shinia Bar-t-t-tender

Uma geração atrás, a guerra contra os vampiros culminou em desgraça e quase escravidão à raça humana. Agora, os superiores reescrevem a história em cima de suas glórias, e aos humanos resta o caminho silencioso da obediência. Yuuichiro é um jovem órfão crescido na periferia, que ainda ousa se rebelar nas pequenas ações do cotidiano, até ser arrastado para os campos subterrâneos, velhas instalações perigosamente próximas da antiga fronteira. E, a partir daí, o destino lhe apresentará diversos caminhos; resta a ele escolher entre o ódio nutrido desde a infância ou a redenção calma e bonita, em um lugar distante do caos daquela civilização.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#yoichi-saotome #mikaela #yuuichiro #seraph-of-the-end #o-último-serafim #mikayuu #owari-no-seraph
2
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quintas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

prólogo: o escuro é como um lar

“O mundo é um moinho” é uma música do compositor e poeta brasileiro Cartola. Recomendo que escutem, não necessariamente agora, mas em algum momento. É uma música boa, perfeita pra chorar naqueles fins de tarde onde o mundo inteiro parece ter ido para frente e te deixado para trás.
Isso daqui é uma au. Ainda existem vampiros, e a humanidade está quase em extinção, mas ao contrário da obra original, o exército demoníaco imperial japonês (que por aqui, nem japonês é) foi aniquilado uma geração atrás. Vai ter algumas referências com os últimos capítulos do mangá, mas não é nada de mais. Por juntar ficção de fã com detalhes do canon, creio que pouca gente vá conseguir diferenciar.


A fanfic é mikayuu, mas o romance vai demorar um pouco a acontecer. Espero obter êxito em entretê-los até lá. por favor, me deem uma chance.
Ah, a história não vai ser muito linear. alguns capítulos vão falar do passado, outros, do presente (alguns vão falar de ambos, de uma forma mais reduzida, claro, veremos isso no próximo capítulo). e também, não vai se passar em um lugar fixo. ou seja: os personagens não estão no Japão, nem em nenhum lugar que realmente exista. lá pra frente as referências ao nordeste vão ser relativamente comuns, bem como o uso do conectivo "chan" em alguns apelidos. e se isso incomodar alguém, bem, será uma pena.
A frequência de postagem vai variar. Já tenho alguns escritos, e ainda muitas ideias para escrever. Creio que não vou passar mais de um mês sem atualizar isso aqui, assim espero. É vergonhoso admitir, mas preciso de um pouco de incentivo para não desistir de tudo. Peço para que comentem, caso achem que a fanfic mereça. Não tenho muitas esperanças, mas sonhar ainda não custa nada.
Bem, é o máximo que posso falar por agora. Voltarei às notas nos capítulos seguintes, caso seja preciso.
Agradeço a atenção.

____________________________________________


O gosto amargo no fundo da garganta ainda conseguia ser pior que o calor malcheiroso do quarto.

Yuuichiro estava no chão. Sentado bem debaixo da janela aberta, entretanto, a noite não estava disposta a lhe entregar nem uma brisa fina. A luz amarela do poste era a única iluminação por ali. E ela pegava bem em seus calcanhares estendidos no chão. Os mosquitos faziam festa nas pernas nuas, as marcas vermelhas ficavam bem visíveis na pele branca ainda quase livre de pelos. Ele coçava, aumentando o inchaço, e batia quando outro bicho pousava.

Um pouquinho de luz também escapava da fresta da porta, nada de mais.

Estava abafado e cheirava a suor lá dentro, mas ele não ia abrir mais nada. Assim estava bom, embora não totalmente.

Seus olhos lutavam para não se render ao sono quando a maçaneta girou. A sombra que se estendeu bloqueou a luz do corredor, mas mesmo assim ele não gostou. O restinho de luz que entrava era claro demais. Aos oito anos de idade, Yuuichiro já sabia que a luz — principalmente aquela, tão clara que parecia cegar — não era para ele.

— Venha. — O homem disse, simplesmente.

Não havia outra coisa a se fazer.

26 de Março de 2020 às 13:22 2 Denunciar Insira 4
Leia o próximo capítulo capítulo 1: um completo desconhecido implora por socorro

Comentar algo

Publique!
Amanda Luna De Carvalho Amanda Luna De Carvalho
Olá, tudo bem? Faço parte do Sistema de Verificação e venho lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Devo confessar que acho fanfics fantásticas, pelo fato de eu escrever sobre isso também, mas o assunto é sobre o universo de Star Wars. A música O Mundo é Um Moinho que Cazuza regravou e mencionada no texto é amada por mim nessa versão. Adoro histórias de vampiros e essa batalha de sobrevivência de humanos no meio dessas criaturas mágicas no livro envolvem a atenção do leitor. A ênfase na resistência pela vida nos deixa ansiosos, o que o leitor já nota inicialmente. Certas palavras podem deixar o leitor atrapalhado como "Aos oito anos de idade, Yuuichiro, já "sabia — tempo passado" que a luz — principalmente essa, tão clara que "parece — tempo presente" cegar — não era para ele". A estrutura do texto pode ficar desconexa se usar tempo passado e tempo presente misturados, deixando o leitor um tanto confuso. A estruturação do texto como um todo está até correta realmente. Quanto aos personagens, achei Yuuichiro como um lobo solitário bem interessante, mostrando como batalhava para estar no meio de algo que parecia ser uma guerra com os vampiros. Seu foco em permanecer vivo é um gatilho que pode causar muita empatia ao público. Quanto à gramática, notei uns pequenos lapsos como determinadas palavras em minúscula no início dos parágrafos, o que é preferível evitar, pois nesse caso começam com maiúscula sempre. Minha sugestão é dar uma olhadinha nisso, mas a composição como um todo está acertada. Como uma fanfic parece legal, já que tratar desse assunto leva ao interesse do público acostumado ao fandom escolhido. Os personagens parecem demonstrar um pouco de suas emoções no momento de apuro, o que é ótimo. A temática parece fascinante, o que pode envolver o leitor do que acontecerá no próximo capítulo, porque sendo fanfic, é uma nova versão do autor à trama original. Até mais!
April 27, 2020, 17:31

  • Bar-t-t-tender Bar-t-t-tender
    Oh, olá. Primeiramente gostaria de me desculpar pela demora em responder, garanto que só aconteceu porque quis resolver essas falhas no texto antes de enviar qualquer mensagem. Sobre o que se refere às histórias de fãs, creio que compartilhamos da mesma opinião. É realmente prazeroso se aventurar em um universo já criado, utilizando nossas próprias palavras e adaptando personagens tão queridos a situações não abordadas pelo cannon. E quando misturamos alguma música, ou qualquer outra coisa que nos traz mais um pouquinho de sentimento, então, tudo ganha uma profundidade agradável por onde somos livres para mergulhar. A mistura de passado e presente neste capítulo (que é claramente uma analepse de um tempo de infância) foi um erro rude de minha parte. E apesar de misturar os tempos na maioria das histórias, justamente para causar uma sensação confusa, admito que dessa vez deixei passar por pura desatenção. As frases iniciadas com letras minúsculas também foram um resultado da minha preguiça na hora de revisar, e isso se repete muito nas minhas histórias. Vou corrigi-las devidamente o quanto antes. Nossa, é ótimo saber que obtive êxito em passar a ideia da emoção do personagem em uma cena tão curta. Tenho sempre esse medo de não conseguir passar a mensagem, de descrever de mais ou de menos e acabar forçando um sentimento que claramente não é sentido pela pessoa em questão. Muito, muito obrigado pelo tempo dedicado a ler e escrever este comentário. Quase não tenho palavras para descrever essa gratidão. Aprenderei com meus erros e me tornarei um escritor pelo menos um pouquinho melhor. Mais uma vez, muito obrigado. E, se me permite a gentileza, te desejo uma boa noite. 4 weeks ago
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Girassóis Girassóis
Esconda Meu Medo… Esconda Meu Medo…
Destinado Destinado