Show De Vizinho Seguir história

relicariodalua Blue.🌙

Tudo começa a ficar de cabeça para baixo depois do aparecimento de um furão com o nome do falecido rei do pop, Michael Jackson, e de repente um decisão importante precisa ser tomada, porque quatro caras com potencial para ser namorados surgem: Hoseok, o melhor amigo possivelmente apaixonado. Kim Namjoon, um escritor, e aparentemente o cara perfeito, Park Jimin, o colega de trabalho mais sexy! E Yoongi, que por um mal entendido ficou conhecido como "vizinho pervertido", e Bom... Além de ser conhecido como o pevertido do bairro ele também é o atual e ex-vizinho (sim, você não leu errado), além de ser o ex-amigo, ex-amigo colorido, ex-capitão do time de basquete, que resolveu voltar depois de dois anos distante prometendo desenterrar algumas coisas do passado e consertar algumas coisas com alguns métodos duvidosos. Em meio a uma situação assim, se voce precisasse escolher entre quatro caras maravilhosos, qual seria? OC X Yoongi | Long Fic


Ficção adolescente Para maiores de 18 apenas.

#kpop #agustd #suga #yoongi #bts
0
924 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

01 | A ex-primeira pessoa e Michael Jackson ladrão de poltronas

Em menos de uma hora eu estaria de volta.

Adeus a Tasley*, uma pequena cidade acolhedora perto do Texas. Estava tudo certo; as passagens de volta, o horário... Todas essas pequenas burocracias, exceto por um pequeno detalhe que tornava toda a minha vida um pouco mais difícil do que já estava:

Meu nome. Meu maldito nome.

"Pode repetir mais uma vez?" A mulher perguntou como se duvidasse. Não a julgo, eu também faria o mesmo se conhecesse alguém com meu nome, ou algo do tipo.

"Eu..." Engoli a seco e a fala morreu na minha garganta. De repente todos na fila de embarque olhavam para mim esperando o tão falado nome, porque depois da reação da mulher todos ficaram curiosos "Eureka." Finalmente eu disse e pude ouvi as risadas em vários sotaques diferentes atrás de mim, essas eram sempre as reações quando eu falava meu nome em voz alta. Na verdade, deveria ser um tipo de crime rir do nome alheio, afinal é algo que ninguém escolhe.

"Eu..." A mulher tentava dizer ainda sem acreditar, então facilitei o trabalho dela e peguei meus documentos juntamente ao passaporte.

"Eureka Baker." Disse antes que ela terminasse. Ela conferiu meus documentos e finalmente me deixou passar. Eu acreditei que tudo acabaria aí, ter toda a fila de embarque me assistindo já era humilhação demais, mas sabe, as coisas sempre podem piorar. Essa é uma das regras da vida que eu tive facilidade em aprender: se algo está ruim, as chances de ficarem pior são ainda maiores do que melhorarem.

Mantive as passagens na mão enquanto procurava um acento, meus olhos estavam atentos as poltronas enfileiradas umas atrás das outras, eu só queria me jogar na cadeira e só sair de lá quando a aeromoça fizesse aquele aviso "Atenção passageiros, ataquem seus cintos para o pouso de decolagem, pois chegamos ao destino final: Coreia do Sul" só que, quando finalmente encontrei o meu lugar havia uma surpresinha peluda com um colar de pérolas, mas não era um cachorrinho, um gatinho ou bichinhos do tipo. Havia um gambá na minha poltrona. UM GAMBÁ. Preto e branco, com uma coleira de pérolas. Uma coleira de pérolas, qual é? nem eu tenho um colar de pérolas verdadeiro e o bicho tinha, e para piorar ele estava deitado no meu acento enquanto uma senhora, que vestia roupas com estampa de onça usava um colar igual a coleira do bicho, tanto que fiquei em dúvida sobre quem era o animal de estimação ali.

"Com licença." Chamei a mulher que fingia estar totalmente distraída encarando a janela do avião, mas ela ignorou por completo meu chamado "Senhora." Mais uma vez ela fingiu não ter ouvido "Com. Licença." Falei pausadamente em um tom mais alto dessa vez chamando a atenção da mesma, até que finalmente ela resolveu parar o teatro.

"Sim? Desculpe, não havia notado você aí." Se existisse um prêmio para pessoas sonsas durante o voo, ela ganharia, com toda a certeza.

"Poderia tirar o seu..." Encarei o bicho que parecia mais do que confortável "O seu gambá."

"G-Gambá?" Ela perguntou como se não houvesse entendido bem, parecia indignada. Perplexa.

"Esse é o meu acento, entende? A09." Mostrei o bilhete de voo e a mulher me encarou incrédula.

"Lamento querida, Michael Jackson não vai sair daí. Procure por outro lugar."

"Michael Jackson?" Ela só podia estar tirando com a minha cara. Okay, Eureka, Okay. É ótimo e saudável que idosos tenham senso de humor. "Que seja... Por favor, apenas tire o gambá daí."

"Primeiro, para sua ignorância isto é um furão, segundo, procure outro lugar."

"Senhora, sem querer ser ignorante, mas eu paguei por esse lugar. Não ligo para o que seja esse seu animal, poderia ser uma cacatua, uma lhama, um hipopótamo, mas o lugar ainda é meu."

Então uma aeromoça surgiu ao meu lado, com um sorriso simpático, enquanto eu já cerrava os punhos tentando segurar o meu humor. Eu só queria voltar para casa e havia um gambá/ furão ou fosse o que fosse na minha cadeira chamado Michael Jackson.

"Posso ajudar?" A aeromoça perguntou paciente.

"Por favor, estamos com um problema aqui." Dois. O gambá e a cobra da dona dele, era o que eu queria dizer, mas tudo o que falei foi: "Ela não quer tirar o bicho do meu lugar."

"Ela quer que o Michel viaje longe de mim!" A mulher se defendeu "Ela não entende como animais ficam estressados e enjoados durante o voo!" Pois é, a senhora por exemplo, deve ficar bastante enjoada!

Ela se fez de vítima como se eu tivesse batendo no gambá dela, como se eu estivesse ali com uma foice pronta para levar a vida do bicho, ou como se eu o houvesse atacado, mas na verdade eu queria mesmo atacá-la. Ela estava vestida de onça, mas a roupa apropriada seria de uma naja.

"Senhorita, poderia me acompanhar? Irei encontrar um nova poltrona para você."

"Mas eu paguei por esse lugar!"

"Por favor, não me faça chamar nossos seguranças, sim?"

"Chame os seguranças que eu chamo o advogado da minha empresa! Eles quem pagaram pela metade do voo!" Falei entredentes e a aeromoça me inspecionou de cima abaixo, mas apenas seguiu em frente para a classe econômica.

Não que eu tivesse problemas com ir na classe econômica, sempre viajei na classe econômica, mas é que pela primeira vez na vida eu havia pego uma boa promoção para viajar na primeira classe, só tive que pagar uma bagatela do valor e a empresa arcou com todo o resto, mas essa chance de viajar na primeira classe ficaria para próxima, já que havia sido tirada por um gambá com o nome do falecido rei do pop.

"Fique sabendo que eu irei processar todos vocês!" Disse para ela quando me soltou, mas a mulher estava desesperada. "Meu advogado realmente vai entrar em contato! Vou processar vocês por humilhação também!" Isso existe? "Pelo modo como fizeram todos rirem de mim na fila de embarque!"

"Nós iremos reembolsar o valor, pode comer o que quiser também durante o voo."

"Mas eu paguei por aquele acento!"

"Pagaremos as taxas de bagagem de volta também!" Ela disse desesperada "Aquela senhora é a avó do dono da companhia, a senhora realmente não vai querer confusão com ela." Só então eu entendi o desespero da aeromoça, o emprego dela estava em jogo. Eu não podia prejudicar alguém por conta de Michael Jackson.

"Eu vou mesmo ser reembolsada?"

"Assim que descer do voo irei eu mesma até a recepção para ter uma palavra com o dono da empresa para que você possa ser ressarcida o mais breve possível."

"Posso mesmo comer o que quiser?" Cruzei os braços e arqueei as sobrancelhas.

"Será totalmente gratuito."

"Okay... Okay. Onde vou me sentar?"

Então ela caminhou por mais alguns segundos, parando ao lado da cadeira F17, onde na poltrona vizinha havia um rapaz folheando um livro, e parecia bastante confortável e concentrado no que fazia para prestar atenção na minha presença. Pelo canto do olho enquanto me acomodava dei mais uma olhada nele: cabelos pintados de louro e perfeitamente alinhados, olhos castanhos e pequenos, nariz achatado e boca volumosa, mas o que chamava mesmo a atenção era sua pele perfeitamente bronzeada. Ele era uma visão e tanto, por se tratar de estar em um voo e ter um cara como esses ao meu lado, eu poderia dizer que eu literalmente estava no céu. Ao menos algo bom!

Peguei um livro que havia trago em minha bagagem de mão, tentando ser o mais discreta possível para não atrapalhar o garoto ao meu lado, mas bem nesse momento ele ergueu o rosto na minha direção e fechou o livro que lia.

"Tudo bem? Precisa de ajuda?" Ele perguntou de forma educada enquanto meus ouvidos se chocaram com sua voz grave e aveludada. Havia algum defeito nele?

"Oh, sim! Hã... Eu...Eu só estava pegando algo em minha bagagem de mão."

"Entendo. Sou Namjoon. Kim Namjoon." Ele estendeu a mão para mim que aceitei mais do que rápido.

"Pode me chamar de Reka."

"Reka?" Ele colocou a mão sobre o queixo.

"É."

"Estou tentando pensar em que tipo de nome pode ganhar esse apelido."

"Eu..." Lá vamos nós novamante assustar o cara bonitão da cadeira ao lado com meu nome esquisito "Eureka." Falei tão baixo que desejei que Namjoon não houvesse escutado, mas ele ouviu.

"Bonito nome." Ele disse todo sério, embora eu não tenha acreditado.

"Obrigada. Mas não precisa mentir."

"Não menti. Eureka pode soar estranho para um ser humano, mas tem um significado legal. É a descoberta de algo grande. Então...." Tenho que admitir que tem-se lá algumas vantagens por Michael Jackson ocupar sua cadeira. Ele era a segunda pessoa que não se assustou ao ouvir Eureka, a primeira... Bom, essa é melhor esquecer.

Abaixei o olhar para meu livro enquanto procurava qualquer página, apenas para fugir do olhar curioso de Namjoon que me deixava envergonhada.

"Então Reka... Como veio parar aqui?"

"Estou incomodando você?" Perguntei me sentindo idiota por achar que ele havia tido um leve interesse por mim.

"Não. Na verdade, estou feliz que esteja aqui. Viajar sozinho é um tanto... Ruim. Perguntei porque não havia ninguém para essa cadeira."

"Ah." Voltei a sorrir em segundos, colocando o cabelo atrás da orelha.

"Qual a sua história?"

"Bom... Michael Jackson roubou meu lugar." Namjoon arregalou os olhos com o que eu havia dito.

"Calma..." Tampei a boca, não pude conter o riso. "Não Michael Jackson o rei do pop, Michael Jackson o furão de uma mulher louca que é avó do dono da companhia."

"Entendi. História complicada. Dizem que não é a primeira vez que isso acontece na companhia." Ele sorriu exibindo covinhas adoráveis. Nesse momento eu juro que pensei: por sorte, aconteceu comigo. Valeu Michael Jackson!

Mas passamos exatas 13 h 26 min 20 seg divididos entre conversar, rir e dormir. Namjoon começou a rir em horários aleatórios do voo por conta da parte da história que lhe contei do furão, e eu comecei a achar que não era tão ruim ter mudado de acento. Eu teria meu dinheiro de volta e ainda estava viajando ao lado de um cara gato que não deixava o assunto morrer. Ele me contou sobre seu emprego como escritor, perguntou sobre livros que eu gostava, fizemos indicações musicais um para o outro, eu contei sobre meu emprego na galeria de artes, e que isso havia sido o motivo de eu ter viajado, que era para uma exposição especial, e o voo que duraria horas, pareceu apenas minutos com a companhia de Namjoon.

"Pode me dar seu número? Gostaria de ver você novamente." Namjoon dizia ofegante por ter corrido atrás de mim que havia saído para pegar minha bagagem.

"Correu até aqui só para pedir meu número?"

"Na verdade também esbarrei em umas cinco pessoas e tropecei no meio do caminho." Nós dois rimos juntos.

"Okay."

"Isso quer dizer que pode me dar seu número?"

"Claro." Depois de digitar meu número no celular dele, ele deu um toque para meu celular, e piscou para mim assim que percebi o celular vibrando em minha mão.

"Caso você precise falar comigo antes que eu fale com você...Eureka." Ele disse meu nome num tom grave, deslizou a mão pelo cabelo e guardou o celular no bolso.

Encarei o garoto um tanto sem graça, porque ele parecia realmente interessado em continuar falando comigo mesmo depois de todas as nossas conversas idiotas dentro do avião, mesmo depois de saber do meu nome, ele até me acompanhou até o saguão. Assim que avistei Nonnie parada me encarando e fazendo caras e bocas de aprovação enquanto assistia Namjoon ao meu lado, ele se despediu com um ''nos vemos por aí'' e logo em seguida avisando mais uma vez que me ligaria e eu apenas assenti.

"Quem era o cara?" Nonnie perguntou animada.

"Namjoon. Ele sentou ao meu lado."

"Na primeira classe?"

"Na verdade não, porque Michael Jackson roubou meu lugar. É uma longa história."

"Longa? Bom... Espero que a viagem tenha sido boa, porque as notícias que eu tenho não são."

"O que houve?"

"Três dias depois que você viajou, Yoongi voltou para a cidade."

"Yoongi...?" Perguntei tranquila enquanto colocava minha bagagem na mala do táxi.

"Yoongi. Min Yoongi. Min Yoongi com quem você namorou na faculdade, Min Yoongi seu ex-colega de turma, Min Yoongi o cara que conversava com você todas as noites pela janela porque suas casas eram próximas, Min Yoongi seu antigo novo vizinho, Min Yoongi o melhor amigo do meu namorado Jeon Jungkook. Min Yoongi... Aposto que você lembra agora!"

"O que tenho a ver se ele se mudou para cá novamente, Nonnie?"

"Ele está na casa dos pais, Eureka. Na casa dos pais que é a casa vizinha a sua. Na casa dos pais, onde a janela do quarto dele fica de frente para a janela do seu quarto, onde ele vai poder aparecer toda noite pra te desejar bons sonhos! É isso que tem a ver!"

"Como? Por que na casa dos pais? E por que ele precisa ser meu vizinho? Não... Não! Você está fazendo isso comigo por que está chateada por eu não ter atendido sua ligação? Olha eu estava realmente ocupada naquela hora! Eu peço desculpas, mesmo, mas pode parar com essa brincadeira."

"Reka." Nonnie estava completamente séria "Eu estou falando sério. Muito sério. Yoongi está de volta."

"Já fazem dois anos, certo? Ele provavelmente não lembra sequer do meu nome. Nós sequer namoramos, tivemos uma amizade colorida, como ele mesmo disse. Quem lembra dessas coisas de amizade colorida?"

"Amizade colorida durante um ano e meio? Sem falar dos flertes antes da suposta amizade colorida? Ele só estava com medo de assumir que namorava você para a família dele porque vocês eram amigos e vizinhos! Além do mais, você lembra!"

"Não eu... Eu nem lembro direito sobre isso, eu só comentei... Nada demais. Você sabe."

"O Sr. e a Sra. Min vivem viajando, o que significa que ele vai estar sozinho o tempo quase todo. Você sabe, a casa é praticamente dele. Na verdade, a casa é dele agora, a Sra. Min deu de presente de vinte e cinco anos a ele, ela queria vender, mas ele quis ficar com a casa."

"Como é que você está sabendo sobre tudo isso?"

"Você passou três meses fora, quer mesmo que não aconteça nada durante esse tempo? Além do mais, vale lembrar, mais uma vez, que Jungkook é o melhor amigo dele."

Ok. Eureka. Está tudo bem, não é mesmo? É só o Yoongi.

Min Yoongi.

M i n Y o o n g i. O cara por quem eu fui apaixonada durante um ano e meio na faculdade, Min Yoongi o cara que teve medo de assumir nosso namoro para a família dele alegando que éramos apenas uma amizade colorida, Min Yoongi ex- capitão do time de basquete, Min Yoongi meu ex-vizinho, Min Yoongi meu ex-amigo, e de todos os ex que ele poderia ser, Min Yoongi meu ''ex-namorado'', ou ''ex-amigo colorido'' e a ex-primeira pessoa que gostou do meu nome!


----

*Cidade ficcticia

N/A: A partir do dia 01/11/19 o@ poesiadasflores no twitter passará a ser@ relicariodalua

23 de Novembro de 2019 às 00:19 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo Todos os Domingos.

Conheça o autor

Blue.🌙 Jordana Blue Beene. 23. Jornalista & Autora do livro "Para O Garoto De Daegu" Twitter: @relicariodalua | wattpad: @relicariodalua | Instagram: @relicariodalua & @paraogarotodedaegu

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~