Dazzling Seguir história

fromkais honey .

Jinyoung nunca imaginou que viveria em três semanas o que esperava viver durante o colégio inteiro. No auge dos seus dezessete anos, achou que estar preso em um triângulo amoroso era algo que não acontecia fora de filmes ou livros infanto juvenis, ou paixões à primeira vista realmente acontecerem.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#romance #got7 #2jae #jaebum #youngjae #jinyoung #2young
0
389 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Lovin' what I'm tastin'

Jinyoung estava contando os dias para poder ter seu computador de volta, ou o sinal do celular. Qualquer que fosse o meio que pudesse usar para a comunicação fora daquele sítio ele aceitaria, na verdade. Não o entendam mal, ele até que estava gostando de passar suas férias na casa dos avós, no início ele estava muito relutante em ficar suas férias inteiras isolado de todos os amigos e eventos sociais, mas agora a história era outra.

Nunca imaginou que viveria em três semanas o que esperava viver durante o colégio inteiro. No auge dos seus dezessete anos, achou que estar preso em um triângulo amoroso era algo que não acontecia fora de filmes ou livros infanto juvenis, ou paixões à primeira vista realmente acontecerem.

Seria realmente ótimo se as coisas se resolvessem como nos livros que ele lia, mas infelizmente a vida real era algo um pouco pessimista demais. Agora ele estava sentado no quarto olhando as madeiras do teto sem realmente ter uma resposta para o problema que havia se enfiado.

Park Jinyoung, um jovem que só estava indo passar as férias com os avós, estava mais que encrencado e não tinha nenhuma previsão para sair dessa situação, e nem internet ele tinha para poder procurar alguma coisa online ou pedir ajuda para seus amigos.

Jinyoung estava preso em um labirinto de sentimentos que provavelmente qualquer que fosse sua escolha, alguém sairia machucado. Fosse seu primo, Jaebum, ou a pessoa que responsável pela última briga que os primos tiveram, Choi Youngjae.

O jovem rapaz da fazenda ao lado das dos avós que tinha uma risada alta demais e olhos que brilhavam demais quando ele estava animado explicado sobre como cuidava dos cavalos da família.

Que merda, só de lembrar do rosto alegre do rapaz, Jinyoung já sentia seu coração acelerar.

Os cabelos aloirados dele eram algo que o jovem percebeu gostar, ainda mais quando seus dedos estavam entre eles. Só de lembrar quando estavam sentados na beira do lago, apenas conversando, parecia que ele podia sentir as madeixas em sua mão e o cheiro característico de Youngjae, algo que lembrava grama cortada e um verão quente.

Tudo poderia ser tão mágico que Im Jaebum não estivesse nesse meio todo, se o primo não estivesse nessa equação tudo seria muito mais fácil, ainda mais porque ele também compartilhava o mesmo sentimento que Jinyoung para com Youngjae. Não saberia dizer se era bom ou não, mas, Youngjae parecia se fazer de desentendido todas as vezes que o primo soltava alguma cantada ou indireta que deixasse bem mais que claro o interesse que ele possuía.

As cenas começaram a surgir em sua mente, logo quando chegou e Jaebum foi o buscar na rodoviária ele pode ver as tentativas do rapaz em tentar fazer o loiro ter alguma reação às suas palavras, falhando miseravelmente em todas elas. Jinyoung depois de alguns dias perguntou para o mais novo o porque ele deixava que Jaebum o irritasse tanto com aquilo, não que ele estivesse com ciúme do primo sempre em cima do outro, lógico que não.

Youngjae sendo a pessoa iluminada que era, apenas disse que era o jeito do outro demonstrar carinho e quem seria ele para fazer Jaebum, em toda sua esquisitice parar? Ele até explicou que ele era assim com outros amigos deles… Jinyoung não acreditou nessa parte nem um pouco.

Mas também não insistiu, ainda mais porque ele e Youngjae estavam sentados na sombra de uma das árvores mais antigas do pasto apenas aproveitando a brisa da manhã após o exercício matinal do garoto da cidade.

O loiro fazia com que Jinyoung tivesse sempre instigado para desvendar qual era a complexidade da existência dele.

Tão surreal e lindo.

Mas nem tudo havia sido flores, não mesmo, ainda mais depois que Jaebum o chamou de lado um dia que estavam ajudando a avó a colher alguns temperos. A lembrança era de alguns dias atrás, mas as palavras do primo ainda pareciam queimar em sua mente.

(...)

“Jinyoung, por que você faz isso?” A voz de Jaebum quebrou o silêncio que estavam a uns bons minutos. O rapaz parecia estar irritado, o outro pode notar, além da face tensa o seu tom de voz estava claramente irritado.

“Isso o que? Colho manjericão errado?” Jinyoung respondeu no mesmo tempo porém em seu olhar algo estava claramente desafiando o maior.

“Não, você sempre faz isso. Chega aqui, sem ser convidado e estraga tudo!”

Jinyoung encarou o rapaz.

“Você quer me culpar por ser um imbecil?”

“Eu imbecil? Eu não cheguei na sua casa, roubei o garoto que você gostava… Nunca fiz isso! Você por outro lado…” Jaebum começou a falar e mesmo que tenha deixado o final da frase em aberto, claramente tinha mais coisas para falar.

“Eu por outro lado o que? Que merda, quer falar bosta na minha cara? Fala, vai!” Jinyoung jogou a cesta que estava em sua mão no chão e se aproximou a passos pesados do outro moreno.

Jaebum o empurrou.

“Você estraga tudo, sempre quer que seja do seu jeito! Tudo estava bem até você chegar!”

“Eu estrago tudo? Você tem que parar de ser esse arrogante filho da puta e ver que o Youngjae nunca vai gostar de você.” Logo que ele disse tais palavras o arrependimento o acertou em cheio, não era a intenção deixar as coisas chegaram naquele nível. “Jaebum, eu, me- não foi isso que eu quis dizer.”

“Ah não?” Jaebum não o encarava. “Não tem problema, você está certo, eu sou um filho da puta que só pensa em si mesmo… E sempre tiro as coisas importantes da vida das pessoas, né? Eu que tenho tudo e sempre quero mais. ”

“Jaebum.” Jinyoung tentou segurar o outro, mas, o primo era rápido. Logo ele se viu sozinho no meio da pequena horta da avó debaixo do sol quente, sozinho e com a mente a mil.

(...)

O suspiro pareceu deixar seu peito mais leve. Seu primo estava o evitando desde então, o que fez Youngjae não entender muito bem o porque ele não estava mais indo andar de bicicleta com eles ou indo passar as tardes no lago.

Jinyoung não iria falar, ainda mais sabendo que em poucos dias estaria voltando para casa, o problema que ele tinha causado seria provavelmente esquecido e os dois continuaram amigos. Por mais que o sentimento de incômodo que surgia chegava a ser sufocante, ele sabia que seria o melhor.

A noite não estava tão quente como as anteriores e o seria bom para uma caminhada, iria aproveitar que o avô tinha feito um pequeno caminho para trás da casa. Seria bom para respirar e tentar esquecer o aperto no peito em pensar que deixaria Youngjae ali em poucos dias.

Não queria pensar nisso na verdade.

Todo aquele paraíso que havia criado iria sumir e com ele a única pessoa que conheceu que provavelmente o faria pensar em largar tudo apenas para não sair do lado dele. Quem diria que Park Jinyoung, o jovem que tinha todo seu futuro planejado depois da escola, já havia falado mais do que uma vez nas últimas semanas que largaria tudo pelo outro.

E nossa, ele não se arrependia de nada disso.

“Jinyoung?” A voz que gostava tanto de escutar o tirou da trilha de pensamentos que havia entrado enquanto andava no pequeno caminho atrás da casa principal. “O que faz acordado?”

“Poderia dizer a mesma coisa de você Jae.”

O loiro estava na mesma situação que ele aparentemente. Dando uma caminhada noturna para clarear os pensamentos. A risada que o outro deixou escapar foi a confirmação que ele precisava.

“Precisava espairecer a mente um pouco…” Youngjae estava claramente desconfortável com algo, Jinyoung notou, “Eu fiquei sabendo da sua briga com Jaebum… E ainda fiquei sabendo sobre o motivo.”

Os dois tinham decidido parar na cerca que levava aonde os animais ficavam.

“Sabe…” Começou o loiro sem olhar para o rapaz ao seu lado, apenas sentiam o calor que o corpo ao lado emanava. “Eu acho que vocês são dois idiotas, principalmente o Jaebum.”

Jinyoung encarava o perfil do rapaz, tão perfeito. Se pudesse iria congelar o tempo apenas para poder ficar encarando ele, como uma pintura que devia ser apreciada de todas as formas possíveis. Como Choi Youngjae era uma pessoa linda, tanto por dentro quanto por fora, o monólogo na mente de Jinyoung poderia continuar porém a voz do outro o fez lembrar que ele estava do seu lado.

“Toda essa história, eu acho uma perda de tempo. De verdade, eu gosto de você, e gosto dele também. E ele é um idiota em não escutar quando eu digo que não temos nada.”

Aquilo certamente tinha doído mais do que o necessário.

“Assim, você beija bem e tal. Mas vamos ser sinceros, Jinyoung, você vai embora daqui a alguns dias, desde o começo sabíamos que isso não era nada oficial. As coisas vão voltar a serem o que eram, eu e Jaebum e você longe daqui.” Youngjae não parecia ter nenhum sentimento ruim sobre o assunto, ele falava como se contasse uma receita qualquer que viu na internet. “Ele faz todo esse show, mas no fundo é só ciúme mesmo. Ele não gosta de mim, bom, deve gostar só como um irmão no máximo.”

“Jae…” O maior tentou interromper, mas falhou ao ver que o loiro não pretendia parar tão cedo.

“Não vou mentir, quero manter o contato com você. Você é a primeira pessoa que eu consigo falar sobre música e arte por aqui… Você é incrível, bonito, inteligente, logicamente não iria perder seu tempo com um caipira como e-”

Jinyoung achou o melhor jeito de fazer o loiro parar de falar. Juntou seus lábios com os dele rapidamente, beijar Youngjae sempre era uma coisa nova. Horas ele estava mais animado e o beijo seguia sua animação, contava com mãos mais um pouco mais provocativas e estímulos mais quentes do que quando ele apenas queria aproveitar o momento.

Mas definitivamente o beijo favorito que Youngjae tinha para Jinyoung, eram aqueles que eram uma surpresa. Começavam lentos e incertos mas no fim, parecia que ali era seu porto seguro. As mãos que tomavam conta do pescoço alheio se pareciam voltar para o lugar que nunca deveriam ter saído.

Jinyoung separou minimamente os rostos, sentia a respiração quente em sua bochecha e Youngjae parecia ainda tomar seus sentidos de volta. Era realmente encantador olhar o outro tão de perto assim.

“Nunca fale assim de você, e eu já te disse. Se você quiser ir comigo será bem vindo, você só tem um último ano na escola depois disso pode ir estudar na capital.” Nas entrelinhas ele deixou bem claro, você pode vir ficar comigo, sabia que Youngjae havia entendido.

Nenhum dos dois falou mais nada, o momento estava muito sério para que estourassem a bolha que entraram. Jinyoung estava em pé na frente do rapaz, no meio de suas pernas, enquanto Youngjae acariciava o cabelo crescido além da conta na nuca do outro.

Jinyoung fechou os olhos aproveitando o carinho.

Ele poderia estar em uma confusão, mas no fim sabia que Youngjae estaria ali para ele. Mesmo que a vida fosse pessimista demais, o rapaz a sua frente não era e isso era o suficiente para ele saber que de alguma forma tudo iria ficar bem no final.

Fosse na agitação da cidade grande ou na calmaria que somente o campo poderia trazer.

25 de Janeiro de 2020 às 01:44 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

honey . 🚀 𝖿𝗅𝗒 𝗆𝖾 𝗍𝗈 𝗍𝗁𝖾 𝗆𝗈𝗈𝗇 ✩ decidi criar isso aqui para deixar todas minhas histórias em um lugar só, talvez. ✩ ss. kinobam ✩ ss. mooochi

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~