Criminal Partners Подписаться

tiatatu Tatu Albuquerque

Uma noite de diversão, uma noite de jogos, uma noite de prazer, uma noite de disfarces, uma noite de crimes. Eles eram cúmplices, amigos, parceiros em seu mais novo e valioso golpe: roubar um milionário em um luxuoso cassino e sair rico - e livre - de lá em direção ao próximo golpe. Songfic de Downtown - Anitta feat J Balvin Fanfic KonoHana


Фанфик 18+.

#Naruto #FNS #KonoHana #Hanabi/Konohamaru
Короткий рассказ
1
6767 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo Único


As roletas, as cartas, os dados, as fichas e o dinheiro sobre a mesa compartilhada pelos milionários que sorriam entre uma aposta e outra. Mais uma mesa comum de jogos em um cassino, não fosse pelo rapaz moreno que discretamente observava o comportamento dos homens, fingindo ser tão abastado quanto eles. Seus olhos pairavam sob o moreno de óculos na mesa ao lado, sorrindo diante de uma vitória em um golpe de sorte, o analisando, atento, principalmente, ao comportamento dele diante da bela moça de cabelos castanhos, levemente ondulados, e olhos quase brancos de tão claros, que, após sorrir para outro milionário e ter sua vez de jogar, lançou os dados sobre a mesa e, em um golpe de sorte ainda maior:

— Tudo para a moça dos olhos claros! - ela comemorou e pegou as fichas e os maços de nota, saindo de seu campo de visão, mas também não importava, estava na hora de voltar para o quarto que estava ocupando no hotel do local. Ao chegar, contou os maços de notas que havia conseguido roubar durante o jogo, os balançando enquanto sorria, mordendo o lábio inferior. Os empilhou sobre a mesa orgulhoso, logo voltando sua atenção para a pasta que deveria estudar.

— Matsuda Udon… - era o nome do rapaz que Konohamaru estava observando na mesa de jogos, seu novo alvo. Já nos corredores, a sensual jovem agora rumava o quarto onde ele estava, abrindo a porta sem cerimônia, mas ele não se assustou, na verdade, a esperava. - Demorou bastante, Hanabi! - a morena lançou longe o sobretudo que vestia, voltando a expor o belo corpo valorizado pelo corpete preto, já retirando das negras e sensuais meias ¾ alguns novos maços, assim como jogando a ele os dados usados.

— Demora pra conseguir trocar todo esse dinheiro, benzinho, seus dados me deram muita sorte! - os cúmplices sorriram em deboche e malícia, com Hanabi o puxando pela gravata e lhe dando um rápido beijo antes de sentar sobre seu colo, tendo a lateral de suas coxas acariciadas suavemente. Logo se distraiu da leve e rápida sedução e então mirou as fotos e anotações sobre a vítima do próximo golpe. - Então esse é o idiota da vez? - questionou com o rapaz lhe mostrando bem a foto de Udon que na pasta havia. - Não é o idiota na mesa dos dados hoje? - perguntou curiosa.

— O próprio, um playboy muito rico que vamos deixar um pouco mais pobre amanhã! - juntos, sorriram de canto, com o Sarutobi se servindo da cerveja que havia pedido, assim como servindo um copo para a comparsa que agora contava os dinheiro conseguido com os golpes do dia. Em anos de parceria, os amigos colecionavam uma extensa ficha de delitos e golpes, sendo esse o maior. Se tudo saísse como o planejado, a dupla talvez não precisasse mais permanecer na vida de crimes, que, por sinal, já estava perigosa. - Esqueceu suas lentes de contato de novo?

— Foi um vacilo, eu sei, mas amanhã eu uso! - ele negou com a cabeça, batendo em sua coxa levemente, sinalizando que desejava levantar, assim o fazendo assim que ela deixou seu colo, indo até o banheiro da suíte para retirar as lentes que deixavam seus olhos negros azuis, as guardando no recipiente apropriado e lavando o rosto. Ao escutar o barulho da roupa sendo retirada e da banheira sendo enchida, a Hyuuga sorriu maliciosa. Eram amigos, mas a amizade possuía sim seus benefícios sexuais, dos quais ela desejava usufruir naquele momento, por isso retirou suas poucas roupas e se dirigiu ao cômodo, entrando na banheira já sentando no colo do comparsa que acariciou seu traseiro, beijando seu pescoço, logo descendo por seu colo.

— Pelo visto, alguém gostou muito de ficar olhando pra eles pelo decote! - debochou antes de abocanhar seus seios, abafando assim seus leves e roucos suspiros diante do rebolo sedutor de Hanabi, que sorriu confiante.

— E quem não gosta? - sua autoestima era admirável, pensava Kono, que apenas negou com a cabeça antes de lhe beijar, segurando firme seus quadris, com a mulher lhe encaixando em seu interior, dando início à forte penetração comandada por ela, que o levava à loucura a cada movimento firme e gostoso de seu quadril. - Até você gosta! - sussurrou atraente enquanto seus cabelos eram segurados com força na região da nuca e seu pescoço mordido, gemendo leve com as sensações proporcionadas. Seus seios foram apertados, seu lábio inferior mordido, seu interior ardia em prazer, principalmente quando ele a apoiou no deck da banheira e então passou a lhe penetrar furioso. Já ele tinhas as costas arranhadas, os ombros mordidos, os cabelos puxados, o quadril enlaçados pelas torneadas pernas que agora eram apertadas e acariciadas. Se retirou dela ao sentir o ápice próximo, ainda não desejava terminar o ato, por isso se trocou por seus dedos, que a acariciavam inteira, a fazendo gemer mais alto a cada carícia em seu clitóris ou a cada dedo penetrado, assim como a cada sugada ou mordida em seus mamilos tesos. Assim que se sentiu segura do orgasmo, mordeu o lábio dele, o convidando para um novo beijo e se oferecendo para uma nova penetração. - De uma vez! - pediu entre os beijos, que sufocaram os gritos de prazer de ambos, que morderam cada qual o lábio inferior do outro, sorrindo satisfeitos, tanto por sexo quanto por dinheiro, ao menos por aquela noite.

Na noite seguinte, ela surgia no alto da sacada do salão do cassino, agora ainda mais sedutora, com os cabelos presos, com as lentes de contato que transformavam o tom estrelado de seus olhos em um denso céu escuro, negro como a própria noite, que a convidava para o próximo ato. Da mesa da roleta, onde apostava pouco tentando disfarçar antes dos próximos ganhos, Konohamaru a observava atento, enquanto tomava um pouco do drink de seu próprio copo. Ao ver o olhar de Udon fixos no decote e na fenda do vestido negro de Hanabi, teve certeza que seu plano daria certo. Não era bom sempre estar ganhando, afinal, isso chamaria muita atenção dos seguranças do lugar e do próprio milionário, por apostou novamente em um número aleatório na roleta, perdendo de propósito poucas fichas.

— Acho que não é meu dia de sorte! - dizendo isso, guardou o que lhe sobrava e se dirigiu sorrateiro para a mesa de dados, sem chamar a atenção de ninguém, visto que a maioria, principalmente o alvo, focava em sua cúmplice, que o seduzia com o olha. Assim que ela virou e o viu, Konohamaru fez sinal para que ela mais uma vez o distraísse, se aproximando de onde estava a pilha de dinheiro das apostas.

— Aí, desculpa! - disse ela após derrubar algumas fichas diante de Udon, que, devido ao “feitiço” de sua sedução e confiante em tentar lhe conquistar, se abaixou junto a ela para recolhê-las do chão. Enquanto todos reparavam no “acidente”, o golpista aproveitou “o momento certo” para afanar o máximo de maços que pudesse conseguir, os escondendo no paletó enquanto deixava o local rapidamente, antes que todos retornassem a atenção ao jogo, sem notar a diminuição no montante. - Obrigada! - agradeceu sorrindo, colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha, piscando discretamente para o amigo que assentiu e sorriu de canto. Ele havia conseguido, restava a ela cumprir com a segunda parte do plano. - Há muito tempo aqui perdendo e ganhando dinheiro? - puxou assunto com o homem se debruçando sobre a mesa enquanto olhava em seus olhos, dependendo da manutenção do contato visual com o milionário para que assim pudesse pegar mais notas do montante que estava separado para continuar as apostas, as escondendo em seu vestido, comemorando mentalmente quando notou que havia dado certo. Logo Konohamaru retornou, com suas lentes e agora com um chapéu Panamá, uma forma de disfarce, agora pra por uma nova forma de golpe em prática, utilizando os dados “especiais” que possuía.

— Uma nova aposta, senhores? - perguntava o gerente da mesa, atento ao movimento suspeito, mas logo Hanabi voltou a chamar atenção.

— Eu vou apostar tudo! - disse alto olhando para os homens, seduzindo-os, fazendo com que apostassem alto apenas para lhe impressionar.

— Eu aposto metade… - disseram a maioria dos apostadores, mas Udon, achando que poderia lhe conquistar com isso, foi além.

— Eu aposto tudo, não me fará falta! - dizendo isso pôs tudo o que tinha na mesa a disposição do chefe da mesa, que, distraído, não viu quando os dados foram trocados por Konohamaru, que depois os lançou e, com isso ganhou com o maior número da mesa, como era apostado, retirando a quantia levada.

— Acho que minha sorte mudou! - trocou sorrisos discretos com a cúmplice, que discretamente pôs um calmante na bebida de Udon, que nada notou, tal como seus seguranças.

— É uma pena, acho que o dia não está pra mim, vou voltar para o meu quarto. - o milionário sorriu, admirando seu traseiro quando ela se foi, alegrando o Sarutobi. A última etapa do plano havia sido perfeita. Eles já haviam conseguido muito, cerca de 2 milhões em dólares e fichas, mas ainda queriam mais, por isso, após a jovem destrocar os dados, ela seguiu para a área dos quartos, não sozinha, mas com Udon, que já sentia a vista, já afetada pela miopia, embaçada, mas isso não o desmotivava a ir atrás da golpista que sentiu seus braços ao redor de sua cintura, fingindo ser seduzida por ele, até mesmo porque não tinha muito tempo, precisava ser rápida.

— Não prefere vir para a minha suíte? - perguntou sedutor já na porta do elevador, com Hanabi, sem perder tempo, o puxando e beijando, era a última fase do plano milionário dos dois. Seguiu com o milionário, agora sem os seguranças, o jogando dentro da cobertura, abrindo o zíper de seu vestido, novamente o hipnotizando, se despindo aos poucos, dançando sensual e rebolativa, agora com seus seios desnudos.

— Gostando do show? - perguntou ao homem que se acariciava sobre a calça, excitado diante da imagem de Hanabi, que pulou em seu colo após lhe arremessar na cama, com o homem retirando o óculos, culpando a miopia pela visão turva que lhe impedia de ver nitidamente a face da mulher, de quem acariciou a pele das costas, quadris e coxas.

— Só não gosto mais do que gostei de você! - sorriu malicioso e beijou seu pescoço, subindo até sua boca, com ela sentindo seu toque e seu beijo, que não lhe agradava tanto, mas talvez fosse pelo sono que já começava a lhe abater. Sedutora e procurando se no quarto havia câmeras, ela continuou a rebolar e se insinuar, puxando os cabelos e levando o rosto de sua vítima entre seus seios, que ele mordiscou até que o calmante finalmente fez efeito, com Udon tomando deitado, fazendo a mulher sorrir diante de sua idiotice.

— Homens, não podem ver um par de peitos que já caem em qualquer golpe. Depois reclamam que qualquer uma vem e estraga suas vidas. - debochando, vasculhou a suíte que ficava na cobertura do hotel, tirando de lá as valiosas joias que o milionário ali possuía, rapidamente, não sabia se o sonífero teria um longo efeito, mas antes bagunçou bem a cama, beijou o espelho do banheiro, após jogar na lixeira algumas camisinhas estiradas, para simular uma quente noite. - Tchauzinho, otário, isso que dá se envolver com a primeira que aparece se oferecendo! - lançou um beijo ao homem que dormia pesado, deixando o quarto com pressa, correndo antes que os seguranças notassem o acontecimento, fugindo para o quarto que ocupava, apressada para soltar os cabelos e retirar as lentes.

— Conseguiu? - questionou Konohamaru assustado e preocupado, após trancar a porta, mas ao vê-la lhe jogar algumas das joias, sorriu contente, comemorando.

— O milionário não resistiu aos meus encantos! - zombou retirando as joias e o dinheiro roubado das vestes, jogando-os sobre a cama, caindo ali com o Sarutobi, que jogou várias das notas sobre os dois, comemorando a nova fortuna.

— Estamos ricos! - comemorou baixo. - Vendendo as joias e dividindo a grana, dá 4 milhões pra cada, investindo e juntando com o que a gente já conseguiu, dá pra nunca mais fazer isso! Já estamos acertados! - constatou aliviado, levantando para então vestir um novo paletó, mas Hanabi, maliciosa e levemente excitada por conta do ocorrido com Udon, o puxou pela mão, o jogando no sofá vermelho, deitando sobre ele.

— Não estamos acertados, nada! Você me deve uma noite bem gostosa pelo o que eu fiz! - exigiu maliciosa, sentindo as mãos do golpista passeando por seu corpo, retirando sua calcinha.

— Vai ter que ser uma rapidinha, a gente tem que sair daqui lo… - foi beijado, se calando.

— Não vamos perder tempo então! - as mãos dele apertaram seus seios de forma firme, enquanto se colocava sentado, com ela novamente por cima, se apoiando em seu pescoço e também no encosto do sofá, rebolando e dançando à vontade, tendo o corpo apalpado e o pescoço beijado, sorrindo maliciosa com alguns planos, mas então Konohamaru a puxou pelos cabelos.

— Não pense que vai me passar a perna! - é, nem todos os homens caiam fácil em seus golpes, ainda mais sendo aquele que os dava juntamente consigo.

— Eu nunca vou conseguir te enrolar, não é mesmo? - ela o beijou, talvez fosse isso que lhe excitasse no rapaz, ele era diferente nessa questão e em outras várias, como por exemplo separar as coisas. Desceu de onde estava, encarando seu sexo, deslizando sua língua por ele, olhando em seus olhos.

— Pra quê me enrolar se você é tão melhor me chupando? - segurou firme em seus cabelos, lhe incitando a abocanhá-lo, mordendo a boca com a carícia. - Vamos passar umas férias no Caribe?

— Tem cassinos lá? - questionou lhe masturbando. Não era porque não precisariam mais do crime que o deixariam de fazer, afinal, o perigo lhes excitava e, excitada, agora foi a vez de Hanabi exigir as preliminares, por isso sentou sobre o sofá, sentindo suas coxas sendo acariciadas e mordiscadas após ele ajoelhar sobre o chão e afastar bem suas pernas, lhe penetrando com os dedos enquanto sugava seu clitóris levemente, sentindo os cabelos sendo puxados e a nuca sendo arranhada, enquanto ela gemia enlouquecida. - Acredita que nem isso ele fez?

— De um cara que acha que apostando tudo numa mesa de jogo pode conquistar uma mulher, eu já esperava coisa assim, mas desperdiçar essa delícia aqui até me surpreende! - sua língua fez um zigue-zague desde o clitóris até a cavidade íntima da mulher, que mordeu a mão ao senti-la girando sobre a circunferência e então lhe penetrar. - Me deixar careca vai ser ruim pros planos!

— Cala a boca, gênio do mal, cala a boca e me fode! - o empurrou contra o chão, sentando em seu colo de ser dominada e colocada deitada sobre as pernas dele, que logo foi apoiando os pés e panturrilhas da mulher no sofá, a puxando pela cintura, assim comandando a forte penetração que se seguiu, apreciando suas faces de prazer.

— Assim? - questionou debochado, sorrindo de canto.

— N-não, assim! - se libertando de seu domínio, deitando no chão, se masturbando como um convite para a retomada do sexo, voltando a ser violentamente penetrada quando ele deitou sobre si, lhe beijando o pescoço.

— Às vezes dá vontade de morar em você, sabia? - provocou massageando seu ego, assim como seu próprio sexo era massageado pelo dela, que se oferecia para intensificar o orgasmo que começava a lhe abater, gritando ao senti-lo, assim como sentindo o líquido do clímax do parceiro que mordeu seu lábio inferior, olhando em suas luas eclipsadas.

— Demoramos muito tempo? - questionou ao retornar a razão, ainda ofegante, sendo ajudada por ele para levantar.

— Agora devem estar procurando pela mulher de olhos negros que roubou o milionário que estava bêbado demais pra saber como ela era… Mas os seguranças sabem bem! - advertiu olhando pela fechadura a correria. - Põe a peruca, recolhe as coisas, a gente precisa sair daqui! - ela concordou e junto dele guardou tudo nas caras bolsas que possuíam, deixando a suíte disfarçados, ele como um rapaz loiro de olhos azuis e ela com uma peruca negra-azulada, com franja, calmos, sem chamar atenção dos seguranças, controlando o riso ao ver o ricaço sendo amparado pelos gerentes do local.

— Seu carro, senhor Namikaze! - agradeceu ao manobrista que trouxe o carro que alugou em um nome fictício sem falar muito, um pouco nervoso quando o chefe da mesa de dados o olhou antes de finalmente negar com a cabeça, pensando não ser ele seu suspeito, com Konohamaru suspirando aliviado após sua ida, rapidamente entrando no carro com a comparsa que, assim que eles seguiram pela estrada no deserto, se livrou dos disfarces, seguindo risonha deixando apenas o rastro de sedução e golpes para trás.

“Milionário é roubado em cassino, o prejuízo de Matsuda Udon chega a 4 milhões de dólares. A suspeita do roubo ainda não foi identificada, mas sabemos que seu comparsa tem olhos azuis...”

Era a notícia dada mais uma vez por um telejornal que era assistido pela dupla que estava em um quiosque, se divertindo às custas do dinheiro roubado em Las Vegas, em uma das praias de Barbados, após ter roubado um novo cassino, ainda em território americano.

— Um brinde à nossa parceria! - disseram juntos, brindando com os drinks nos abacaxis que serviam de copos, aproveitando o belo dia de sol e a bela vista, até que os olhos de Hanabi pairaram no rapaz moreno, herdeiro da construção civil, de nome Inari.

— É ele? - retirou o óculos de sol para ver melhor, revelando os olhos verdes frutos de um novo uso de lentes de contato.

— O próprio, já sabe como fazer, não é, parceira? - ela sorriu, levantando e fingindo passear pela faixa de areia, soltando os fios da peruca rósea, já seduzindo sua nova vítima. Uma nova cidade, um novo golpe, os mesmos parceiros, os mesmo drinks. Após mais um roubo, mais uma fuga, mais um brinde e mais um plano. Seguiriam cúmplices, culpados e fugitivos, sem deixar rastros até a próxima missão.

4 марта 2018 г. 0:11:54 1 Отчет Добавить 1
Конец

Об авторе

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Прокомментируйте

Отправить!
Fox Bella Fox Bella
CARALHO COMO EU NÃO LI ISSO ANTES MEU DEUS! HANA E KONO CRIMINOSOS É MARAVILHOSO! MESMO Q O CRIME NÃO SEJA BOM ELES SÃO MARAVILHOSOS! E A HANABI DISFARÇADA DE HINA E SAKURA PORRA! FEZ MEU DIA MAIS FELIZ NESSA BOSTA DE AEROPORTO!
~