Mestre Das Armas: Caçado por todos Seguir história

alucardnosferatu Shadowlord Mawhell

ATENÇÃO: Essa é mais uma série Mestre das Armas. Acompanhe a ordem cronológica para não se perder: -Caçado por todos -Conflito Nacional -Com amor, morra! -Fight Fire With Fire -Rest In Peace -Finish the Fight -Retorno ** Levi é um homem que trabalha matando pessoas e nunca se importou com suas consequências, mas recebe um pedido para matar um homem, e esse homem era um antigo conhecido. Agora ele tem que lidar com seus problemas de trabalho e pessoais enquanto é caçado por todos.


Ação Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#258 #carros #espião #café #ação #caça #assassino #amor #armas
0
3.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Com um café tudo se inicia...

-Há muito tempo eu venho matando pessoas e recebo dinheiro em troca disso. Nunca me preocupei muito com o que acontecia após isso... eu só fazia o meu trabalho e acabou.

-Por que está falando disso só agora? - Letícia usava sua clássica ironia em sua voz.

-Você vai me ouvir ou vai ficar questionando?

-Ah é, eu tenho que ouvir primeiro - Letícia vira os olhos querendo debochar de mim.

-Como sempre você me zombando... Quer saber... Acho que vou embora!

-Não, não! Senta aí e toma mais uma xícara de café... você adora café.

-Tá bom, você me pegou... não tem como resistir ao seu café. Como eu ia dizendo... eu nunca me preocupei com o que acontecia até esses dias aí quando eu tive que matar um homem...

**

Era uma noite em Vila Velha. O homem ia andando nas ruas, tinha acabado de sair de uma reunião com os amigos. Ele era um político, não tão conhecido no estado, mas era relevante em seu município. Provavelmente, alguém da chapa opositória deve ter me contratado.

Eu estava perseguindo ele pelo outro lado da rua. O pobre homem nem tinha percebido que eu estava lá, ele estava feliz com aquela noite. Logo após ele entrou em um beco... foi quando eu me aproximei e abordei ele:

-Com licença, onde fica o Papa Pizza?

-Ah - Ele estava com uma cara de espanto- Rapaz, você tá longe. Isso fica lá em Vitória. Vai ter que pegar um ônibus.

-Você gosta de pizza?

-Adoro.

-A sua próxima será no inferno - Esfaqueei na barriga e empurrei no chão.

-Muito obrigado.

Eu não tinha entendido o porque ele falou isso.

-Como?

-Eu não tenho família, meus "amigos" acabaram de me expulsar da lanchonete e minha vida política está afundando. Alguém como eu deveria ser apagado da história. Sabe... aquele momento que você cansa da vida por não ter vivido ela bem? É assim que me sinto.

-Você tem algum desejo?

-Sabe... nunca tive nada. Falsifiquei os votos para me candidatar e desde então venho roubando dinheiro público. Mesmo assim, me sinto sozinho. Então, meu desejo é que você cuide de sua vida e pare de matar pessoas. Seja feli...

Ele morreu antes de terminar a frase.

**

-Tá, mas o que isso importa pra você? - Letícia estava confusa.

-Eu estava pensando na volta pra casa... eu nunca tive uma família, ou alguém para amar depois que entrei nessa vida.

-E só vem falar disso agora? - Sua ironia de novo.

-Eu tive minhas chances, mas você sabe como foi... uma perda total.

-Eu ainda lembro da kpoper...

-Nem comente!

Nós rimos por alguns minutos.

-Era só isso que você tinha por hoje?

-Sim - Me levanto e vou até à porta - Até mais!

-Vou ver você tão cedo de novo?

-Ninguém sabe o dia de amanhã.

Peguei meu carro, um civic, e subi para Domingos Martins, onde tenho uma casa no meio da floresta. Geralmente eu vou lá para descansar nos momentos em que não tenho contratos.

Cheguei, liguei uma música e sentei na poltrona que ficava de frente para a linda paisagem de Domingos Martins.

-E se eu tivesse feito aquilo?

Memórias rodavam minha cabeça naquela noite. Eu lembrava de meus amigos, das garotas que já passaram por minha vida e as decisões que podia ter tomado.

No outro dia, eu levantei um pouco tarde, com uma leve dor de cabeça. Sem contratos, com uma xícara de café, estava eu sentado na poltrona novamente.

(Telefone toca)

Atendo o telefone e não digo nada.

-Sr. Levi, quanto tempo!

Era uma voz familiar.

-Quem está falando?

-Achei que se lembraria - Ele tinha um sotaque que eu não conseguia reconhecer.

-Qual o objetivo dessa ligação?

-Só queria cumprimentar um velho amigo. Sou eu, Rivadávia.

-Ah, lógico - Eu ainda não lembrava - Obrigado, mas preciso desligar.

Desliguei a chamada e voltei a tomar meu café.

23 de Outubro de 2019 às 18:06 2 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Preparatório

Comentar algo

Publique!
Donna Dan Donna Dan
Olá, Shadowlord! Sou da equipe de Verificação do Inkspired. Verificar suas histórias serve para que os leitores as encontrem entre as melhores histórias no quesito ortografia e gramática. A verificação não é necessária ou obrigatória, apenas ajuda a dar destaque dentro do site. Portanto, se não tiver interesse em modificá-la, fique à vontade. Caso queira verificar outras histórias de sua autoria, basta contratar o serviço na aba “Serviços de Autopublicação”. Seu texto foi colocado em revisão pelos seguintes pontos: 1. Pontuação. Vìrgula depois do “mas”: “mas, recebe um pedido para matar um homem” em vez de “mas recebe um pedido para matar um homem” e “mas, era relevante em seu município.” em vez de “mas era relevante em seu município”. Normalmente não usamos vírgulas depois do “mas”, apenas quando o termo entre as vírgulas serve como aposto, advérbio ou algo do tipo. Para testar se a vírgula depois do “mas” está correta experimente ignorar trecho entre as vírgulas e veja se o texto faz sentido sem ele. Caso não faça, provavelmente não deveria vir entre vírgulas, pois faz parte da frase adversativa iniciada com o “mas”. Vírgula separando frases independentes: “Parei o carro, para olhar onde ele caiu” em vez de “Parei o carro para olhar onde ele caiu” Falta de vírgula entre repetição de termos: “Não não!” em vez de “Não, não!” e “Calma calma” em vez de “Calma, calma” 2. Verbo: “me deparo com um homem” em vez de “me deparei com um homem” e “Logo após vira Freitas” em vez de “Logo após vejo Freitas”. 3. Porquês: “o por que ele falou isso” em vez de “o porquê ele falou isso” - Quando usamos o “porquê” como substantivo ele é escrito junto e acentuado. Observação: Estes são alguns exemplos, mas existem outros que precisam de atenção. No geral, o texto está bem escrito, parabéns pelo trabalho! Porém, a repetição de alguns erros específicos, como em relação às frases adversativas e atenção ao tempo verbal da narrativa, merecem mais atenção. Ter alguém que leia seus textos e ajude na revisão é muito positivo. Caso não tenha uma pessoa para isso, você pode contar com o trabalho de nossos “Betas Readers”; também presente na parte de “Serviços de Autopublicação”. O Inkspired também conta com blogs como “O esquadrão da revisão” e “Tecendo histórias” que ajudam na revisão, dicas de português e construção de narrativas. Se tiver interesse em continuar a verificação, responda este comentário quando fizer as modificações em sua história e farei uma nova verificação.
November 11, 2019, 22:50

  • Shadowlord Mawhell Shadowlord Mawhell
    Olá, tentei consertar o máximo que pude dentro do meu conhecimento da gramática. Espero que tenha conseguido. Agradeço pelo comentário... realmente, eu nem percebo os erros que faço, pois escrevo de madrugada. Vou começar a revisar melhor antes de publicar. Muito obrigado! November 16, 2019, 17:47
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!