bangtan_vida Sook Lee

Por mais que Jungkook seja um garotinho puro e adoravel, as pessoas o veem como uma criança doente, anormal. Por isso sua omma o deixou, com dor no coração, no hospital psiquiatrico de Kyungsoo, em Busan. A História de Alice no País das Maravilhas real não é como a que voce conhece... +18 Conteúdo pesado Leia sabendo que contém estrupo e violencia Também no wattpad como @bangtan_vida e no spiritfanfiction


Fanfiction Celebridades Para maiores de 18 apenas.

#drogas #lgbt #abuso #bts #jungkook #estupro #jikook #pais-das-maravilhas #manicomio #alice-no-pais-das-maravilhas
1
1.3mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

A base da fanfic

Bem meu pequeno, esse lance de "felizes para sempre" não existe. Voce foi iludido a vida toda pelas professoras do jardim de infancia. Seus pais também te enganaram (provavelmente sem saber a verdadeira historia por trás) quando contavam as histórias de princesas encantadas como branca de Neve, Cinderela, ou Rapunzel. Nenhuma princesa teve seu final feliz. Inventaram os finais para as crianças.

A história de Alice não é diferente, é uma história triste.

Devemos Lembrar que os grandes contos de fadas são de outra época, a realidade era diferente e os valores extremamente conservadores. Então, ter uma filha esquizofrênica era considerado uma aberração, um crime. A menina tinha apenas 11 anos quando os pais de Alice decidiram deixa-la em um sanatório, e ela permanecia, na maior parte do tempo, dopada. Quando não estava sob efeito de remédios, era violentada pelos funcionários.

Cada um dos personagens e objetos da história, tem a ver com um desejo ou experiência de Alice:

A toca do coelho pelo qual ela entra no País das Maravilhas, é, na verdade, uma janela de seu quarto, onde ficou presa durante toda a vida, pela qual ela desejava sair e conhecer o mundo à sua volta.

O coelho branco, para ela, representava o tempo. Aquele tempo que ela desejava que passasse logo, para que um dia ela pudesse sair daquele lugar. O tempo que ela via passar tão rápido, porém tão lento...

O Chapeleiro Maluco, era outro interno, seu melhor amigo. Alguém que deixava sua vida no hospital menos amargurada, com quem criava várias teorias de como seria a vida lá fora. O rapaz, em realidade, sofria de Síndrome Bipolar, por isso a personalidade do Chapeleiro na história, o mostrava ora alegre, ora depressivo, ora calmo, ora irritado.

A Lebre, companheira do Chapeleiro, era a menina que dividia o quarto com ele. Ela sofria de depressão profunda, e todas as vezes que Alice teve contato com ela, encontrou-a num estado de terror e paranoia.

O gato de Cheshire era um dos enfermeiros, em quem Alice confiou, mas acabou por enganá-la e violenta-la. O sorriso do gato, aquele que é tão marcado, era na verdade o sorriso obscuro que seu agressor abria, cada vez que lhe abusava, e a deixava jogada em um canto de sua acomodação, derrotada, triste e ofuscada.

A Rainha de Copas seria a diretora do sanatório. Uma mulher má e desprezível, que não sentia sequer um pingo de compaixão para com os enfermos que estavam sob seus cuidados. Era a favor da terapia de choque e da lobotomia, e por diversas vezes ordenava que os funcionários espancassem, sedassem e prendessem em jaulas os enfermos que apresentavam comportamento que não lhe agradavam.

A Rainha Branca seria sua mãe, uma mulher doce e pura, que sofreu na pele o preconceito de ter uma filha doente, tendo que abandonar a menina em um sanatório, e nunca mais voltar a vê-la. As vagas lembranças que Alice possuía, era de momentos com sua mãe, e o motivo dela pensar que o mundo fora dos muros do hospital era um lugar melhor, era saber que a mãe estava lá, em algum lugar, para lhe cuidar.

Os Naipes, os enfermeiros do hospital, apenas seguindo ordens o dia inteiro.

A Lagarta Azul seria sua terapeuta, aquela que lhe dava as respostas, que lhe explicava o que acontecia e com quem ela conversava.

Tweedledum e Tweedledee são gêmeos siameses órfãos, que também estavam no hospital. Embora não possuíssem nenhum problema mental que justificasse sua internação, a aparência que tinham era assustadora, por isso foram reclusos.

O Rei de Copas é na verdade o médico psiquiatra do hospital. Alguém com complexo de inferioridade, que era incapaz de se opor às ordens da diretora.

Os frascos "Coma-me" e "Beba-me" eramas drogas que lhe davam. Por serem extremamente fortes, por várias vezes Alice tinha sensações diferentes e alucinações, bem como se tivesse encolhido ou aumentado de tamanho.

Tudo isso foi criado pela menina como se fosse um mundo paralelo. Uma realidade menos dolorosa daquela em que vivia.

Infelizmente, Alice executa uma tentativa de fuga. Ela não obtém sucesso, e acaba detida pelos funcionários. A diretora furiosa, manda que espanquem a garota e apliquem a terapia de eletrochoque, para que nunca mais volte a se repetir. Após o castigo, Alice torna-se agressiva e violenta, ao ponto da diretora decidir que a única saída para ela seria a ¹lobotomia.

Alice viveu por muito tempo em um estado de "coma". Ela nunca mais viveu, sorriu, ou falou. Devido a isso, teve seu corpo devastadoramente abusado, tanto, que acabou por ter hemorragia interna devido à violência empregada, e veio a falecer.

Fonte: creppypastabrasil.fandom.com

¹Lobotomia: é uma intervenção cirúrgica no cérebro em que são seccionadas as vias que ligam os lobos frontais ao tálamo e outras vias frontais associadas. Foi utilizada no passado em casos graves de esquizofrenia.

17 de Abril de 2020 às 16:39 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Avisos

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 12 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!