Dia dos namorados Seguir história

jace_beleren Lucas Vitoriano

É o primeiro dia dos namorados que Morrigan ira passar com Klein, ela mal consegue se conter tamanha sua ansiedade.


Conto Todo o público.

#romantico #namorados
Conto
0
995 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Morrigan não conseguia se concentrar na professora Takashiro e a aula de história. Ela era mais uma estudante comum, tinha dezessete anos, cabelos azuis anil um pouco longos que se dividiam em duas mechas onduladas descendo harmoniosamente por cima dos ombros. Seus olhos eram de coloração roxa, atraentes e de singular beleza. A mente da garota, porém, não estava nos ensinamentos da professora Takashiro. Ela sorria meio abobalhada enquanto fitava uma linda nuvem que flutuava tranquilamente pelos céus. Rabiscava em seu caderno coraçõezinhos de todos os tamanhos com canetas de diferentes cores e até cantarolava bem baixinho. Ela não conseguia controlar sua ansiedade. Logo a aula terminaria e Morrigan poderia encontrar-se enfim com seu namorado. “Seu namorado” era até bonito dizer isso. Era dia dos namorados, o dia deles.

Ela nunca fora de pensar em garotos ou em romances, embora sempre achasse muito fofo quando via casais em filmes ou animes. Klein porem apareceu na sua vida e logo ela se encantou com seu jeito gentil e calmo. Ele era tão carinhoso e atencioso com todos, mas, com ela em especial, era ainda mais atencioso. Mesmo sem saber o motivo Morrigan sentia um frio na barriga quando o via. Seu dia sempre ficava mais colorido quando estava com ele, embora ela não soubesse dizer o porquê.

Foi só quando ele a pediu em namoro que aquele sentimento dentro dela tomou forma. Morrigan lembrava da ocasião com carinho. Era uma memória única que a mesma guardava em um cantinho especial em seu coração. Havia sido em uma manha de sábado. Eles haviam passado o dia juntos. Visitaram as lojas da cidade, comeram sorvete, tiraram fotos abraçadinhos. Era tudo muito inocente e lindo, muitos diriam que eles tinham uma amizade colorida, mas ela não via aquilo como algo romântico, não na época. Era inocente demais para ver as coisas dessa forma.

Então, no final do dia, ele a levou para verem as flores de cerejeiras que estavam a desabrochar. Era uma visão linda, uma profusão sem fim de flores delicadas com seus tons sutis de rosa. Morrigan correu por entre as flores rodopiando como uma criança, rindo livremente ao vento. Klen ficou apenas lá, parado, observando-a de uma forma tão intensa e única que a fez corar.

Ela parou de dançar e desviou o olhar sem jeito. Não sabia por que tinha tanta vergonha, mas agora, pensando naquilo tudo tempos depois, percebeu que sua vergonha se dava pelo fato de Klein estar olhando para ela como se fosse o centro do mundo. E era isso que ela era para ele naquela época, e ainda hoje, o centro do mundo dele.

Então ele se aproximou com aquele sorriso enigmático que fez o coração dela saltar do peito. Era tão lindo! Klein parecia um príncipe dos contos de fada com seus olhos azuis gentis, seus curtos cabelos loiros e sua postura elegante. Ele se aproximou dela, tomou-a nos braços com gentileza e então disse aquelas três simples palavras magicas “eu te amo”.

E então tudo mudou, Morrigan perdeu o chão, sentiu o tempo parar. Estava tremendo de nervosismo. Foi então que ele a beijou, um beijo doce com um sabor impossível de descrever com palavras. Aquilo havia sido magia, da mais bela e pura. Morrigan percebera que tudo que sentia por ele, além da admiração, além da grande amizade, além do companheirismo... além de tudo isso... era paixão. Ela estava apaixonada, os dois estavam. Não havia felicidade maior em todo o mundo

Ela lembrava de tudo isso, totalmente alheia a aula. O sinal da escola tocou indicando que a aula havia chegado ao fim e arrancando-a de seus devaneios apaixonados. A professora Takashiro começou a apagar a lousa enquanto despedia-se de todos desejando-lhes um feliz dia dos namorados

Morrigan pegou nervosa sua mochila, lá estava guardada sua carta de amor que havia escrito para Klein. Ela a havia escrito com todo o carinho e esmero, dedicando horas para expressar da melhor forma todo o amor que sentia por ele, mesmo sabendo que isso seria impossível. Seu amor não podia ser expresso em palavras.

- Hoje é um dia muito especial para você não é irmasinha? – disse uma voz carinhosa ao lado dela. Morrigan olhou para cima e viu sua irmã, Lilith, em pé. Elas estudavam na mesma classe e Morrigan simplesmente a adorava.

Lilith era linda, com seus longos cabelos ruivos e olhos da mesma cor. Era delicada, protetora e gentil. Era ela sua confidente e sua melhor amiga. Morrigan não conseguia imaginar um mundo sem sua querida irmã ao seu lado.

- Sim! – respondeu abraçando a própria mochila – estou muito empolgada, nosso primeiro dia dos namorados juntos!

- Fico feliz por você – ela acariciava os cabelos de Morrigan docilmente – tem sorte de namorar um dos garotos mais cobiçados da escola.

Morrigan corou. Aquilo era verdade, muitas garotas gostavam de Klein e ele talvez pudesse ficar com cada uma delas, mas só tinha olhos para Morrigan. A garota levantou-se colocando sua mochila nas costas.

- Eu vou indo irmã. Eu e o Klein ficamos de nós encontrar na saída da escola. Nos vemos mais tarde em casa!

Se despediram com um aceno e Morrigan saiu a passos apressados, quase saltitando, da sala de aula. Klein estudava no mesmo colégio que ela, mas estava um ano a sua frente. Como as salas de ambos ficavam um pouco distante os dois combinaram de se encontrarem na saída do colégio para irem a um “lugar especial”. Morrigan não sabia que lugar era esse pois ele fizera segredo, mas para ela não importava aonde seria. Se estivessem juntos qualquer lugar se tornaria especial.

Ela desceu as escadas apressadamente, passou pelos corredores e seguiu pelo jardim central do colégio dirigindo-se ao portão principal. Avistou-o rapidamente, Klein estava encostado no muro vendo alguma coisa em seu celular. Ela apressou o passo, tendo que se controlar para não começar a correr de tão ansiosa que estava.

- Klein – disse parando a um metro de distância dele. Estava um pouco ofegante. Corava ao vê-lo, ele era tão maravilhoso, tão único para ela. Klein sorriu só de ouvir sua voz. Ele guardou o celular e a fitou.

- Morrigan, como foi a aula? – perguntou tocando na mão dela gentilmente e a puxando mais para perto. Suas bocas se atraíram como que por magnetismo e eles as uniram em um beijo molhado.

Ela suspirou de felicidade. Sentia-se em paz e segura nos braços dele. Quando estavam juntos nenhum problema parecia realmente complicado e tudo se tornava mais leve. O beijo por fim terminou. Ela estava mais vermelha do que deveria ser possível. Ele causava esse efeito nela. Isso como também outras coisas.

- Boa, mas estava ansiosa para que terminasse e pudesse lhe ver.

Ele acariciou os cabelos dela como Lilith havia feito a pouco e ela sorriu como uma gatinha manhosa. O jovem casal deu as mãos e seguiram juntos pela rua. Era dia dos namorados, o primeiro dia dos namorados do casal. Eles iriam aproveitar, mereciam isso.

Morrigan mal podia esperar para saber que surpresas aquele dia lhe reservava. De uma coisa tinha certeza: aquele seria um dia especial.

25 de Novembro de 2019 às 12:20 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Lucas Vitoriano Ola, me chamo Lucas, adoro escrever, ver animes, jogar Magic the gathering, ler entre outras coisas mais rs. Sou particulamente fissurado em mitologia grega, meus autores favoritos são Neil Gaiman e Kazuo Ishiguro e, meu livro favorito, é As brumas de Avalon.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~