2minpjct 2Min Pjct

Yoongi não sabia dizer ao certo quando o seu relacionamento começou a perder sua essência e nem ao menos percebeu as tentativas exaustivas de Jimin para salvar a relação. Mas, após uma grave discussão, Jimin decidiu dar um fim ao seu noivado e saiu de sua casa, determinado a não fazer mais parte da vida de Yoongi. A cada instante que passavam sem a presença um do outro, lembravam-se dos momentos juntos e se perguntavam como tudo havia se perdido tão facilmente. Foi no dia que Jimin decidiu buscar o restante de seus pertences que acabou encontrando uma pequena caixa em seu antigo quarto. Uma caixa que continha cartas escritas por Yoongi que nunca foram entregues a Jimin, datadas desde a ocasião em que se conheceram até ao último dia em que estiveram juntos.


Фанфикшн Группы / Singers 13+.

#breakup #cartas #drama #separação #yaoi #gay #romancegay #bl #boyxboy #boyslove #fluffy #btsfic #fanficbts #jimin #suga #yoongi #sugamin #yoonmin #suji #jimsu #sujim #miniminiz #minimini #minmin #2min #2minproject #2minpjct
10
242 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo único

Escrito por: @yglovesz


Notas Iniciais: Oi pessoas!

Essa é a minha primeira fic no projeto, espero que gostem assim como eu gostei de escrevê-la.

Gostaria de agradecer a @Mi_stosf pela betagem e a @YOONIERIS pela capa incrível!


Boa leitura!


~~~~


O horário no relógio marcava duas da manhã e, talvez, Jimin não estivesse mais o esperando como de costume. Era o que Yoongi acreditava, na verdade.

Nos últimos meses, Yoongi não estava sendo o melhor parceiro para Jimin e ele sabia disso, mas o estúdio estava ocupando completamente seu tempo, já que sempre se dedicava 100% em seu trabalho. Pelo menos o final de semana recompensava todo o seu esforço, mas nem mesmo nos dias livres sua cabeça descansava.

Seus olhos estavam completamente pesados, implorando por uma boa noite de sono e tentando manter seu foco na estrada. Tudo que precisava naquele momento era apenas um bom banho e sua cama, com o seu, naquele momento, noivo.

Ao sair do carro, certificando-se de que havia trancado tudo, Yoongi respirou fundo, desejando internamente apenas sentir o calor dos braços do seu Jiminie. Ele entrou no apartamento, sendo atingido pelo perfume familiar que rondava todo o ambiente.

Trancou a porta, ansioso para ver Jimin, deixando suas chaves na pequena mesinha que havia por perto e passando pela sala na intenção de ir à cozinha, porém parou seus movimentos ao notar a figura sentada imóvel sobre um dos sofás.

— Acordado a essa hora, amor? — perguntou, um pouco preocupado ao ver seu parceiro acordado tão tarde.

Yoongi não sabia, mas o apelido havia acertado o coração de Jimin em cheio, como se todas as lágrimas que estava segurando desde então pudessem vir a qualquer momento.

Mas ele puxou o ar e tentou manter sua calma.

— Amor? — Yoongi o chamou mais uma vez, mas sem resposta. Ele imaginou até mesmo que Jimin estivesse dormindo ali.

— Como foi o trabalho, amor? — O apelido na voz de Jimin saiu um tanto seco, como se ele estivesse se forçando a dizer.

Yoongi não havia entendido.

— Aconteceu algo?

Ele riu.

— Eu finalmente entendi o que estava acontecendo. — Ele desviou seu olhar, soltando um riso baixo. — As suas ausências nunca foram mesmo em vão.

Yoongi franziu suas sobrancelhas sem entender onde o outro estava querendo chegar; Jimin nunca havia falado com ele daquela maneira.

— Eu já lhe disse que os projetos estão tomando meu tempo.

Jimin concordou com a cabeça e se levantou, pegando seu celular, deslizando o dedo pela tela como se estivesse procurando por algo e mostrando nela uma foto de um casal. Estavam sentados à mesa em um estabelecimento, com as mãos entrelaçadas e os rostos próximos como se estivessem prestes a se beijar. Só depois de um tempo, Yoongi conseguiu processar que era ele, como se alguém tivesse tirado a foto de longe.

— É a Seoyun. — Ele cerrou seus dentes enquanto falava, vendo o rosto de Yoongi em uma completa confusão.

— Onde conseguiu essa foto? — Yoongi perguntou, e Jimin riu, entregando o celular para ele enquanto cruzava seus braços.

— Me mandaram hoje pela manhã, as datas batem exatamente no mês em que viajei para Busan. — Yoongi continuava fitando o celular, negando-se a olhar nos olhos do Park. — Achei que ela era apenas mais uma de suas clientes.

— Mas ela é! — logo disse, mas a expressão de Jimin permanecia séria. — Eu posso explicar, é tudo um mal-entendido!

— Eu saí de casa para cuidar do meu pai, Yoongi, e você faz essa merda comigo! — Ele acabou empurrando o moreno para longe de si, passando uma das mãos por seus cabelos. — O que fez depois? Dormiu com ela na nossa cama?

— Está exagerando! — exclamou, voltando sua atenção para o noivo à sua frente. — Eu nunca faria isso!

— É bem estranho ver uma foto sua com uma mulher que corre atrás de você igual uma cadela no cio, justamente no dia em que não estou em casa! — Ele riu, debochando da situação.

— Amor... — Sua voz estremeceu, ele nem ao menos sabia como explicar tudo, nem sequer sabia daquela foto. — Não é nada disso que está pensando...

— Eu sei que nosso relacionamento tem estado um lixo nos últimos meses, mas eu tentei, Yoongi!

Naquele momento, Jimin se julgou por não conseguir segurar suas lágrimas, ele já não tinha controle sobre elas.

— Mas não era só eu que devia tentar!

— Amor, por favor...

— Para de me chamar de amor! — gritou, sentindo as lágrimas escorrerem por suas bochechas vermelhas.

Yoongi odiava ver Jimin chorar, ainda mais por sua causa.

— Eu te odeio.

— Não diga isso, Jimin, eu te amo! — o moreno tropeçava em suas próprias palavras, com um nó se formando em sua garganta a cada frase que o mais novo dizia.

— Ama?! — Ele riu, secando suas lágrimas. — Você não ama ninguém, Yoongi.

— Pare de dizer essas bobagens... — Yoongi tentou segurar suas mãos, mas o outro se afastou, fazendo seus olhos se encherem de lágrimas naquele momento.

Jimin não conseguia olhar no rosto do mais velho à sua frente, tudo que ambos haviam conquistado desde o início havia ido para o lixo em questão de segundos. Ele se sentia um idiota, porque em nenhum momento Yoongi havia pensado nos dois.

Depois de um longo silêncio torturante, o mais novo acabou respirando fundo e tentou controlar suas lágrimas para o que iria dizer a seguir.

— Acabou, Yoongi. — Sua voz saiu embriagada, e o mais velho olhou para ele, negando com a cabeça enquanto ia até Jimin.

— Jimin, não… — Ele estremeceu, entrando no quarto e percebendo que havia uma mala.

— Pode ficar com tudo isso, eu não quero carregar nenhuma lembrança sua comigo. — As suas palavras foram como facas afiadas contra o peito de Yoongi, e Jimin não se importou mais de segurar o choro na frente do outro homem. — Outro dia, irei voltar e buscar o restante das minhas roupas.

— Não, por favor, não! — Yoongi soluçava em sua frente, negando com a cabeça. — Eu posso te explicar tudo, só me deixe te explicar.

Jimin passou reto por Yoongi, sentindo mais uma vez seus olhos se encherem de lágrimas a cada passo que dava até a porta. Mas, antes que chegasse até ela, Yoongi segurou seu pulso.

— Me solta.

— Não me abandone assim, Jimin, eu te amo, e você sabe disso! — As lágrimas nublavam quase toda a visão que tinha do garoto à sua frente, torcendo para que tudo aquilo não se passasse de um pesadelo.

— Não, eu não sei. — Ele puxou seu pulso bruscamente para que o outro o soltasse. — Eu não acredito mais em você, Yoongi.

Ele saiu e foi em direção ao carro que estava parado em frente da casa, deixando Yoongi completamente acabado e abalado por toda a discussão.

As semanas se passaram de forma lenta e torturante. O coração de Yoongi parecia ter sido quebrado em mil pedaços, negando-se a voltar para casa depois de todo o ocorrido. Ele estava se sentindo completamente vazio sem a presença do noivo e sabia que em partes a culpa era inteiramente sua. Suas noites eram no estúdio, acreditando que, se sua mente estivesse ocupada trabalhando, não teria tempo para pensar em Jimin.

Mas nem sempre o método funcionava.

— Você não pode simplesmente agir como se nada estivesse acontecendo — Namjoon, alertava Yoongi, que comia de forma desleixada em sua cadeira.

— Sim, eu posso — respondeu, seco, fazendo com que o outro suspirasse.

— Há quanto tempo não vê o sol? — perguntou, fazendo uma careta ao ver o que o outro comia. — Ou que come algo que não seja comida congelada?

— Estou bem assim, não é como se nunca tivesse feito isso antes.

Namjoon olhava em volta, completamente assustado com a maneira com que Yoongi estava lidando com tudo.

Yoongi acabou tornando seu estúdio como seu novo quarto, não saía de lá e tudo estava completamente desorganizado, algo que nunca aconteceu. Era como se tudo tivesse se tornado sua vida: uma bagunça.

— O Yoongi de quinze anos estaria decepcionado se visse isso — Namjoon falou, e Yoongi respirou fundo, passando uma das palmas das mãos em seu rosto. — Não conversou com o Jimin?

Yoongi riu.

— Você acha mesmo que o Jimin vai querer me ouvir? — perguntou, irônico, como se a resposta fosse óbvia. — Ele não quer me ver nem pintado de ouro, cismou com a ideia de eu o ter traído com a Seoyun. — Suspirou. — Ele sempre foi muito inseguro em relação a isso, fui idiota em não ter visto antes as segundas intenções dela!

— Mas, se nada aconteceu, eu acredito que tenha como se explicar. — disse Namjoon. — Vocês estão juntos a tanto tempo, vão se separar assim tão fácil?

— Você sabe mais do que ninguém o quanto eu queria que tudo isso fosse um pesadelo, Namjoon. — Suspirou, deixando a comida de lado. — Mas não é tão fácil, Jimin nunca me perdoaria.

— Mas ficar vivendo nesse estado não vai trazê-lo de volta — Namjoon respondeu, dando um tapa na perna do amigo e apontando para a bagunça. — Você nunca foi assim!

— Eu não traí ele, Namjoon — murmurou, sentindo seus olhos começando a lacrimejar. — Nunca seria capaz de fazer isso, eu o amo! Me dói saber que ele duvida dos meus sentimentos.

— Eu sei disso. — Namjoon suspirou, levantando-se para ir até o amigo. — Mas se não conversarem, isso não vai ser resolvido sozinho.

Yoongi suspirou alto, roendo suas unhas enquanto pensava no que Namjoon havia dito. Precisava resolver isso o quanto antes.


[…]


Taehyung suspirava enquanto assistia Jimin encher sua mala com o restante de suas roupas.

Depois das várias insistências vindas por parte de Jimin, Taehyung resolveu acompanhá-lo até sua antiga casa para buscar o restante de seus pertences, que havia deixado para trás naquela noite. Voltar ao pequeno apartamento não era uma das melhores sensações do mundo, ainda mais quando tudo no local lembrava Yoongi, e então a saudade aparecia. Algo que Jimin, estava evitando sentir.

No apartamento, tudo estava como havia deixado antes de sair, como se Yoongi não houvesse mexido em mais nada logo após a noite da sua saída.

— Ele é tão irresponsável! — Jimin resmungava enquanto arrumava suas roupas. — Deixando a casa vazia, sem ninguém para tomar conta!

— Bem, a casa é dele agora — Taehyung disse, bocejando em seguida.

— É minha também.

— Não foi você quem disse que não queria nada que viesse dele? — perguntou, percebendo Jimin se calar no mesmo instante. — Quem você quer enganar, Jimin? Eu sei que sente falta de estar aqui, só é orgulhoso demais para admitir isso.

— Está enganado, não sinto — respondeu, e Taehyung suspirou. — Apenas acho irresponsável da parte dele deixar essa casa sozinha, poderia entrar alguém aqui...

— E destruir tudo o que construíram juntos — Taehyung completou. — Você sente falta, não precisa mentir.

— Vai passar — Jimin murmurou, fechando sua mala em seguida. — Só preciso de tempo.

— Precisam conversar.

— Não existe conversa.

— Jimin... — Taehyung respirou fundo. — Você poderia deixar de ser tão orgulhoso? Vocês literalmente construíram uma vida juntos, iam se casar!

— Ele quem destruiu tudo isso.

— E vai destruir um lindo relacionamento por conta de uma foto que pode estar sendo muito bem usada fora de contexto?

— Eu não resolvi sair de casa apenas por conta de uma foto, Taehyung. — Jimin suspirou. — O relacionamento não era o mesmo há muito tempo, e eu não via esforço nenhum em Yoongi para mudar a situação. Isso é desgastante!

— Só acho que deveriam conversar sobre isso. Pelo o que você me disse, ele queria se explicar.

— E eu acho que deveria cuidar do seu próprio relacionamento! — Jimin disparou, vendo Taehyung se calar no mesmo instante, soltando uma risada, incrédulo com o que tinha acabado de escutar.

— Tudo bem, não está mais aqui quem falou. — disse, logo pegando a mala alheia. — Eu vou colocar ela no carro. Enquanto isso, checa se pegou tudo, porque essa é a última vez que venho com você.

Taehyung saiu do quarto, deixando-o sozinho.

Jimin sentou na cama, olhando uma última vez para o quarto e sentindo seu peito doer somente por se lembrar dos momentos que ele e o ex-noivo passaram juntos, onde achava que tudo parecia um conto de fadas.

Aquilo era o que mais doía. Pensar que tudo que passaram juntos não passou de uma fase — uma paixão adolescente —, que foi destruída em minutos. Queria acreditar que tudo não havia passado de um mal-entendido, mas era difícil acreditar nisso quando o relacionamento já estava perdido bem antes de tudo acontecer.

Perguntava-se o que havia feito de errado. O que tinha feito tudo virar uma completa confusão?

Foram oito anos juntos. Oito anos trocando momentos que jamais esqueceriam, era difícil acreditar que tudo havia acabado tão facilmente.

Jimin secou seu rosto rapidamente. Não aceitava chorar por Yoongi, estava decidido a não derrubar mais nenhuma lágrima por ele.

Assim que se levantou da cama para ir embora, acabou tropeçando em algo ao lado do móvel. Agachando-se para ver melhor o que seria, percebeu ser uma caixa branca amarrada a uma fita rosa.

— O que é isso? — murmurou para si mesmo, inclinando-se para poder pegar a caixa.

Conhecendo bem Yoongi, ele poderia ter colocado algumas coisas suas na caixa, mesmo o próprio Jimin dizendo que não levaria nada que carregasse alguma lembrança dos dois.

Suspirou antes de abrir o objeto, franzindo as sobrancelhas quando viu que não era nada do que imaginava ser. Havia muitas coisas dentro, desde polaroids até ingressos de cinema antigos. No meio de tais coisas, estavam diversas cartas espalhadas, com datas em cada uma delas.

A caixa era de Yoongi.

Revirando um pouco mais o artefato, achou uma das primeiras alianças que usaram. Jimin sentiu seu coração se despedaçar em mil pedaços. Ele havia guardado, assim como todo o resto.

— Min Yoongi, sempre tão surpreendente... — Ele riu baixo, secando as lágrimas que insistiam em cair.

Passou as mãos por cada um das cartas, até chegar a uma data específica.


28 de junho de 2013


Querido Park Jimin,

Nunca imaginei que um dia estaria escrevendo uma carta para alguém, mas, vamos lá, para a mais nova saga de Min Yoongi!

Você sabe bem como eu sempre odiei a escola, com todas as minhas forças! Todos sabem muito bem o motivo, mas, se eu escrever sobre isso, provavelmente acabarei perdendo o foco.

Nos últimos meses, você se tornou uma grande desculpa para eu começar a ir todos os dias à aula. Sua inteligência me deixa embasbacado, acredite, eu poderia ficar escutando você falar sobre poesia romântica por horas e horas, você conseguiu transformar Literatura em minha matéria favorita.

E o seu sorriso? Ele é fodidamente adorável!

Amo ver seus olhinhos se fecharem ao escutar alguma das minhas piadas ruins, mas sua risada me faz acreditar que elas são realmente engraçadas.

Não sou de ter quedinhas por qualquer um, não se engane, mas, você, Park, com toda certeza, é outro patamar de garoto. Todos andam babando por você, inclusive eu, porém preciso manter minha pose!

Você é tão encantador e tão lindo (muito lindo, na verdade)! Acabei mandando uma carta em anônimo pedindo para que saísse da minha escola, mas, pensando melhor, talvez você tenha se sentido ofendido...

Eu sou péssimo com cantadas.


Com carinho, Yoongi.


Jimin começou a gargalhar quando terminou de ler. Então, era ele que havia mandado a cartinha.

Lembrava-se perfeitamente do dia em que leu a carta. Sentiu-se péssimo pensando que, logo na sua primeira semana, já estava sendo odiado por alguns de seus novos colegas. Taehyung ficou um bom tempo tentando tranquilizá-lo, dizendo que era apenas uma piada de mal gosto, até que finalmente o assunto havia sido esquecido.

Nem mesmo depois de tantos anos juntos, Yoongi mencionou alguma vez sobre essa situação, o que era cómico. Nunca sequer imaginou que o dono da cartinha seria seu futuro namorado.

Yoongi nunca foi um dos melhores alunos em Literatura, portanto, implorava todos os dias para ter uma ajudinha extra no final de semana. Mas, na verdade, Yoongi nunca sequer prestava total atenção e, naquele momento, sabia bem o motivo.

Começou a procurar mais uma de tantas cartas que havia ali. Ele nunca gostou de mexer em algo que não fosse seu, mas, naquele momento, a curiosidade acabou falando mais alto. Queria saber o que mais Yoongi havia escrito no tempo em que estiveram juntos.


09 de agosto de 2013


Querido Jimin,

Finalmente criei coragem de chamá-lo para sair. Sim, eu sei, é uma grande surpresa, tenho certeza de que não esperava por essa. Mas você deve estar se perguntando: onde conseguiu tanta coragem, hyung?

Então, acabei aceitando conselhos de Jungkook, meu grande cúmplice. Desta vez ele estava certo, estava realmente na hora de tomar alguma atitude e, como Jungkook mesmo me disse, "o não você já tem, só falta o sim". E, graças a Deus, você disse sim!

Não lembro exatamente o filme que assistimos… Foi difícil manter o foco com uma pessoa como você ao meu lado, estava entrando em colapso a cada minuto que passava.

Não me julgue, se percebesse a grande obra-prima que é, me entenderia e, talvez, iria começar a acreditar em todos os elogios que recebe.

Depois do cinema, tomamos um sorvete e o levei para casa, como um bom cavalheiro que sou! Recebi um beijo na bochecha, o suficiente para me fazer ficar nas nuvens!

Foi simplesmente incrível cada minuto, já estou ansioso para o próximo.


Com carinho, Yoongi.


O Park não conseguiu evitar um sorriso. Aquele havia sido o melhor dia de sua vida.

Jimin nunca foi um dos melhores em se enturmar, sempre foi muito tímido e de pouca conversa. Mas, quando Taehyung resolveu o apresentar para seus amigos, poderia dizer que se apaixonou por Yoongi naquele mesmo instante.

No dia, Yoongi estava sentado de maneira desleixada na cadeira, não estava nem um pouco focado na conversa, mas, sim, em sua música. Porém, quando Jimin apareceu ao lado de Taehyung, rapidamente mudou a forma como estava sentado. Tornou-se mais comunicativo, fazendo até mesmo todos questionarem sua mudança de comportamento tão repentina.

— Vocês não estão vendo que estão excluindo Jimin do assunto? Deixem ele falar também! — Yoongi dizia em um tom bravo.

— Não... Está tudo bem! — Jimin tentava tranquilizá-lo, mas Yoongi continuava bravo.

— Não, isso não é nada legal.

— Yoongi, o novo defensor dos oprimidos! — Hoseok brincou, fazendo Jungkook dar uma leve risada com o comentário.

— Vocês sabem, tenho meus motivos. — O citado suspirou. — Já senti isso, é a pior sensação.

— Yoongi tem razão — Namjoon falou de repente, dando um leve tapinha no braço de Jimin para chamar sua atenção. — Conte um pouco sobre você.

Jimin pegou mais uma carta, mas, antes de abri-la, olhou para a porta do quarto para se certificar de que Taehyung não apareceria de surpresa e o pegaria mexendo nas coisas de Yoongi. Precisava ler pelo menos mais uma carta antes de ir embora.


13 de outubro de 2013


Querido Jimin-ssi,

Foi com certeza o melhor beijo de toda a minha vida.

Meu coração parece dar pulinhos de felicidade a cada vez que lembro da sensação de ter seus lábios nos meus.

Não queria admitir isso tão cedo, mas acho que essa não é mais uma das minhas quedinhas. O que eu sinto é diferente, não sei dizer exatamente o que é, mas não é algo ruim.

Jimin, você está mexendo com toda a minha sanidade, e eu tenho te falado disso há tanto tempo...

Está mexendo com o meu coração, que insiste em bater de forma estranha toda vez que o vejo na minha frente!

Pode ser infarto talvez, mas quero acreditar que estou de joelhos por você.

Ainda vou te apresentar para minha mãe, Park Jimin!


Com amor, Yoongi.


Jimin acabou dando uma leve risada da forma como Yoongi havia descrito aquele momento. O seu primeiro beijo, isso era algo que ele jamais iria esquecer.

Foi na sua festa de aniversário, estavam sentados na grama do quintal enquanto tentavam fugir do caos que estava em sua casa. Lembrava-se de como Hoseok estava enlouquecido com o álcool agindo no corpo, mas, depois de um certo tempo, apagou e passou metade da festa dormindo no quarto de Jimin. Eram adolescentes e, como sempre, adolescentes só faziam merda.

— Só espero que Hoseok não quebre nada na minha casa... — Jimin comentou, escutando os gritos animados de Hoseok no local. — Minha mãe me mataria!

— A senhora Park é uma boa pessoa, não mataria o filho único.

— Você que pensa.

Yoongi riu.

— Achei que estava gostando da sua festa de aniversário — Yoongi falou, fazendo Jimin voltar a sua atenção para ele.

— E eu estou! — respondeu. — Estar comemorando meu aniversário ao lado de vocês é o melhor dos presentes!

— Estou com ciúmes, pensei que eu fosse seu maior presente. — Yoongi formou um bico em seus lábios, fazendo Jimin empurrá-lo de leve, rindo. — Saiba que estou feliz por estar aqui com você, afinal, não se faz dezessete anos todo dia.

— E eu estou feliz que esteja aqui — Jimin disse, entrelaçando seus dedos nos de Yoongi, que acabou sorrindo em resposta.

Até mesmo aquele simples gesto conseguia mexer com seu coração. Yoongi parecia fazer tudo de propósito.

Seus rostos estavam muito perto um do outro, e ele só notou quando Yoongi resolveu acabar com aquela proximidade entre os dois, fazendo com que seus lábios se tocassem em um pequeno selar. Isso acabou por assustar Jimin, que se afastou.

— Droga. — Yoongi murmurou, vendo o rubor nas bochechas de Jimin começar a ser visível. — Me desculpe por isso, eu estava...

— Não precisa se desculpar — Jimin o interrompeu. — Você não fez nada de errado. — Yoongi parecia confuso, mas deixou que o outro continuasse: — Eu nunca beijei ninguém antes, então...

— Sério? — Yoongi perguntou, surpreso, vendo-o concordar com a cabeça timidamente. Ele acabou suspirando. — Me desculpe, Jiminie, eu não sabia...

— Mas eu não estou te impedindo de continuar — Jimin soltou rapidamente, fazendo Yoongi olhar em sua direção. — Quero beijar você há tempos, só precisava de uma confirmação.

Yoongi segurou em seu queixo delicadamente, fazendo seus olhos se encontrarem mais uma vez.

— Se você quiser...

— Eu quero!

Sem dizer mais nada, Yoongi juntou seus lábios mais uma vez, mas desta vez Jimin não se afastou.

Seus lábios se tocavam lentamente, no início sendo um pouco desajeitado por aquele ser o primeiro beijo de Jimin, mas Yoongi conseguia guiá-lo perfeitamente.

Afastaram-se por alguns segundos, com seus olhos brilhando como se estivessem em transe. Jimin sorriu de forma tímida antes de puxá-lo mais uma vez para um beijo.

A mão de Yoongi deslizou por sua cintura, puxando-o para mais perto, e Jimin levou uma de suas mãos até seus cabelos, onde começou a acariciar de leve. Suas línguas logo se encostaram, fazendo ambos suspirarem.

Após longos minutos, afastaram-se com selares curtos. Yoongi não pôde deixar de sorrir ao ver as bochechas levemente rosadas de Jimin, deixando mais um selar curto em seus lábios.

— Acho que podemos considerar isso como um presente de aniversário, o que acha? — Yoongi perguntou, acariciando a mão do outro.

— Hum... — Jimin fingiu pensar, dando uma curta risada antes de aproximar seu rosto do dele, sussurrando: — Se você me der outro, quem sabe?

— Jimin?! — A voz de Taehyung fez com que Jimin gritasse em resposta. — O que você está esperando? Estou te chamando há tempos!

— Que inferno, Taehyung! Isso é jeito de entrar, criatura?! — Jimin perguntou, irritado, com a mão em seu peito.

— O que estava fazendo?

— Lembrando de umas coisas — respondeu, tentando guardar tudo na caixa sem que o outro percebesse.

— Pegou tudo?

— Sim.

— Ótimo, então, já vamos indo, fiquei de visitar Hoseok ainda hoje — falou, saindo do quarto. — Você deveria ir junto, ele estava tão preocupado!

— Talvez eu vá.

Olhou uma última vez para tudo, antes de tomar coragem para sair do quarto. Afinal, era a última vez que estaria naquela casa.

Última vez...

Antes de sair, olhou para a caixa que havia pegado minutos antes.

Talvez Yoongi não notasse.


[...]


Jimin estava completamente vidrado no que lia. Não sabia quantas horas haviam se passado desde o momento que abriu aquela caixa novamente, e nem ao menos se preocupava em saber. A cada carta que passava, sentia-se mais interessado.

Assim que ele e Taehyung saíram da casa, Jimin conseguiu trazer a caixa para o carro, mentindo ser sua. Taehyung nem o questionou, estava visivelmente cansado com a situação dos dois amigos.

Mais um dia havia se passado e a cama de Jimin estava sempre com alguns papéis espalhados que já havia lido, seus olhos sempre estavam vermelhos. A promessa de não chorar mais por Yoongi estava literalmente indo por água abaixo.

Já havia passado por todas as cartas que descreviam perfeitamente tudo que aconteceu em seu relacionamento, desde o início. Toda vez que pensava que Yoongi escondia isso bem debaixo do seu nariz, queria socá-lo; arrebentar seu rosto lindo.

Após ler um trecho de uma carta que dizia "ainda vou me casar com você", parecia que tudo iria desmoronar novamente. Ler essas cartas estava sendo um grande erro.

Ele estava começando a acreditar no que Taehyung dizia. Sentia saudades de Yoongi, e ler as cartas parecia conseguir deixá-lo cada vez mais próximo dele.


16 de abril de 2021


Meu querido Jiminie,

Estar longe de casa tem sido um grande problema para você nos últimos dias… Imagino que pense que estou me afastando porque quero ou que não quero passar por essa situação com você, mas, por favor, não pense nisso.

Você sabe que acredito que tudo tem o seu devido tempo, porém isso não quer dizer que não quero ter uma família com você. Posso ter soado um pouco rude na nossa conversa e me desculpe por isso, ter um filho agora não passou pela minha cabeça. Isso não quer dizer que tenho medo, porém me preocupo.

Ter um filho é muito complicado, você sabe disso, é uma grande responsabilidade. O meu trabalho não tem me dado tempo nem mesmo para nós dois e eu sei que isso é culpa minha, mas uma criança precisa de todo cuidado e atenção. É claro que eu quero ter uma família com você, mas não agora.

Você sabe que sempre será a pessoa mais importante da minha vida e, com certeza, nosso filho ou filha também será muito importante para mim!

Não pense ao contrário disso.


Com amor, seu Yoon.


— Por que você não me entregou essa carta antes? — perguntou para si mesmo, enquanto ainda olhava para o papel. — Muitos pensamentos poderiam ter sido evitados.

Desde o início, Jimin sonhava em ter uma família grande, como nos filmes de Romance que assistia na adolescência. Depois que foram, enfim, morar juntos, a ideia se tornou bem mais presente.

Mas a verdade era que Yoongi nunca nem sequer pensou na ideia de ter filhos, principalmente na situação que se encontravam. Não haviam nem se casado, como planejaram.

Queriam uma cerimônia memorável, com uma grande festa, fotógrafos e tudo que tinham direito, e foi por isso que Yoongi começou a se dedicar ao máximo ao trabalho, porque ele e Jimin mereciam isso.

Jimin merecia a maior cerimônia de casamento.

Com essa total dedicação, Yoongi começou a se afastar aos poucos do noivo, sem nem ao menos perceber. Não jantavam juntos, não assistiam filmes toda sexta como antes e, na maioria das vezes, não dormiam mais juntos. E isso ajudou a fazer com que Jimin pensasse que Yoongi não o amava como antes, que estava o afastando porque não queria mais o relacionamento.

Quando Jimin decidiu dizer que queria ter uma família, a reação de Yoongi o fez ter mais certeza ainda.

Sua expressão mudou de repente, como se ele não estivesse nem um pouco interessado no que o outro dizia. Quando Jimin finalmente terminou, a resposta foi rápida.

— Não penso em ter filhos.

Yoongi havia se expressado errado. Quando percebeu, já era tarde demais. Não discutiram, mas o olhar triste de Jimin foi o bastante para saber o que havia feito.

Enquanto Jimin passava horas lendo as últimas cartas que restavam na caixa, Yoongi continuava na mesma situação. Havia voltado para casa naquela semana e, quando percebeu que o restante das roupas de Jimin haviam sido levadas, sentiu tudo desmoronar.

Chorou a noite inteira, sem se preocupar se seus olhos estariam inchados no dia seguinte.

— Eu nunca achei que amar doeria tanto assim — Yoongi disse, sentado em sua cama, enquanto Jungkook tentava acalmá-lo.

Era a primeira vez que via o amigo chorar.

— Acho que está na hora de resolverem isso — Jungkook aconselhou-o, passando as mãos pelas costas do outro. — Taehyung me contou que Jimin passa horas trancado naquele quarto e, quando saí, seus olhos estão sempre vermelhos.

— Odeio o ver chorando, ainda mais por minha causa.

— Você conversou com Seoyun? Perguntou quem tirou aquela foto? — Yoongi negou com a cabeça. — Não quer ir mesmo lá e colocar tudo isso a limpo?

— Ele vai fechar a porta na minha cara, não vai me escutar. — Yoongi fungou, limpando o rosto com a palma da mão. — Não sei o que fazer, nunca achei que estaria aqui sem ele.

Jungkook suspirou. Não sabia mais o que fazer; conhecendo bem os dois, sabia que tudo não passava de orgulho. Sempre foram assim, mas, naquele momento, estavam complicando tudo.

— Talvez, se eu escrever... — Yoongi levantou da cama, apressado, andando de um lado para o outro. — Ele não iria simplesmente rasgar, não é?

— Acho que não, hyung — Jungkook respondeu, observando o outro procurar algo em seu guarda-roupa. — Mas não acha que tenham que resolver isso cara a cara?

— Não sei me expressar bem, sei que, se eu ficar cara a cara com ele, as palavras não vão sair — explicou. — Por isso, escrevi para ele a vida inteira, só nunca entreguei.

— Sério? — Jungkook perguntou, vendo-o concordar com a cabeça, e deu uma leve risada. — Literalmente o último romântico.

Yoongi passou alguns minutos parado no meio do quarto, roendo suas unhas em ansiedade. Não sabia por onde começar.

Quando seu olhar foi para debaixo de sua cama, estranhou ao não ver sua caixa no lugar em que a deixou, fazendo com que ele começasse a procurar por ela automaticamente, deixando Jungkook confuso.

— O que foi? — Jungkook perguntou, já preocupado.

— Minha caixa, a última vez que peguei, deixei aqui! — Apontou para o lugar, sentando-se novamente. — Era onde eu deixava as cartas e todas as nossas memórias, se eu perdê-la, realmente não sei o que vai ser de mim!

Jungkook estranhou, até que finalmente pensou em algo.

— Quem esteve aqui por último?

— Ah, sei lá... Acho que o Jimin, para terminar de buscar o restante das roupas — respondeu, um pouco tristonho, e Jungkook pulou da cama, fazendo Yoongi franzir o cenho.

— Acho que eu sei onde sua caixa está.


[...]


20 de novembro de 2021


Meu querido Jiminie,

Nos últimos dias, eu e Namjoon escrevemos uma música, e não querendo me gabar, mas é perfeita.

Enquanto escrevíamos, não parei de pensar nem um minuto sequer em você, tenho pensado constantemente em você praticamente todos os dias!

Também não consegui deixar de lado a ideia de sua linda voz nela, acho que a melodia combina perfeitamente com sua maravilhosa voz!

Vou deixar um trecho, para você pensar melhor na proposta! ;)


Com amor, seu Yoon.



"Tudo isso não é uma coincidência

Apenas, apenas através dos meus sentimentos

O mundo inteiro ficou diferente do que era ontem

Com apenas, apenas a sua alegria


Quando você me chamou

Eu me tornei sua flor

Como se nós estivéssemos esperando por isso

Nós florescemos até congelarmos

Talvez seja uma providência do universo

Tinha que ser assim

Você sabe, eu sei

Você sou eu, e eu sou você


Tanto quanto o meu coração palpita, eu me preocupo

O destino continua com inveja de nós

Eu estou tão assustado quanto você

Quando você me vê

Quando você me toca."


Um sorriso bobo surgiu em seus lábios. A música era realmente muito boa e não conseguia evitar se imaginar cantando-a. Yoongi e Namjoon sempre foram muito talentosos.

A letra parecia ter conseguido mexer com seus sentimentos, assim como todo o resto das cartas que passou horas lendo. A saudade estava gritando em seu peito.

Escutou leves batidas na porta antes desta ser aberta. Taehyung apareceu na abertura; seu rosto estava mais branco que o normal, e ele apertava os lábios como se quisesse dizer algo. Jimin lhe lançou um olhar confuso.

— O que foi, Tae? — perguntou, sabendo que o outro não conseguiria falar primeiro.

— É que... — Suspirou, olhando para trás. — Yoongi está aqui.

Seus olhos brilharam apenas em escutar aquele nome.

— Yoongi? — perguntou sem acreditar, sentindo seu estômago revirar.

— Posso deixar ele entrar? — Taehyung perguntou, esperançoso. — Ele quer muito falar com você!

Jimin ficou um tempo em silêncio, sem saber ao certo o que fazer. Estava feliz em saber que ele estava ali, mas, ao mesmo tempo, sentia toda a mágoa que Yoongi causou naquela noite. Não queria passar por tudo de novo, não queria vivenciar aquele sentimento horrível mais uma vez.

Mas seu coração parecia falar mais alto, queria escutá-lo dessa vez. Queria pelo menos vê-lo.

Era impossível que tudo que tinha lido nas cartas fosse uma tremenda mentira. Não era uma mentira.

Depois de alguns segundos, Jimin concordou levemente com a cabeça e viu como Taehyung saiu do quarto em passos rápidos, deixando-o mais uma vez sozinho, enquanto o Park se questionava se aquela foi uma boa decisão a se tomar.

Quando ele viu Yoongi aparecer em frente à porta, seu coração começou a bater forte em seu peito e o canto de seus olhos começou a se encher de lágrimas.

— Posso me sentar? — Yoongi, enfim, falou, tirando Jimin de seus devaneios. O Park logo concordou com a cabeça.

Yoongi sentou-se ao seu lado na cama, mexendo nos seus dedos, ansioso. Seu coração estava do mesmo jeito, batendo forte no peito, quase ao ponto de tirá-lo o ar.

— Está bem? — perguntou Yoongi.

— Sim, e você? — devolveu a pergunta, e o outro apenas concordou com a cabeça como resposta.

Ficaram um tempo em silêncio, apenas escutando a respiração um do outro, antes de finalmente Yoongi dizer algo.

— Não vim antes por achar que não iria querer conversar comigo, e está tudo bem, você tinha esse direito. — Yoongi respirou fundo. — Percebi que você encontrou a caixa e, para ser sincero, foi isso que me motivou a vir aqui.

— Veio buscar a caixa? — perguntou rapidamente, olhando para o chão do quarto.

— Vim buscar você.

— Eu não vou voltar com você como se nada tivesse acontecido, Yoongi.

— Eu não traí você, Jimin… — Ele mordeu os lábios, respirando pesadamente. — Nós havíamos saído, isso eu não vou mentir, mas foi a negócios.

— Entendi — zombou, fazendo Yoongi respirar fundo.

— Marcamos de ir naquele estabelecimento para conversar melhor, conversar sobre trabalho, Jimin. — Fez uma pausa, antes de continuar: — Eu logo notei que ela tinha segundas intenções e não levei isso adiante, cancelei o contrato depois do ocorrido.

Jimin ficou alguns minutos em silêncio, olhando pelo canto de seus olhos Yoongi ao seu lado, esperando alguma resposta.

— Não sei se consigo acreditar em você — admitiu. — Nosso relacionamento não estava bom há tempos!

— Eu sei que não estava, e sei que a culpa disso também é minha! — respondeu. — Eu não notei isso antes, não percebi que isso estava nos afastando. Mas eu não quero que pense que todas as minhas ausências foram por estar com uma pessoa, a não ser você.

— É um pouco difícil não pensar — respondeu, seco. — Sendo bem sincero com você, eu não saí de casa por causa daquela droga de foto. Estava cansado de apenas eu tentar salvar o que restava do nosso relacionamento, isso é exaustivo pra cacete, Yoongi!

— Se eu tivesse notado...

— Mas não notou! — interrompeu-o. — Ver aquela foto foi apenas a cereja do bolo para todas as minhas paranoias e, por mais que eu quisesse acreditar em você, era impossível me esquecer de como estava nosso relacionamento. — Jimin acabou mordendo fortemente o canto de seus lábios; não iria chorar, não naquele momento. — Mas também não quero acreditar que tudo que li naquelas cartas seja mentira!

— Mas não são! Tudo que você leu, meus sentimentos por você, tudo é verdadeiro! Eu amo você, Jimin, com todo o meu coração! — Sua voz acabou falhando. — Todos esses anos com você foram incríveis! Eu não me arrependo de nada! Se eu pudesse voltar no exato momento que te vi, não faria nada diferente. Me apaixonaria por você de novo e de novo! — Ele apertou os lábios, sentindo as lágrimas surgirem e segurando as mãos de Jimin. — Eu te amo bem antes de saber o que estava sentindo, e hoje consigo enxergar isso, você é tudo pra mim!

Jimin ficou em silêncio, seu coração batia em seu peito de forma dolorosa. Os olhos começaram a se encherem de lágrimas, ele não aguentava mais.

— Mesmo depois de tudo que aconteceu, dias se passando... — Olhou para o rosto de Yoongi pela primeira vez naquela noite, com a tristeza nublando suas feições. — Eu não consegui parar de te amar, e isso dói tanto! — As lágrimas brilhavam nos seus olhos. — A sensação de perder a pessoa que amei a vida inteira... foi como várias facadas no peito! E eu odeio admitir que sentia sua falta a cada carta que lia, porque eu conseguia sentir você por perto mesmo de longe!

Jimin não aguentava mais lutar contra as lágrimas; após dizer tudo, simplesmente desabou. Sentiu Yoongi o envolver rapidamente em um abraço apertado, e foi nesse momento que começou a chorar um pouco mais contra o seu peito, como se todas as lágrimas que segurou há semanas estivessem sendo liberadas.

Yoongi não conseguiu evitar chorar junto a Jimin, apertando-o forte enquanto deixava selares no topo de sua cabeça, tentando acalmá-lo de alguma forma. Seu coração partiu ao vê-lo chorando.

Quando finalmente se acalmaram, ficaram alguns minutos parados, abraçados, com Yoongi passando uma das mãos nos cabelos escuros de Jimin.

— Por que nunca me entregou as cartas? — Jimin resolveu acabar com o silêncio, ainda nos braços de Yoongi.

— Queria entregar no dia do nosso casamento, achei que seria um bom presente — confessou, suspirando, enquanto fechava seus olhos.

— Desculpa ter estragado a surpresa.

— Tudo bem.

Jimin se afastou levemente, olhando para a face um pouco mais tranquila de Yoongi, com seus olhos um pouco molhados. Mesmo depois de tanto tempo separados, a sensação de estar perto de Yoongi nunca mudou.

Era como se as borboletas nunca tivessem realmente morrido, mesmo que Jimin tentasse apagar o sentimento. A sensação de tê-lo consigo sempre foi a mesma, desde o início, e nada a mudaria.

Seu coração estava começando a falar mais alto que o seu orgulho.

E de repente, Yoongi deu um selar demorado em seus lábios, surpreendendo- o mesmo.

Os olhos de Yoongi começaram a brilhar.

— Estamos bem?! — perguntou, e seu coração quase falhou uma batida no momento que viu o sorriso de Jimin aparecer aos poucos. Quando se aproximou para beijá-lo, Jimin deixou seu dedo indicador contra seus lábios.

— Mas… não quero que continue desse jeito, precisa conversar comigo. — Jimin deixou uma mecha de cabelo atrás de sua orelha, envolvendo seus braços em seu pescoço. — Nós casaremos assim que tudo estiver tranquilo financeiramente.

— Me desculpe — sussurrou, e Jimin deu uma leve risada.

— Tudo bem, você sempre foi muito apressado mesmo.

Sentiu as mãos de Yoongi irem até seu rosto, e tudo pareceu ser automático, os lábios se encontraram no meio do caminho.

O toque era lento e as línguas deslizaram uma contra a outra sem dificuldade. Era como se estivessem se abraçando, sem pressa de acabar com aquela saudade que sentiam um pelo outro.

Jimin tinha os dedos presos nos fios escuros de Yoongi, puxando-o cada vez mais perto de seu corpo, e não conseguiu segurar um ofego ao sentir suas mãos descerem até sua cintura. Sentiu os corações baterem freneticamente em seus peitos.

O beijo entre eles representava mais que amor. Apesar de Jimin estar em seus braços, Yoongi ainda não acreditava nisso, temia que aquele sonho acabasse de novo. E o tempo, a duração do beijo, era o mais insignificante. O que eles queriam era apagar toda aquela saudade que sentiam dentro de si.

— Eu te amo — Yoongi sussurrou, encostando suas testas enquanto respiravam pesadamente. — Nunca duvide disso.

— Nunca — sussurrou e segurou em seu rosto, deixando um selar demorado em seus lábios.


[...]


Jimin estava muito feliz que seu relacionamento tomou um rumo diferente. Haviam, enfim, se casado, como sempre sonharam, e conseguiram adotar seu primeiro filho, Park Yejun. Lembravam-se com clareza do dia em que chegaram ao orfanato e do primeiro contato que tiveram com Yejun. Foi surreal a ligação que sentiram; era como se o destino tivesse preparado tudo e, no fundo, apesar de não terem laços sanguíneos, Jimin e Yoongi sabiam e sentiam que aquele menino era o seu filho.

A chegada de Yejun trouxe ainda mais alegria para o relacionamento, e eles não poderiam estar mais felizes.

Os anos se passaram e as risadas altas começaram a ser bem mais frequentes no estúdio de Yoongi.

Assim que Jimin entrou na sala, não conseguiu segurar o enorme sorriso ao ver a adorável cena. O pequeno garoto estava sentado no colo de Yoongi, apertando todos os botões que encontrava pelo caminho e, a cada som que reproduzia, era escutada sua doce risada.

— Uau! Você está fazendo uma música ótima! — Yoongi elogiou, incentivando o pequeno a continuar com o que fazia.

— Você gostou, papai? — perguntou, com seus olhos brilhando em entusiasmo.

— Você é melhor do que eu nisso! — Ele sorriu e se aproximou, beijando o topo de sua cabeça. — Vai ser bem melhor que seu velho pai aqui.

— Não está velho, papai! — retrucou, beliscando levemente sua bochecha. — Não está com cabelos brancos ainda!

— Yejun — Jimin chamou, surpreendendo os dois em sua frente. — O que eu já lhe disse? Nada de atrapalhar o papai no trabalho.

— Não estava atrapalhando, papai — logo defendeu-se, formando um biquinho em seus lábios. — Papai Yoon estava me ensinando a fazer música, assim como ele!

— E você aprendeu direitinho? — perguntou, curioso, aproximando-se dos dois calmamente; não demorou para Yoongi passar uma de suas mãos em sua cintura.

— Sim, fiz uma boa música! — Ele deu pulinhos. — Serei seu herdeiro!

Os dois acabaram rindo da fala do pequeno.

— Vamos indo, grande artista, precisa de um banho. — Jimin deixou um beijo no topo de sua cabeça, e Yejun bufou, fazendo biquinho novamente. — Não vai faltar ao banho, pare de ser um porquinho!

— Eu já tomei banho ontem! — reclamou, e Yoongi acabou rindo, bagunçando seus cabelos.

— Obedeça seu pai.

Yejun acabou bufando em resposta, saindo da sala sem dizer mais nada. Jimin, por sua vez, sentou no colo do mais velho, deixando uma mecha de cabelo atrás de sua orelha.

— Ele é igual a você — falou, e Yoongi acabou franzindo o rosto.

— O que está querendo dizer com isso, Park Jimin? — perguntou, segurando firmemente em sua cintura.

— Bom, você nunca foi muito fã de um banho... — respondeu e acabou dando risada com a expressão incrédula que o outro tinha.

— Deixe de ser falso, quem era assim era você!

— Não foi o que sua mãe me disse. — Sua boca se curvou em um sorriso, e Yoongi deu de ombros, formando um bico em seus lábios.

— Minha mãe mente!

— De qualquer forma, ele se parece mais com você. — Jimin segurou em seu rosto e juntou seus lábios, tocando-os levemente com selares suaves.

Yoongi apertou levemente sua cintura, puxando-o para mais perto de si, mas, antes que pudesse aprofundar mais, Jimin se afastou.

— Yejun está me esperando. — Deixou mais alguns selares em seus lábios antes de se levantar, dando leves tapinhas em seus ombros e fazendo Yoongi suspirar. — Vai demorar?

— Vou só organizar mais algumas coisas antes de sair, não irei demorar — avisou, passando as mãos em seus cabelos. — Não assistam ao filme sem mim!

— Tudo bem, vamos te esperar.

Antes que Jimin pudesse sair da sala, Yoongi virou a cadeira em sua direção, segurando em sua mão.

— Jiminie, eu te amo.

Jimin abriu um grande sorriso, dando um longo selar em seus lábios, antes de dizer:

— Eu também te amo.

~~~~



Notas Finais: Espero que tenham gostado, fico feliz por todos que tenham lido até o final!


Até a próxima 💜

6 декабря 2022 г. 23:49:06 0 Отчет Добавить Подписаться
3
Конец

Об авторе

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~