Lilith Seguir história

jace_beleren Lucas Vitoriano

Antes de se tornar uma sucubus a serviço de Drácula, Lilith era uma humana comum. Seduzida pelo senhor vampiro, ela se tornara sua amante e companheira, tornando-se a primeira sucubus, lider de uma prole vasta.


Fanfiction Jogos Para maiores de 18 apenas.

#lilith #castlevania
0
244 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Ela se agachou e colocou mais lenha na fogueira aproximando suas mãos das chamas para aquecê-las. Aquele era um inverno rigoroso e aquela noite em especial estava particularmente fria e solitária. Golrois estava fora e provavelmente não voltaria aquela noite.

Lilith vestia uma comportada camisola branca com um decote em forma de V, não usava sutiã por baixo apenas uma calcinha também branca. Seus longos cabelos ruivos desciam brilhantes e sedosos ate dois palmos abaixo dos ombros, os olhos rubros tinham uma rara cor atraente e forte.

Ela teria que dormir sozinha, de novo. Não se preocupava com isso, na verdade se sentia aliviada com a ausência do marido, assim não seria forçada a fazer sexo com ele sem vontade, nem a fingir orgasmos. Ela não odiava Golrois, em sua situação toda mulher deveria ceder a vontade do marido. Era uma esposa comprada por Golrois que oferecera um pesado dote para o casamento, sendo assim deveria cumprir suas obrigações de esposa e satisfazê-lo mesmo que isso não a deixasse satisfeita.

Ele não me bate, e apesar de me tratar com frieza me da presentes e é gentil comigo. Não tinha porque reclamar dele. Se tivesse que reclamar de algo não era de Golrois e sim do destino por tela feito nascer em um mundo aonde as mulheres deveriam se rebaixar aos homens.

Mas é assim que as coisas são, elas sempre foram assim e continuarão a ser por muito tempo não havia porque lutar contra a ordem das coisas, era perda de tempo e não levaria a nada.

Lilith tirou as mãos quentes do fogo da lareira e as levou ao rosto. Sentiu com prazer seu toque quente e fechou os olhos agradecendo pelas ondas de calor que percorriam seu corpo Golrois deve estar aquecido também, mas entre os braços de uma mulher sabia que ele dormia com outras com alguma freqüência, não sentia ciúmes, na verdade o que sentia era alivio. Não amava Golrois como homem, ele era bom para ela, ao seu modo, tudo que sentia por ele era um respeitosa gratidão pela vida de luxo que ele lhe dava. Uma vida que jamais conseguiria vivendo com sua família de classe media. Graças a Golrois ela não tinha problemas financeiros, vivia em uma mansão bela e confortável com três criadas para servi-la, tinha vestidos finos, ia ao teatro nos finais de semana e passeava nos jardins públicos todas as manhas.

Tenho muito mais que muitas esposas poderiam sonhar mas se era assim porque as vezes se sentia tão triste e vazia? Como se lhe faltasse algo essencial?

Sentiu uma forte brisa gelada, o vento frio do inverno a atingiu com força e seu corpo tremeu. Lilith viu que havia deixado uma das janelas abertas estranho tenho certeza que tinha fechado nos últimos dias estava tão distraída e distante que se esquecia muito das coisas é esse inverno que esta me enlouquecendo, não posso sair na rua com esse tempo.

Se levantou e foi ate a janela observava a cidade que dormia coberta por um lençol branco de neve. Por um momento sentiu que estava sendo observada e aquele pensamento a aterrorizou. Recuou assustada abraçando o próprio corpo, protegendo-se. Você esta imaginando coisas, é essa solidão e esse confinamento que estão acabando com você disse para si mesma e então foi ate a janela e a fechou.

Deitou-se cansada na cama, apesar do sono não queria dormir, para Lilith aquela era a melhor hora do dia, quando se deitava para dormir e começava a pensar em toda a sua vida, ela desfrutava daqueles momentos sagrados que lhe viam antes do sono, era seu prazer secreto. Enquanto fico aqui, apenas observando a neve cair lá fora... pensou sorrindo delicadamente para si mesma. Sentia como se tivesse todo o tempo do mundo, em seu coração imaginava que se não adormecesse poderia ficar assim para sempre que o sol jamais nasceria.

Ela acabou dormindo abraçada ao travesseiro, sonhando com sonhos tranqüilos e pacíficos.

19 de Novembro de 2019 às 10:18 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Encontro

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 8 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!