fuyukahideki Adrielle Victória

Uzumaki Naruto pedir que Uchiha Sasuke o espere no vestiário do ginásio não foi algo estranho. O que o moreno não esperava era sobre quais eram seus planos nesse pedido.


Фанфик Аниме/Манга 18+.

#pwp #sasunaru #uchiha #sasuke #uzumaki #naruto #yaoi #lemon
Короткий рассказ
44
842 ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Locker Room

— Sasuke! — Meu nome veio de alguém à minha esquerda. Com poucos alunos presentes no corredor, não demorou para que eu notasse quem havia sido. — Que bom te encontrar ainda fora da sala. — Naruto apoiou uma mão em meu ombro. — Bom dia.

— Bom dia. Aconteceu alguma coisa?

— Ah! Não! Desculpe se foi o que pareceu. — Deixou uma risada simples escapar. — Será que poderia me esperar no vestiário hoje após o treino? Quero conversar sobre uma coisinha.

— Tudo bem.

— Okay, te vejo na piscina, então. Até mais.

— Até.

O observei se afastar, vendo-o procurar algo dentro da mochila enquanto ficava cada vez mais longe.

Uzumaki Naruto é aluno do curso de Jornalismo e escritor da coluna de esportes do jornal da faculdade. Apesar de fazermos parte da equipe de natação, não somos aquilo que podemos chamar de amigos.

Seu pedido de espera no vestiário não foi estranho, já que eu sendo estudante de Educação Física, alguma vezes presto consultoria para ele sobre algo de algum esporte ou coisas relacionadas à anatomia.

Ele é uma pessoa muito interessante, se posso assim dizer. Sempre trazendo um sorriso no rosto, além de ser bastante popular pela sua beleza e personalidade. Certo, talvez eu tenha uma pequena paixonite em meu parceiro de piscina. Rolei os olhos, voltando a prestar atenção no que fazia antes de ser interrompido, partindo dali para o começo da primeira aula da manhã. Estamos entrando próximo da semana de avaliações, sendo assim, parece que há uma quantidade exacerbada de assuntos para estudarmos.

Fui almoçar com alguns amigos da sala no refeitório do campus e por volta de próximo das duas da tarde, comecei a seguir o caminho para o ginásio onde ficam as piscinas; cumprimentei o Suigetsu, que obviamente já estava à postos para saltar na piscina. Nunca conheci ninguém que goste tanto de água quanto ele. Naruto ainda não estava nos arredores nem mesmo quando desci para o vestiário, de qualquer forma, marcamos somente após o treino.

Troquei de roupa, guardando meus pertences no armário. O grande espelho perto dos bancos reflete completamente a preguiça que estou no dia de hoje. As aulas foram cansativas e tudo o que eu gostaria era de ter ido para casa tirar um bom cochilo de meio de tarde.

Quando subi as escadas para voltar ao clube, ouvi as vozes daqueles que estavam chegando agora. Puxei a toalha do pescoço, deixando sobre o banco para arrumar a touca na cabeça. Do outro lado da piscina eu via o Naruto rindo enquanto caminhava para descer.

— Ei, Sasuke! — Ouvi a voz do Suigetsu, notei sua aproximação.

— Olá.

— Dá para encher uma outra piscina com a sua baba enquanto olha para ele.

— Idiota. — Rolei os olhos, soltando um suspiro. — Veio molhando todo o piso para falar essa besteira?

— Não é besteira. — Me deu língua, sentando ao meu lado. Estava com os cabelos chanel pingando por conta de não ter colocado a touca. — Eu preciso de ajuda com os estudos para a próxima prova. Pode vir comigo para a biblioteca depois do treino? Chamei algumas outras pessoas também.

— Ah, o Naruto pediu para encontrá-lo hoje. Deve ser algo sobre o jornal. Pode ser para amanhã?

— Você deveria aproveitar e se declarar.

— Não inventa. — Levantei para começar a aquecer.

— Quero saber quando vai tomar vergonha. — Estapeou minha bunda, antes que eu pudesse reagir ouvi o barulho de seu pulo na água. Zabuza, o treinador, berrou uma reclamação.

Experimentei a frieza da piscina, antes de finalmente dar o primeiro mergulho. Quando emergi, Naruto estava desapontando na esquina da escadaria. Mergulhei outra vez, observando ele passar pela borda da piscina mesmo com a visão nublada que a água deixa — o óculos havia ficado no banco. A sunga deixa sua bunda tão marcada, isso não deveria ser permitido. Afastei o pensamento à medida que saía de debaixo d'água.

Temos uma competição se aproximando, então, nem por isso hoje sendo uma quarta feira, pré semana de provas, tivemos qualquer folga em relação a intensidade do treino. Por volta das 17h estávamos todos liberados. Vi quando Naruto foi de encontro ao treinador, cogitei esperá-lo, mas a urgência de um banho para tirar o cloro falou mais alto; para meu infortúnio todas as cabines já estavam ocupadas quando desci, xinguei em pensamento, indo até meu armário para já deixar as coisas com fácil acesso.

— Você também vai? — Juugo falou comigo quando terminou o banho.

— Para a biblioteca? — ele afirmou. — Não, fica para a próxima.

Entrei debaixo do chuveiro na primeira oportunidade que vi, sentindo a água fria na pele. Do lado de fora eu conseguia ouvir todo o alvoroço que acontecia nas conversas de decisão sobre o que estudar, além de outras pessoas conversando seus próprios assunto, também ouvi quando suas vozes foram ficando mais distante e me vi sozinho dentro do vestiário.

— Sasuke? — Era a voz do loiro desta vez.

— Estou aqui.

— Ótimo. Vou ser breve no meu banho. Desculpa a demora.

— Tudo bem. Fique a vontade.

Eu queria aproveitar o máximo que poderia por ali, e por conta disso acabei saindo basicamente ao mesmo momento do outro. De toalha enrolada na cintura, vi as gotas de água que escorriam por seu torso bem definido, seguindo pela tatuagem ao redor do umbigo até encontrar com o algodão felpudo. Naruto tem boa estatura, é forte e realmente bonito com esse corpo atraente. Ah, merda, estou encarando. O vi sorrindo, virei o rosto, indo até meu armário.

— Não precisa ficar com vergonha. — Ouvi o som de seu desodorante. — Na verdade, de todo mundo que me olha, o seu olhar é o que mais gosto. — Aproximou de onde estou, fechando a porta do armário para me fazer olhá-lo. — Esperei por tempo demais que tomasse uma atitude. Eu não mordo, sabia? Só se você quiser. — Mordeu o lábio de forma provocante. Acabei deixando um riso escapar, estamos mesmo tendo essa conversa?

— Hum… Eu não sei o que falar.

— Não precisa, se não quiser, também. — Encostou nossos lábios em um simples selinho, quando afastou, seus dedos brincavam com minha barriga. — Sabe, eu sempre me perguntei o motivo de você apenas usar sungas pretas. Tenho minha teoria, claro. — Acariciava de leve a frente de minha toalha, nossos rostos tão próximos, a voz baixa, sensual. — Vai me deixar matar essa curiosidade? — falou em meu ouvido. Quando olhou novamente em meus olhos nos liguei em um beijo de verdade.

O ósculo era intenso, cheio de nossas línguas lutando dentro dos espaços oferecidos e cedidos pelo outro. Segurei seu rosto, procurando caminhar um pouco e encostá-lo contra o armário. Desci uma das mãos por suas costas, procurando apalpar a bunda que tanto admirei de longe, seu gemido fez meu coração bater um pouco mais forte.

— Alguém pode descer e nos ver.

— Sabe tão bem quanto eu que por esses horários o ginásio fica vazio. O time de futebol só chega às dezenove. E, a maioria usa o outro vestiário. — Deslizou para baixo, ficando de cócoras de frente para minha toalha, meu peito parece querer explodir. Deus do céu.

Olhando em meus olhos começou a desfazer aquela amarração típica de toalha em volta da cintura. Minha respiração está presa na garganta. Quando o pano foi posto fora de mim seu sorriso me desconcertou. Puta que pariu, xinguei mais quando ele deslizou o nariz contra minha cueca. Apoiei o braço no armário, descansando a testa em seu apoio, olhando para ele, Naruto ajoelhou na minha toalha, alegando que não queria machucar os joelhos no chão. Minha ereção estava quase desperta quando ele puxou a boxer para baixo, auxiliei movendo as pernas para passar por além de meus pés.

— Minhas suspeitas estavam corretas. — Lambia os lábios. — Você não me decepcionou, Uchiha. — Deu uma comprida lambida da base até a glande. Um gemido suspirado me deixou, um mais longo o seguiu quando me abocanhou por completo.

Merda… — Acariciei seus cabelos, fazendo carinho em sua bochecha. Seus olhos não me deixavam, isso está me pirando. — Ah! gemi um pouco mais alto quando senti sua garganta. — Porra, Naruto. — Retirou o pênis bem devagar de dentro da boca, havia um sorriso em seus lábios enquanto trabalhava apenas com a mão. Recebi um beijo na ponta antes de novamente ser envolvido por sua boca.

Fechei os olhos aproveitando todas as sensações e movimentos de sua língua. Segurei seus cabelos revoltos, fazendo sutis movimentos em direção a sua glote.

— Não me faça gozar— sussurrei.

— Por que não?

— Porque já que começamos, vamos fazer tudo. — Minhas palavras saem misturas em ofegos.

— Eu gosto disso.

— Eu estou gostando da sua boca. — Acabei rindo um pouco, a risada dele veio contra mim, a vibração da garganta me fez gemer.

Quando olhei para ele outra vez o vi se desfazendo de sua toalha, estava nu por baixo do pano; sua mão buscou a ereção balançando, soltando um suspiro, gemendo contra mim, foi impossível não fazer o mesmo.

Hora ou outra ele usava uma das mãos, enquanto brincava com os lábios aqui e ali, deixando beijos estalados em minhas coxas e proximidades, ou usando a língua de forma brincalhona. Ele estava se divertindo no que fazia e como estava me deixando. Suas expressões também não estavam ajudando em nada contra meu autocontrole. Há quanto tempo eu desejei poder senti-lo contra mim? Acaricie seu rosto, aqueles olhos azuis colados aos meus, desse jeito não vou durar muito.

— Vai me fazer — Mordi o lábio.

— Vou fazer o quê? — Beijou minha barriga, começava a se levantar, os selos continuaram subindo até alcançar minha boca, havia todo o meu sabor na sua língua.

Levei minha palma até entre suas pernas, não deixei seus lábios escaparem quando gemeu. Intensifiquei o beijo o máximo que pude, segurando seus cabelos para me aproveitar de seu pescoço. Seu cheiro é inebriante, além da frescura que exala pelo banho recém tomado. Sempre que me encontrava para fazer uma consultoria, esse mesmo cheiro me deixava desnorteado por alguns minutos, antes de eu finalmente conseguir me concentrar no que fazíamos.

— Espero muito que saiba usar esse presente que tem aí. — Apertei sua cintura em resposta.

— Você é um pouco apressado, hum?

— Não sou o maior fã de preliminares.

— Tenha calma e aproveite — sussurrei em seu ouvido antes de abaixar em frente ao seu membro. Notei o quanto estava excitado pela forma que pingava. O que estou fazendo? No vestiário? Sasuke, você ficou louco?

Não fui direto ao ponto e pela cara que ele fazia não estava muito feliz com todo o meu arrodeio, mas apesar de estar me divertindo, queria ouvir sua voz.

Experimentei pôr um pouco dentro da boca, tomando mais à medida que saboreava o que estava em minha língua. Meus cabelos recebiam algumas carícias quando não um puxão por algo que fiz; seus gemidos eram sensuais, baixos e o olhar sobre mim parecia completamente entregue ao prazer.

Agilizei os movimentos de minha cabeça, tomando cada vez mais de seu comprimento enquanto ia e vinha. Naruto usou do dorso da mão para cobrir a boca em prol de não deixar os barulhos que fazia saírem alto demais, mesmo assim, o pouco que alcançava meus ouvidos estava fazendo meu membro cada vez mais tenso e latejante.

— Eu quero você, Sasuke. Dentro. — Procurou meu braço, puxando-me para cima. — Sem mais delongas. — Virou de costas, roçava a bunda contra mim.

— Não posso entrar assim.

— Claro que pode. — Parecia genuinamente bravo.

— Ei, calma. — Procurei seus lábios com meus dedos, lhe entregando dois para serem chupados. — Bom garoto. — A língua áspera brincava com as digitais, fazendo todo o trabalho de deixá-los o mais molhados possível.

Acariciei seu ânus, forçando o primeiro para dentro. Naruto se empinou um pouco mais para buscar contato quando comecei a mexer o indicador, procurando colocar o segundo para trabalho. Procurei por seu membro, movendo a mão enquanto usava os dedos.

Filho da puta. — O vi mordendo o lábio. — Não me faça gozar, Sasuke. — Era um choramingo não muito convicto do que realmente queria. — Não…

Beijei seu ombro, mordendo seu lóbulo, mantendo os dois ritmos lá nas suas partes baixas. Quando suas pernas tremeram de leve eu sabia que estava perto. Senti seu interior puxar meus dedos, enquanto seu quadril os procurava cada vez mais. Achei seu ponto macio, curvando as digitais para acariciar no lugar certo. Sua boca se abriu para não liberar nenhum som, logo em seguida senti o líquido pegajoso entre meus dedos junto com um longo gemido do loiro.

Ah, merda! Meu Deus. — Tentava cravar as unhas na porta dos armários. — Não ouviu o que eu disse?

— Ouvi e havia zero convicção em seu pedido. — Beijei sua bochecha, ele riu, ainda respirava pesado com os olhos fechados, mas não deixou de me beijar quando encontrei o canto de sua boca.

— Vai demorar muito? — Jogou a bunda para mim. — É você que eu quero. — Deitou a cabeça em meu ombro, me puxando para um outro beijo à medida que minha entrada acontecia. Meu gemido satisfeito acompanhou o dele.

Minha primeira estocada foi lenta, somente para aproveitar a quentura do corpo que me acolheu e fazê-lo acostumar com o volume dentro de si. Não resisti a apertá-lo quando voltei outra vez para fora e para dentro, acelerando à medida que ganhava consistência no movimento. Eu precisava inspirar fundo ou iria violá-lo com mais intensidade do que deveria nesse começo.

Naruto geme gostoso e isso está me deixando louco de tesão. Até mesmo a forma como busca meus movimentos está me levando a sanidade embora. Procurei seus lábios quando achei a nova ereção entre suas pernas.

— Droga. Isso, Sasuke. — Olhava em meu rosto com o olhar carregado de desejo. — Isso! — Jogou a cabeça para trás, rolando os olhos antes de fechá-los.

Quem olha para o Naruto sorridente e bem humorado dos corredores jamais diria que é dessa maneira na intimidade. Jamais imaginei, um: uma situação dessas. Dois: uma situação dessas! Okay, claro que já fantasiei sobre ele nos meus momentos de alívio, é quase impossível não fazê-lo. Afinal, o vejo sempre molhado e de sunga, com a bunda apertada e redonda naqueles malditos poucos panos. Como o que sinto há tempos, estranho seria se eu não batesse uma pensando nele.

— Me deixa apoiar no banco — sussurrou. Deixei que fosse, e o vi apoiar um pé na madeira do assento. A bunda roliça tem marcas vermelhas devido aos apertos que já dei. — Vai ficar aí olhando?

Deixei um sorrisinho de lado escapar. Mordi uma banda de sua nádega, dando alguns beijos ao longo de sua coluna, logo lhe dei um tapa antes de adentrá-lo outra vez. Segurei sua cintura não perdendo o ritmo das estocadas, esquecendo por completo onde estamos. E se fomos pegos não quero nem imaginar o que pode acontecer, de pior, talvez, uma expulsão? O choro manhoso do Naruto me trouxe de volta para o agora. E fico feliz por isso, ainda mais quando parei de investir deixando que ele busque por nosso prazer.

— Geme pra mim. — Segurei seu membro, fazendo estocadas lentas contra ele. — Assim… — Chupei seu lóbulo da orelha. Naruto virou o rosto para um beijo voraz que me fez acelerar nas bombadas. Recebi uma mordida sensual na boca, seguida de palavras de incentivo enquanto me olha nos olhos. Que grande pervertido. Gostaria de estar fazendo isso em uma cama, olhando em seu rosto para vê-lo gozar de frente para mim.

Olhei para o lado e recordei o que estava ali: o espelho.

— Quero que veja enquanto te fodo e te toco — falei baixo em seu ouvido, puxando seu corpo para a frente do espelho. Ele apoiou as mãos ali, sua respiração nublou parte do vidro, o vi passando o antebraço para limpá-lo.

Segurei seu pescoço, fazendo com que deite em meu ombro, coloquei dois dedos em sua boca, masturbo seu pênis quase na mesma velocidade que meto. Consigo ver suas expressões, isso está me empolgando um pouco mais do que estava.

— Se toque. — Ele obedeceu sem hesitar assim que o soltei de minha mão.

Vi seu rosto se voltando para o espelho, nossos olhares duelando pela dominação do prazer. O loiro tem a voz solta com a boca aberta, a testa suada, uma expressão de perdição completa na luxúria do ato.

— Eu vou gozar de novo — avisou. Tirei sua mão de seu pênis, tomando o serviço para mim. — Porra. Assim mesmo. Não para, Sasuke. — Apertou os olhos quando aumentei a velocidade. Jogando a cabeça para trás gemeu alto, as feições retorcendo enquanto o orgasmo acontecia. Seus apertos ao meu redor não me deixou durar muito mais que ele.

Quando finalmente explodi por completo, o Uzumaki virou de frente me tascando um beijo diferente dos anteriores. Abracei seu corpo suado com carinho, sentindo a carícia nos cabelos enquanto faço o mesmo com os seus.

— Isso foi melhor do que eu esperava. — Olhou em meus olhos. — Do que pensei que poderia ser. — Havia um sorrisinho simples em seus lábios. — Preciso de um banho novamente assim que as pernas funcionarem direito. — Acompanhei seu riso, o trazendo para sentar nos bancos enquanto nos recuperamos.

Naruto tem as costas contra meu peito, o silêncio ao nosso redor é confortável. Ouço somente nossas respirações ainda não completamente corretas.

— Você não disse o que queria de mim para me chamar aqui— comentei depois de estarmos devidamente vestidos e limpos, pegando apenas o que precisamos para ir embora.

— Qual é, Sasuke! Não ficou claro o que eu queria? Precisamos de mais um rodada?

— Ah! — Parecia que as engrenagens haviam se encaixado em minha cabeça. Caminhávamos para o estacionamento. — Onde está seu carro? — O céu já está escuro, vejo alunos do noturno chegando.

— Estou sem hoje. — Deu de ombros.

— Quer carona?

— Não. Vou para a casa dos meus pais. Devem estar vindo. — Buscou o celular na mochila, alguns segundos depois falou. — Minha mãe saiu de casa há dez minutos.

— Posso esperar com você.

— Não. Tudo bem. Pode ir.

— Então, nos vemos amanhã? — Abri a porta dos fundos, jogando a mochila nos bancos. Fui para o motorista em seguida.

— Sim, claro. — Mordeu o lábio. Aproximei dele, tomando sua cintura e lhe beijei com vontade. — Okay, certo, eu quero sua companhia. — Rolou os olhos, cruzando os braços na frente do peito depois de tirá-los de trás de meu pescoço.

— Ótimo. — Selei a ponta de seu nariz.

Fomos para o portão lateral da faculdade, a maioria das pessoas usam a principal para embarque e desembarque, então aqui está sempre vazio. Naruto se encostou nos ferros ao meu lado, olhando seu rosto agora não consigo ver o homem de poucos minutos atrás.

— Você é muito devagar, Uchiha. — Parecia indignado. — Não é possível que nunca ia tomar uma atitude para cima de mim. Quando fazíamos consultoria eu só faltava sentar em você. Não acredito que nunca percebeu.

— Bem — cocei a nuca —, eu não ia me importar nem um pouco que sentasse em mim. Me desculpa, mas não percebi. A verdade é que você era a última pessoa que eu poderia imaginar ser gay.

— Se eu soubesse que seria assim teria feito muito antes. Já ficamos sozinhos tantas vezes. Resistir a essa tentação não foi nada fácil. — Puxou minha camisa para que eu fosse à sua frente. — Foi uma ótima aventura. Estou impressionado.

— Quer sair comigo no final de semana?

— Eu adoraria. — Roçou nossos lábios antes de completar o beijo.

Sua boca é habilidosos no ósculo doce, mas ao mesmo tempo trazendo consigo toda a intensidade que quer passar. A língua brinca com a minha e me pergunto se sempre parecerá um prelúdio ou convite ao sexo.

Apertei sua cintura com mais vontade, descendo a mão por sua bunda que há não muito atrás estava em minhas mãos sem esse jeans que a recobre. Incitei meu ventre para ele, o ouvindo soltar um gemido em meio ao riso, mas nossos lábios não se afastaram por isso.

— Eu realmente gosto da sua boca — sussurrei antes de nos levar a outro beijo, havia um sorriso ali quando voltamos a nos beijar.

Sentir o celular do outro vibrar foi o que nos separou.

— Meus pais estão na esquina. — Abriu a mochila, buscou sua agenda e arrancou uma folha. Abrindo a caneta com a boca escreveu algo no papel. Ouvimos um carro parar, o vidro da janela desceu e uma ruiva chamou pelo loiro. — Já vou indo — respondeu a ela e voltou para mim. — Meu número. Me liga ou manda uma mensagem. Se não fizer, sei onde fica sua sala. — Entregou o papel na minha mão. — Estou falando sério.

— Percebo que sim.

— Até amanhã? — Afirmei com a cabeça, ganhando um selo tímido em meus lábios.

O observei ir e o automóvel partir. Busquei meu celular no bolso, digitando o número e a seguinte mensagem:

"Te pego às sete no sábado. Preciso do seu endereço."

Quando comecei a caminhar de volta para o estacionamento, o aparelho avisou uma resposta:

"Espero muito que me pegue haha", não deixei de sorrir, vendo o endereço logo abaixo. Parece que terei um final de semana agitado.

21 ноября 2020 г. 0:00:16 7 Отчет Добавить Подписаться
30
Конец

Об авторе

Adrielle Victória Algumas das histórias estão exclusivamente no Spirit, sintam-se à vontade para dar uma olhada (°◡°♡) Fuyuka Hideki

Прокомментируйте

Отправить!
Graziele P. Graziele P.
Meus Deus! Que escrita e desenvolvimento maravilhosos! Eu amei💖

  • Adrielle Victória Adrielle Victória
    AAAAAAAAAH! Obrigadaaaaa! Fico imensamente feliz em saber que gostou >.< June 09, 2021, 01:45
Ana Luz Ana Luz
Amei sua one-shot, pena que acabou hahaha muito boa sua escrita e o desenvolvimento, já estou procurando outras obras suas 💜💜

  • Adrielle Victória Adrielle Victória
    AAAH! Que bom saber que gostou!! E sintam-se à vontade para ler outras coisas que escrevo!! Vou ficar feliz em saber sua opinião sobre elas! Espero que goste! ❤❤❤ May 24, 2021, 22:03
Eliza Heyko Eliza Heyko
O Naruto dessa fic, me lembra de uma música que está muito popular no tt: "Sofá, breja e netflix." Gostei muito da sua escrita.

  • Adrielle Victória Adrielle Victória
    Opa! Eu preciso ouvir essa música e fazer essa comparação! AH! Fico feliz que tenha gostado! ❤️❤️ May 09, 2021, 19:06
  • Eliza Heyko Eliza Heyko
    A música é pq ele tá muito saliente kkkkk enquanto eu lia, lembrei dela kkkk May 09, 2021, 19:56
~