Mafia XXI Seguir história

clcomics Crazy Lines Comics

O mundo estava como sempre, pessoas ricas sendo cada vez mais poderosas e pessoas pobres caindo cada vez mais na sarjeta, ao ver isso os chefes das Máfias decidiram se reunir e após essa reunião as Máfias se unificaram, com tudo isso governos caíram, pessoas poderosas morreram, o mundo havia sido unificado, uma moeda, uma língua, não existia mais pobreza, fome, nada, o trabalho “obrigatório” acabou, as pessoas já não precisavam mais trabalhar, porem algumas ainda gostavam, o mundo estava indo bem e como estava... Uma perturbação trouxe o Poder Elemental, trouxe a habilidade de dominar e utilizar os elementos, mas os Indígenas pretendem acabar com isso de uma vez por todas. (Linha Importante 021)


Ação Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#recALL #al #clcomics #clc
0
595 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nada Mudou

Em águas claras e limpas no final de uma nascente que saí da grande montanha Ogazi se forma um pequeno lago, a água é tão limpa que chega a curar aqueles que precisam, é nesse lugar que nosso protagonista está, ele flutua com os braço e pernas abertos, seus olhos estavam fechados, nosso protagonista pensava em sua vida, era difícil para ele que só se lembrava de poucas coisas.


Nesse momento ele tinha lembranças boas com sua mãe, uma bela moça loira com cabelos tão grandes que chegavam a pairar no chão quando ela se abaixava, sua feição era quase sempre sorridente, as únicas vezes em que ela não sorria era quando se reunia com aqueles que ele chama de Tios, eles eram fortes e sempre se vestiam bem, o Tio mais velho sempre usava um chapéu que cobria sua face e deixava à mostra somente o seu grande bigode branco, o outro Tio era um pouco mais legal, ele sempre estava feliz e jogava nosso protagonista para o alto quando se encontravam, nosso protagonista tinha uma vida excelente, tinha tudo o que queria, mas sentia algo faltando.


Ele abre seus olhos castanho escuro lentamente quando os raios de sol batem em seu rosto, ele olhava para o céu e não para o sol, um leve sorriso surge em seu rosto, pois ele sentia uma presença agradável, ele fica de pé, na beira do pequeno lago sua mãe estava ajoelhada e sorrindo, ela ainda era bela, mas agora seus cabelos eram ainda maiores, ela estava sentada sobre suas pernas e seus cabelos cobriam quase todo o chão atrás e dos lados de si, ela sorria e tinha um ar de serenidade, nosso protagonista estava sorrindo, ele tinha cabelos grandes e arrepiados, mas nesse momento estavam caídos pois se molharam, ele possuía uma grande cicatriz nas costas que por ter sido feita pelo Tio mais velho ela não podia ser curada pela água pura do lago e nem por nada que existisse.


Nosso protagonista começa a andar em direção a sua mãe e logo está a alguns metros dela, ele se vira e se deita na água novamente indo lentamente em direção a ela, a mãe por sua vez coloca as mãos na água e para o filho segurando sua cabeça, aquilo era de longe a coisa que mais acalmava ele, lentamente ela se inquilina e fica cara a cara com ele, seus cabelos deslizam para frente e caem na água cobrindo todo o corpo do garoto, ele se encontrava em um momento de plena paz, logo sua mãe o solta e o empurra levemente para frente, ele girava devagar na água pura, ela se levanta ainda sorrindo e se vira fazendo seu caminho de volta por entre as árvores, é quando o teste começa, porém nosso protagonista não sabe que é um teste, ele sente uma presença ameaçadora perto de sua mãe e com um simples movimento já estava de pé na beirada do lago, seu rosto era de raiva, a presença arremessa algo pontiagudo e nosso protagonista avança com toda a velocidade que tem agarrando a faca com a mão direita, ele rapidamente gira e joga a faca de volta acertando o coração de seu inimigo que cai do galho da árvore sem vida, nosso protagonista estava ofegante, mas logo recebe um abraço de sua mãe que o acalma novamente, ela sussurra algo em seu ouvido que tira aquela calma toda, ele se solta e corre de volta para o lago vestindo suas roupas logo em seguida, ele volta sem graça e já vestido, assim como seus Tios ele se vestia bem, calça social com sapatos pretos e brilhantes, uma blusa branca e social com um colete também social e preto por cima, ele estava com a gravata vermelha e o terno azul escuro na mão direita que estava apoiada no ombro, ambos sorriam um para o outro afinal aquela não passara de mais uma manhã comum em que um Índio maluco tenta assassinar sua mãe, uma das Três Cabeças da Máfia Mundial, sim junto aos Tios eles formam a liderança da Máfia Mundial, Máfia essa que era a junção de todas as grandes Máfias existentes do século XXI.

7 de Outubro de 2019 às 14:34 1 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Como Tudo Ficou Assim

Comentar algo

Publique!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo-lhe por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para verificar o cumprimento das Regras comunitárias e ajudar os leitores a encontrar boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se você não quiser verificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através de Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada "Em revisão" pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Pontuação: uso de vírgula para unir frases que deveriam estar separadas por ponto, como em "cada vez mais na sarjeta, ao ver isso" em vez de "cada vez mais na sarjeta. Ao ver isso" — isso ocorre porque a primeira frase está concluída e com o sentido completo; a segunda frase não faz parte da primeira e fala sobre algo diferente. Quando o assunto tem sentido completo e está finalizado, devemos iniciar a nova frase depois de ponto — isso é recorrente no texto. "Em águas claras e limpas numa nascente que saí da grande montanha Ogazi se forma" em vez de "Em águas claras e limpas, numa nascente que saí da grande montanha Ogazi, forma-se"; "se você não tivesse chegado eu ia matá-lo" em vez de "se você não tivesse chegado, eu ia matá-lo" 2)Acento: "porem" em vez de "porém"; "nascente que saí" em vez de "nascente que sai". 3)Concordância: "os braço" em vez de "os braços"; "olhos castanho escuro" em vez de "olhos castanho-escuros" 4)Verbo: uso de dois tempos verbais na narrativa, como "é", "está" — no presente — e "pensava", "lembrava" — no pretérito. É importante escolher apenas um tempo verbal para a narrativa e se manter nele. Observação: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, e os betas do Inkspired, quando contratados, fazem uma análise detalhada da sua história e a enviam através de um comentário. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!