0
1.3mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Voar.

Planando no ar, Sai tinha a visão da floresta Nara de cima, algo privilegiado no mínimo, pois só o clã Nara podia entrar ali, principalmente que eles “resguardavam” um dos membros da Akatsuki, Hidan. Sai não conseguia entender aquilo, é mesmo possível que o albino estava vivo até agora soterrado? Parecia loucura, mas os AMBUs estavam interessados na imortalidade de Hidan, querendo descobrir o segredo dele e não acreditavam que foi um deus que deu ao membro da Akatsuki a imortalidade, tinha que ser algo em seu jutsu.

O pássaro se aproximou mais das árvores, ainda planando, ele tentava descobrir o local onde Hidan estava enterrado, mas sem ser visto pelos veados do clã Nara. De longe, dava para ver um pequeno pedaço da floresta com árvores pequenas, ainda crescendo, Sai foi direto para lá e finalmente achou o que queria.

A cova tinha um relevo considerável, fazendo Sai pensar que o corpo de Hidan estava muito fundo, demoraria dias para desenterrar o homem.

— Quem é o viadinho que tá aí?

A voz de Hidan foi escutada, assustando Sai — Então você está realmente vivo.

— Se você não falasse isso eu nunca descobriria — Mesmo que a voz fosse abafada, dava para identificar o deboche — gênio.

Sai olhou ao redor, os veados pareciam não ter identificado sua presença ali. Ele andou até a cova e desenhou um símbolo sobre o relevo — Como é está enterrado por tanto tempo?

— Você quer morrer? — Perguntou Hidan, não entendo a pergunta do estranho e se irritou profundamente.

— Você quer? — Sai devolveu a pergunta.

O símbolo se transformou em um selo e começou a extrair algo dentro da cova.

— …

Sai sorriu cínico, mesmo que Hidan não conseguiria ver — Não se preocupe — A voz mansa de Sai ecoou — Você ficará vivo por bastante tempo.

— Onde ‘tá Kakuzu? — Perguntou Hidan. Sai sentiu que a pergunta veio de forma desesperada.

Então ele não sabia que Kakuzu estava morto? Mesmo depois de todo esse tempo preso ali, ainda achava que sua dupla estava viva? Ou o Akatsuki estava negando a morte do parceiro?

— Responda-me primeiro que lhe darei a resposta.

Hidan estalou a língua — É uma merda. Feliz?

— Não essa pergunta.

— …

Sai não entendia o receio de Hidan sobre responder se ele queria morrer ou não, se ele quis a imortalidade logicamente que ele não queria morrer, assim pensava.

— Eu respondi sua primeira pergunta, agora responda a minha. — Disse Hidan, perdendo a paciência.

Sai suspirou — Sim, Kakuzu está morto.

O silêncio foi predominante dando a entender que Hidan estava engolindo a notícia ainda, ele estava de luto? Pelo que Sai ouviu de Shikamaru, Hidan não parecia o tipo de pessoa que se importa com os outros. A extração terminou e Sai percebeu que não teria sua resposta, ele estava realmente curioso sobre Hidan. Ele levantou e andou até o pássaro de desenho e percebeu que os veados ainda não estavam ali.

— Sim.

Sai olhou para trás, para a cova, surpreso, então essa era a resposta de Hidan.

— Infelizmente não sabemos como fazer isso.

— E nunca saberão, bando de ateus fudidos do caralho! — Ele gritou enraivecido.

Sai deu um sorriso cínico, mas, no fundo, ele estava interessado mais ainda em Hidan depois da resposta, ele viria aqui mais vezes.

22 de Abril de 2020 às 20:23 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Sombra.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 18 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Iniciativa Fanficadores - descrição do projeto Iniciativa Fanficado...
O alvorecer do amor O alvorecer do amor
Axis Mundi Axis Mundi