lilmiew Yasmin de Carvalho

Não me peça para voltar, não me peça para tentar de novo. Não me peça para traçar outro caminho, não me peça mais nada. Acabou. Uma obra original de Yasmin de Carvalho. Todos os direitos Reservados. © lilmiew | Yasmin de Carvalho 19/03/2020, 23:42hs.


Poesia Romance Todo o público.

#amor #despedidas #sentimentos #Términos #Finais
Conto
0
1.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

James Arthur - Stop Asking Me To Come Back

https://www.youtube.com/watch?v=LHFo0lbLvaM






"Um rio quando passa por um lugar,

nunca volta ao mesmo como o mesmo...

A vida é uma incansável constante de mudanças,

e um passo em falso, custa caro.

Meus passos vacilantes já oscilaram demais

entre céu e inferno, puro e profano,

paraíso e perdição, e, queda após queda,

aprender a reconhecer os traços da vilania dos

falsos heróis disfarçados tornou-se meu maior talento.

Caí em seus encantos, sim, mas desafoguei da tua teia

a tempo de sobreviver aos delírios

do teu mal amor.

Nunca foi amor, na verdade... Foi capricho,

um pouco do meu, um tantinho do seu, muito do nosso.

Desde o princípio, fomos desordenados demais,

e nem de longe era uma daquelas bagunças bonitas,

que enchem os olhos...

Fomos caos, calamidade e destruição,

e nenhuma fagulha floresceu de nós.

A verdade é que desde sempre, fomos errados.

Nunca uma certeza, sempre um receio.

Eu cedi, tola, crendo que a melhoria viria,

mas não veio, e cansei de esperei...

Hoje não espero mais, ah, não mais.

Já atravessei essa estrada muitas vezes,

e ela nunca me levou a lugar algum.

Então desisti... Não, abri mão.

Porque eu não queria que fôssemos amigos,

eu queria muito mais, até dar-me conta de que

não havia uma só linha de retorno às minhas...

Eu caminhava sozinha, lutando solitária por um amor

que era para ser nosso, mas acabou sendo apenas meu.

E nem amor de verdade não era! Que desilusão...

E eu implorei sua ajuda, mas você não me ouviu...

Então... Eu parei.

Segui em frente, sofri e morri, mas sobrevivi.

Te perdoei, mas não esqueci.

Não carrego mais os fardos do passado.

Não guardo rancores, nem lembranças, nem nada.

Agora, retornei a minha forma vazia de tudo,

preenchendo pouco a pouco, com razões para,

uma vez mais, ser feliz... E eu serei.

O que você me fez, não se apaga com uma carta

cheia de garranchos, nem com uma mensagem,

um telegrama, um presente, um nota de áudio, uma ligação...

Não se apaga uma cicatriz, se qualifica e se eterniza,

como um lembrete de nunca mais cair nos mesmos erros.

Você me feriu, e por muito tempo, esperei suas desculpas,

mas elas nunca vieram... E então eu percebi...

Você nunca teve intenção de se desculpar... Porque nunca pretendeu ficar.

E com esse conhecimento, avassalador e sufocante,

eu provei, per la prima volta, o palato amargo da rejeição.

Desde então, não abri meu peito, nem meus ouvidos,

nem meus sentidos ou emoções para ninguém mais...

E faço bem, preservo meu ser, e meu pobre coração,

que depois da última vez, não se recuperou por completo.

Eu superei, ou não, ou talvez, não importa, mas o que importa,

é que eu segui em frente, movida pelo desejo de simplesmente seguir,

de recomeçar, de reviver... De ser feliz.

Por isso, não pense que tem o direito de reaparecer, do nada,

como se nunca tivesse batido a porta quando foi embora.

Não faça isso. Não ouse!

Não volte nunca mais... Porque não vou abrir a porta.

Não me peça por uma segunda chance, não chore lágrimas falsas.

Não diga que tens saudades, não proclame que não me esqueceu.

Não peça desculpas vazias, não tente recuperar o que se perdeu.

Não me peça para lembrar dos bons momentos, não tente.

Nosso tempo passou, e não volta mais.

Ainda bem...."





ydc ; 20/03/2020 ; 00:13hs. |


20 de Março de 2020 às 03:22 2 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Yasmin de Carvalho Cantora Lírica, Escritora, Compositora, Apaixonada, Sonhadora.

Comentar algo

Publique!
Gi Godoi Gi Godoi
Muito lindo e profundo
March 24, 2020, 01:08

~

Mais histórias

A Casa Velha A Casa Velha
Lua Escura Lua Escura
Liberdade pra que(m)? Liberdade pra que(m)?