Hanahaki Подписаться

miisayama Misayama

Onde para Naruto, a expressão "Morrer de amor" não era uma simples frase, e sim, uma verdade à qual somente Sasuke poderia mudar.


Фанфик 13+.

#dor #angst #morte #sasunarusasu
Короткий рассказ
4
4.8k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Voce se foi...



– Ne, Sasuke, será que um dia você vai me amar o tanto que eu te amo? Será que um dia poderás me corresponder nesse amor que aos poucos vai me matando e me dilacerando? Meu amor por você é tão grande, que não cabe em mim, e eu acabo colocando para fora. Ele é tão grande, que está me matando aos poucos e você não percebe – Naruto chorava e falava baixinho pra si, enquanto cuspia flores de Lótus, as preferidas de Sasuke.

Naruto amava o moreno tão intensamente, que esse amor estava literalmente o matando. O loiro sofria de: Hanahaki, uma doença que só acontece quando o amor é unilateral; o que era o caso do Uzumaki. Sasuke não percebia porque estava ocupado demais namorando Sakura, uma garota por quem ele achava estar apaixonado. Ele estava tão cego que nem mesmo conseguia perceber que o verdadeiro amor de sua vida estava ao seu lado todo tempo, sofrendo.

Ele terminou de cuspir a última pétala no banheiro de seu apartamento e voltou para cima da cama, da qual, se pudesse, não saía nunca mais. Contudo, não podia, tinha que levantar e ir se encontrar com Sasuke na Empresa ao qual os dois dirigiam juntos. Para Naruto, era mais que uma tortura trabalhar e ainda ser o melhor amigo – escutem bem –, amigo, da pessoa por quem era mais apaixonado.

Naruto se perguntava como conseguia conviver com Sasuke dessa forma e ainda fingir que não sentia nada, quando ele, na verdade, estava sendo praticamente dilacerado por causa disso.

Por anos pensou que o moreno iria perceber o amor dele, que iria lhe corresponder. Mas, não foi o que aconteceu. Tinha se passado mais de dez anos e, agora, ele já tinha 20 anos e Sasuke 25. O loiro achou que, com o tempo, o moreno aprenderia a amá-lo e que iria corresponder seus sentimentos. Porém, não foi o que aconteceu.

O moreno percebeu sim que estava apaixonado, mas, pela pessoa errada. Sasuke se declarou, todavia, para Sakura. O que só contribuiu para desgraça de Naruto ainda mais.

Levantou da cama e se pôs à arrumar-se. Colocou seu melhor terno, arrumou seu cabelo que, por incrível que pareça, ficou do jeito que ele queria. Fez uma maquiagem no rosto pra esconder as olheiras enormes debaixo dos olhos azuis e, por último, abriu seu sorriso falso – aquele que a gente dá quando não quer que ninguém saiba à sua dor para não ter que ficar dando explicações do porquê de sua tristeza.

°•°•°•°•°•°•°•°•°

Sasuke e Naruto estavam revisando alguns papéis da área administrativa para verem aonde poderiam investir mais, e onde poderiam reduzir custos para que pudesse gerar mais lucro à Empresa. Naruto não percebeu, mas Sasuke estava ficando incomodado com à situação que se encontravam. Fazia algum tempo que o loiro já não sorria mais como antes e que não saíam os três juntos pra se divertir. Sim, os três. Sasuke não largava a mão de Sakura nem por um instante, e isso irritava o loiro profundamente.

– Naruto, quer sair comigo e a Sakura essa noite? – perguntou, na tentativa de alegrar Naruto e voltarem aos velhos tempos.

Naruto fingiu não escutar. Ele não queria ter que sair com os dois, pois isso só agravaria mais sua situação atual.

– Sasuke, eu acho que temos que reduzir gastos com compras de materiais. A Empresa está comprando mais do que consome, e isso está fazendo com os gastos sejam maiores que os lucros – fez-se de desentendido e mostrou alguns papéis ao moreno, onde confirmava tal fato.

Sasuke suspirou e decidiu dar uma olhada nos papéis, constatando um pouco depois que o loiro estava certo.

– O.k, Naruto. Mas você ouviu o que eu disse? – perguntou de novo.

– Sim, Sasuke eu ouvi. E não, não quero sair essa noite com vocês, prefiro ficar em casa mesmo – disse um pouco ríspido.

Discretamente, caminhou até o banheiro, onde cuspiu mais algumas flores, que já não era mais pétalas, e sim, flores inteiras de Lótus. E, pensando em sua própria situação, começou a chorar. Há um ano mais ou menos, tudo começou. Ele já não podia suportar cuspir pétalas e, para piorar, agora aquilo: cuspir flores inteiras.

Naruto tinha ido ao médico e contado para o especialista sobre seu problema, e ele lhe explicou que existiam três estágios: o primeiro era de cuspir pétalas, e o segundo flores inteiras. O terceiro era a fase dos buquês, onde a pessoa cuspia a flor preferida, junto de mais algumas outras flores, que formavam um buquê inteiro.

Sasuke deu por falta do loiro no escritório, todavia, não quis procurar. Achou que o amigo tinha saído para almoçar, já que eram quase meio dia, e ele mesmo nem se dera conta. Olhou o relógio, e resolveu ligar para Sakura para almoçarem juntos. Afinal, o amigo não quis esperá-lo.

Naruto, que tinha terminado de cuspir as flores no banheiro, limpou sua boca, e tratou de catar as flores do chão, para que assim, Sasuke não as visse. Saiu do recinto, e procurou pelo moreno. Olhou no relógio, e observou às horas, constatando que Sasuke estava almoçando. Sem fome, o loiro decidiu continuar a olhar os papéis.

Assim que terminou tudo, permaneceu ali, esperando por Sasuke somente para avisá-lo que logo estaria indo embora.

Quando o moreno entrou, acompanhado de Sakura, os dois estavam no maior chamego, e aquilo só destruiu mais o coração do Uzumaki; que de cacos, já havia virando apenas pó.

– Oi, Naru! – cumprimentou a rosada com um beijo no rosto.

– Oi, Sakura, como você está? – perguntou, sutil. Não queria que percebessem sua dor.

– Com saudades, você não sai mais com a gente, e isso me deixa irritada – fez um biquinho, e Naruto coçou a cabeça, sorrindo fraco.

– E que eu não quero atrapalhar vocês dois, sabe, e ficar de vela não é um dos meus pontos fortes.

– Que nada, bobo! Sasuke não te convidou para hoje à noite? – indagou e olhou para o moreno, que estava encostado no batente da porta.

– Convidar eu convidei, só que o Uzumaki aí disse que não quer ir – murmurou enquanto olhava para os dois.

Daquela forma, seguiu a discussão do porquê o loiro não queria ir. E, por fim, ele acabou vencendo os dois, dizendo que tinha muita coisa para fazer e que tinha que por suas séries em dia.

•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°

Passou-se algumas semanas depois daquilo, e Sasuke ficou ainda mais preocupado com a situação do amigo. Naruto não sorria mais e não falava muito, fazia seu trabalho é só lhe dirigia a palavra quando era necessário. E, por incrível que pareça, isso o estava incomodando. Conhecia o loiro desde pequeno, sua mãe e a dele eram melhores amigas, por isso cresceu ao lado do mesmo.

Naruto era como um raio de sol, sempre alegre contente, e não parava de falar um minutinho sequer. Tinha um sorriso capaz de iluminar os dias mais sombrios. Mas, que agora parecia ter se esvaído. Sasuke não entendia o porquê, e parecia que Naruto não queria lhe explicar também.

O moreno parou o que estava fazendo, e, decidido, resolveu tirar isso à limpo.

– O que está acontecendo com você, Naruto? – perguntou, indo direto ao ponto.

– Pra que quer saber? – respondeu, sem olhar para o moreno.

– Eu quero saber! E não é você que sempre diz que somos melhores amigos?

– Desde quando me considera seu melhor amigo, Teme? Você nunca gostou de ser chamado assim.

– Desde que eu me preocupo com você? – rebateu, como se aquilo fosse o óbvio.

– Ai, que bonitinho. O Teme se preocupado comigo – debochou o loiro, olhando para Sasuke. – Não te interessa o porquê de eu estar assim, Uchiha. Não é problema seu – murmurou, ríspido.

Aquele tom deixou Sasuke enfurecido. Quem aquele Uzumaki pensa que era pra falar com ele daquele jeito?

– Quer saber? Eu não tô nem aí também, fica com sua tristeza para outro lado. Não quer me contar nada mesmo. E eu aqui, bancando o preocupado com você. Como sou idiota – disse e olhou pra Naruto, que apertava os papéis na mão com tanta força, que seus dedos chegavam a ficar brancos. – Naruto?

Naruto não olhou para Sasuke, sabia que, se o fizesse, choraria na frente do moreno, o que resultaria em uma declaração precipitada.

– Naruto o que foi... – Sasuke não terminou sua frase, quando viu Naruto correr para fora da sala. Bufando, seguiu o loiro, que desceu as escadas, indo até a garagem. Ele pegou o carro, e foi em direção ao seu apartamento. O moreno, que conhecia o caminho, acabou por segui-lo para ver o porquê daquela mudança tão repentina do loiro.

Naruto chegou em sua casa e correu até o banheiro. Lá, ele colocou tudo pra fora, inclusive, flores. O Uzumaki não pensou que fosse acontecer tão rápido, então, assustado, pôde ver ali, no chão, buquês de flores.

Há um ano atrás, cuspia somente pétalas. Há três semanas atrás, flores inteiras. E, agora, tinha chegado na fase final, à que eram os buquês.

O loiro se surpreendeu com a rapidez em que foi para a fase três, contudo, nada chegou aos pés do susto que levou ao notar que alguém tinha chegado e batido na porta.

– NARUTO! – Sasuke gritou e procurou pelo amigo, que saiu do banheiro mais acabado do que nunca. – O quê... o que aconteceu com você, Dobe? – indagou, se aproximando de Naruto, que tratou de cair sentado no chão, chorando copiosamente.

Os olhos azuis fitaram Sasuke, que tinha uma expressão confusa nos Ônix negros. E, com o corpo e voz mais fracos que já teve em sua vida, pediu ajuda ao moreno:

– Me-me ajude, Sasuke… – os orbes mais claros do que o oceono, olharam para o chão. – Você é o único que pode desfazer isso – disse, voltando a encarar o Uchiha.

Sasuke não entendeu nada. Como assim era o único que podia desfazer? O que ele tinha que desfazer?

– O que eu sou o único que pode desfazer, Naruto? Desfazer o quê? – sentou ao lado do corpo do loiro, que se encontrava estirado no piso.

– Isso – Naruto levantou-se, e foi até o banheiro, indo buscar os buquês que havia cuspido ao chegar. Sasuke ficou no chão esperando, quando, de repente, viu o que o loiro tinha trago em suas mãos. O moreno se surpreendeu no mesmo instante, olhando para o Uzumaki com os Ônix negros arregalados.

– Não! Não! Isso é brincadeira, não é, Naruto? – perguntou, nervoso. Ele tinha entendido o que Naruto tinha, e, naquele momento, compreendeu também o porquê só ele poderia desfazer. – Você está brincando comigo, Uzumaki? – elevou sua voz, levantando-se do chão e agarrando a camisa de Naruto, depois o soltando. Ambos sabiam o quanto o moreno se encontrava nervoso.

– Eu te amo, Sasuke. Eu te amo e, durante esses anos todos, achei que você fosse me corresponder. Por anos eu achei que você fosse notar meu amor por você... mas não, você tinha que ser tão cego e me desprezar à ponto de começar a namorar com Sakura, e me deixar de lado, não é? – articulou, de maneira estranhamente calma, olhando para o Uchiha, que só faltava arrancar os cabelos da cevada, de tanto que os puxava. – Por favor, Sasuke, me ajude. Eu te amo, você é o meu amor! – Naruto tentou abraçar Sasuke, que acabou empurrando o loiro, que caiu no chão, chorando mais ainda.

– Nunca mais ouse dizer que me ama de novo! Seu nojento! – o moreno saiu dali furioso, deixando para trás, um Uzumaki arrasado. O loiro queria que o Uchiha lhe correspondesse e que lhe curasse, mas, não foi isso que aconteceu. Sasuke teve a pior reação que poderia imaginar, e aquilo somente contribuiu ainda mais com a dor do Uzumaki.

– Por favor… – sussurrou Naruto. – Por favor, Sasuke… – continuou sussurrando. – E-eu só queria que me amasse o tanto que eu te amo.

Por fim, acabou ficando ali mesmo, no chão onde fora jogado pelo sujeito que antes – mesmo que apenas aquilo – era seu amigo.

Sasuke saiu do apartamento furioso. Pegou o carro onde tinha estacionado, entrou e saiu com pressa, ultrapassando até os limites que podia nas pistas.

– Quem aquele Uzumaki pensa que é pra ficar me dizendo essas coisas? – socou o volante, com raiva. – Eu namoro Sakura, e amo somente ela – disse pra si mesmo.

Coitado. Mal sabia ele que, depois daquele dia, sua vida mudaria completamente. Mas, não para melhor, e sim, para pior.

•°•°•°•°•°•°•°•°•°

Passou-se mais de um mês depois daquele episódio na casa do Uzumaki. Sasuke não parava de pensar no loiro e nas palavras que ele lhe dissera, o que o fazia querer ir na casa do mesmo é pedir perdão. Porém, o "orgulho Uchiha" falava mais alto.

O moreno sentiu ainda mais vontade de vê-lo porque, há exatos um mês, Naruto não aparecia na Empresa. Aquilo estava acabando com ele, e o deixando mais estressado que o normal. Então, resolveu que precisava se desculpar com o loiro. Depois que terminasse tudo, iria à casa do Uzumaki, e lhe pediria perdão.

Mas, mal sabia ele que já era tarde demais.

Sasuke já tinha terminado tudo na Empresa e seguia para a casa de Naruto. Ele estava até levando Ramem pro loiro, os favoritos dele. Chegando lá, pegou o elevador e parou no andar do mesmo. O moreno se sentiu estranhamente incomodado quando ficou de frente a porta de Naruto, não sabendo o porquê, resolveu bater na porta. A pessoa que atendeu era a mãe de Naruto, Kushina.

– Sasuke? É você mesmo? – a ruiva perguntou, de cabeça baixa e chorando.

– O que está havendo aqui? – perguntou, olhando dentro do lugar. – Onde está o Naruto?

Kushina chorou mais ainda, e Sasuke não entendeu.

– Cadê o Naruto, dona Kushina? – perguntou de novo, entrando no apartamento e olhando para todos, que lhe olhavam consternados e chorando. Estranhou, afinal, todos estarem vestidos de preto.

– Dona Kushina? – olhou a ruiva, que simplesmente correu e o abraçou chorando.

– ELE SE FOI SASUKE! – gritou chorando abraçado o moreno – SE FOI, MEU NARUTO ESTÁ MORTO!

Por um momento, Sasuke esqueceu como era respirar. Se foi? Naruto estava morto? Como poderia?

– Sasuke? – Kushina tinha se soltando do abraço e olhou o moreno parado no mesmo lugar.

– Morto? Naruto... mentira... ISSO É MENTIRA! – berrou e começou a procurar pela casa. – Seu Dobe idiota! Cadê você? – a Uzumaki continuou chorando, ainda olhando para o moreno, que estava desesperado atrás do amigo, que tinha morrido dois dias antes.

O doutor tinha lhe perguntado se ele queria fazer a cirurgia de retirada de flores, mas, o mesmo se recusou. Naruto não queria perder as boas memórias e o sentimento de amor que sentia por Sasuke. Então, resolveu que iria literalmente Morrer de amor.

Sasuke não conseguia assimilar e aceitar que Naruto, o Dobe, o seu melhor amigo, tinha morrido. Kushina já tinha lhe explicado tudo e, mesmo assim, não entendeu. Por que se sentia tão mal? Por que essa dor não parava? Por quê… Passou suas mãos pelo rosto e viu as lágrimas, por que ele estava chorando?

Foi aí que se deu conta: o amava. Sasuke amava Naruto e não tinha se dado conta, até aquele exato momento. Não tinha se dado conta nem no dia em que o loiro quase implorou para que o ajudasse e se declarou para si.

– Eu te amo, e você é o meu amor! – recordou-se das palavras que lhe foram ditas.

– Nunca mais ouse dizer isso, seu nojento! – ele tinha o empurrado, o que fez com que Naruto caísse no chão. Porém, se tinha algo que Sasuke tinha certeza, era que: a dor de jogá-lo no chão não chegou nem perto da de tratá-lo com repulsa. Da de estar com outra pessoa em sua frente, da de se aproximar para dar-lhe apoio, quando, na verdade, ele era o culpado.

– POR QUE SÓ AGORA? POR QUE SÓ DEPOIS QUE VOCÊ SE FOI? HEIN, SEU DOBE? POR QUÊ? – gritou ainda mais.

Por quê?

°•°•°•°•°•°•°•°

– Aqui estou eu de novo, meu amor – falava baixinho pra que somente ele escutasse. – Aqui estou eu de novo, dizendo o quanto eu te amo e o quanto me arrependi amargamente por não ter me dado conta à tempo de te fazer feliz. De nos fazer feliz – depositou as margaridas sobre o túmulo de Naruto.

Depois daquele dia, o moreno concluiu que ele viveria. Viveria para se arrepender de não ter correspondido o amor de Naruto, e por tê-lo feito sofrer. Terminou com a Sakura, e a mesma entendeu o motivo. Passou a ser sozinho e solitário, e também passou a morar com os pais do loiro.

Se arrependimento matasse, Sasuke já estaria morto e enterrado.

Beijou as flores e as deixou ali, depois saiu andando, sentindo a brisa bater em seus cabelos negros.

– Eu também te amo, Teme.

31 мая 2018 г. 23:06:24 2 Отчет Добавить 2
Конец

Об авторе

Misayama Pra mim não existe NaruSasu. O simples pensamento do Sasuke Uke me dá agonia. Eu só consigo ler SasuNaruSasu. Estudante de Administração. Amo escrever. Adoro tomar chá e observar o pôr do sol toda tarde.

Прокомментируйте

Отправить!
Wolfinha -- Wolfinha --
Ai, que bad ;-; A gente só se dá conta quando já é tarde demais. Isso faz parte da natureza humana. Mas, o amor é lindo de qualquer forma e achei linda a atitude da Sakura de entender o motivo do término. Eu amei <3 Vou guardar essa história e tu em um potinho <3

  • Misayama Misayama
    Aí muito Obrigado minha Flor! Gostei da ideia do potinho, se quiser me guardar tô a disposição 💕 Muito Obrigada pelo comentário meu anjo 💕❤️😍 31 мая 2018 г. 20:06:12
~

Похожие истории