Parabéns, filho! (2/7 no UFANI) Seguir história

israelfemim Israel Nunes Cruz

Acordei recebendo um presente especial dado pela minha mãe por eu ter completado 18 anos. 2/7 na ordem cronológica do UFANI (Universo de Fanfics do Anime Naruto por IsraelFEMIM).


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#kushina #naruto #Narukushi #incesto #sexo
Conto
0
4.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

— Mãe? — indaguei incrédulo ao ver minha mãe chupando meu pênis. — O que a senhora…

— Estou lhe dando o seu presente de aniversário.

Ela voltou a chupar. A sensação era estranha, todavia, ao mesmo tempo, prazerosa. Eu sabia que aquilo era errado em muitos sentidos, como adultério por parte dela e incesto por partes de nós dois.

Enquanto a boca dela abocanhava meu pênis de cima, a baixo, não parei de pensar o quão errado era aquilo. Será que devo pedir que ela pare? Mas está tão bom!

Ela parou de chupar e apenas vi o seu rosto vindo em minha direção junto com sua blusa levantada mostrando seus lindos seios médios e os seus cabelos ruivos que me faziam sentir cócegas. Colocou seu dedo indicador na minha boca sinalizando “silêncio”.

— Não ache isso errado, filho… — ela corou. — Mas também não ache que terão outras vezes! Se você não quiser este presente de aniversário, eu paro e lhe darei um outro qualquer.

— Não é isso, mas pai? Como daqui em diante vou olhar pra ele sabendo que transei com a mulher dele? Essa sensação… é esquisita! Estou transando com a minha mãe e ao mesmo tempo a senhora está traindo seu marido com o seu próprio filho!

— Já que você não gostou deste presente, é melhor eu sair do seu quarto e tentarmos se esquecer que fizemos isso.

Mãe começou a sair da cama.

— Não, não… Fica! Talvez nunca mais eu tenha a chance de transar com alguma outra mulher… e acho que sendo com minha mãe a minha primeira vez deva ser maravilhosa!

Ela retornou para aonde estava anteriormente.

Dessa vez preferi fechar os meus olhos para apenas sentir as sensações da minha primeira transa e comecei a sentir minha mãe rebolar sobre meu corpo enquanto estava com suas mãos na minha barriga. Enquanto isso peguei nos peitos dela, que eram as coisas mais macias que eu havia tocado na minha vida e isso me empolgou mais ainda.

Comecei a sentir o meu sêmen sair, mas a sensação não era a que estava entrando na vagina dela. Na verdade não estava entrando em lugar algum, apenas saindo do meu pênis.

Decidi então abrir meus olhos para averiguar para aonde estava indo todo o meu sêmen e ao eu fazer isso, olhei para todo o meu quarto e não avistei mais a minha mãe, avistei apenas na minha barriga um porta-retratos com uma foto de Sakura Haruno pelada (que na verdade não era ela. Usei o jutsu Clone da Sombra, me transformei nela, tirei diversas fotos e essa foi a melhor). Inesperadamente alguém bateu a porta e tentou abrir, mas estava trancada.

— Naruto — chamou meu pai. — Está acordado, filho?

— Si-sim — respondi enquanto se apresava para pegar o porta-retratos e escondê-lo em abaixo do travesseiro. — Espera só um minuto, estou me trocando…

— Certo.

“Caramba, só por que ontem eu li aquele hentai que o Netog teve seu aniversário e já imaginava que o seu presente seria transar com sua própria mãe, eu sonhei com a mesma coisa?”, pensei enquanto trocava de cueca e colocava um short laranja. Logo destranquei e abri a porta.

— Bom dia filho. Você está suado…

— Bom dia pai. Acabei dormindo todo coberto…

— Cuidado pra não ficar fazendo isso e depois passar mal…

— Vou tentar lembrar.

— Assim espero. Estive procurando sua mãe por toda a casa e não a vi!

— Só sei que ela deixou um bilhete de baixo da porta do meu quarto dizendo que ela tinha ido na casa do Sábio Tarado para resolver uma coisa sobre o meu presente de aniversário.

— Falando nisso… eu trouxe um presente.

Ele mostrou um livro.

— Icha Icha Paraíso?

— O que foi? Não gostou?

— Não é isso — respondi. — Só estou surpreso que o senhor tenha me dado um livro desses…

— Hoje você fez 18 anos, então agora pode ler sem problema algum!

— Ah, sim! Obrigado, pai! — agradeci e nos abraçamos.

— Tem certeza que esse suor todo foi só por que você estava todo coberto?

— Tenho.

— Certo… quando você ver sua mãe diga a ela que eu fui para o meu escritório. Hoje estou cheio de coisas para fazer.

— Ok, falarei!

— Ah, de noite comemoraremos melhor seu aniversário!

— Esperarei ansiosamente!

Será que era pra eu ter dito a ele que quando comentei “o senhor tenha me dado um livro desses” estava me referindo que fiquei surpreso que ele me deu de presente somente um enquanto mãe não apenas me deu o primeiro, como a saga inteira?

Não, é melhor deixar pra lá…



Em fim chegou a hora do meu aniversário. Meus pais decidiram que nesse ano a festa seria composta somente por nós três e por isso disseram que se eu quisesse poderia vestir a roupa de sempre. Por isso pedi a eles que usassem a roupa que eles mais amassem. Pai estava usando seu longo casaco branco de manga curta com chamas vermelhas nas bordas e um kanji escrito “Quarto Hokage” verticalmente em suas costas e estava sobre seu traje normal. Mãe estava usando um roupão de veludo verde.

— Pai, eu não falei pro senhor, mas mãe já tinha comprado os Icha Icha pra mim…

— Por que você está falando isso como se eu também tivesse comprado?

— Como assim o senhor não comprou? Hoje de manhã…

— Ah, sim… na verdade foi a Sakura.

— A Sakura?

— Ela perguntou para mim se ela poderia ir em casa deixar um presente para você e também pediu pra caso precisasse, que eu a deixasse usar o jutsu de transformação, se transformando em mim. Até aproveitei e pedi pra ela avisá-lo que eu ficaria praticamente o dia todo no trabalho.

— Filho, como você sabe, eu e seu pai combinamos que durante 18 anos daríamos a mesma quantidade de presentes com a idade que você faria no ano. Nesse ano cada um ficou para lhe dar 9 presentes e seu pai será o primeiro mostrá-los.

E assim, pai me deu os nove presentes, mas como nem eu me importo tanto com eles, vou ignorá-los.

— Obrigado, pai. — agradeci e nos abraçamos.

— De nada, filho.

Logo foi a vez de mãe.

— Por conta de que cada ano que passou nós tínhamos sempre que mudar os presentes para não enjoar e a quantidade sempre aumentava e ao perceber que este ano seria perfeito para te dar a saga inteira do Icha Icha por serem 8 livros, dei. Ao faltar apenas um, pensei, pensei muito qual deveria ser esse e ao conversar com seu pai, decidi e ele permitiu que eu poderia tirar sua virgindade como presente, mas só se ele ver eu dando o presente… aceita essa condição? — indagou mãe que parecia falar sério. — Amor, pega logo lá as camisinhas…

Pai então saiu da sala. Mãe se ajoelhou na frente entre minhas pernas.

— É sério isso?

— Não ache isso errado, filho… — ela corou. — Mas também não ache que terão outras vezes! Se você não quiser este presente de aniversário, eu paro e lhe darei um outro qualquer.

— Não é isso, mas pai? Como depois vou olhar pra ele sabendo que transei com a mulher dele na frente dele? Essa sensação… vai ser esquisita! Transarei com a minha mãe e ao mesmo tempo a senhora trairá seu marido com o seu próprio filho na frente dele!

— Já que você não gostou da ideia deste presente, é melhor eu falar com o seu pai que você não gostou da ideia e tentarmos se esquecer que faríamos isso.

Mãe começou a se levantar.

— Não, não… Fica! Talvez nunca mais eu tenha a chance de transar com alguma outra mulher… E acho que sendo com minha mãe a minha primeira vez deva ser maravilhosa!

Ela retornou a se ajoelhar.

— Não encontrei o lubrificante — disse pai com várias camisinhas na mão. Um ninja da Anbu apareceu.

— Desculpe-me a interrupção da vossa privacidade Quarto Hokage, mas temos um problema que só o senhor pode resolver!

Pai olhou para mim e para mãe.

— Pode ir — falei por já estar acostumado com esse tipo de acontecimento. Pai tem muita coisa pra fazer e infelizmente até no tempo em família aparecem essas coisas. Mas dessa vez veio em boa hora porque eu poderia transar com minha mãe sozinho com ela.

— Já, já, eu volto — disse ele e sumiu junto com o membro da Anbu. Quanto mais tempo ele demorasse, melhor seria!

— Vamos começar as preliminares antes de tirar sua virgindade! Tire sua calça junto com a cueca, filho…

Eu então me levantei do sofá e fiz o que ela disse. Ao sair, o meu pênis já ficou o mais duro que podia.

— Caramba… é quase do tamanho do seu pai! — exclamou mãe enquanto iniciava a masturbação.

— Fico feliz que transar não depende só do tamanho e sim de sabe entreter a companheira…

— Você não vai ter que mostrar se sabe dessa vez. Aqui somente eu farei você ser presenteado.

— Farei questão de fazer o mesmo com a senhora mesmo sendo o meu aniversário.

Mãe ainda manteve segurando-o, mas logo encostou sua boca com a língua no meio da uretra e ficou lambendo em volta da glande. Não demorou muito e logo mandou uma garganta profunda. Os meus instintos me fizeram querer alongar essa garganta profunda puxando a cabeça da minha mãe até me fazer gozar dentro da boca dela. Fiquei segurando até que ela implorasse que eu parasse por estar com faltar de ar e depois ainda comentasse que se continuasse naquele ritmo ela poderia morrer, mas nada disso aconteceu.

Achei por um instante que minha mãe poderia ser uma puta por conseguir aguentar uma longa garganta profunda. Comecei a sentir minha porra sair do meu pênis e dessa vez entrar realmente em alguma coisa me trouxe uma felicidade inexplicável que desde que eu iniciei a me masturbar se quer imaginei que um dia deixaria de estar virgem e logo sendo tirado pela minha própria mãe.

Minha porra estava sendo ejetada como se fossem jatos de água que eram ligados e desligados no mesmo instante, mesmo assim não demorou pra iniciar o transbordamento do meu sêmen pela boca dela e um pouco estava descendo pelo meu pênis. Depois que ela terminou de engolir os que estavam na sua boca, lambeu o meu pênis nas regiões aonde ainda tinham um pouco de sêmen.

Mãe depois se levantou e na minha direção soltou o seu roupão de veludo verde revelando estar sem usar mais nada! Os seus seios médios que eu tanto sonhei eram lindos e com certeza, muito macios. Ela veio na minha direção para colocar a camisinha e depois que terminou, subiu ajoelhada no sofá entre minhas pernas e desceu até colocar meu pênis inteiro na sua bucetinha lisa. Ela começou a quicar várias vezes e enquanto isso toquei nos seios dela.

— Que negócios macios da porra!

Ela pegou minha cabeça e puxou para um dos seus seios e comecei a lambê-lo e depois a chupá-lo enquanto apertava o outro.

Toda aquela minha frescura de ficar com medo de como seria conviver com pai sabendo o que teria feito na sua frente foi embora quando eu o vi aparecer sem fazer barulho algum e estava sorrindo ao ver sua própria esposa cavalgar enquanto a ouvia exclamar seus orgasmos juntos dos meus. Ambos estávamos já ficando cansados depois dela ter rebolado mais de vinte e cinco vezes e eu já tendo trocado duas vezes as chupadas de um seio para o outro.

— Vou gozar! Ahhhhhhh! — exclamei enquanto sentia outra vez gozar dentro da minha mãe.

— Ahhhhhhh! — ela também exclamou abrindo os olhos e fixando nos meus. Estávamos sentindo algo que nunca sentimos antes, mas eu não sabia explicar. A única coisa que sabíamos era que tínhamos que nós beijar e foi o que fizemos. Ao terminarmos, nossos lábios babaram e percebi que ela também queria continuar, mas já tinha feito o que foi o combinado com o marido.

— Amor, acabamos — disse mãe se levantando do meu cavalo que agora estava se desanimando e eu fiquei um pouco ali sem acreditar que acabei de ter um incesto com a gostosa da minha mãe.

— Mãe, algum dia poderemos fazer isso de novo?

— Quem sabe? — mãe respondeu sorrindo. — Talvez só se seu pai morrer…

— Chega! Já ouvi tudo que precisava ouvir! — exclamou o juiz que parecia estar espantado com a minha revelação pela minha tentativa de assassinar meu próprio pai. — Naruto está sentenciado a 18 anos de prisão por ter tentado assassinar o Quarto Hokage.

10 de Setembro de 2019 às 16:37 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Israel Nunes Cruz "Hoje sou apenas mais um entre mais de sete bilhões de pessoas no planeta Terra. O amanhã me aguarda!" — Israel Nunes Cruz. Atualmente apenas um escritor aspirante; uma brilhante carreira de escritor me aguarda. Também utilizo o Wattpad e o Sweek como IsraelFEMIM ou como Israel Nunes Cruz para publicar minhas fanfics e originais.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~