ageha_sakura Ageha Sakura

Desde que seus olhos captaram a beleza dos carros alegóricos, as fantasias deslumbrantes e os sorrisos sinceros, Jeongguk se apaixonou. Com o passar dos anos o desejo de conhecer o Brasil fora aumentando, depois de tanto esperar ali estava ele pronto para descobrir aquele lugar fantástico. Tinha quinze dias, mas sabia que todos eles seriam aproveitados da melhor forma, pois teria Taehyung ao seu lado, como seu tradutor e guia para presenteá-lo com a verdadeira beleza da cultura brasileira, em especial o famoso Carnaval.


Фанфик Группы / Singers 13+.

#bts #vkook #taekook #kookv #taegguk #taeguk #carnavalau
1
2.7k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Único: Amores carnavalescos

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Entre confetes e marchinhas de carnaval"!


Escrevi essa história quando ainda participava do @/SnowTK do Spirit, infelizmente eles não publicaram em seu perfil aqui e eu decidi fazer isso por conta própria.


Espero que gostem dessa fanfic atrasadíssima de carnaval, desejo uma boa leitura a todos 💞


____________________


Jeongguk sempre foi um garoto sonhador desde que se entendia por gente.


Quando tinha seis anos, estava assistindo televisão até que nas mudanças de canais acabou parando em um específico, este transmitia o maior evento brasileiro, o famoso Carnaval.


Os olhos do garotinho brilhavam intensamente, seu sorriso surgiu espontaneamente, revelando os dentinhos avantajados que fazia-o lembrar um pequeno coelhinho.Jeongguk estava encantado. O ritmo da música, as fantasias brilhosas e cheias de lantejoulas, os carros repletos de personalidades místicas e reais. O carnaval era mágico, um evento surreal aos olhos de um garotinho.


O jovem Jeon estava decidido de que um dia viajaria para aquele país, que iria conhecer de perto aquele universo brilhante e encantador. Desde aquele momento ele teve isso em mente, criando uma paixão não só pelo festival como pelo Brasil em si.


O tempo foi passando e ele continuava mantendo viva aquela paixão. Estudou sobre toda a história da nação, sua origem e sua cultura por inteira. Aprendeu, com certa dificuldade, algumas frases em português como forma de se aproximar ainda mais daquele lugar.


Chegando na maioridade, ali estava ele, um jovem sonhador que tinha a "vida feita" e tudo o que precisava para realizar seu tão almejado sonho. O sorriso largo o acompanhava na busca por passagens no site de viagens, com o objetivo de curtir pela primeira vez o carnaval brasileiro.


Passou quase duas semanas até conseguir comprar o combo de "ida e volta" com duração de quinze dias. Era perfeito! Iria chegar dias antes do evento, o que daria tempo suficiente para conhecer o Rio de Janeiro com mais calma. Em seguida, resolveu buscar por tradutores da região que estivessem livres para acompanhá-lo durante esse período, pois sabia que sozinho não daria conta.


Levou algum tempo até encontrar a pessoa certa. Seu nome é Kim Taehyung, nasceu no Brasil mas possui descendências coreana e japonesa, proveniente dos seus pais. É jovem, com apenas 26 anos já trabalha como tradutor a um bom tempo. O sorriso aumentou ao ver a foto do homem, totalmente encantado pela beleza do rapaz, mas decidido em focar apenas em sua viagem.


Contatou Taehyung por mensagens no aplicativo pertencente ao site, reservando os serviços do homem durante a quinzena. Acertou toda a quantia e com tudo ocorrendo bem, apenas orou aos deuses pedindo para que abençoasse toda a sua viagem.


Naquela noite ele finalmente cedeu ao cansaço, pois todas aquelas semanas de luta foram suficientes para desgastá-lo e agora só restava esperar dois meses e finalmente viajaria para o Brasil, podendo assim realizar seu doce sonho de sentir na pele a magia do carnaval.

[...]

A espera pelos meses foi cansativo, a ansiedade corroía o Jeon da unha do dedinho mindinho do pé até o seu último fio de cabelo.


Estava nervoso. Na manhã seguinte iria viajar, passaria longas horas no avião e chegaria no dia seguinte.


Havia combinado com o tradutor que ele usaria uma plaquinha com seu nome e roupas específicas, tudo para evitar que houvesse um desencontro indesejado.


As suas malas estavam prontas desde a semana anterior, devido a sua ansiedade e o nervosismo de acabar esquecendo algo e lembrando quando estivesse lá. Precisava realmente se acalmar antes que seu estado piorasse, não queria que algo prejudicasse sua viagem, e nesse momento ele era o maior problema.


Sentou na beirada da cama tentando conciliar todo nervosismo existente em si, precisava encontrar a sua paz interior ou nada ocorreria bem.


Guk? — escutou a voz de seu irmão mais velho, Jeonghyun, chamando por si.


— Sim,hyung?


— Posso entrar?


— Claro. — observou a porta ser aberta e o mais velho entrar de mansinho, andando até si e puxando uma cadeira para ficar de frente a Jeongguk.


— Vim conversar rapidinho com você. — segurou as mãos do rapaz e o fez olhar no fundo de seus olhos tão escuros quanto os do rapaz. — Sei que está nervoso com a ida para o Brasil, já que era tudo o que sempre quis e, por isso, estou aqui te dando meu apoio.Ficaram em silêncio por algum tempo, os olhares conectados e os sorrisos pequenos pintando seus lábios cor de cereja.


— Nada vai dar errado,Guk, confie no seu potencial e no amor que você possui por esse país. — sentiu as mãos de Jeongguk apertarem com certa força as suas — Mas, acima de tudo, divirta-se como se fosse a última vez. A primeira e a última. Aproveite e curta bastante! Estou aqui torcendo por você, maninho.


Jeongguk largou aos mãos de Jeonghyun, pulando em seus braços e afundando seu rosto no pescoço cheiroso do irmão. O mais velho correspondeu de imediato, ajudando o caçula a desfazer do medo e a ansiedade grandiosa que sentia naquele momento.


Eles eram irmãos e sempre estariam ali para cuidar e apoiar um ao outro, principalmente em momentos como aquele, onde abalavam o emocional e um deles sentia que estava sozinho para lidar. Jeongguk e Jeonghyun estavam juntos, venceriam qualquer obstáculo.


— Agora vá dormir! Você tem um dia cheio amanhã. — sorriu doce ao sair daquele abraço quentinho e carinhoso.


A porta fora fechada e o Jeongguk se direcionou até a cama, pedindo com fé que os deuses o protegessem e tornassem a sua viagem a melhor lembrança de toda a sua vida.

[...]

O dia começou agitado e nem por isso ele havia desistido ou se deixado abater, já que teve o apoio de seu irmão que o levava nesse momento em direção ao aeroporto.


A adrenalina corria por suas veias, o sangue fervente em puro êxtase e o coração bombeando com mais rapidez que de costume. Os olhinhos negros como uma ônix brilhavam intensamente, aguardando silenciosamente dentro do carro.


Não era preciso Jeongguk dizer que estava animado, pois seu corpo falava por si, suas atitudes e expressões eram bem fáceis de ler; ele era transparente por natureza.


Quando avistou de longe o aeroporto, sentiu sua pele ferver e foi forçado a engolir em seco, tentando expulsar o nervosismo e falhando bruscamente.


— Não vou poder acompanhá-lo até o portão, mas saiba que sempre estarei aqui por ti, por toda a eternidade. — ergueu seu dedo mindinho em direção a Jeongguk, sendo respondido com um largo sorriso e o mindinho do outro, selando assim a promessa que mantinham desde a infância.


Abraçaram-se com força, desejando o bem e prometendo ligar várias vezes, por fim separando-se e cada um seguindo seu rumo.


Aquilo não era uma despedida definitiva, todavia, sentiam como se fosse e era sempre "melhor prevenir do que remediar", como falava sabiamente o ditado brasileiro.


Andou apressadamente em direção ao portão de viagem, não aguentando esperar mais nenhum segundo. Quando cruzou aquela linha sentiu um arrepio estranho subir pela sua espinha, deixando a marca da felicidade brotar em seus lábios e tatuar em seu coração que tudo ocorreria bem, que seguir seu sonho não era algo ruim.


Dentro do avião ele fitava tudo pela pequena janelinha, sorrindo bobamente enquanto se despedia brevemente da sua amada terra, pois agora estava indo em direção ao país que tanto idolatrou.


E durante a longa viagem Jeongguk apenas pensava em como seria ao pisar naquela terra, o que sentiria, quais sensações poderia despertar e se algo poderia o surpreender.


Tudo era meramente fantasioso e ao mesmo tempo tentador, um mundo colorido por confetes, brilhantes lantejoulas, comidas gostosas e música boa.


Talvez, só talvez, tudo pudesse superar o que esperava, por isso apenas esperava inquieto naquela poltrona, voando pelos céus e cruzando o oceano em busca da realização de seu almejado sonho.

[...]

Não sabia exatamente que horas eram, todavia o céu era escuro e estrelado, podia vislumbrar poucos detalhes daquela janelinha.


A aeromoça havia informado que iriam pousar em alguns minutos, o que deixava-o ainda mais inquieto e ansioso pelo que poderia vir a qualquer momento.


O avião pousou e o coração do Jeon estava a ponto de fugir e sambar em território brasileiro. Riu baixo devido ao nervosismo, não conseguia acreditar em tudo o que estava acontecendo, era surreal.


Retirou o cinto e pegou suas coisas, saindo tranquilamente para fora da aeronave, aparentando uma expressão calma que se contradizia com o que sentia por dentro. Andou por todo aquele corredor empurrando o carrinho com suas bagagens, escutando algumas pessoas falando em português e outras em coreano, uma verdadeira mistura de línguas.


Chegando na saída se permitiu respirar o ar daquele lugar, estudar as características, as roupas, os sotaques e admirar ainda mais as diferenças belíssimas de cada um. Aquele era o Brasil, seu amado Brasil.


Por um momento Jeongguk havia se esquecido completamente do tradutor, de tão perdido que estava em meio aquele novo mundo, no seu paraíso. Lembrou-se do Kim e resolveu procurá-lo, as orbes atentas que captavam e analisavam tudo e todos.


Depois de tanto procurar seus olhos encontram o homem de pele amorenada e cabelos ruivos, tão quentes e vivos em um tom carmesim. Leu a plaquinha com caracteres do seu nome e constatou que era ele o seu tradutor, o belo Kim Taehyung. Aproximou-se do homem com um sorriso largo em seus lábios, animado demais e sempre demonstrando sua aura de pura felicidade.


— Você deve ser o senhor Kim. — esticou o braço em direção ao homem, disposto a fazer uma saudação típica ocidental — Desculpe por vir me buscar, deve ser bem tarde aqui.


— Sou eu mesmo, senhor Jeon. — Taehyung sorriu largo, um sorriso peculiar que lembrava a forma de um retângulo fofo e que combinava com sua aparência — Não precisa se desculpar, esse é o meu trabalho.


— Certo então, podemos ir? Estou louco pra provar de tudo! — disse num tom eufórico, já empurrando o carrinho com as bagagens, o que fez Taehyung rir da pressa do coreano.


— O senhor já está indo, de qualquer jeito. — comentou o ruivo, soltando uma risada anasalada que fez Jeongguk corar.


— Não me julgue! É minha primeira vez no Brasil, estou animado, pois sempre foi o meu sonho. — suspirou sorridente, inspirando o ar do lugar e captando o cheiro de terra molhada — Chuva... por favor, não me chame de "senhor", você é dois anos mais velho,hyung.


— Desculpe, faz parte do meu trabalho sempre tratar os clientes com formalidade. — ajudou Jeongguk a estacionar o carrinho e pegou algumas das suas malas — Vamos antes que a chuva aumente, não quero que se molhe.


— Como desejar,hyung!


Ambos correram com as malas em mãos, buscando pelo pequeno conversível amarelo que os esperava para escaparem da garoa. Guardaram as bolsas no porta malas, entrando no veículo e dando partida logo em seguida.


Ao longo do percurso a chuva fora aumentando, as gotículas batendo com força no veículo o que causava dificuldade no trânsito. Era difícil de enxergar pelas janelas, mas Jeongguk conseguiu identificar alguns estabelecimentos e pessoas, até mesmo viu crianças brincando e se banhando na chuva.


Um sorriso bobo se fincou em seu rosto, o desejo de fazer o mesmo que as crianças crescendo em si, o seu lado infantil sempre esteve presente e assim continuaria pela eternidade, sua alma ingênua nunca perderia a essência.


— Me parece bem animado, vontade de se banhar na chuva? — a voz grave de Taehyung o assustou, fora de repente, mesmo que a pergunta tenha sido feita com calma.


— Sim. Tenho alma de criança e sempre que vejo momentos assim gosto de me libertar, brincar na chuva e sentir as gotas geladas é necessário. — apoiou o braço no apoio da porta, encostando seu rosto enquanto continuava a fitar as ruas molhadas.


— Primeiro vamos nos alimentar e quando terminamos eu te levo pra tomar banho, prometo. — olhou para Jeongguk rapidamente, sendo correspondido de imediato.


— Promessa selada.


— Promessa selada.


O rádio tocava alguma música a qual ele não conseguia entender, entretanto, imaginava que deveria ser uma letra doce e romântica, perfeitamente para um clima chuvoso e confortável como aquele.


Fechou os olhos e permitiu-se relaxar, seguir o barulho das gotas e o som da melodia calma, que o recebiam no país com um abraço invisível e desejos de boas vindas.


Jeongguk estava em casa. Aquele país era o seu lar, estava escrito nas entrelinhas do seu coração.


Depois de algum tempo finalmente chegaram no lugar, uma hospedaria simples do jeito que ele havia pedido ao Kim. Estacionaram o veículo na garagem coberta, pegaram todas as malas e entraram no recinto.


Tete! — escutou uma fina voz carregada de doçura. Jeongguk virou-se em direção a voz e deparou-se com um rapaz baixinho, olhos puxados como os seus e de cabelos avermelhados com algumas mechas alaranjadas.


Minnie! — Taehyung sorriu largo para o rapaz, não podendo se movimentar muito por causa das bagagens.


O rapaz se aproximou de ambos, avaliando o Jeon da cabeça aos pés, sorrindo ladino em seguida.


— Deve ser o Jeongguk. Seja bem-vindo ao Brasil! — o rapaz o abraçou com força, o que deixou o Jeon um pouco assustado, todavia entendia que era dessa forma que os brasileiros agiam. — Eu sou Jimin, amigo do Tete e dono dessa humilde pousada. Espero que se sinta em casa, pode sempre contar comigo para qualquer coisa.


— Muito obrigado, Jimin-ssi. — O Park se separou de si, fazendo uma careta em seguida pelo honorífico — Você é mais velho? Desculpe,hyung!


— Não é isso, Jeongguk, apenas acho melhor não utilizar honoríficos. — segurou as mãos do mais novo, sorrindo abertamente para o outro — A partir de hoje somos amigos e quero que me trate de igual pra igual, não existe hierarquia entre amigos,Jeonggukie.


O moreno estava um pouco surpreso, nunca imaginou que as coisas fossem assim, mas estava disposto a tudo. Estava no Brasil e iria fazer o seu melhor em se adaptar da melhor forma, queria experimentar de tudo durante aquele pouco período que passaria ali.


— Chega de papo e'boracomer algo. — Taehyung foi o primeiro a falar, já andando em direção ao quarto do Jeon — Ele 'tá com fome, Minnie, não fica enrolando não!


Tete,seu insensível! — bufou alto, fazendo biquinho logo em seguida, o que fez o mais novo entre eles rir baixinho — Vamos,Gukkie! Vou te mostrar o quarto e depois vamos aproveitar muito, espero que sua estadia seja gostosa.


'Postosa? — perguntou um pouco confuso com a palavra, já que Jimin estava misturando coreano com português.


O Park riu alto da forma como o Jeon havia tentado pronunciar aquela palavra, o biquinho e a careta de dúvida eram fofos demais para não serem apreciados.


— Não,Jeonggukie. É gos-to-sa! — disse cada sílaba, sendo acompanhado pelo rapaz que acertou depois de algumas tentativas falhas.


Após o momento descontraído, Jeongguk guardou suas bagagens e tomou um banho quente para ajudar no frio que estava fazendo por causa da chuva. Por ele, teriam tomado um gostoso banho de chuva como Taehyung tinha prometido, todavia, o Kim achou melhor não arriscar e deixar isso para o carnaval, caso estivesse chovendo.


Pediram uma pizza grande para os três e aproveitaram o momento para se conhecerem melhor, já que a partir daquele momento iriam conviver juntos por quinze dias.


A primeira vista Jeongguk parecia um rapaz mimado aos olhos de Taehyung, contudo, depois de alguns minutos de conversa foi conhecendo o rapaz melhor, entendendo um pouco da paixão gigantesca que ele tem pelo país.


Era muito bonita a forma como o Jeon expressava seu amor que nasceu ao assistir um desfile de carnaval. Aquilo mexeu com o Kim, um formigamento bom no estômago e um sorriso sincero que não saía do seu rosto. Ele estava disposto a deixar as memórias dele ainda mais especiais, não só por ser seu trabalho, mas porquê viu naqueles olhinhos escuros que ele merecia de verdade.


— A conversa tá ótima, mas amanhã temos um dia cheio, na verdade uma semana. — disse Taehyung, levantando-se e jogando as latas de cerveja na lixeira — Vamos dormir.


Os outros dois concordaram em silêncio, levantando-se e jogando o que precisava ir para o lixo, em seguida cada um subiu para o seu devido quarto.


Jeongguk dormiu naquela noite como se estivesse no paraíso. Sua alma estava leve, como se flutuasse sobre as nuvens, o coração batia calmamente, entrando por completo naquele ritmo delicioso e viciante.


Ele pedia novamente, em silêncio, que aquele período fosse o melhor de toda a sua vida, mal sabendo que de fato assim seria.

[...]

No primeiro dia, Taehyung optou por levar Jeongguk para conhecer as famosas praias cariocas, tendo como resposta um sorriso tão radiante quanto o sol.


Foi um dia regado a risadas, Jeongguk parecia uma criança curiosa e às vezes medrosa, que chamava completamente a atenção de todos. Eles tiraram muitas fotos, gravaram vídeos engraçados e comeram algumas coisinhas que Jimin havia lhes obrigado a levar, pois como ele tinha dito:"Brasileiro que é brasileiro sempre vai levar a velha farofa pra comer na praia, acompanhada da velha cervejinha de responsa."


No segundo dia eles apenas saíram por um passeio tranquilo no bairro, conhecendo a praça onde os skatistas utilizavam para praticarem suas manobras malucas. Taehyung aproveitou disso para ensinar Jeongguk como andar em cima da "tábua com rodinhas", como Jimin havia batizado.


Foi uma tarde regada a quedas e arranhões, entretanto, não deixou de ser divertida e agradável para aqueles dois.


Os dias seguintes foram todos regados a passeios pela cidade carioca, conhecendo pontos turísticos e lugares que não faziam parte da lista, mas que Taehyung tinha certeza que iriam agradar Jeongguk.


Em todos os momentos o Kim conseguiu conquistar os sorrisos doces do Jeon e cada um deles deixava um efeito gigantesco em seu coração. Estava viciando-se aos poucos em Jeongguk, tudo nele era belo e o fazia ansiar por mais.


Então, após uma longa e divertida semana, o carnaval havia chegado e ali estavam os três comprando fantasias para estarem a caráter no Bloquinho das Panteras que Jimin fazia parte.


Jeongguk optou por apenas usar algumas roupas suas, nada de fantasias e isso deixou o Park irritado. Eles entraram numa tensa discussão, após alguns minutos Jimin usou sua influência e convenceu o Jeon a ser maquiado. Nada chamativo, apenas uma sombra rosa para colorir seus olhos e um blush para iluminar suas bochechas, deixando-as rosadinhas. Encerrou com um liptint clarinho, quase imperceptível, que dava mais vida aos lábios rosados naturalmente do Jeon.


Em seguida o Park foi se arrumar, demorando bastante tempo até estar a caráter de Ariel d'A Pequena Sereia. A peruca ruiva era longa e realçava seu rosto afilado e as bochechas gordinhas.


— Lindo! — a voz grossa de Taehyung invadiu o ambiente, arrepiando Jeongguk e fazendo o Park sorrir bobamente — Todos prontos, agora sim podemos ir.


— Com toda certeza, meu príncipe. — Jimin entrelaçou seu braço com o do Kim, segurando a mão de Jeongguk com o braço livre, enfim saindo os três para o bloquinho.


— Foi uma bela ideia vocês combinando as fantasias. — comentou o Jeon, sorridente demais devido a animação que era estar vivenciando aos poucos o seu sonho.


— Sempre gostamos de nos vestir assim, nésoulmate? — levantou a sobrancelha sugestivo.


— Claro,soulmate. — Taehyung sorriu pequeno, seus olhos focados totalmente em Jeongguk.


Jimin que não era bobo já tinha percebido a forma como os dois andavam se encarando, os sorrisinhos pequenos e olhinhos brilhantes. Estava na cara que estavam a fim um do outro, e o Park faria de tudo para que naquela noite eles parecem de ter medo e se libertassem como deveriam.


Se aproximando do bloco Jeongguk escutou de imediato a música alta, as batidas animadas e as pessoas pulando e dançando fantasiadas. O sorriso logo enlargueceu, admirando demais com aquela aura forte e vibrante. Os confetes e espumas por todo lado, alguns traços de tinta voando e pintando as pessoas como se elas fossem quadros.


Seu instinto lhe obrigou a pegar o celular e fotografar aquele momento, querendo guardá-lo consigo por toda a vida. Se só em estar no bloco era assim imagina quando assistisse ao desfile. A ansiedade já estava batendo em sua porta com ainda mais força.


— Vamos dançar e beber até cair, 'tão me ouvindo!? — gritou o Park, já se jogando na multidão e começando a rebolar enquanto arrastava os outros dois.


Jeongguk era bastante tímido, estava um pouco travado na hora da dança, mas nada que alguns goles de vodka não resolvessem. Em poucos minutos ele estava solto, jogando-se na pista com os outros dois e se juntando em meio aquele ritmo que oscilava entre marchinhas carnavalescas e o famoso funk brasileiro.


O tempo foi passando e os três estavam ainda mais próximos, os corpos suados e brilhosos por causa do glitter que jogavam, alguns fios grudados na testa e as respirações ofegantes. Taehyung estava com tanto calor que havia aberto a blusa de príncipe e deixado a regata a mostra, totalmente grudada no seu peitoral. Jeongguk estava em situação parecida, a blusa polo grudando em si e a tiara que Jimin achou no chão, enfeitando sua cabeça.


Sem que eles percebessem, Jimin havia se afastado propositalmente, com o objetivo de deixá-los a sós. Aos poucos foram acontecendo, os corpos dançando e se esfregando no mesmo ritmo, as bocas próximas e as respirações se misturando.


Gukkie— Taehyung sussurrou rente aos lábios do mais novo, os olhos totalmente focados naquela boquinha rosada e tentadora.


Taehyungie— respondeu da mesma forma, sentindo todos os pelos da sua nuca arrepiarem por causa da voz rouca chamando por si.


— Está curtindo? — perguntou baixinho, contudo, por causa da proximidade, Jeongguk conseguia escutá-lo bem.


— Muito — respondeu num fiapo de voz, viciado no movimento tentador que a boca de Taehyung fazia.


— Que bom. — o Kim sorriu sincero, um sorriso retangular tão largo e encantador que abalou todas as estruturas de Jeongguk — Quero te levar pra conhecer o desfile, seu sonho ainda não se cumpriu por inteiro.


— Tem razão. — sorriu da mesma forma, a ansiedade dominando seu corpo — Vamos chamar o Jimin.


— Ele não curte sair do bloco, mas vamos avisá-lo e se ele mudar de ideia, então tudo bem. — se afastou do rapaz a contragosto, segurando sua mão e o arrastando consigo a procura do Park.


Procuraram pela multidão até encontrarem Jimin aos beijos com um homem alto, ambos na maior pegação o que fez Taehyung rir e Jeongguk corar um pouco pela vergonha.


Taehyung não esperou e afastou o amigo, cochichando em seu ouvido e recebendo outro cochicho como resposta, afastando-se em seguida e indo de encontro ao Jeon.


— Ele não vai. — falou rente ao ouvido de Jeongguk, mordendo o lóbulo do moreno. Segurou a sua mão novamente, entrelaçando os dedos e seguindo com ele em direção a parada de ônibus.


Andaram um pouco, trocando risadas e olhares cúmplices, observando o crepúsculo dominar os céus, embelezando aquela belíssima noite de carnaval.


Pegaram o transporte e seguiram o percurso conversando para distrair, já que sabiam que iriam precisar pegar mais dois outros ônibus para chegarem ao sambódromo. Todo o percurso fora regado pelo clima bom instalado entre eles, suportando enfrentar o caminho com os ônibus lotados e parcialmente perigosos.


Foi uma viagem demorada, mas ali estavam eles. O coração de Jeongguk estava palpitante ao avistar os carros alegóricos, mesmo que um pouco distantes. Se aproximaram e conseguiram comprar os ingressos para assistir ao evento, entrando no lugar e se deparando com as arquibancadas e a multidão de pessoas que estavam ali pro desfile. Procuraram um lugar alto e bom o suficiente para verem sem dificuldades, encontrando com facilidade.


— Vai demorar pra começar? — perguntou ansioso, o sorriso largo quase impaciente e ao mesmo tempo tranquilo.


— Infelizmente sim. — pegou o celular e olhou as horas, lembrando que o evento começava 22:30 — Faltam duas horas e meia, vamos comer algo e nada de álcool.


— Okay!


— Espera um pouco que vou buscar comida.


Taehyung desceu as arquibancadas e sumiu em meio ao lugar, deixando um Jeongguk nervoso para trás. Aquele momento era o qual Jeon esperava, um momento de paz interior para sentir toda aquela vibração e se conectar com o seu eu da infância, enviando-o um recado de que estava próximo de realizar os sonhos de ambos.


Aproveitou aquela brisa gostosa e começou a pensar em Taehyung, nos olhares e em todo o momento que passaram juntos. Tudo aquilo estava mexendo consigo, envolvendo-o na trama romântica e clichê de carnaval. Jeongguk pedia do fundo do seu coração que nada daquilo fosse apenas uma diversão, pois tudo o que estava sentindo era novo e tão intenso ao ponto dele querer provar por mais tempo, experimentar e ficar por toda a eternidade.


Ele só pedia que Taehyung compartilhasse o mesmo sentimento, que ansiasse da mesma forma que ele.

[...]

Quase três horas depois, ali estavam eles presenciando a emoção da entrada da primeira escola de samba da noite.


Quando Jeongguk assistiu todas aquelas pessoas fantasiadas e sorridentes, seu coração disparou rapidamente. As lágrimas de felicidade brotaram em seus olhos, pois agora podia dizer que realizou seu sonho, já que a sensação era mil vezes melhor do que assistindo pela televisão.


O Jeon conseguia sentir na pele a chama da alegria que emanava de cada um deles, os ritmos dos enredos envolvendo sua mente e os olhos brilhando pela beleza que era todo o esforço das milhares de pessoas que estavam ali.


O Carnaval é repleto de emoções, mas a principal delas está presente nos corações daqueles que estão desfilando e nos das pessoas que apenas assistem e aplaudem o esforço deles.


— Taehyung, é fantástico! — exclamou sorridente, conquistando de vez o coração do Kim. Virou-se de frente para ele, olhando no fundo dos seus olhos e continuou — Obrigado por esse mundo presente, não sei como retribuir por tudo o que está fazendo por mim.


— Você já está retribuindo. — levou a destra em direção ao rosto de Jeongguk, acariciando levemente as bochechas rosadas — O seu sorriso é o suficiente pra mim, Jeongguk.


Os corpos foram se aproximando aos poucos, colando um no outro, as bocas raspando com delicadeza, os olhos fechados e as respirações se tornando apenas uma.


Deixaram o clima perdurar por mais um tempo, desfrutando de toda aquela sensação avassaladora que dominava os corpos, até conseguirem se entregar de vez aquele desejo que os acompanhou desde a primeira vez em que se viram.


Os lábios se acariciando com delicadeza, as línguas deslizando uma sobre a outra, as mãos se apertando e os corpos se fundindo ainda mais.


Confetes eram jogados de um carro alegórico e levados pelo vento em direção às arquibancadas, cobrindo os dois e embelezando ainda mais aquele momento mágico.


Tudo estava perfeito, fantasioso e encantador. Jeongguk nunca mais esqueceria do prazer que estava sentindo, da alegria que era estar no sambódromo e nos braços de Taehyung. Ele levaria todas as sensações para a Coréia, mas estava mais do que decidido a voltar para os braços daquele homem e do país que o acolheu como um filho.


Em meio aqueles dias de diversão, as escolas de samba desfilando, os confetes e as gotículas de chuva que iam caindo aos poucos, ele percebeu que não existia um lugar mais proveitoso do que aquele.


Jeongguk percebeu que aquele era e sempre seria seu lar, tanto o Brasil e o Carnaval, como Kim Taehyung e seu sorriso reluzente. Com todos ali ele não precisaria de mais nada para ser feliz, apenas pular nas poças de lama e beijar o Kim naquela chuvagostosa.


*Notas Finais*


Primeiramente eu gostaria de agradecer a Twilight-Park por ter feito essa capa lindíssima, ao qual me apaixonei de primeira, de verdade muito obrigada por toda a sua dedicação para comigo 💜💞💜💞


Agradeço a @/_yuta do Spirit por ter vetado e espero que todos tenham gostado dessa bebê.


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💕

1 августа 2020 г. 0:44:07 0 Отчет Добавить Подписаться
2
Конец

Об авторе

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~