Bellator Подписаться

sabrinaandrade Sabrina Andrade

Naruto conhecia as vantagens em ser da realeza e se aproveitava de todas elas, principalmente por não ter o peso das responsabilidades de um herdeiro como seu irmão. Da maneira que menos esperava, conheceu o amor nos braços de uma garota que lutava para cuidar do pai e da irmã, depois que o pai ficou incapacitado de fazê-lo. Quando finalmente achou que tinha encontrado a felicidade, uma fatalidade fez com que precisasse assumir a posição de herdeiro ao trono e viu-se numa situação em que teria que escolher entre o amor de sua vida e as obrigações com seu reino.


Фанфик 21+.

#Naruto #Medieval #Hentai #NaruHina #Universo Alternativo #FNH #AoMesmoTempo
35
8.0k ПРОСМОТРОВ
В процессе - Новая глава Каждые 10 дней
reading time
AA Поделиться

Prólogo

Ser dar realeza tinha suas conveniências. Mulheres, poder e todo o luxo que o dinheiro pudesse comprar. Mas ser da realeza também tinha seu lado ruim. A responsabilidade que os membros da família real tinham com seus súditos, os sacrifícios que, por muitas vezes, se viam obrigados a fazer pelo bem do reino... Mas Naruto não se preocupava com aquilo. Essas obrigações cabiam ao irmão mais velho, à ele restavam apenas as vantagens que fazia questão de aproveitar.

Se tinha um privilégio do qual o jovem aproveitava, era o das lindas mulheres que disputavam uma noite na cama do príncipe, situação conhecida por todo o reino. Enquanto Menma fora obrigado ainda muito novo a assumir um noivado com uma jovem princesa de um reino aliado, e assim, ao menos ser discreto sobre suas aventuras, Naruto se deitava cada noite com uma e não fazia questão alguma de esconder. Diziam as más línguas que até mesmo as esposas insatisfeitas dos muitos nobres daquela corte eram frequentadoras dos aposentos do loiro.

Quem não gostava nem um pouco de tal rumor era a rainha. Kushina sempre fora uma mulher enérgica e não admitia tal comportamento dos filhos, mesmo sabendo que era comum entre os homens da corte, e sempre que podia puxava a orelha do mais novo dizendo que aquilo não era bem visto e que deveriam tratar logo de lhe arranjar uma noiva. O loiro que em aparência tinha puxado totalmente o pai, sendo alto, forte, com rebeldes fios loiros e lindas safiras como olhos, havia puxado a personalidade inteiramente da mãe e com aquele mesmo jeito extrovertido e brincalhão da rainha, acabava sempre por se livrar daquela conversa. Não tinha interesse em deixar sua vida libertina tão cedo. Nem de longe tinha experimentado tudo que o reino tinha a lhe oferecer.

Mas se engana quem pensa que o jovem príncipe era apenas um mulherengo incorrigível. Desde a mais tenra idade, os irmãos Uzumaki receberam todo tipo de lições importantes para a formação de um verdadeiro nobre, como letramento, corrida, lutas de espadas e montaria, até chegar a época em que aprenderam sobre política, suserania/vassalagem e estratégias de guerra. No fim, Menma se tornou um ótimo político e seria um ótimo rei no futuro, enquanto Naruto se tornou um hábil combatente e exímio estrategista, recebendo o comando de sua primeira tropa no Exército Real, muito mais novo do que era o costume. A corte dizia não conhecer irmãos que nasceram para governar tão bem juntos quanto aqueles dois, cada um com seu devido papel e aquilo enchia tanto Kushina quanto Minato de orgulho.

Como de costume em tempos de paz, Naruto mais uma vez supervisionava de perto o treinamento de suas tropas. Aquele era um dos maiores motivos para ter se tornado um exímio comandante, estava sempre a par das habilidades de seu contingente, além de ser ele mesmo quem corrigia os erros durante os treinamentos. Claro que não conseguia dar atenção particular a cada soldado sob seu comando, mas apenas o respeito que tinham por ele e as demonstrações que faziam em suas rondas, já motivava seus seguidores.

Outro motivo para as rondas, e esse ainda mais aguardado, principalmente pelos jovens soldados, era que Naruto tinha um sistema de promoção com base no talento do combatente. Quando notado em meio à legião de homens que treinavam entre si, um que tivesse uma habilidade superior à dos outros, o rapaz subia na hierarquia do exército, passava a ajudar no treino dos outros - assumindo eles mesmos o treinamento de uma esquadra quando esse tivesse experiência suficiente - e a vantagem mais esperada pela grande maioria, recebiam um soldo melhor. Todos sonhavam em ser notados pelo loiro. Todos menos ele.

O jovem franzino que raramente era visto sem sua armadura tinha uma habilidade excepcional com espadas. Era muito rápido e ágil, o que compensava sua pequena estatura e peso, mas diferentemente dos demais colegas, não tentava a todo custo chamar a atenção do príncipe para si. A bem da verdade, sempre dava um jeito de escapar do campo de treinamento quando o loiro estava por ali. E quando não conseguia realizar sua fuga costumeira, se acometia de tremedeira e falta de atenção de tal maneira que sua técnica tão limpa, de movimentos tão rápidos e fluídos, tornava-se quase irreconhecível. Tal fato fazia com que o jovem fosse taxado de estranho entre os companheiros, alguns suspeitavam até que o jovem fosse homossexual, e que acabava por se encantar pelo comandante, perdendo sempre a concentração quando este estava por perto. Em pouco tempo, tal desconfiança virou piada, que virou rumor e chegou até mesmo no ouvido de Naruto, que rira com a história absurda como era de se imaginar.

Depois da grande insistência de seu general para que desse mais crédito a tal história, - ao menos a parte que o garoto era realmente talentoso -, resolveu enfim fazer uma visita surpresa àquele grupo. A verdade é que uma informação dada pelo cinzento lhe chamou bastante a atenção, e se fosse verdade, merecia ser investigada.

Segundo Kakashi, o estilo de luta do rapaz se assemelhava, e muito, ao de um outro soldado daquela tropa. Um estilo tido como lendário, do qual só ouvira falar nas histórias que seu padrinho contava, e que o outro se recusava em ensinar por ser “uma herança de família”. Tal negação tirara o príncipe do sério, pensara até em aplicar uma punição ao soldado, mas tal ato não o ajudaria a convencê-lo a se tornar seu tutor. Se Kakashi estivesse certo, e investigaria isso, talvez tivesse mais sorte com esse novo soldado.

Despiu-se da armadura real, vestira uma comum como de todos os outros soldados e fora fazer a visita surpresa. No momento em que chegara ao campo, teve que dar o braço a torcer. O jovem franzino realmente sabia manejar a espada. Quase melhor que ele mesmo. Mas ainda demandava mais observação para se ter certeza se aquele era mesmo o estilo do qual ouvira o padrinho contar.

Aproximou-se sorrateiramente. Não queria que o rapaz fugisse novamente - se é que aquilo era mesmo verdade - e quanto mais se aproximava, mais se impressionava com o quão magro e pequeno aquele soldado era. E mais. Na facilidade que ele tinha em vencer os demais mesmo com tamanha diferença de tamanho e peso. Estava encantado com os movimentos do jovem. Poucos eram os capazes de lutar tão lindamente e com tamanha eficiência. Aquele sem dúvidas era o tal estilo lendário ao qual o padrinho tanto enalteceu e que desde então procurou incansavelmente por um mestre. Entretanto, seus movimentos conseguiam ser ainda mais graciosos do que aqueles que já havia assistido nos treinos da esquadra de Gai. Agora torcia internamente para que o boato a respeito do jovem fosse verdade. Se assim o fosse, talvez seu charme o ajudaria a conseguir o nome do mestre do rapaz e se esse fosse o mesmo mestre morto do outro, talvez ajudasse que o rapaz o treinasse.

Viu uma oportunidade quando o jovem derrubou facilmente mais um de seus companheiros, que saiu praguejando inconformado por perder para alguém tão pequeno. Antes que qualquer outro se apresentasse, assumiu o lugar de próximo oponente do garoto e pode ver pela fenda de seu elmo os olhos assustados. Conhecia aqueles olhos. Eram os mesmos olhos daquele outro soldado. Talvez fossem parentes. Isso explicava que também dominasse aquele estilo. Qual era o nome dele mesmo? Não importava. Não agora.

Desembainhou sua espada e colocou-se em posição de luta, mas o rapaz continuava sem reação, apenas o olhando com aqueles enormes olhos trêmulos. Ele o intimidava tanto assim? Experimentou fazer o primeiro movimento e deferiu um golpe contra o garoto que pareceu despertar no último segundo apenas para desviar jogando o corpo de lado. Ok, golpes tão óbvios não funcionariam com ele. Tentou uma movimentação um pouco mais difícil e ele novamente desviou com certa facilidade. Naruto estava começando a se animar com aquela luta, há muito tempo não tinha um verdadeiro desafio entre sua tropa.

O loiro continuou a sequência de golpes perfeitamente executados. Uma, duas, três investidas até que na quarta, o oponente precisou finalmente usar a espada pela primeira vez na luta. O príncipe riu, estava começando a entender como o jovem lutava.

O próximo golpe veio forte, mas com certa velocidade e o tilintar de espadas foi ouvido. Dessa vez, o menor não conseguiu apenas desviar o golpe, foi necessário bloquear o loiro e isso exigia uma força que não tinha. Tratou logo de se esquivar antes que pudesse liberar novamente sua espada

Naruto tinha que admitir, aquele pequeno tinha mesmo talento e era impressionante como conseguia usar sua velocidade a seu favor mesmo com um oponente tão mais forte quanto ele.

Avançou outra vez. Os movimentos do príncipe eram duros, secos e fortes. Os espectadores ali acreditavam que se um daqueles pegasse em cheio no garoto franzino, o desmontaria. Já ele, por sua vez, se defendia de maneira rápida, fluída e leve. Seus movimentos mais pareciam uma dança e Naruto era capaz de apostar que somente conseguiria atingi-lo, se começasse a pegar realmente pesado, mas corria o risco de atingi-lo gravemente e não era isso que queria. Um soldado como aquele era valioso em muitos sentidos.

Iria tentar vencê-lo pelo cansaço. O loiro estava descansado, enquanto o rapaz já treinava a algum tempo, mas por mais que tivesse uma resistência boa, o rapaz era bem mais leve e não demonstrava sinais de cansaço. Em todo caso, aquela era sua melhor chance.

Continuou com os golpes. Só o príncipe atacava, ele reparou. O menor ora defendia, ora desviava, e o loiro admirava os movimentos. Queria ele mesmo se movimentar de maneira tão límpida. Precisava ter mais sorte daquela vez.

Num único momento de distração de Naruto, o pequeno soldado girou no próprio eixo e antes que o reflexo do loiro o permitesse se defender, sentiu a lâmina fria de encontro a sua garganta. O príncipe sorriu, o jovem era mais talentoso ainda do que parecia, mas antes que pudesse ter qualquer reação, o garoto se exaltou novamente fazendo uma reverência e saiu correndo dizendo algo como precisar usar a latrina, mas ninguém conseguiu realmente compreender. Naruto ficou observando a direção onde o jovem se afastava quando sentiu Kakashi parar ao seu lado.

- Assim você mata o menino, Naruto, deve ter tido uma dor de barriga de emoção! - Kakashi arrancou risos de alguns soldados que ainda estavam por perto, mas o loiro ainda estava sério, não podia perder o garoto de vista. - E então, o que achou do garoto?

- Você estava certo, Kakashi! Só espero que eu tenha mais sorte dessa vez. - Disse o loiro, exibindo finalmente um risinho - Agora preciso ir antes que o perca de vista de vez e não consiga o nome do bendito mestre.

Antes que recebesse qualquer resposta, Naruto já embanhava novamente sua espada e se dirigia à mesma direção que anteriormente o garoto franzino seguira. Percebeu que tal caminho ia em direção ao afluente que desembocava no rio principal a poucos quilômetros dali. Ele definitivamente não tinha ido à latrina. Questionou-se internamente se a história que corria por aquela esquadra poderia ser verdade. Acabou concluindo que não se importava, contanto que finalmente conseguisse aprender a técnica lendária da qual seu padrinho tanto lhe falara, o rapaz poderia ser apaixonado por sua mãe, que ele não se importaria.

Caminhou mais algum tempo até adentrar a vegetação que margeava o campo de treinamento e que, naquele momento, escondia o rapaz que tanto insistia em fugir do príncipe. O loiro não admitiria em voz alta, mas tal atitude havia despertado sua curiosidade, trataria de questionar o rapaz sobre isso, assim que conseguisse o que tinha ido atrás. Mais alguns metros vencidos e viu o pequeno corpo debruçado sobre a margem com o elmo depositado de lado no solo, a espada cravada na terra do outro e os longos cabelos azulados agora caídos num rabo frouxo pelas costa. Ao que se lembrava, era comum naquela família usar cabelos longos, o outro soldado de quem não se recordava o nome também o tinha.

Aproximou-se em silêncio e escutou um soluço. Será que o rapaz chorava? O causava tanto medo assim? Se aproximou mais alguns passos e quando estava próximo o suficiente para segura-lo em caso de fuga, anunciou sua presença com um forte pigarro. O jovem assustado levantou-se rapidamente e para a sorte de Naruto, estacou no lugar quando vira quem estava ali. O loiro, por sua vez, fora pego de surpresa quando finalmente pode ver a face do garoto sem empecilhos e agradeceu mentalmente que ele não tentara fugir, pois o impacto de sua surpresa o impediria de segurá-lo. Depois de um longo tempo para os envolvidos, mas tempo nenhum para quem assistisse de fora, o príncipe finalmente conseguira vencer a surpresa e verbalizar aquilo que sua mente gritava em indagação.

- Uma garota?

26 февраля 2018 г. 1:04:28 2 Отчет Добавить 9
Прочтите следующую главу Capítulo 1

Прокомментируйте

Отправить!
Tikki-chan Tikki-chan
MINHA HINATA LINDA E GUERREIRA, FOI A GENTE QUE PEDIIIIU <333333
26 февраля 2018 г. 11:48:36

  • Sabrina Andrade Sabrina Andrade
    E ela tá mesmo, Tikki, linda e guerreira do jeitinho que a gente gosta 26 февраля 2018 г. 13:26:02
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 7 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму

Похожие истории