kimsarah342 Kim Sarah

Ao perder a memória por um possível caso de estupro, Alana se vê perdida aos seus 16 anos


Fanfiction Livros Para maiores de 18 apenas.

#original #abuso #portugues #estupro #depressão #bissexual #ansiedade #ace #assexual #Assedio
0
3.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Perda.

A festa, naquele momento, bombava ao som do clássico funk no meio de adolescentes querendo se alcolizar. Alguns dançavam com os amigos, outros sozinhos e, a maioria, com seus parceiros, prontos para uma rodada de sexo logo depois daquela festa de final de ano. Era simples, algo que a escola planejou junto do grêmio estudantil, mas que todo ano tinha.




- Achei que esse ano ia ser melhor, já que é o ultimo ano da maioria do pessoal do grêmio. - Clara suspirou chateada, bebendo da latinha mesmo de cerveja.




- Eu já pensei o contrário... Eles estão cagando e andando, já que é o ultimo ano deles. - Carlos disse simples, dando de ombros e bebendo de seu refrigerante.




Alana apenas riu da conversa de seus amigos. O grêmio estudantil era muito falado, até por que ele representava os alunos da escola inteira. Clara e Carlos tinham opiniões completamente diferentes sobre o grêmio. Carlos achava o grêmio uma grande merda, já que, de acordo ele, havia tentado conversar com eles e apenas lhe responderam de forma metida e ignorante. Clara achava o grêmio a oitava maravilha do mundo, já que, de acordo ela, eles brigaram com a diretora para não acabar com seu tão amado campeonato de vôlei.




- Se vocês não estão achando bom, o que acham de se divertirem, em vez de ficarem com essas bundas lindas achatadas nas cadeiras? - perguntou irônica, pegando do salgadinho que estava no pequeno prato na mesa.




- Sinceramente eu não quero me levantar não... - Clara disse revirando os olhos, fazendo Alana rir anasalado ao escutar Bumbum de Ouro da deusa Gloria Gloove tocar, fazendo a amiga levantar automaticamente. - Eu nãoo disse nada, viu? - encarou-a com olhos afinados, fazendo Alana apenas levantar as mãos em sinal de rendição. - Vamos logo! - chamou já correndo pra pista de dança.




Alana levantou puxando Carlos sem sequer falar algo antes. O garoto foi sem ousar se debater, apenas alcançou a garota e começou a dançar com as duas. Era até cômico de se ver o de cabelos cacheados tentando rebolar com as duas.




- Você é tão duro quanto um robô, Carlos! - Alana disse rindo, parando de rebolar, pois não conseguia rir e rebolar ao mesmo tempo.




- Tenta parar de imitar seu pau quando acorda, garoto. - Clara debochou fazendo Alana cair mais ainda na gargalhada.




- Faz assim, oh. - disse quando finalmente parou de rir desesperadamente, rebolando lentamente, tentando mostrar para o amigo como fazia. - Tenta, menino! - quase gritou, pois Carlos encarava sua bunda sem vergonha na cara nenhuma.




- Sim, senhora! - gritou brincalhou e, novamente tentou, fazendo com que Alana caísse na gargalhada novamente e Clara lhe zoasse de todo jeito possível.



A festa continuou normal, alguns professores - que estavam presentes para se divertir também - dançavam juntos dos alunos, causando altas gargalhadas, fazendo um ambiente que, antes, era algo totalmente formal, se tornasse um local informal de pessoas se divertindo, sem status ou idades lhes rotulando. Alana não podia mentir que adorava as festas que a escola fazia, mesmo que o grêmio fizesse de qualquer jeito, pois se sentia em casa. Achava que, nestes momentos, finalmente a frase "a escola é a sua segunda casa" fizesse finalmente sentido.




- Hey, Alana. - Clara lhe cutucou o ombro com o cotovelo, novamente sentados na mesa, pois haviam gastado totalmente a pouca estamina que o tipo de jovens sedentários como eles tinham.




- Hum? - respondeu brevemente, pois sua boca estava cheia de salgadinho.




- Misericórdia, menina, engole logo isso. - franziu o cenho, fingindo fazer uma cara de nojo. Observou ela engolir dificilmente o tanto de salgadinho e finalmente disse o que queria quando a amiga estava bebendo o refrigerante. - Olha aquela garota ali... - apontou com o rosto, tentando ser discreta, porém Alana quase quebrou o pescoço pra poder enxergar a tal garota. - Meu deus, garota, tenha o mínimo de bom senso... - pôs a mão na testa, fechando os olhos e respirando fundo.




- O que tem ela? - perguntou ignorando o sermão que havia recebido.




- Ela 'ta te dando mole, meu anjo. - sorriu maliciosa, levantando varias vezes as sobrancelhas.




Alana olhou novamente para a garota. Ela era bonita, tinha cabelos cacheados pretos - acreditava ser assim, mas por causa da pouca iluminação, podia ser falha a dedução - e algumas mechas coloridas de cor que acreditava ser azul escuro. Usava um crooped vermelho com algo escrito que não podia ler, uma saia rodada e um sapato fofinho, conversava com seu grupinhos de amigos e não parecia nenhum pouco interessada em si, então, meio confusa, encarou Clara que a observou, esperando o que ela ia perguntar.




- Você já está bêbada? - perguntou pondo a mão na coxa dela, de modo compressivo, fazendo Clara bufar e bater a latinha na mesa.




- Olha pra ela de novo. - revirou os olhos e, como pedido - ordenando -, Alana a olhou e, desta vez, a garota lhe olhava também. A menina corou, o que Alana achou uma fofura, e mandou um breve tchauzinho. - Eu disse. - Clara soltou orgulhosa de estar certa.




Alana devolveu o tchauzinho com as mãos e deu uma breve piscadinha de um olho só, mostrando que também estava interessada.




- Carlos, comé que eu tô? - perguntou ajeito os fios negros ondulados. Não sabia se prendia ou não.




- Normal? - perguntou confuso, afinal não havia escutado a conversa entre as duas, pois estava conversando com um amigo.




- Oh porra... - resmungou, revirando os olhos e voltando a atenção para Clara. - Comé que eu tô? - perguntou piscando os olhos, tentando ser galanteadora.




- Nojenta. - disse fazendo uma careta de nojo, bebendo da Brahma.




- O que?! - sua voz saiu mais aguda do que havia planejado, fazendo Clara fechar os olhos firmemente e se perguntar como Alana podia fazer seus ouvidos doerem com sua voz mesmo tendo uma puta caixa de som, quase que no ultimo volume, tocando funk.




- Caralho, garota! - gritou raivosa, fazendo a amiga rir anasalado e continuar encarando-a. - Você ta linda, vai logo! - revirou os olhos e fez breves movimento com a mão, como se expulsasse um animal ou um mísero mosquito. Alana, como pedido - ordenado - foi em direção a jovem que havia lhe interessado.





Clara ficou bastante tempo só aproveitando sua cerveja, sendo totalmente ignorada por Carlos que conversava animadamente com um amigo, até que o garoto finalmente lembrou da amiga e perguntou.




- Cadê a Alana? - perguntou confuso, prestes a pegar mais um salgadinho, porém Clara, rapidamente, pegou o ultimo que habitava o pratinho.




- Dela você lembra, né? - fez sua clássica cara de nojinho e pode ver o garoto dar de ombros. - Ela foi se pegar com uma garota.




- Ah... - foi a única coisa que conseguiu dizer, sendo observado por Clara.




A garota sabia que ele gostava de Alana, o que a deixava puta, por que a escola inteiro sabia que a amiga era totalmente sapatão, mesmo assim Carlos teve a audácia de gostar dela. Tá, que ninguém manda no coração, mas, sinceramente, ela estava ali! Do lado dele! Por que não ela? Suspirou só de pensar nisso novamente, olhando ao redor vendo Alana ainda conversando com a menina tímida, logo elas foram andando, junto do grupinho.




- Tá bem? - perguntou simples, bebendo da cerveja.




- Estou. - deu de ombros, suspirando pesado.




- Eu não quero mais estar aqui... Vamos embora? - perguntou como quem não quer nada.




- Mas e a Alana? - perguntou confuso.




- Ela já saiu com a menina. Se te deixa tão preocupado assim, eu vou mandar uma mensagem pra ela... - disse já mandando a mensagem pelo celular e recebendo a resposta rapidamente. - É, não precisa se preocupar. - mostrou a mensagem para Carlos.




- Não esperem por mim, podem ir. - leu em voz alta, suspirando e dando por vencido. - É, vamos.




Demorou um tempo para finalmente saírem, afinal se despediram de seus amigos e colegas, até de seus professores. Clara deu um leve cantada em um dos garçons que ela achou fofinho. Não era por que gostava de alguém que não tiraria uma casquinha do que agradava seus olhos.




Se tivessem reparado bem, antes de ir embora, iriam ver a menina que, antes, estava com Alana, sozinha com seu grupo de amigos, indicando que a amiga de Clara não estava mais ali.





30 de Dezembro de 2019 às 19:26 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas