johsai Inawa ina

O coração de Anúbis parou, O pecado daquela mulher era maior que sua inocência, A justiça assim foi feita, A besta voraz começou a devorar, E que horas aquilo tudo iria acabar?


Poesia Romance Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Direitos reservados

#poesia #Antigo-Egito #Anúbis
4
5.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Poesia



O Julgamento e a começar, mas o juiz queria chorar,

Uma parte da multidão presente gritava a salvação,

A outra rangia a sentença sem pensar,

E Rá*, onde estás?


Osíris estava pronto para ressuscitar a pobre mulher,

Porém, Ammit* só queria se alimentar,

Como deusa da justiça, Maat* queria gritar,

Onde será que andas Isis?


Aos toques e os gemidos que um dia deleitou-se,

Agora julgava uma pessoa que tanto amou,

E o seu amor naquele instante iria acabar?


A balança e o chicote estavam no devido lugar,

Com a mão esquerda segurava o cetro,*

E a mão direita jazia chave da vida e da morte,

E Maat, onde estarás?


Meio perdida a deusa chegou,

Maat colocou a pena no seu lugar,

Do outro lado o coração da humana começou a pesar,

E o amor naquilo tudo onde estarás?


Osiris lamentou-se por Anúbis*,

Este que decretou a sentença pondo fim naquilo tudo,

Ammit pronto e faminto estava,

Que horas ia almoçar?


O coração de Anúbis parou,

O pecado daquela mulher era maior que sua inocência,

A justiça assim foi feita,

A besta voraz começou a devorar,

E que horas aquilo tudo iria acabar?


Lambendo os resquícios de suas garras, Ammit desapareceu.

A multidão esvaziou-se em supetão,

Pois o espetáculo que acabara de terminar,

E Anúbis triste estais?


Osíris compadeceu com a situação, porém nada fez.

Maat suspirou, estava triste por Anúbis,

Que amou mais que tudo aquela mulher,

Até que ponto isso foi chegar?


Anúbis estava satisfeito, pois amou e foi amado,

Sofreu por ela até o fim,

Como verdadeiro Deus do submundo,

Arrependido com certeza não estava.

Além de tudo, o seu papel ali foi concretizado.




NOTAS FINAIS:


Anúbis*: também chamado de Anupo, é considerado o deus egípcio protetor, guardião e guia dos mortos. Era o deus dos mortos, da mumificação e do submundo.

Rá*: além de ser considerado o deus Sol, é também denominado como o criador dos deuses e da ordem divina.

Osíris*: é conhecido com o deus dos mortos, além de ser a divindade da vegetação, do julgamento e do além.

Ammit*: (também pronunciado Ammut, Amut e Ahemait) é a personificação da retribuição divina para todos os males realizados em vida.

Maat*: geralmente traduzido como “Aquilo que é certo” ou “Verdade”, mas também implica em “Ordem”, “Equilíbrio” e “Justiça”. Assim, Maat personificava a perfeita ordem e harmonia.

Ísis*: É cultuada como modelo de mãe e esposa ideais, protetora da natureza e da magia

Cetro*: bastão de comando próprio da autoridade real.


Sobre a poesia:


Anúbis tinha se apaixonado por uma humana, mas ela foi julgada depois de morta como qualquer outro, por tanto foi uma pecadora nata em vida, então nem Osíris poderia ressuscitá-la, por isso foi condenada e devorada pela besta. E Anúbis mesmo amando e chorando por dentro não ia deixar de fazer seu trabalho, além de tudo, ele é um deus justiceiro.

Obrigada por ter lido

25 de Novembro de 2020 às 02:12 3 Denunciar Insira Seguir história
9
Fim

Conheça o autor

Inawa ina Ler e escrever é o meu único refúgio. Dunew e Inayah também no Spirit <3

Comente algo

Publique!
Francisco Rivera Francisco Rivera
Amigo, te atrae la legión de dioses del Antiguo Egipto y sus facultades. Esa atracción ha nutrido tu imaginación y tus deseos de ser escritor. Me parece bien. Quizás, si explicas lo que te hace escribir esto, nos lleve como lectores, a solicitar más historias y poesía como lo muestras en esta ocasión.
April 30, 2020, 21:09
Светлана Винн Светлана Винн
познавательно)))
April 24, 2020, 16:07

~