Não diga nada... Seguir história

lilmiew Yasmin de Carvalho

Não diga nada... Não vale mais à pena. O tempo passou. Rápido. Uma obra original de Yasmin de Carvalho. Todos os direitos Reservados. All rights Reserved. © lilmiew | Yasmin de Carvalho (13*02*2020 ; 00:33hs)


Poesia Romance Todo o público.

#Happy-Valentine's-Day #despedida #saudade #amor
Conto
0
704 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Enunciado mudo


https://www.youtube.com/watch?v=PjsITicBB3M



"As conversas têm se tornado cada vez mais curtas

nesses últimos tempos... E isso me assusta.

Me apavora que as palavras soem cada vez mais

escassas, vazias e desinteressadas.

Porque sinto como se eu estivesse caindo, sozinha,

e não houvesse um motivo verdadeiramente válido

que motivasse uma queda-livre do despenhadeiro.

Por favor, diga-me alguma coisa... Qualquer coisa.

Porque eu não entendo como as coisas tenham

chegado até esse ponto, e o não entendimento me sufoca...

Você diz que me ama, mas só me permite estar por perto

quando ela não está por ti, e eu continuo caindo.

Não entendo, não suporto, e enjoa dar-me conta

de todas as frases soltas, ditas com intenções subliminares

as quais, por tanto tempo, evitei enxergar...

Mentiras e enganos disfarçados de provocações sutis,

promessas e ilusões jogadas no vento, como brinquedos caídos.

Ah não, não me beije dessa forma, se teus lábios

apenas deixarão para trás com sua partida

juramentos inválidos e impossíveis.

Não me beije dessa forma, se os dizeres saídos dos teus lábios

não tinham intenção sincera de tornarem-se reais.

Se nunca teve verdadeira intenção de dar vida às tuas palavras,

porque simplesmente não as manteve cativa na curva dos

mesmos lábios que, por vezes, tocaram-me das

formas mais diversas e singulares?

Tudo seria tão menos doloroso...

Oh não, não faça isso, não ouse!

Não, não apareça na porta da minha casa, tarde da noite,

enunciando as razões pelas quais deveríamos ficar juntos,

quando é claro que isso não pode ser real, porque você

não quer que seja, porque não age por onde.

Não faça isso, porque eu sei, você sabe, ela também sabe

que nem você acredita no que diz e que, muito provavelmente,

amanhã digitará meia dúzia de vocábulos porcos, expressando

o quão fora tudo o que disse, e que eu deveria esquecer.

E eu vou. Ou melhor, já fui... Há tempo demais.

Mas ainda não consegui me livrar da constante

pergunta de... Por quê? Por que agir assim, sabendo que,

quando o dia amanhecer, você vai negar tudo o que disse e,

principalmente, o que pensou mas não teve coragem de proferir?

Se você não quis dizer isso, então, porque disse?

Porque? Porque? Porque? Me diga porque!

Está bêbado outra vez? É por isso que me escreveu aquela carta?

É por isso que recitou os versos da nossa canção,

como se isso fosse capaz de apagar os erros do passado?

Não, não é assim que as coisas funcionam.

E como poderia ser? Se de diálogos profundos e imersos

em variedades múltiplas, passamos a ensurdecedores

silêncios angustiantes, que não nos levam a lugar algum?

Você sabe, eu sei, todos sabem, todos vêem,

não adianta nem fingir, nem negar, ou esconder.

E eu não entendo, porque estou sozinha, por mim mesma,

e estou bem assim, verdadeiramente bem em anos mas,

quando você tecla, ansioso, dizendo que é o certo a se fazer,

meu coração dispara, inconsequente e idiota, me fazendo

pensar que no final das contas, a culpa disso tudo é minha,

por ser tão fraca... Ou talvez seja você, um bom farsante.

Por isso, não diga que precisa de mim, não faça minha cabeça

girar e girar feito carrossel, não me construa,

para logo em seguida, me destruir.

Não diga nada, por favor.

Eu prefiro o teu silêncio que me acompanhou por tanto tempo,

a ter de ouvir tua voz, e como ela soa atraente elencando mentiras úteis.

E chega a ser hilário teus atos falhos de tentar me ter por perto

uma vez mais, sempre audaz demais, confiante demais,

mas simplesmente não tem coragem de assumir seus erros.

Me cansa, me esgota, me desmorona... E eu não quero mais

ser as ruínas feitas das tuas vitórias.

Eu me cansei, eu virei a página, eu superei.

Por isso pare, apenas pare.

Cale tuas promessas, emudeça suas palavras,

silencie teus atos, gestos e jeitos, enclausure tuas

promessas e devaneios, porque neles, não caio mais.

Não diga mais nada... Apenas... Não diga.

O que ficou no passado, no passado se enterrou,

não vale a pena reviver, não é digno de atenção ou tempo no agora.

No agora, nesse instante, eu escolho a mim.

Estou deixando você no passado, estou veramente

enterrando você, e teu sorriso, e o som da tua voz,

e a cor dos teus olhos, e as pintas na tua cara, e o cheiro

do teu perfume, e a textura dos teus cobertores, e o brilho

das tuas promessas, e as tuas palavras, e tuas ironias,

e tuas mentiras, e tudo, absolutamente tudo.

À mim, isso não mais pertence. Acabou. Passou.

Por muito tempo, você me teve na palma de tuas mãos,

e Deus, como eu amava aquelas mãos mas... Isso acabou.

Agora, eu estou em minhas próprias mãos; o futuro está

há apenas um passo de distância e eu já calcei meus sapatos,

as malas me aguardam na porta da frente.

Fechei a última gaveta, não há mais cabides no armário,

as plantas transplantadas, já estão seguras em um lugar melhor.

A última carta foi guardada, o último respingo de tinta

já secou e as janelas, já fechei.

Essa é a última página, e eu não estou disposta a escrever

nem mais uma mínima nota de rodapé contigo.

Acabou. Então, por favor...

Não diga nada...

O tempo passou. Rápido.

E... Acabou."






YDC, 13/02/2020, 00:33hs.


15 de Fevereiro de 2020 às 02:30 1 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Yasmin de Carvalho Cantora Lírica, Escritora, Poeta, Apaixonada, Sonhadora.

Comentar algo

Publique!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá! Escrevo-lhe por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para verificar o cumprimento das Regras comunitárias e ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se você não quiser verificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através de Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada "Em revisão" pelos seguintes apontamentos retirados dela: "à pena" em vez de "a pena"; "As conversas tem" em vez de "As conversas têm"; "sua partida, juramentos inválidos" em vez de "sua partida juramentos inválidos"; "Porquê?" em vez de "Por quê?"; "os dizeres saídos dos teus lábios não tinha" em vez de "os dizeres saídos dos teus lábios não tinham". Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, e os betas do Inkspired, quando contratados, fazem uma análise detalhada da sua história e a enviam através de um comentário. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
February 18, 2020, 12:46
~