brenkim brendon kim

Jongdae passava mais uma noite na casa do seu melhor amigo com o namorado dele. Mas foi expulso do quarto dos dois amantes, tendo de dormir com o garoto por quem era apaixonado, mas que parecia lhe odiar. |suchen|chanbaek!side|


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fanfic #suchen #chanbaek #exo
Conto
0
3.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O irmão coruja

— E quando ela chegou na cozinha… — Jongdae fazia uma pausa dramática. — Seu marido estava degolado!

— Aah!

— Baekhyun, quanto drama, isso não bota medo nem em uma criança! — ralhou o mais velho entre todos no quarto, Chanyeol.

— Teve sim! E se você levantasse de madrugada pra tomar água e eu tivesse pendurado no teto?

— Oh, meu amor, eu nunca deixaria isso acontecer com você. Sou muito forte!

— Mas tem medo de barata! — zombou Jongdae.

— Elas voam!

E os três garotos caíram na risada, as barrigas doíam, até ouvirem batidas na porta, o que acarretou em um Baekhyun gritando assustado.

— Chanyeol, a mamãe mandou vocês dormirem! — Junmyeon, irmão mais novo de Chanyeol, apareceu na porta vestindo seu pijama de bolinhas brancas. Jongdae sorriu ao ver o menor com a expressão fechada e um biquinho adornando os lábios bonitos.

— Oi, Jun! Quer ficar aqui com a gente?

Jongdae perguntou sem hesitar, era óbvia a admiração que ele tinha pelo irmão mais novo do amigo.

— Jongdae, não enche! Junmyeon, vai dormir, e a gente sabe que a mamãe não está em casa.

— Eu quero dormir, mas vocês não calam a boca!

— Junnie, se ficar aqui te juro que o Jongdae fica caladinho. — Baekhyun segredou no ouvido do cunhado, o puxando para dentro do quarto, fechando a porta atrás de si.

— Por que? O Jongdae é um mala! — não hesitou ao dizer a frase em alto e bom som, sem se importar se o propriamente dito se ofenderia, o que sequer aconteceu, pois Chen estava ocupado demais pensando em quanto achava Junmyeon lindo.

— Porque ele fica exatamente como agora. — apontou para Jongdae, deixando que Suho visse a expressão perdida dele completamente focada em si, um sorriso apaixonado nos lábios e sequer se movia se não fosse para acompanhar os movimentos do seu crush. — Ele é meio estranho, mas é porque gosta de você.

— Ele é um ridículo! — fingiu irritação, tentando esconder o quanto também gostava dele.

— Logo você se acostuma. Ele parece assustador assim, eu sei, mas é inofensivo. — Chanyeol se juntou a conversa do irmão com o namorado. — Se você sentar perto dele ou disser que está cansado e deitar na minha cama ele vai fazer o mínimo barulho possível, só pra não te acordar.

[…]

Assim como combinado, Junmyeon se sentou ao lado de Jongdae, aos poucos entrando na conversa dos três garotos, que mesmo apenas três anos mais velhos que si, eram muito diferentes. A beagle line era agitada, barulhenta e hiperativa, enquanto Junmyeon era quieto, na dele, gostava do silêncio e da paz que este lhe trazia.

— Aí, vey, quando eu abri a porta — Jongdae contava - ou tentava -, entre uma crise de riso e outra, sobre o dia que entrou no quarto do irmão mais velho e o encontrou no colo do colega, os dois nus. Era óbvio que Minseok estava dando prao tal Luhan. — Ele tava rebolando e gemendo! Eu — fez outra pausa para soltar uma gargalhada, com as quais Junmyeon já havia aprendido a lidar e até estava admitindo para si mesmo que elas eram muito gostosas de serem ouvidas. — fiquei parado na porta e ele continuou gemendo até o namoradinho dele me perceber, e advinha?

— Eles te expulsaram do quarto? — Baekhyun tendou advinhar.

— Não! O tal Lucas disse pra ele que tinha alguém na porta e o Min continuou gemendo! Eu lembro até hoje dele dizendo "Ahn, amor, eu tô quase lá, não para, por favor!" — afinou a voz, a fim de imitar o irmão.

Arrancou risadas altas de todos, menos de Junmyeon, que possuía uma expressão enojada.

— Uma vez eu vi o Baek e o Channie transando. Tenho pesadelos até hoje. — contou, sentindo um arrepio correr pela espinha.

— Pera, quando foi isso?! Eu ia me lembrar de comer o Chanyeol e alguém ver!

— Vocês tavam no jardim, foi horrível. — Chanyeol arregalou os olhos já grandes.

— Ah meu Deus! Eu achava que não tinha ninguém em casa!

Enquanto Chanyeol queimava em vergonha, Baekhyun tentava não rir diante a gafe do namorado, Junmyeon revirava os olhos e Jongdae explodia em risos.

— Vocês transaram no jardim?! Ou vocês são muito estranhos ou são ninfomaníacos!

— Não é como se você nunca tivesse feito algo assim! — Baekhyun revirou os olhos.

— O lugar mais inusitado que eu transei com alguém foi o banheiro do shopping. — sorriu de canto, de repende se interessando em algo. — E você, Jun, onde foi o lugar mais estanho que você já transou?

Chanyeol quase se engasgou. Era um perfeito irmão coruja e não podia pensar na possibilidade de seu irmãozinho se entregando pra alguém.

— Eu sou virgem — deu de ombros, pouco se importando com a situação.

— Você está dizendo isso por realmente ser virgem ou porque sabe que o Yeol vai surtar se souber que você já deu pra alguém? — agora até Baekhyun entrou na brincadeira, provocando Junmyeon e o irmão, simultaneamente.

— Porque eu souvirgem. — bufou, já perdendo a paciência. — e já está tarde, vamos dormir, por favor. — se levantou, pondo um fim na conversa.

— Certo. Baekkie dorme comigo. Dae pode ir com o Junma.

— Como é? — o mais novo ali olhou feio pra Chanyeol.

— Eu só tenho uma cama, não vou dormir com o bundudo do Jongdae! — falou como se fosse óbvio.

— Minha bunda nem é tão grande! — murmurou indignado, como Chanyeol podia ajir como se sua bunda fosse enorme se namorava um garoto que era mais bunda do que ser humano?!

— Você acha mesmo que eu vou dividir cama com ele?

— Eu nunca disse sobre dividir cama, você que pensou nisso! Eu disse pra ele ir com você, se você vai arrumar um colchão pra ele ou o sofá da sala, é problema seu! Mas agora que deu a ideia pode ir lá.

— Não mesmo!

— Eu nem sou tão espaçoso, poxa… — em meio a conversa, Jongdae parecia ainda estar encucado por Chanyeol ter o chamado de bundudo.

— Arhg! Tá bom, então! — bufou, a paciência no zero. Não seria um problema tão grande dormir com Jongdae, estava morrendo de sono, nem perceberia que ele estava na cama, era uma cama de casal grande, afinal. — Mas se ele ousar roncar, tocar em mim, ou qualquer coisa que atrapalhe meu sono, eu conto pra mamãe que você transou dentro da piscina!

Baekhyun riu, apenas observando os irmãos discutirem.

[…]

— Jongdae. — chamou pelo garoto que não parava de falar um minuto sequer, atrapalhando sua tentativa de pegar no sono.

— Sim?

— Cala a boca.

— Desculpa... — murmurou, finalmente se calando.

Mas o ato que devia ter feito Junmyeon finalmente ter sua paz para dormir, apenas o desestabilizoi. Sentiu falta da voz animada do amigo de infância do irmão, e aquilo o alarmou, mesmo já estando acostumado a ficar abalado quando a voz alta fazia falta. Sabia o porquê daquilo, mas o motivo o assustava.

Mudou de posição na cama, agora se virando de frente pra Jongdae.

— Eu sou um mala, não é? Sinto muito… — o Park negou com a cabeça.

— Você só fala demais. Eu gosto da sua voz, mas às vezes ela irrita. — confessou, fazendo o mais velho sorrir.

— Eu gosto de você, Jun.

— Eu sei. — suspirou, um pouco desconfortável, e segurou com delicadeza a mão alheia, fazendo um carinho sincero. — Eu… também gosto de você. — admitiu mais para si mesmo do que para o outro.

— Não, você não gosta. — sentiu os olhos arderem, as lágrimas estavam a caminho. — Está dizendo isso pra fazer eu me sentir melhor. Isso é pior que me odiar.

Junmyeon sorriu. Chen podia ser um completo idiota, crianção e bobo, mas sabia sobre coisas mais valiosas do que a diferença entre molho de tomate e catchup.

— Não é mentira. — levou a mão maior para seu peito. — Eu sou assim com você, não te trato muito bem e com certeza, demonstro meus sentimentos de um jeito diferente de você, mas não significa que não sinto. Você é alguém incrível, Jongdae, eu só tenho medo.

— Medo?

— Medo. De me entregar pra você e não dar em nada, que estragar tudo, de te magoar. Eu sou um idiota.

Jongdae sentiu as lágrimas descerem pelo seu rosto se sentou na cama e sorriu, como nunca sorriu antes.

— Não precisa ter medo, se você tentar é suficiente.

— Então… eu posso?… — se sentou na cama também, entrelaçando os dedos e começando a chegar mais perto.

— Pode… — Jongdae segurou firme na nuca do mais novo e juntou ambos os lábios. Mas nem teve tempo de aprofundar tudo que um gemido esganiçado atingiu seus ouvidos em cheio. Olhou com o cenho franzido para Junmyeon, que devolveu o olhar. — Eu não acredito que eles estão mesmo transando.

— Acho que você tem razão, eles são meio ninfomaníacos.

18 de Fevereiro de 2020 às 22:57 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

brendon kim só mais um escritor que tem fé em um dia crescer

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas

Mais histórias

A curiosidade matou Yagirobi , ou não A curiosidade matou ...
Luz do Sol Luz do Sol
Estigma Estigma