nogitsunebr Nogitsune_Pride

Sabishi Okami é uma terceiranista antissocial, que tenta de todas as formas evitar problemas, umas vez que é menosprezada pelos seus colegas de classe por ser uma otaku que passa mais tempo jogando e lendo mangás do que fazendo outra coisa, enquanto seu irmão mais novo, Yasashi Okami, é o seu oposto. Sociável e com um forte senso de justiça, conquista o coração de vários alunos do Colégio Igarashi, tendo até sucesso com as garotas no fundamental. Apesar das diferenças, ambos se dão bem. Porém, sua rotina diária no colegial é quebrada quando os dois irmãos, incluindo os colegas de classe da Okami, são mandandos para outro mundo. Porém, ninguém estava lá para recebê-los. Um a um, seus colegas vão sendo mortos por criaturas aterrorizantes e os sobreviventes são resgatados por alguns aventureiros que estavam no local. Logo, eles descobrem que se tratam de monstros horrendos denominados de "mesclados", seres de origem desconhecida que transformam seus hospedeiros em criaturas que se alimentam de qualquer coisa que se move na terra. Agora eles farão de tudo para sobreviver nesse novo e perigoso mundo, enquanto tentam achar uma maneira de voltar para o seu mundo novamente.


Fantasia Épico Para maiores de 18 apenas.

#romance #terror #fantasia #magia #survival #poderes #litrpg #isekai #295 #381 #ação #ficção-científica #sobrevivência #fantasia-sombria #sistema #montros #mesclados
0
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quintas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Recomeço do Fim

Podia-se ouvir um zumbido ecoando por toda a mata. Explosões e projéteis para todo o lado. O cheiro insuportável dos cadáveres já havia tomado conta de todo aquele lugar. Ainda haviam pessoas sendo mortas por várias criaturas que estavam presentes ali. Era uma carnificina. Haviam partes de órgãos espalhados pelo chão, restos do pareciam ser intestinos em telhados de algumas casas.

Era um cenário de pura carnificina, um banquete para os monstros que estavam atacando tudo o que se movia pela frente. Porém, ao que parecia, haviam também vários aventureiros lutando contra eles. Os que possuíam habilidades mágicas davam suporte para aqueles que se encontravam na linha de frente. Ao que parecia eles estavam evacuando algumas pessoas que haviam conseguido escapar enquanto ganham tempo usando seu próprio corpo como escudos para não deixarem as criaturas os perseguirem.

- São demais para todos nós aguentarmos! Só matamos uns vinte deles, mas mesmo assim vem vindo mais! - grita um dos defensores, bloqueando o ataque de um dos seres humanóides que salto para matar uma mulher com sua filha.

- Como eles se multiplicaram tão rápido em apenas duas semanas desde o contágio?! - perguntou um Espadachim incrédulo, enquanto cortava outra criatura ao meio, sendo cercado por outras três bestas enormes.

- Ninguém sabe o porquê, mas nós sabemos de uma coisa. - diz um dos magos o disparar bola de fogo explodindo vários deles no local. - Magia é mais eficaz para mata-los.

Outro brutamontes lutava ferozmente com as mãos nuas, esmagando a cabeça de seus "adversários", enquanto gritava: - ESTAMOS ENCURRALADOS! Vocês tem que ir na frente! Posso tentar ganhar tempo aqui! Peçam para os clérigos usarem "aquilo" para chamarem ajuda. Essa talvez seja a única maneira de acabarmos com tudo is- AAAAH!!! MALDITO!! - gritou de dor após ser mordido por um "deles" na região do seu ombro, logo, ele usa sua força para quebrar a cabeça do monstro, pressionando-a sobre a parede até esmagar seu crânio.

- Tsk... Não vamos deixar você a- - antes que pudesse completar palavra, mais três seres de dois braços gigante saltam em cima do homem, comendo parte do seu pescoço e abrindo seu estômago com as garras.
Seu companheiro presencia essa cena horrorizado. Ele tenta falar algo, mas então ele mostra seus dentes expressando todo o seu ódio e tristeza encarando as criaturas que devoravam seu amigo, porém ele sabe o que precisa ser feito para que os demais sacrifícios não tenham sido em vão. Então ele retorna para onde seus outros companheiros estão e começam a disparar em suas carruagens para fugir do perigo.

...

Enquanto isso, numa manhã ensolarada, os raios de sol batem no rosto de uma jovem de cabelos pretos e olhos escuros. Ela não aparentava estar disposta a se levantar e por isso tenta dormir novamente. Porém, sua "paz" acaba quando ela recebe a visita de um ser humano chamado seu irmão, que salta com tudo em cima dela, a abraçando.

- Acorda Onee-chan! Temos aula hoje, a semana ainda não acabou! - gritou enquanto chacoalhava a garota, o suficiente para fazê-la ficar um pouco irritada e deixar a sua preguiça de lado.

- Tudo bem. Já vou! Já vou! Tsk, que saco... - resmungou a garota.

Repreendida pelo irmão mais novo, ela vai até a porta do seu quarto, bocejando por ter passado a madrugada até às 3:00 jogando MMORPG. Antes de abri-la, ela tira suas roupas, deixando a mostra o seu corpo gordinho. Em seguida o embrulha com uma toalha e vai até o banheiro para tomar banho.

Já na sala de estar, se encontrava o caçula da família, fritando ovos com bacon. Logo, ele vai até os armários e começa a colocar os pratos e xícaras na mesa, junto a manteiga, pão, café, leite e açúcar. Estava todo animado para mais um dia, pois iria reencontrar seus amigos após a Golden Week.

Nesse meio tempo, desce pelas escadas sua irmã mais velha, sentando-se na sala de jantar para tomar café com seu irmão.

- Preparada para o retorno ao sufoco, Okami nee-chan? - perguntou o seu irmão mais novo enquanto atacava o bacon.

- Ei! Come mais devagar ou vai se engasgar! - o repreendeu - E sim, estou pronta para o retorno ao meu pesadelo de novo, Yasashi. - respondeu a pergunta com desânimo.

- Não esquenta nee-chan. Tenho certeza que talvez agora, você consiga falar com aquele... garoto que você gosta, hehehe. - ao ri de sua irmã maliciosamente, ela cora e levanta da cadeira, batendo sua mão na mesa, envergonhada.

- Tá bom, idiota! Não precisa ficar me lembrando disso, tá legal? - respondeu zangada, porém mais envergonhada.

- Então você finalmente admitiu? Ha! Parece que eu ganhei a aposta. Então... Vai passando a grana! - estende a mão com um sorriso ganacioso.

- AFF... Me erra garoto! - de um jeito forçado ela entrega o dinheiro, porém ela não o solta, e seu irmão menor tenta puxar com toda a sua força.

- Eu ganhei a aposta... Dá para soltar... Argh... O dinheiro? - implora para ela enquanto puxa usando sua força em uma das mãos.

- Você quem pediu. - ela rapidamente solta, fazendo tanto a cadeira quanto Yasashi caírem com tudo no chão.

Ele então diz: - Qualé Onee-chan! Isso foi golpe baixo! - resmunga de braços cruzados, ainda caído no chão, fazendo com que Okami soltasse um leve sorriso.

Ela então estende a mão e o levanta, dizendo: - Bem, hihihi... É melhor irmos para escola antes que a gente se atrase.

Os irmão então "aceleram o passo" rumo ao colégio Igarashi. Chegando lá, eles rapidamente vão para os armários trocar seus sapatos para subirem para os andares superiores.

A partir daí, Okami se separa de seu irmão Yasashi, soltando um leve suspiro antes de encarar seus colegas de classe. Diferente de seu irmão, ela não se dá bem com seus colegas. Assim, ela respira fundo e abre a porta da sala. Observando o ambiente, nota que todos passam a olhar para ela, motivo? Seu senpai estava se aproximando e estava indo sua direção, isso fez com que os demais colegas parassem de jogar conversa em dia e prestar atenção na jovem.

- Bom dia, Okami-san. O que você fez nessas férias? - perguntou o rapaz loiro, de maneira otimista.

- Acabou de melhora- Digo! Foi ótima... Descansei bastante! Hehehe... Deixando isso de lado. - esfrega a cabeça - O que fez durante as férias? - diz desviando o olhar, corada e envergonhada. "Que merda de reação foi essa?" pensou preocupada, olhando para o chão com medo de olhar em seus olhos.

- Deve estar nervosa por voltar. Ainda mais hoje, porque o primeiro tempo vai ser com professora Sumire. Ela pode ser um amor de pessoa, mas é muito rígida com sua matéria. - comentou o loiro, um tanto preocupado com Okami.

Antes que a mesma pudesse dizer alguma coisa. Um trio de alunos chega na sala, duas garotas e um garoto. A primeira tinha cabelos ruivos, estava de bom humor aparentemente, demonstrando-se autoconfiante. A outra garota tinha cabelos verdes como das folhas de uma árvore. Não era surpresa que aquilo era tintura de cabelo, mas o que era marcante nela era sua personalidade calma e serena, mantendo um comportamento neutro perante a tudo e todos, ou como Okami e seu pai diriam, a maior "cara de C com câimbra".

Já o último era um garoto que de cabelos também loiros, porém diferente do outro, este não era tão bonitão quanto o mesmo. Era simples, usava óculos e parecia estar no mundo da lua. Dizem que ele tem algo de especial nele que o faz se desligar do mundo ao seu redor, por isso nunca foi visto se metendo em encrencas.

- Akira-kun! Que bom te ver de novo. - diz a ruiva ao se aproximar do loiro. Ambos os dois se beijam, porém enquanto o loiro estava de costas para Okami. A mesma ficou pasma e boquiaberta com o que via. Porém, enquanto eles se beijavam, a ruiva encara Okami, dando a ela um sinal de que já sabia dos sentimentos dela pelo Akira.

A jovem quase chega a chorar, porém ela cerra os punhos e respira fundo, pois ela sabia que se resolvesse isso com os punhos não chegaria a lugar nenhum, pois estaria fazendo exatamente o que ela queria.

Então ela toma decisão de ir para a sua carteira, procurando o máximo possível ignorar esse incidente infeliz. De sua mochila, ela retira algum tipo de bola de borracha enquanto escuta uma música em seu celular usando o fone de ouvido. Alguns podiam perceber que ela estava muito estressada, prestes a explodir.

A verdade é que Sabishi Okami havia sido diagnosticada de Transtorno Explosivo Intermitente(T.E.I.). Em outras palavras, ela é uma espécie de bomba relógio ambulante que precisou de ajuda psiquiátrica para controlar sua raiva. Afinal, quando ela era criança, sofria agressões verbais por conta de seu peso. No início ela levava como brincadeira, até fazerem uma "brincadeira" de mau gosto com ela, jogando água fria em cima e chamando ela de "tartaruga". E isso continuou até ela perder o controle e encher de socos cada um dos seus colegas.

Naquele tempo ela tinha sido expulsa e até sentiu remorso pelo o que fez, afinal ela também era forte e podia ter acabado matando alguém por descontrole emocional. Mas hoje, ela tenta controlar esses impulsos, mas de uma forma ou outra, ela sabe que vai explodir, e quando explodir, ela poderá não ter mais a consciência das consequências de seus atos, uma vez que vai ser tarde demais para voltar atrás.

Logo, a ruiva sorri para a garota de cabelos escuros e vai em sua direção, tirando seu fone de forma forçada, deixando a garota irritada.

- Ei, qual é o seu problema? Hã? - perguntou cerrando os dentes e os punhos.

- Meu problema queridinha, é que você é tipo de pessoa que eu desprezo. Então, é o seguinte: Fica longe do meu namorado seu pervertida de merda. - respondeu com desgosto.

- De que merda você está falando, Rio? - perguntou a garota, agora confusa. Então, a ruiva retira o celular de seu bolso e mostra um vídeo da noite passada.

- Ei Akira-kun. Essa piriguete de meia tigela estava te espionando ontem quando eu tava indo "falar" com você na sua casa. - ela mostra o vídeo para ele, fazendo-o ficar chocado com isso.

- Tsk, isso é ridículo. - Okami então vira de costas para a mesma e tenta sair da sala.

Logo, Rio começa a dar empurrões nela enquanto Okami apressa o passo para sair daquela situação, dizendo: - Quer saber de uma coisa? Você não passa de uma nerd fudida que não tem futuro, porque seu pai é um desenvolvedor de jogos fracassado enquanto sua mãe não passa de uma fujoshi que fica escrevendo shoujos que nunca vão ter sucessos. Eu tenho pena do seu irmão, que sempre tem que limpar suas merdas sabe? Ele já deve ter ido na diretoria me denunciar porque eu dei uma boa surra nele quando tentou me impedir de mostrar cada verdade sobre você sua- - antes que pudesse contínuar, ela leva uma surra no meio bem na boca dada por Okami, fazendo cair no chão.

Todos ao redor das duas ficam chocados com essa atitude, incluindo o próprio Akira. Então, porta da sala se abre e quem havia a aberto era o irmão mais novo da garota, Yasashi. Vendo essa situação, ele corre para trás de Okami e tenta parar a briga segurando a mesma, e o mesmo acontece com Rio sendo contida por Akira.

- ME SOLTA! DEIXA EU ACABAR COM ELA! - tanto Okami quanto Rio vociferavam de forma ameaçadora, uma querendo matar a outra. Logo, a professora finalmente chega e vê toda a loucura que aconteceu enquanto estava fora. Enquanto se dirigia furiosamente para dar alguma punição para as duas, Okami estava chorando de ódio.

Foi nesse momento em que ela acaba perdendo o controle e dizendo tudo o que vinha em sua cabeça.

- Vocês são uns hipócritas mesmo não é? Quantas vezes essa vagabunda não aprontou com alguém daqui e saiu ilesa? Mas aí, quando sou eu o problema, parece que o mundo todo decide fazer uma conspiração contra mim! Mas quer saber o que eu acho? EU QUERIA TODOS VOCÊS FOSSEM ENVIADOS PARA OUTRO MUNDO E FOSSEM TODOS MORTOS! UM POR UM!

No momento exato em que diz isso, uma espécie de círculo com símbolos arcanos surge em volta da sala, criando uma forte luz, tomando conta de todos que estavam ali, incluindo Yasashi e a professora que acabaram de chegar.

...

Ao fechar seus olhos devido a forte luz que tomou conta de tudo, a jovem abre seus olhos e se depara com um ambiente novo. Juntamente dela estavam um total de 10 pessoas. Todos se encontravam em frente a uma rua de alguma cidade com características de reinos medievais. Porém, as casas estavam destruídas e haviam carruagens quebradas ou pegando fogo por ali.

- Onee-chan... O que você fez? Onde é que estamos? - diz tremendamente assustado.

- Eu não sei mas... Eu tô com um mau pressentimento. - respondeu estando também nervosa. Logo, um de seus colegas aponta para algo que estava agachado perto de um beco atrás de uma lixeira.

- Gente... O que é aquilo? - ao perguntar isso para seus demais colegas, um ser todo escuro e enorme de aparência humanóide fica de pé e encara todos que estão ali. Então, a criatura solta o que aparentava ser um braço humano com sua mãos sobre o chão, estando toda coberta de sangue.

Porém, o que foi ainda mais apavorante foi ouvir a criatura dizer: - Me... Aju... DEM!!! - disparando na direção de todos.

- TODO MUNDO, CORRE!!! - voriferou Okami, dando início a perseguição da estranha criatura contra ela e todos os seus colegas de classe nesse perigoso e desconhecido mundo.


30 de Abril de 2020 às 04:12 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Todas as Quintas-feiras.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas