O demônio interior Seguir história

thenightmare Gim Contônica

Objetificaram-na, tornou-se então um objeto de dor.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#bnha #mha #Momo-Yaoyorozu #vilã
Conto
0
460 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Objeto de dor

Era a pressão. Aquilo que a impulsionava a ser sempre ser a primeira da classe, notas perfeitas, um desempenho que a consumia dia após dia, até que não mais restasse nada de Yaoyorozu Momo. Apenas Lady Creaty.

A doçura deu lugar à insanidade, o sorriso motivacional aos amigos, deu vazão ao riso vazio, de escárnio, sem um pingo sequer de qualquer resquício de bondade. Havia deixado de fazer matrioskas para começar a criar bombas, facas, armas capazes de realmente colocá-la à frente dos pró-heros, e realmente machucá-los.

Ainda lembrava-se de como Jirou a abraçou, achando que tinha-a trazido à razão, para então atravessá-la com uma espada criada ao meio dos seios, sentindo o líquido quente e rubro tocar-lhe a pele enquanto a ex-colega agonizava em dor.


Quente, convidativo, vermelho. Sua cor.


Objetificaram-na, tornou-se então um objeto de dor.


Não via mais nada, não via ninguém. Família, amigos… todas as pequenas coisas haviam ficado para trás, esquecidas junto à antiga Momo. A doce e quase ingênua garota que acreditava que pessoas boas teriam bons finais.

Soube que não, tinha cicatrizes no rosto para lhe lembrar disso todos os dias. Quatro marcas de cortes, simétricos, ao menos. Quatro ranhuras a lhe acompanhar por toda a vida.

Riu amarga frente ao espelho enquanto vestia-se. Prazer não era algo que sentia em demasia, nem mesmo após compartir a cama com alguém. Seu demônio interior havia vencido a batalha, a guerra.

— Volta pra cama… — a voz trazia adjunto um riso estridente.

Himiko a chamava enquanto batia a palma ao colchão. Quando mesmo que havia se deitado com ela?

— Quando voltar, espero não te encontrar aqui. — Ditou simples, mas firme. Secando o canto dos olhos que agora cismavam em verter sangue. O preço ao uso mais que frequente de sua individualidade, o preço a pagar por ceder ao lado mais infernal que havia dentro de si.

Eram pequenos lampejos. Uma risada que funcionava de gatilho, a de Toga naquele momento a lembrou de Jirou ao correr no campo, esbofeteou-a por isso. Por fazê-la lembrar do passado. Por isso se davam bem, por isso enrolavam-se na cama. Eram duas loucas sem nada a perder.

Mas quando saiu batendo a porta, repetiu para que Toga não a esperasse ali. Tinha coisas mais interessantes a tratar.

4 de Novembro de 2019 às 13:53 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas