N tenho nada a ver com isso Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 17:08:48
Mandy Mandy
Eu sou um grande amontoado de amor e lágrimas, nem tenho palavras pra tentar começar a descrever a doçura dessa one. É tocante e intenso, é melancólico e amoroso. É o amor na forma mais pura. Eu adorei a visão deles velhinhos e o cuidado do Sasuke com o Naruto, eu chorei quando o Naruto pôs o terno e esperou pelos pais e tive um ataque quando ele colocou a música pra tocar e lembrou do casamento, sigo chorando pela narrativa deliciosa que me mata com bondade e me faz querer mais. O Kiba, meu filho lindo tadinho do meu neném, eu adorei você trazer o tema da depressão e homofobia, deixa a discussão na nossa mente e encaixou perfeitamente no roteiro. Sasuke amorzinho lindo observando o marido e cuidando das sombras, eu tô muito apaixonada nesse vovô fofo ❤️ e que meigas a Sarada e a Himawari meu Deus tomara que eu exploda de amor ❤️ Eu tô muito apaixonada!

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    Meu Deus eu vejo todas essas coisas positivas e nem parece q ce ta falando da minha fic KKKKKKK Eu n vejo tudo isso e podia ter sido bem melhor maaaaaas mt obrigado por ver minha obra assim, fico mt feliz q consegui te tocar. Eu realmente me esforcei aq Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 17:06:13
Alicia McAlister Alicia McAlister
Você me prometeu que era uma fic feliz e eu não tô feliz, eu tô triste! Ok, então, foi lindo? Foi. Eu ri em umas partes? Ri. Eu sorri meio boba pra tela em outras partes? Sorri. Mas eu tô triste! Ai tadinho do Naruto, ai tadinho do Sasuke. Mas foi lindo mesmo, e super bem escrito e bem conduzido também, a gente sente mesmo os sentimentos do Sasuke enquanto lê e justamente por isso a gente fica TRISTE (é uma tristeza boa sabe, daquelas que doi o peito e te faz querer rir e chorar ao mesmo tempo) mas ainda assim é tristeza! Enfim, eu amei a fic, mesmo, mas tô triste, já falei que tô triste?

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    FINALMENTE RESPONDENDO A PESSOINHA Q TA TRISTE MAS CE TA TRISTE? kkkkkkkkk To me sentindo mt importante com todo mundo elogiando minha escrita, mt obrigado. Fico mt realizado de saber q passei bem os sentimentos deles. Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 17:03:53
May UU May UU
Eu nunca pensei que meu coração pudesse palpitar do jeito que está agora, meu otp é a coisa mais linda da minha vida. Ver eles assim me deixa apaixonada pelo amor deles, eu fico tão feliz e tão plena vendo esses dois bobos se amando e sendo só cheios de amor, tenho vontade de explodir de amor. Parabéns pela fanfic, está linda

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    Aaaaaaaaaa eu tb amo ver coisinhas assim e adoreeei escrever essa fic, fico feliz q gostou de ler tb Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 17:00:44
Pekena UzUc Pekena UzUc
MEU DEUS........... Isso está tão lindo que nem sei o que comentar direito aaaaaaaah imagina meus amados velhinhos juntinhos se amando sempre Aaaah isso ficou tão lindo, meu coração está tão quentinho agora aaaaaaah isso ficou muito lindo parabéns... aaaaaah sério eu to emocionada aqui e estou no meu local de trabalho me segurando para não chorar isso ficou muito lindo, parabéns msm pela fic ♡♡♡♡

  • Luray Armstrong Luray Armstrong
    MUITO OBRIGADO Fluffy pra deixar o coração quentinho e derreter de amor essa fic one né? Era a intenção kkkkk Que bom que gostou :) Obrigada pelo comentário. Espero que tenha aproveitado bem esse tempo com este meu trabalho e me perdoe por qualquer coisa que não tenha gostado, adoraria te ver novamente em uma outra fanfic, beijos. ♡ 26 августа 2018 г. 16:59:32
~