Help! Подписаться

scorpius MyG !

Sabia que aquilo estava se tornando um ciclo vicioso e errado, mas era sempre assim: Sasuke fazia alguma besteira e eu corria para os braços de Itachi. Sei o que estão pensando, afinal, é errado correr para meu cunhado cada vez que seu irmão comete algum erro, mas Itachi era carinhoso, era gentil, tinha um ombro amigo e estava disposto a me escutar. Era tudo que eu precisava. Ele abriu a porta, com seu melhor sorriso calmo e eu desabei. Lágrimas rolaram por meu rosto embaçando a visão e Itachi me abraçou. Ele sabia por que – ou melhor, por quem – eu estava ali naquele estado deplorável. E mais uma vez, ele veio a meu socorro.


Фанфик 18+.

#hentai #itasaku #comédia #itachi #sakura #naruto #drama #romance
8
6.9k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo 01

Sabia que aquilo estava se tornando um ciclo vicioso e errado, mas era sempre assim: Sasuke fazia alguma besteira e eu corria para os braços de Itachi.

Sei o que estão pensando, afinal, é errado correr para meu cunhado cada vez que seu irmão comete algum erro, mas Itachi era carinhoso, era gentil, tinha um ombro amigo e estava disposto a me escutar. Era tudo que eu precisava.

Poderia procurar por Ino ou uma de minhas amigas, mas elas julgariam Sasuke e a mim também pelo nosso relacionamento sem noção, eu não queria aquilo, por isso me encontrava novamente em frente à porta 410, tocando a campainha freneticamente tamanha minha ansiedade.

Ele abriu a porta, com seu melhor sorriso calmo e eu desabei.

Lágrimas rolaram por meu rosto embaçando a visão e Itachi me abraçou.

Ele sabia por que – ou melhor, por quem – eu estava ali naquele estado deplorável.

E mais uma vez, ele veio a meu socorro.

- Saky... – Ele sempre me chamava por aquele apelido quando queria demonstrar carinho, me afundei na curva de seu pescoço fungando e ainda colada a seu corpo, adentramos o apartamento.

Ele caminhou comigo até o sofá e eu não ousei me afastar dali. Após estar sentada, ele se afastou um pouco de mim e limpou parte das lágrimas que insistiam em cair.

- O que o Sasuke fez dessa vez? – Notei o tom de desprezo que sua voz emitia ao pronunciar o nome do irmão. Assim como eu, receio que ele também estava se cansando.

- Eu vi Itachi... – Engoli em seco buscando parar com os soluços. – Ele disse que ficaria até mais tarde no escritório na sexta, por isso não iria lá em casa comemorar nosso aniversário de namoro e tudo bem, eu entendi. Mas hoje pela manhã, vi que marcaram ele em uma foto do pub Konoha. A festa aconteceu na sexta, ele estava com mulheres. Ele mandou apagar, mas vi tudo antes. – Funguei, cabisbaixa. – Aquilo definitivamente não era uma reunião. – Itachi me abraçou novamente, suspirando profundamente enquanto eu voltava a desmoronar.

- Já te disse isso e volto a repetir Sakura, não sei o que uma mulher incrível como você está fazendo com um cara feito o Sasuke, as atitudes dele são desprezíveis. – Ele estava certo e eu sabia disso, mas era um ciclo altamente vicioso que começou no ensino fundamental, se alastrou pelo médio e continuou na faculdade.

Sasuke Uchiha era o sonho de consumo de qualquer garota, eu estava inclusa.

Quando, lá no ensino fundamental acabamos fazendo um trabalho em dupla, vi o quanto Sasuke era amável e bondoso. Nossa relação foi se fortalecendo, viramos grandes amigos e no final do ensino médio ele me pediu em namoro.

Quase cai para trás, Sasuke Uchiha me queria como namorada? Sonhos se realizavam e os deuses eram bons.

Mas tudo se complicou na faculdade. Sasuke mudou, virou um festeiro que pouco ligava para mim, que não o acompanhava a fim de me dedicar ao tecnico e minha bolsa de estudos.

Ele era filho do poderoso Fugaku Uchiha, poderia amanhecer de porre que mesmo assim passaria em uma prova, era certo.

Continuei empurrando nosso relacionamento em meio a magoas, decepções e pedidos de desculpa por parte dele.

Ele gostava de mim, eu sabia.

Mas era tola em pensar que ele mudaria.

Itachi voltou para a cidade quando estava terminando meu tecnico e Sasuke a faculdade, e desde sempre foi notável a diferença entre ele e o irmão.

Itachi tinha um escritório de advocacia, com vinte e oito anos era o mínimo que se esperava do filho prodígio dos Uchiha.

Já Sasuke se formou e assumiu parte da empresa do pai, o ajudando no escritório.

Não me recordava qual foi a primeira vez que acabei nesse apartamento, mas Itachi me ouviu e isso deu brecha para todas as seguintes.

Depois das noitadas e de ser pego, Sasuke se arrependia e me procurava. Jurava amor, mandava flores, era carinhoso... E eu me sentia mole e fraca diante de seus encantos, cedendo por fim.

Mas aquilo já havia se tornado uma doença e das graves.

Estava exausta, minha cabeça gritava por um tempo e aquela foto fora o estopim.

- Eu sei Itachi. – Murmurei limpando as lágrimas e olhando em seus olhos. Tão parecidos com os de Sasuke e ao mesmo tempo, tão diferentes. – Também estou me perguntando isso, mas eu me decidi, vou acabar tudo. – Nem eu acreditava que aquilo era possível, pois nem poderiam ser contadas nos dedos as vezes que prometi aquilo a meu cunhado.

Itachi me olhou com um misto de dúvida e pesar. Ele também lembrava de minhas promessas anteriores.

- Sakura... – Ele suspirou, relaxando a postura. – Não faça nada imprudente. – Eu iria o responder, mas meu celular tratou de tocar no volume máximo. O segurei entre os dedos, fitando a foto de Sasuke na tela.

Havia começado.

Agora ele ligaria desesperado, pediria desculpas, choraria... O que fosse necessário.

Soltei um suspiro, eu não queria atender.

Como se lesse meus pensamentos, Itachi tomou o aparelho de minhas mãos e antes que eu pudesse protestar, o atendeu.

- Porra Sasuke, dá um tempo. – Curto e extremamente grosso, Itachi não teve muitos rodeios. O celular não estava na viva voz, mas eu conseguia ouvir perfeitamente a voz no outro lado da linha.

- Itachi? – Escutei a maneira surpresa com que ele exclamou o nome. – Por que está com o celular da Sakura?

- Por que ela está comigo. – Respondeu o mais velho como se fosse obvio, me observando com o canto do olho.

- Mas por que diabos ela estaria com você?! Estão no seu apartamento?! Eu estou indo aí, tenho coisas para falar com a minha namorada. – O tom de Sasuke era extremamente irritadiço, quase consegui imaginar uma veia pulsando em sua testa. Ele sempre teve inveja do irmão e saber que estou aqui, bom... Só agravou tudo.

- Pode até vir maninho, mas já adianto que perderá a viagem pois estou proibindo sua entrada na portaria. Passar bem, Sasuke. – Ele finalizou a ligação e por fim, desligou o aparelho, o colocando em cima da mesinha de centro. Em seguida pegou o próprio celular, o desligando também. Ele caminhou de um lado para o outro, parecia nervoso, até me olhar. – Desculpe pela intromissão Sakura, sei que não fiz o racional, mas você precisa de um tempo longe de Sasuke. - Assenti, para variar Itachi estava certo. Ele sentou ao meu lado no sofá e pegou minha mão, fazendo caricias em círculo na parte de cima. – Fica aqui essa noite?

Quase engasguei com a própria saliva tamanha a surpresa. Meus olhos arregalaram-se por que jamais ele pediu algo do tipo.

Creio que ele tenha visto a frustração em meu semblante por que em seguida seu sorriso apareceu.

- Calma Sakura... – Ele soltou uma risada rouca. – Só estou dizendo isso por que aqui Sasuke não conseguirá falar com você. Pode esclarecer seus pensamentos. Ele irá ao seu apartamento com toda certeza por que duvidara do que eu disse. – Respirei profundamente acalmando os pensamentos nada decentes que me passaram na cabeça.

Por Kami, que diabos eu havia pensado? Ou melhor, por que?

- Tudo bem Itachi, mas eu nem trouxe roupas. – Disse em um muxoxo triste e ele levantou, me estendendo a mão.

- Ah! Minhas roupas vão ficar lindas em você. – Disse ele todo empolgado e as vezes duvido seriamente da sexualidade de Itachi.

Mentira, ele banca o gay apenas quando está comigo por que como Sasuke, ele é daqueles “destruidores de calcinha”.

Odeio admitir, mas dona Mikoto tem um útero abençoado.

Na verdade, desde o tio Madara ao primo Shisui a genética é abençoada.

Coloco um sorriso mínimo no rosto e seguro sua mão, me colocando de pé.

- Você sabe o caminho até meu quarto Saky, fique à vontade. – Disse ele se afastando. – Vou pedir comida e avisar a portaria sobre Sasuke.

Ele sorriu e sumiu no corredor, eu suspirei.

Itachi era o anjo que surgiu na minha vida a fim de equilibrar a balança que era meu relacionamento por vezes infernal ao lado do irmão.

E eu apreciava aquele “que” de anjo da guarda.

26 февраля 2018 г. 3:27:35 0 Отчет Добавить 1
Прочтите следующую главу Capítulo 02

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 24 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму

Похожие истории