u15772523511577252351 João Vitor Prates

Um irmão e sua irmã tentam sobreviver a um apocalipse zumbi, mas as coisas tomam um rumo diferente quando encontram outros sobreviventes.


Horror Horror zumbi Para maiores de 18 apenas.

#horror #terror #gore #apocalipse #medo #irmãos #sobrevivência #zumbi #Assustador
0
3.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo I

Sou James Miller, tenho trinta e nove anos, cabelos escuros e demasiadamente longos, barba escura e por fazer. Vivo em uma casa grande e aconchegante com a minha irmã, Laura Miller, uma loira alta e linda, ela tinha trinta e cinco anos. Hoje, dia 22 de Fevereiro de 2021, completam cinco anos desde que a ''cura'' do câncer foi criada. Quem diria, não é? Isso foi o início do apocalipse zumbi. Obviamente, os primeiros locais a serem totalmente contaminados foram os hospitais. Senhoras e senhores idosos e ingênuos, se ofereceram para ser os primeiros a receberem o soro. Coitados.

A vantagem de o mundo ter sido dizimado por zumbis, é que eu e minha irmã, que nunca tivemos casas enormes e uma vida boa, podemos agora viver onde os ricos moravam. Felizmente, a casa era bem fechada, e impossível para aqueles zumbis lentos e fracos invadir. No momento, eu e minha irmã comíamos milho e feijão enlatado, sendo iluminados por algumas velas que estavam na mesa.

-Nossa, cara. Eu daria tudo por uma pizza ou um hambúrguer. -Laura fala, enquanto come. -Sabe que esses são os últimos enlatados, né? Estão acabando, e terá que ir buscar mais.

-Vou amanhã. -eu falo.

Laura me encara por alguns segundos, e fala:

-Me diga uma coisa. Como você se sente sendo o último homem da face da terra?

-Não sei. Como você se sente sendo a última mulher da face da terra?

-Me sinto desejada. -ela sorri.

-Sinto lhe dizer, mas a única pessoa que poderia te desejar sou eu, o seu irmão.

-Incesto, então?

-Pode ser.

Começamos a rir sem parar. Nós sempre tivemos uma boa relação de irmãos, fazendo piadas e brincando um com o outro. Não escolheria outra pessoa para passar o apocalipse comigo.

-Você é nojento! -ela fala, ainda rindo.

-Bem, não quero parecer arrogante, mas atualmente sou o homem mais legal da terra.

-Acho que não, hein. Falar com um zumbi seria mais interessante, e eles são mais inteligentes também. Dá pra imaginar quantos cérebros eles já comeram? Pois é. E eles devem ser bem melhores na cama, portanto, esqueça o incesto.

-Será que transar com um zumbi seria considerado necrofilia? -eu pergunto.

-Claro que não. Eles são mortos-vivos, ou seja, são no mínimo meio vivos. -Laura responde.

-Se são meio vivos, são meio mortos também.

-Então, eu serei apenas uma meia necrófila?

-Basicamente, isso.

-Okay. Vou lá agora transar com um zumbi.

-Vai lá.

-Pode já ficando com inveja, pois nós teremos nove lindos filhos. Seus nomes serão: Frodo, Aragorn, Legolas, Merry, Pippin, Sam, Gimli, Boromir e Gandalf. E, juntos, formarão a Sociedade do Anel.

-Nerd.

-Sempre fui, sempre serei.

Ficamos nos encarando, sorrindo um para o outro.

-Nossos pais também me chamavam de nerd, lembra? -o sorriso do rosto de Laura some. -Sinto saudades deles, mesmo com as nossas brigas, eu os amava.

-Querida irmãzinha, não vamos falar sobre isso de novo. Combinamos que íamos superar, e faremos isso, certo?

-Certo, James. Desculpe. -ela parece triste, me levanto da cadeira e á abraço.

-Vamos dormir, já é tarde. -digo.

Apago as velas, e pego uma lanterna. Juntos, subimos as escadas em direção ao quarto. Ao chegar lá, ela deita na sua cama e eu na minha.

Sobre os nossos pais, eles não duraram muito. Antes de sabermos da epidemia que tomava conta do mundo, Laura e eu assistíamos televisão, enquanto nossa mãe, Katie, fazia a janta na cozinha. Ela ouviu a porta bater, mas não batidas normais como ''toc, toc, toc'', era como se alguém estivesse tentando arrombar a porta. Imediatamente, minha mãe, corajosa, pegou um taco de beisebol e abriu a porta. Ficou sem reação ao ver que era o nosso pai, Daniel, com o rosto sangrando e os dentes podres. Ele avançou para cima de minha mãe, e a devorou. Ficamos paralisados ao ver isso. Após o término de sua ''refeição'' o nosso pai veio em nossa direção. Peguei o taco no chão, bati várias vezes em seu crânio, até ser esmagado. Á partir dali, jurei proteger minha irmã.


31 de Dezembro de 2019 às 23:09 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capítulo II

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!