plluxe thay .

Eles eram completamente opostos,um o dia e outro a noite,um simples e outro composto,o frio e o quente...o Sol e a Lua.Mas as tentativas de convencer a si mesmos e aos outros eram sempre falhas,o sentimento proibido continuava ali e crescia mais e mais a cada dia,o velho ditado já dizia,os opostos se atraem.O Sol completa a Lua.


Romance Romance adulto jovem Para maiores de 18 apenas.

#mitologia #grécia #mitologia-grega #apollo #mitologiagrega #apolo #artemis #grega #mitology #artémis
0
1.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Fecho meus olhos enquanto respirava fundo
–Lar doce lar -Digo a mim mesma
Depois de quase um ano eu estava de volta ao Olimpo,estava feliz por estar de volta a casa mas também um pouco preocupada com minhas caçadoras que eu só voltaria a visitar daqui alguns meses e mais algumas coisinhas,coisinhas estas aliás que foram o motivo de eu ficar tanto tempo afastada do lar
–Não se preocupe,tudo ficou bem,tudo ficará bem -Tento me tranquilizar
Me deito na grama olhando para as nuvens no céu,as vezes era bom tirar um tempo para si mesmo
–Se lembra quando éramos crianças e fazíamos isto todos os dias? -Escuto a voz tão conhecida
Me viro para o lado assustada o encontrando deitado da mesma forma que eu
–Senti sua falta irmãzinha -Ele diz sorrindo abertamente
–Não posso dizer o mesmo -Respondo me sentando no gramado
–Mal voltou para a casa e já está assim? -Ele pergunta se sentando também
–Mal voltei para a casa e já estou pensando em ir embora novamente -Digo
–Ártemis pare com isto,já faz tanto tempo,quase um ano -Ele diz
–É mesmo Apolo?Pois para o seu governo eu não me esqueço das coisas assim tão rápido -Digo
–Eu sei disto e me arrependo do que fiz,mas infelizmente não posso voltar no tempo e concertar as coisas -Ele diz
–É você não pode,e também não pode apagar tudo da minha memória -Digo
–De qualquer forma eu queria que tudo voltasse a ser como antes -Ele diz
–Como antes? -Pergunto se entender
–Sim,discutíamos mas nos poucos momentos que nos entendíamos era tão divertido,eu sinto falta da minha irmã -Ele responde
–Eu prefiro ficar longe de você,prefiro evitar discussões porque elas me cansam -Digo
–Então é simples,é só não discutirmos -Ele diz
–Você sabe que isto é impossível -Digo
–Não é não,quando éramos crianças nos dávamos tão bem -Ele retruca
–Sim mas ai viramos adultos e tudo mudou -O lembro
–Mudou porque você quis -Ele apontando para mim
–Não,mudou porque você quis -Digo apontando para ele
–De qualquer forma,eu preciso voltar para o meu templo -Digo me levantando e dando as costas para o meu irmão
Ele tinha razão,era tão bom quando éramos crianças....Diferente do que alguns imaginam os deuses não nascem e logo se tornam adultos,temos uma evolução parecida com a dos humanos até os nossos dezoito anos,depois disto podemos mudar a nossa forma física passando por todas as idades desde criança até idoso,mas algumas características como cor do cabelo,cor dos olhos e tom de pele não se modificavam.Caminho pelos corredores parando na cozinha e resolvendo procurar algo para comer,depois de abrir e fechar alguns armários acabo encontrando uma mistura para bolo
–Não é uma má ideia -Digo enquanto a deixava na bancada e ia até a geladeira procurar as poucas coisas que seriam necessárias
Enquanto minhas mãos trabalhavam em mexer a massa minha mente tentava descobrir se eu havia tomado a decisão certa ao voltar para o Olimpo,talvez fosse cedo demais,talvez eu devesse ignorar Apolo por mais um tempo,as coisas não seriam nada fáceis se a cada vez que nós nos encontrássemos por ai eu me lembrasse do que vi naquele dia,ele em sua cama com não somente uma mas sim cinco musas.Fora demais para mim,eu que já não suportava a ideia de imaginar ele com uma delas fiquei em choque ao ver aquela cena,era nojento,era indecente,era...era o que meu irmão havia se tornado.
Enxugo minhas lágrimas e termino de colocar a massa na assadeira colocando a mesma no forno e me sentando na cadeira de frente para a mesa enquanto esperava,eu não podia mais me sentir machucada por isto,precisava entender que ele não era mais a mesma pessoa.Não podia deixar que ele percebesse a minha fraqueza,principalmente aquela franqueza,era errado e a única coisa que ele faria depois de me conseguir seria se vangloriar por ai como ele fazia com todas as outras
–Esqueça isto Ártemis esqueça -Digo a mim mesma enquanto apoiava meus cotovelos na mesa e enfiava minhas mãos nos meus cabelos ruivos
Estava cansada de tudo isto mas também estava cansada de fugir,fora bom ficar todo este tempo longe de casa pois pude evita-lo mas também fora ruim pois fiquei longe de outros deuses,deuses este que eu compartilhava uma grande amizade.Eu não podia mais deixar que Apolo atormentasse a minha vida,que me deixasse longe dos meus amigos,eu precisava aceitar a realidade esquecer aquelas bobagens e erguer a minha cabeça
–Ártemis -Escuto Luana dizer assustada
–Olá Luana -Respondo sorrindo abertamente para a minha amiga e responsável por cuidar de meu templo enquanto eu estava fora
–Eu não sabia que a senhorita viria me desculpe não ter preparado nada eu vou verificar se seu quarto está apresentável -Ela começa a dizer desesperada
–Acalme-se está tudo bem -A corto
–Sente-se e coma um pedaço de bolo comigo -Digo enquanto me levantava e seguia até o forno
O abro com cuidado pegando a assadeira com a ajuda de uma luva térmica e servindo dois pedaços de bolo para mim e para ela
–Novidades? -Pergunto enquanto colocava os pratos na mesa e buscava os talheres
–Não muitas,as discussões de sempre -Ela responde
–Mas desde que você saiu algo estranho começou a acontecer -Ela diz depois de um tempo
–O que? -Pergunto depois de provar o bolo
–Apolo veio até aqui todos os dias,algumas vezes perguntava sobre você,outras apenas ficava observando o templo -Ela responde
–O que para mim foi um pouco estranho porque eu imaginava que vocês estavam brigados -Ela completa
–Nós estamos -Digo
–Então ele deve estar querendo acertar as coisas -Ela supõe
–Ele não pode Luana -Retruco
–Ártie eu já vi vocês brigarem tantas vezes,no fim sempre acabam se entendendo porque afinal de contas vocês são irmãos gêmeos,tem suas diferenças mas também suas igualdades -Ela diz
–Será que vale mesmo passar a eternidade toda brigada com ele e ainda afastada do Olimpo? -Ela deixa a pergunta no ar
Ficamos em silêncio por um tempo apenas terminando de comer o bolo,resolvi que não pensaria mais no assunto agora e apenas me deliciaria com o doce
–Eu posso te pedir algo? -Luana pergunta chamando novamente minha atenção
–É claro que pode,nós somos amigas Lu -Respondo
–Se fosse possível eu gostaria de visitar a minha mãe,faz meses que não passamos um tempo juntas -Ela diz
–Pode e deve,você ficou muito tempo presa aqui -Digo e ela sorri
–Obrigada -Diz segurando minha mão por cima da mesa
–Não gaste seu tempo me agradecendo e sim fazendo as malas -Digo sorrindo também
Ela assente e se levanta caminhando para longe
–Luana -A chamo e ela se vira para me encarar
–Se divirta bastante -Digo em tom de ordem
–Pode deixar capitã -Ela diz batendo continência e nós rimos
Assisto Luana sair da cozinha e não demora muito para que eu guarde o bolo e lave a louça fazendo o mesmo,a principio pensei em assistir um pouco de televisão mas ao olhar pela grande janela do meu quarto e ver que o Sol se punha resolvi tomar um banho rápido e ir até o meu lago favorito como eu sempre fazia.Me sento no pequeno banquinho enquanto encarava o céu na sua troca de cores e a água na sua calmaria,a brisa fresca do verão balançava meus cabelos e fazia cócegas nas minhas bochechas,mordo meu lábio inferior enquanto meus dedos brincavam com a barra do vestido nude
–Será que vocês estão bem garotas? -Pergunto para o nada
Depois de tanto tempo com as minhas caçadoras era meio estranho não ouvir nenhuma voz me chamar ou algum som de risada,muitos achavam que não tínhamos nenhuma diversão e apenas caçávamos monstros mas isto não era verdade.Brincávamos umas com as outras,apostávamos corrida ou então quem atirava sua flecha mais longe,comíamos envolta do fogueira enquanto cantávamos e ao fim do jantar sempre começávamos a dançar,pelas manhãs alimentávamos os animais e sempre que possível adotávamos alguns.Eu adorava passar o meu tempo com elas porque além de me sentir feliz por auxilia-las eu esquecia dos meus problemas por um tempo,mas é como diz o ditado,você não pode fugir dos seus problemas para sempre.Esperava eu que elas estivessem preparando o jantar enquanto conversavam e implicavam umas com as outras,mesmo sabendo que daqui alguns meses eu voltaria para visita-las pudem perceber a tristeza em seus olhares na hora da nossa despedida,é difícil dizer até logo a alguém com que você via o dia todo e estava acostumada a ter ao seu lado.Eu entendia o que elas sentiam porque uma parte de mim também se sentiu assim,uma parte de mim não desejava ir embora mas eu sabia que precisava voltar para a minha casa,reencontrar meus amigos e dar um descanso para Luana,ela não merecia ficar aprisionada no meu templo como havia ficado.
Olhei novamente para o céu percebendo que este já havia se escurecido e que as estrelas já brilhavam como pequenos diamantes luminosos,pensei então em todos que eu conhecia e já haviam virado estrelas no céu da forma simbólica ou da forma concreta.Éramos eternos....isto era um mentira,nada pode ser realmente eterno e existiam algumas formas de se matar um deus,um dia tudo acabaria,todos pereceriam,até mesmo os deuses,até mesmo o nosso mundo.Me lembrei então de algo que Atena sempre dizia "O futuro é agora"
–Parece que tiramos o dia para nos encontrarmos -Apolo diz se sentando ao meu lado
–Sério mesmo? -Pergunto o fuzilando com o olhar
Eu queria ficar sozinha e se fosse escolher uma pessoa para compartilhar aquele momento comigo com toda certeza ele seria o último da minha lista
–Eu juro que não te segui,apenas tivemos a mesma ideia -Ele diz levantando as mãos em sinal de rendição
–Mas se quiser que eu vá embora tudo bem,eu estou acostumado a vir aqui todos os dias não há problema ficar um dia sem -Ele completa
–Agradeceria -Digo e ele se levanta
Não consigo conter a surpresa ao ver ele se afastar,mas então uma pergunta surge na minha mente
–Porque você vinha aqui todos os dias? -Pergunto um pouco alto para que ele pudesse ouvir
Ele se vira com um meio sorriso e caminha de volta ao banco
–Ou foi tudo mentira?Era apenas para eu te chamar de volta? -Pergunto
–Não,não era -Ele responde
–Eu vinha aqui todos os dias para me lembrar de você -Ele completa
–Apolo não comece -O alerto
–Ou então eu irei embora -Ameaço ao ver que ele ia retrucar
Ele apenas assente informando que havia entendido e eu respiro aliviada,não queria sair dali.Encaro a água que agora refletia a Lua,o meu simbolo
–Você se lembra de quando éramos crianças e íamos nas florestas do mundo mortal para nadarmos? -Ele pergunta e eu confirmo sentindo meu rosto esquentar
–Nos divertíamos bastante -Ele comenta
–Sim -Concordo
–Algum problema Ártie? -Ele pergunta
–Não,nenhum -Respondo
–Bem que poderíamos voltar a fazer isto não é? -Ele diz
–Acho que não é uma ideia tão boa assim -Digo
–Porque?Podemos nadar com roupas de banho desta vez,mas se você quiser nadar nua como nos velhos tempos eu não irei te impedir -Ele diz
–Você já era linda naquela época imagine agora -Ele sussurra e eu lhe dou um forte tapa no ombro
–Certo eu mereci esta -Ele diz
Me levanto sentindo a raiva correr pelas minhas veias,o momento estava tão bom mas não ele teve que aparecer aqui e estragar tudo.Como eu odiava o meu irmão
–Não vá embora -Ele diz segurando meu braço e fazendo eu me virar bruscamente
–Eu não acredito que você reparava no meu corpo Apolo,éramos crianças -Digo
–Não com malicia mas sim -Ele responde
–Me solte -Digo puxando meu braço em vão
–Eu sempre estrago tudo e estou acostumado com isto mas eu realmente não queria estragar este momento -Ele diz
–É um pouco tarde demais -Comento ácida
–Não Ártemis não é -Ele diz se aproximando mais de mim
Sinto minha respiração falhar e o meu coração se acelerar,Apolo solta meu braço e toca levemente nossos narizes,aproveito a deixa e corro em disparada.Escuto ele gritar meu nome várias vezes mas não me viro para olhar apenas me concentro em chegar ao meu templo o mais rápido possível,assim que paro diante da porta percebo que Apolo estava se aproximando então aparato para dentro
–ÁRTEMIS ABRA A PORTA -Escuto ele a esmurrando
–EU NÃO AGUENTO MAIS ISTO ABRA A PORTA E VAMOS RESOLVER TUDO ISTO POR FAVOR -Ele grita
–ME PERDOE ÁRTIE ME PERDOE POR TUDO -Tenta mais uma vez
Subo as escadas correndo tentando me livrar do som,doía,doía muito.Me jogo na cama e como tantas vezes choro,choro por tudo o que Apolo fez,choro por ele querer brincar comigo,choro por ser fraca,choro de saudades das minhas caçadoras,choro por gostar dele,choro por ele ser meu irmão gêmeo....
–Porque? -Pergunto enquanto enfiava meu rosto no travesseiro e gritava
Eu já não aguentava mais tudo isto,não queria fugir mas também não queria enfrentar,era demais pra mim
(...)
Acordei sentindo todo o meu corpo doer e meus olhos arderem,não fazia ideia de quando havia pegado no sono.O Sol entrava esplendorosamente pela janela do meu quarto e eu supus que fosse quase meio dia,me levantei e depois de um bom banho de banheira voltei ao quarto penteando meus cabelos enfrente ao espelho e percebendo o quanto meus olhos estavam avermelhados
–Será mesmo que tudo isto vai voltar?As noites chorando até dormir?A dor de encontra-lo? -Pergunto ao meu reflexo
–Talvez fosse cedo demais para voltar para casa,talvez eu nunca mais devesse voltar aqui -Digo enquanto largava a escova sobre a penteadeira
Desço até a cozinha e resolvo tomar apenas um café com leite já que não sentia fome,me lembro que precisava levar um presente para Atena e resolvo fazer isto agora,pelo menos me distrairia.Saio do meu templo com a pele de urso nas mãos caminhando lentamente até o templo da deusa da sabedoria,não demora muito e eu estou de frente para o grande templo de mármore branco e ouro
–Ártie? -Ela diz surpresa assim que abre a porta
–Ártie! -Torna a dizer enquanto me abraçava forte
–Eu não acredito que finalmente você voltou -Ela completa
–E trouxe algo pra você -Digo erguendo a pele de urso
–Que lindo Ártie muito obrigado -Ela agradece me abraçando mais uma vez
–Mas então como você está? -Ela pergunta me puxando para o sofá
–Bem -Respondo dando de ombros
–O que houve? -Ela pergunta entortando a cabeça para o lado
Se havia uma coisa que era impossível com toda certeza esta coisa era esconder algo de Atena,principalmente quando seus olhos vermelhos te denunciam
–Apolo -Respondo simplesmente
–Você ainda não o perdoou? -Ela pergunta e eu nego
–Certo eu sei que não sou a melhor pessoa para dar conselhos sobre perdão mas o fato é que vocês são irmãos Ártie e mesmo que ambos neguem até a morte vocês sabem muito bem o quanto a amizade de um faz bem para o outro.Apolo ficou doido quando você sumiu do Olimpo e só era possível encontra-lo em três lugares,em frente ao seu templo,no lago ou então no templo do mesmo -Ela diz
–Eu preciso pensar primeiro -Digo
–Não é possível que durante todos estes meses você não tenha pensado neste assunto -Ela retruca e eu suspiro escondendo meu rosto entre as mãos
–Tudo vai ficar bem Ártie,você vai fazer a coisa certa -Ela diz tocando meu ombro
–Eu espero Atena,realmente espero -Digo
Conversamos por mais algum tempo e ela acaba levantando o meu astral
–Eu preciso ir -Digo me levantando do sofá
–Se cuida tá? -Ela diz se levantando também e me abraçando
–Pode deixar -Digo
Saio do templo de Atena e resolvo ir até o templo principal já que não havia passado por lá ainda,o dia estava bem quente e eu acabo prendendo meus cabelos em um coque por conta do calor.Foi então que minha visão começou a embaçar e tudo começou a girar ao meu redor,caio de quatro no chão com o meu corpo mole e a visão completamente negra
–ÁRTEMIS -Escuto Apolo gritar
Ouvi então passos apressados como se alguém corresse,eles ficavam cada vez mais próximos
–Ártie o que acontece? -Ele pergunta colocando meu corpo em seu colo
Pisco algumas vezes até conseguir enxergar novamente,ainda de forma um pouco embaçada mas era melhor isto do que nada
–E-eu não sei -Respondo
–Vamos -Ele diz se levantando comigo em seu colo
–Apolo para onde você está me levando? -Pergunto balançando minha cabeça e tentando me recuperar
–Para o meu templo,eu preciso descobrir o que houve com você -Ele responde
–Não,esta tudo bem pode me soltar -Digo
–Você quase desmaiou Ártemis! -Ela retruca
–Certo mas agora me solte -Digo me debatendo em seus braços
–Ande me solte ou eu vou gritar -Ameaço
–Se acalme eu não vou te matar -Ele diz enquanto entrava no templo dourado
Ele me deita em um divã e coloca a mão na minha testa preocupado
–Você está sentindo alguma dor?Sentia algo quando acordou? -Ele me pergunta preocupado
–Nada -Respondo
–Você tomou o seu café da manhã? -Ele pergunta
–Um copo de café com leite -Respondo
–E você está sem comer até agora?Então está tudo explicado -Ele conclui
–Ótimo então eu irei para o meu templo e farei algo para comer -Digo me sentando
–Nem pensar,o dia está muto quente e eu não quero que você passe mal novamente -Ele diz me forçando a deitar de novo
–Eu vou preparar algo para você -Ele completa dando as costas para mim e indo até a cozinha
–Isto não pode estar mesmo acontecendo -Digo baixinho então fechava meus olhos e desejava que tudo não passasse de um sonho
Mas o cheiro delicioso que vinha da cozinha me impedia de imaginar que aquilo não estava acontecendo
–Prontinho -Ele diz e eu abro os olhos vendo meu irmão caminhar em minha direção com dois sanduíches
–Peito de peru com queijo brie,ainda gosta? -Pergunta
–Mas é claro que sim -Respondo pegando um dos sanduíches do prato e começando a devora-lo
–Você não pode ficar tanto tempo assim sem comer Ártie e sabe muito bem disto -Ele me repreende
–Tudo bem doutor não farei mais isto -Digo tirando sarro dele
Apolo ri e bagunça o meu cabelo
–Você vai comer este? -Pergunto apontando para o outro sanduíche
–Não irmãzinha,os dois são pra você -Ele responde
Pego o segundo lanche e sentindo minha boca salivar,não havia parado para notar o quanto estava com fome
–Está vendo o que as dietas malucas fazem?Você quase desmaia por não comer e depois come como uma desesperada -Ele diz
–Eu não estava fazendo nenhuma dieta maluca eu não sou destas -Digo
–E também não estou comendo como uma desesperada -Completo enquanto mordia o sanduíche
–Não imagina -Ele diz baixinho
–Apolo! -Reclamo o empurrando pelo ombro
–Desculpe se sou o deus mais sincero do Olimpo -Ele diz
–E o mais gostoso também -Completa
–Continue sonhando quem sabe um dia se torna realidade -Digo
–Você está duvidando de mim Ártemis? -Ele pergunta e eu nego rindo
–Está sim você está duvidando de mim -Ele insiste enquanto eu dava a minha última mordida
Ele parte para cima de mim me jogando contra o divã e começando a fazer cosquinha na minha barriga
–Pare Apolo -Digo entre risos
–Não,eu não mandei você duvidar de mim agora terá que lidar com a minha fúria -Ele diz rindo também
–Eu não consigo respirar -Insisto enquanto me debatia e ele acaba me soltando
Mas isto não quer dizer que paramos de rir
–Eu estava com saudades disto -Ele comenta ofegante
–Eu também -Confesso da mesma forma
Apolo olha para mim e sorri,sinto meu coração falhar uma batida e tomo uma decisão
–Eu te perdoo -Digo
–Como é que é? -Ele pergunta sem acreditar
–Isto mesmo que você ouviu -Digo
–Você não faz ideia do quanto isto é importante pra mim -Ele completa me dando um beijinho na bochecha e eu não consigo não corar
(...)
–Vamos ver se você continua bom -O provoco
–É claro que eu continuo bom,não tanto quanto você mas bom -Ele responde
–Assumindo que eu sou melhor?Está doente? -Pergunto
–Apenas não quero te provocar,vai que você acerta uma flecha destas em mim -Ele diz e eu acabo rindo
–Você sabe que eu não faria isto -Digo
–Na verdade você já fez -Ele diz e eu lhe olho sem entender
–Alguns séculos atrás -Ele me lembra
–Não foi intencional -Digo
–É mesmo? -Ele pergunta cruzando os braços
–Não,quer dizer,foi intencional mas eu só queria te assustar e não te machucar -Me enrolo tentando explicar
–Tudo bem,já faz tanto tempo -Ele diz enquanto preparava o arco
–Qual vai ser o alvo? -Pergunto
–Que tal aquela maçã ali? -Ele sugere apontando para a macieira
–Fácil -Digo enquanto pegava uma das minhas flechas e me preparava
Olho para ele como que em uma pergunta silenciosa de quem começaria
–Damas primeiro -Ele responde
Me posiciono levantando o arco e segurando bem a flecha,olho alguns segundos para a maçã antes de soltar a flecha que a acerta em cheio
–Muito bem ruiva -Apolo comenta
Assisto meu irmão segurar firmemente seu arco e flecha e encarar a fruta por algum tempo como eu havia feito,ele solta a flecha que para bem ao lado da minha
–Nada mal -Elogio
–Agora algo mais longe -Ele diz
–O que acha daquela árvore? -Pergunto apontando para a árvore mais ao longe
–Acho que certos deuses não gostaram muito da ideia -Ele diz
–A gente cura a árvore depois -Digo e ele concorda
–Desta vez você primeiro -Declaro e então ele se prepara mais uma vez
A flecha zuni no ar e para no tronco da árvore,sorrio ao perceber que ele não havia atingido o centro.Me preparo e respiro fundo algumas vezes antes de disparar a flecha e comemorar por ter acertado justamente o centro
–Eu já esperava por isto -Ele diz dando de ombros
–Mais longe desta vez? -Pergunto com um sorriso travesso nos lábios
–Nem pensar,não quero ser humilhado -Ele diz aumentando mais ainda o meu sorriso
–Você pode ser excepcional no arco e flecha mocinha mas ao menos minhas canções e poesias são majestosas -Ele se gamba
–É mesmo mas o que elas podem fazer em batalha? -Pergunto provocativa
–Algumas são mágicas e você sabe disto -Ele responde
–Tudo bem,da próxima vez que se meter em encrenca tente resolver tudo com elas -Digo
–Você me paga irmãzinha -Ele rosna
–E o que vai fazer usar uma das suas canções de ninar contra mim? -Pergunto rindo
–Vou fazer algo pior muito pior -Ele diz
–O que? -Pergunto
–Vou cantar uma das minhas canções eróticas -Ele se aproxima de mim e sussurra
–Eu te odeio Apolo -Digo entre dentes
–Mentira que você me ama -Ele retruca rindo
As coisas com Apolo eram sempre assim,ele sempre tinha que fazer alguma brincadeira ou provocação,mas apesar de não gostar muito eu já estava acostumada.Mas se havia uma coisa que eu nunca me acostumaria seria com a palavra irmã saindo de seus lábios,eu odiava quando ele me chamava assim,deixava bem claro o que éramos e triturava minhas esperanças,fazia o meu coração doer como se fosse atravessado por uma adaga
–Ártemis? -Escuto Apolo me chamar e me tirar dos meus devaneios
–Sim -Respondo um pouco desnorteada
–Você estava no mundo da lua? -Ele pergunta e acabo sorrindo com a frase
–Estava -Respondo
–Realmente no mundo da lua -Completo
–Pode agora por favor entrar no mundo do sol? -Ele pede
–E o que você gostaria que eu fizesse neste mundo? -Pergunto já esperando algo pervertido como resposta
–Apenas que fique do meu lado para sempre -Ele responde e eu sinto o chão subir
Não esperava por isto,realmente não esperava
–Eu odeio quando brigamos Ártie,gosto tanto de passar meu tempo com você -Ele explica colocando uma mecha do meu cabelo para trás
–Eu também -Digo
–E da próxima vez que você resolver me matar com uma flecha apareça depois para dar um beijinho no machucado okay?Assim ele sara mais rápido -Ele brinca
–Você não presta -Comento rindo
–É claro que não,se eu prestasse não teria graça -Ele retruca e eu concordo ainda rindo
–O que foi? -Pergunto ao perceber que ele me encarava fixamente
–Você é tão especial pra mim -Ele confessa aproximando seu rosto do meu
Encaro seus olhos que brilhavam muito mais do que o normal
–Você também é -Digo enquanto sentia sua respiração bater no meu pescoço
Apolo se aproxima mais e eu sinto minha mente apitar avisando para que eu corresse,mas antes que pudesse fazer algum movimento ele abraçou minha cintura com seus braços me puxando para mais perto e me impedindo de fugir.Ele roça seus lábios no meu e eu esqueço até mesmo meu nome,desisto de resistir e jogo meus braços por seus ombros enfiando meus dedos nos seus cabelos dourados enquanto ele aprofundava o beijo e apertava mais minha cintura,um gemido escapa pela minha boca quando Apolo morde levemente meu lábio inferior.Terminamos o beijo ofegantes,tento sair dos seus braços mas ele não me solta
–Não fuga de mim Ártemis por favor -Ele pede
–Você só quer me usar Apolo -Digo com lágrimas nos olhos
–Não Ártie nunca -Ele diz tocando meu rosto
–Me solte -Peço
–Se eu soltar você vai ir embora,talvez embora daqui novamente -Ele diz
–Seria o certo a se fazer agora,ir embora e nunca mais voltar aqui,nunca mais ficar perto de você -Digo sentindo meu coração doer
–Você não pode e nem conseguiria fazer isto -Ele diz
–Não é? -Pergunta inseguro
–Apenas tire suas mãos de mim -Digo fingindo irritação
Fingindo porque a última coisa que eu queria era sair dos braços dele
–Não sem antes eu sentir os seus lábios mais uma vez -Ele diz e então toma minha boca para si
Eu tento lutar contra o esmurrando e procurando uma saída mas acabo falhando novamente e me entregando ao beijo,Apolo acaba soltando uma de suas mãos da minha cintura e a colocando na minha nuca,aproveito a deixa e com muito esforço consigo sair de perto dele.Corri em disparada para o meu templo como havia feito poucos dias atrás,não que aquela havia sido a primeira vez,geralmente as nossas conversas sempre terminavam assim,comigo fugindo dele.
Olhei para trás mas não vi Apolo correndo atrás de mim,pela lógica eu deveria parar de correr mas fiz justamente o contrário,queria chegar o mais rápido possível ao meu quarto e não pretendia sair de lá tão cedo.Parei de frente com a porta do meu templo ofegante,a empurrei com certa dificuldade e fui cambaleando até as escadas.O meu corpo todo doía por ter corrido tão rápido e também por querer novamente estar perto de Apolo,as subi devagar enquanto sentia meus olhos arderem e as lágrimas escorrem pelas minhas bochechas,cheguei ao meu quarto me jogando na cama e desejando esquecer aquele beijo,não por eu não ter gostado mas sim por eu querer repetir algo que nunca deveria ter acontecido
–Sim Apolo eu vou conseguir ir embora para sempre,eu preciso conseguir -Digo para o nada enquanto abraçava meu travesseiro
(...)
–Eu só queria que você acreditasse em mim,entendesse que eu nunca quis te usar,que eu quero muito mais que isto -Escuto Apolo murmurar
Droga,já não bastava sonhar com ele agora eu escutava ele também.Me viro na cama tentando fazer a minha imaginação parar de brincar comigo mas esbarro em algo fazendo eu me levantar assustada
–Eu não queria te acordar -Ele diz
–O que você está fazendo aqui? -Pergunto alarmada
–Como você entrou aqui?Um deus não pode entrar no templo do outro sem permissão -Completo
–Isto é verdade mas não se aplica quando o dono do templo deixa a porta aberta -Ele responde
–Eu não deixei a porta aberta -Digo
–Tem certeza? -Ele pergunta
Paro por um segundo e percebo que não me lembrava de ter fechado a porta
–E porque você entrou aqui?Queria ver o estrago que fez?Queria terminar o serviço? -O ataco
–Pare com isto Ártemis,eu vim aqui porque queria ver você,queria ficar perto de você -Ele diz
–Você não vai parar até conseguir não é mesmo Apolo? -Pergunto e vejo ele abaixar o olhar
–Não é assim,você sabe que eu te desejo mas não é assim -Ele responde
–Está mentindo,nem olhar para mim consegue -Digo
–Vamos saia daqui -Completo me levantando da cama e apontando para a porta
Ele nem se mexe,caminho então até a porta cruzando meus braços,ele se levanta da minha cama e vem até mim
–Tchau Apolo -Digo
–Porque não podemos ser felizes juntos?Porque temos que esconder nossos sentimentos? -Ele pergunta com os olhos marejados
Ofego,mas então me lembro de como ele podia manipular as pessoas.Eu não aguentava mais ele atrás de mim com isto,será que...
–S-se eu me entregasse para você,você me deixaria em paz? -Pergunto gaguejando
Abaixo minha cabeça tentando controlar minhas lágrimas
–Como é que é Ártie? -Ele pergunta incrédulo
–Eu não acredito que você seria capaz de transar comigo apenas para eu te deixar em paz -Ele diz
–Resolveria o problema? -Pergunto o encarando
Uma lágrima caia dos seus olhos e eu não estava muito diferente
–Eu nunca aceitaria isto -Ele responde
–Mas não é isto que você quer Apolo?Que eu seja mais um nome na sua lista? -Pergunto
–Eu quero muito mais do que isto,eu quero ficar com você para sempre -Ele responde
–Sabe o porque de eu ficar com tantas mulheres?Porque eu procuro nelas algo que me lembre você,mas no fundo eu sei que nunca vou encontrar isto porque você é única -Ele diz tocando minha bochecha
–Pare! -Digo me afastando dele
–Apenas saia daqui,me deixe sozinha -Digo apontando novamente para a porta
–Não -Ele retruca
–Apolo por favor uma vez na vida faça algo de bom pra mim -Digo caminhando até a minha penteadeira e me apoiando ali
Eu sentia que ia desabar,mas não faria isto na frente dele
–Eu não vou até você acreditar em mim -Ele diz
–Okay okay eu acredito mas agora saia daqui -Digo sem nem ao menos olha-lo
Sinto meu braço ser puxado e então sou prensada contra a parede
–Eu te amo e não quero saber se somos irmãos ou não,incesto é a base do Olimpo e eu sei muito bem que você não jurou ser uma deusa virgem,nunca ninguém no mundo vai ser capaz de mudar o que eu sinto por você.Sabe o quanto eu esperei para te beijar Ártemis?Desde a primeira vez que te vi adulta,foi ai que eu entendi o porque tinha tanto carinho por você quando éramos crianças,porque reparava tanto nos seus gestos e o porque que eu sempre queria dormir com você -Ele diz e eu sinto o ar sumir dos meus pulmões
–Nós não podemos -Digo baixinho
–Não podemos ou você não quer? -Ele pergunta
–Eu...eu estaria traindo minhas caçadoras -Digo
–Elas entenderiam,aliás até mesmo apoiariam porque elas me adoram -Ele diz e eu lhe olho feio
Odiava quando ele se aproximava das minhas caçadoras
–Mas e depois Apolo?E quando você enjoar de mim?Eu não iria suportar a ideia de ver outras nos seus braços depois de eu mesma ter me aconchegado neles -Digo limpando minhas lágrimas
–Você não escutou nada do que eu te disse? -Ele pergunta
–Escutei,são palavras bonitas mas como eu vou saber se isto é verdade? -Pergunto
–Eu não quero me machucar mais,não quero mais sofrer por tudo isto eu preferia até mesmo a morte -Começo a dizer mas ele me interrompe colocando o seu indicador enfrente aos meus lábios

–Nunca mais diga isto ouviu?Nunca mais,eu não sei o que faria sem você -Ele diz
–Pois vai ter que descobrir,eu resolvi que vou embora para sempre -Digo sentindo meu coração se apertar
Fecho meus olhos,eu tinha que ser forte,não podia mudar de ideia as palavras dele não podiam me afetar.Era verdade que incesto era a base do Olimpo mas o fato era que éramos irmãos gêmeos,que eu vi ele nascer e fora isto eu ainda não conseguia realmente acreditar que ele era apaixonado por mim,Apolo sempre me provocou e deixou bem claro que me queria em sua cama mas ele sabia da forma como eu ficava nervosa quando ele se aproximava de mim e agora sabia muito mais.Se tudo fosse verdade porque ele nunca se declarou antes?Porque esperou tanto tempo?
–Não Ártemis não por favor -Ele implora
Tentei sair dali mas Apolo segurava minha cintura possessivamente com ambas as mãos
–Você não pode fazer isto não pode,porque as coisas nunca dão certo para nós? -Ele pergunta mas parecia que não queria a resposta de mim e sim do universo
–Talvez simplesmente porque não é pra ser -Digo
–Porque somos irmãos gêmeos -Completo
–Foi possível eu gostar de você então tem que ser possível que fiquemos juntos -Ele diz
–Certo,se tudo o que você diz é verdade porque não disse antes? -Pergunto e vejo ele se remexer desconfortável
–Porque eu sabia que você iria querer se afastar mais ainda de mim e esta é última coisa que eu quero -Ele responde
Eu já não aguentava mais,minha cabeça rodava e eu comecei a torcer para que eu desmaiasse,pelo menos assim a conversa estaria encerrada
–Eu te amo,eu sei que isto pode ser insano e errado mas eu estou pouco me lixando pra isto tudo,eu apenas quero ficar com você -Ele diz tentando olhar nos meus olhos mas eu viro minha cabeça para o lado
Apolo pega meu queixo delicadamente e vira minha cabeça para frente novamente fazendo nossos olhos se encontrarem,ele chorava,mas também tinha um brilho lindo em suas iris
–Eu não vou te forçar a nada,se você quiser ficar comigo serei o deus mais feliz de todos,se preferir seguir o seu caminho ficarei feliz por você -Ele diz
Apolo tira suas mãos da minha cintura e eu sinto minhas pernas tremerem
–Porque as coisas não são mais fáceis? -Pergunto
–Elas são,os problemas tem o tamanho que você resolve dar a eles -Ele responde
Mas eu sabia que não era bem assim
–Ártemis essa é a última chance,se depois disto você ainda não me quiser eu prometo que não te irritarei mais com este assunto,mas por favor não vá embora para sempre -Ele diz
Seus olhos imploravam
–Apenas me deixe sozinha -Digo
Ele assente tristemente dando as costas para mim,desabo caindo no chão e não conseguindo mais controlar o meu choro,logo não escuto mais os seus passos e sinto como se o meu coração tivesse sido arrancado de mim.Penso nos abraços dele,nos seus carinhos,nos seus toques,nos seus beijos...levo meus dedos aos lábios enquanto fechava os meus olhos e soluçava.
Os empecilhos que antes pareciam tão grandes agora se tornaram tão pequenos,depois de tê-lo assim tão perto de mim eu não sabia se seria capaz de viver sem ele
–O que minhas caçadoras achariam?O que os outros deuses diriam? -As perguntas rondavam minha mente e me torturavam
Mas no fim das contas isto não era o mais importante,o que mais importava era o que eu sentia,era se eu conseguia tornar minhas vontades realidades.Pela primeira vez na vida resolvo ouvir o meu coração e me levanto do chão saindo em disparada para fora do quarto,o encontro descendo os últimos degraus da escada
–Apolo -O chamo parando bem no alto da mesma
Ele se vira para mim enquanto limpava suas lágrimas
–Você não acha que já nos machucamos o suficiente? -Ele pergunta
–Sim mas eu preciso te dizer algo -Respondo
Ele me encara por alguns segundos mas acaba subindo os degraus e parado de frente para mim,enlaço seus pescoço com meus braços e fico na ponta dos pés já que ele era mais alto que eu
–Eu te amo -Digo e vejo ele ofegar
–E eu quero ficar com você,quero ficar com você para sempre -Completo e ele sorri abertamente
O sorriso mais bonito que eu já havia visto na minha vida,Apolo sela nossos lábios em um beijo doce e calmo,ainda chorávamos mas logo as lágrimas foram substituídas por sorrisos,vários deles,o beijo foi se tornando mais quente e ele segurou minhas pernas me içando para cima e começando a caminhar na direção do meu quarto comigo em seu colo.Ele me deita na cama delicadamente descendo seus beijos pelo meu pescoço e fazendo eu suspirar,assim que consegui controlar minha respiração o puxei para cima tocando nossos lábios e iniciando mais um beijo enquanto suas mãos subiam a barra do meu vestido branco até a minha cintura.
O empurro fazendo ele cair sentado na cama e me sento de frente,o loiro puxa meu vestido para cima e nós retomamos o beijo enquanto eu subia sua camisa,nos separamos para que eu pudesse retira-la completamente e então ele me puxa pela cintura colando nossos corpos e me fazendo gemer baixinho,ele volta a beijar meu pescoço enquanto suas mãos passeavam pelas minhas costas em busca do fecho do meu sutiã e as minhas apertavam seus ombros,ele tira a peça de mim a jogando longe e fazendo eu me deitar na cama novamente,agarro seus cabelos enquanto ele começa a distribuir beijos pelos meus seios lambendo os biquinhos e assoprando,fazia tudo me encarando e eu sentia meu corpo se esquentar por isto.Apolo se levanta da cama tirando sua calça jeans e logo em seguida a sua boxe branca,encaro seu corpo e sinto meus pulmões implorarem por ar,o título de deus mais bonito do Olimpo realmente não era atoa
–Gosta do que vê Ártemis? -Pergunta sorrindo para mim de forma safada
Ele volta a beijar meus seios e eu não consigo não gemer,o seu corpo quente fazia contraste com a minha pele fria e isto me causava arrepios,Apolo fez uma trilha de beijinhos até a barra da minha calcinha e eu mais uma vez senti o ar sumir,ele enlaçou seus dedos nas laterais e começou a descer a peça calmamente pelas minhas pernas enquanto beijava minhas coxas,assim que a tirou completamente de mim ficou me encarando
–Você ficou tão linda,muito mais linda do que já era -Ele diz acariciando minha cintura e me fazendo corar
Apolo afastou minhas pernas e deu um beijinho na minha intimidade me fazendo ir as nuvens,ele voltou a ficar por cima de mim tomando meus lábios para si enquanto enlaçava minha cintura com um braço e acariciava meu rosto
–Ártie se doer -Ele começa
–Não me venha com esta conversinha clichê por favor,eu sou uma guerreira Apolo -O corto e ele sorri
–É claro que é -Ele concorda
–É a minha guerreira -Sussurra no meu ouvido
Arranho de leve sua nuca fazendo ele suspirar em meus lábios e deixar meu corpo ainda mais quente,afasto mais um pouco minhas pernas sentindo o membro dele bem perto da minha intimidade,estremeço ao sentir ele roça-lo em mim e parar bem na minha entrada,Apolo começou a entrar devagar enquanto aprofundava mais ainda o beijo na intenção me me distrair,mordi seu lábio inferior ao sentir ele romper minha barreira.O desconforto era grande mas a dor não era assim tão insuportável,principalmente com ele me dando alguns selinhos e acariciando minha cintura de leve,passamos um tempo assim até que eu me remexi e não senti mais nada além de uma sensação diferente mas boa,muito muito boa.
Foi o sinal,ele então saiu de dentro de mim e voltou estocando fundo e rápido,a principio eu não sabia o que fazer mas logo meus quadris começaram a se mover e eu descobri que aquilo era bem mais
fácil do que parecia.Nos mexíamos de forma frenética e ritmada,hora nos beijando e hora apenas encarando um ao outro enquanto nos acariciávamos,não demorou muito para que chegássemos ao ápice mas mesmo assim não paramos,a vontade ia muito além dos limites carnais,era algo reprimido por séculos,era algo esperado por séculos.
Gemi seu nome enquanto arqueava minhas costas e abria minha boca em um perfeito "O",Apolo veio logo em seguida gemendo meu nome também e me apertando mais contra si.Ele saiu de dentro de mim e caiu ao meu lado na cama me puxando para seu peito enquanto tentávamos controlar as nossas respirações,meu coração batia tão acelerado que parecia que ia sair pela minha boca,coloquei minha mão no meu peito bem onde ficava o seu coração e constatei que o dele não estava muito diferente
–Ártemis -Ele me chama com a voz rouca e eu ergo minha cabeça para olha-lo
Seus cabelos estavam completamente molhados de suor e os seus olhos brilhavam como as estrelas do céu,eu não deveria estar muito diferente
–Quer namorar comigo? -Ele pede e eu sorrio não conseguindo conter a felicidade que sentia naquele momento
–E você ainda pergunta? -Digo enquanto tomava seus lábios para mim
O beijo infelizmente não durou muito porque realmente precisávamos respirar,olho para a janela do meu quarto assistindo a Lua que parecia maior e mais brilhante no céu
–Eu não consigo acreditar que isto realmente aconteceu,que depois de tanto tempo eu finalmente estou aqui com você em meus braços -Ele diz acariciando meus cabelos
–Eu também não consigo acreditar,acho que nunca me senti tão feliz em toda a minha vida -Confesso e mesmo sem olhar sabia que ele sorria
–A partir de agora eu nunca mais quero dormir sem você ao meu lado -Ele diz
–Somos dois -Digo enquanto acariciava seu ombro
Ficamos quietinhos apenas apreciando o momento e a companhia um do outro,não demorou muito e eu bocejei percebendo então o quanto estava cansada
–Durma Ártie -Ele me aconselha beijando minha testa
–Promete que é tudo realidade?Que quando eu acordar não vou chorar por ter sido apenas um sonho? -Peço insegura
–Prometo -Ele diz apertando minha cintura
–Eu nunca mais vou deixar você fugir de mim minha lua,nunca mais -Completa fazendo um sorriso bobo surgir em meus lábios

21 de Março de 2020 às 01:15 0 Denunciar Insira 0
Continua…

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Extranatural Extranatural
Destino Traçado Destino Traçado
Jamais Vu Jamais Vu