Os dois pergaminhos (Incesto) Seguir história

israelfemim Israel Nunes Cruz

Há alguns dias Sakura havia sido enviada para uma missão junto de Naruto. Seu marido e sua filha ficaram sozinhos em casa e felizmente durante esse período eles passaram a maioria dos dias e maiorias das noites fazendo o de sempre. Todavia, houve uma noite diferente, uma noite incestuosa entre eles. O mesmo acaba acontecendo entre Boruto e Hinata.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#sexo #incesto #naruto #Sasusara #Boruhina
Conto
0
284 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

ONTEM


Sakura foi mandada a alguns dias em uma missão junta com o Sétimo Hokage. Enquanto ela não voltava, Sarada e Sasuke passaram algumas noites sozinhos. Sarada está com 18 anos e hoje vai tentar cumprir um desafio que fez com um certo Uzumaki.

— Pai.

— O que houve, filha? — questionou o moreno olhando para ela e percebeu que a garota estava usando uma camisola branca transparente, mas não estava usando sutiã e nem calcinha.

— O que o senhor está assistindo? — perguntou Sarada mudando de assunto enquanto olhava para a televisão tentando adivinhar qual era a série ou filme durante uma cena aleatória.

— Cinquenta Tons de Ninja — respondeu ele fingindo estar apático. Ele se incomodou um pouco com o fato da sua filha usar um traje daqueles enquanto estava conversando com o seu próprio pai, mas ele fingiu não se importar com isso e voltou a prestar atenção no filme.

— Vou assistir com o senhor — comentou ela e depois foi se sentar no mesmo sofá que seu pai estava. O sofá em questão tinha três lugares e ela se sentou no canto da esquerda, deixando o meio livre. Depois de um algum tempo, finalmente no filme apareceu o que todos queriam, que era os personagens transarem.

Sarada ao ver a cena sentiu-se exitada. Abriu as pernas e encolheu seus pés no sofá enquanto esfregava sua mão na sua vagina tentando esconder o que estava fazendo de seu pai. A garota só não conseguiu esconder o que seu rosto demonstrava: Excitação. Ela estava com os olhos fechados e mordendo o lábio inferior. Sasuke olhou para a filha.

— Sarada?

Oh! — exclamou ela enquanto abria os olhos e olhava diretamente para ele. — Diz.

— Por que você está se masturbando tão próxima de mim?

— Porque é muito mais gostoso! — respondeu ela gemendo. — Um filme erótico, meu pai do meu lado e uma siririca… Isso é demais!

— Pode até ser — comentou o moreno surpreso pelo que ela estava dizendo —, mas não é certo!

— Pai, o senhor não engana ninguém! Além de querer me foder desde que meus peitos começaram a crescer, o seu pau está duro!

— Está bem… você me pegou! Eu quero te foder até você não aguentar mais!

Sarada virou-se para o pai e retirou a camisola que estava usando. Sasuke olhou para a vagina da filha. Além de lisinha, estava molhada e transbordando os fluidos que ela acabará de gozar. O moreno foi direto para a vagina dela e começou a chupá-la.

— Até que fim percebeu que eu queria muito transar com o senhor… Oh!

Sasuke havia aumentado um pouco a chupada.

— Não é que eu não tenha percebido, é que sua mãe sempre ficava no meu pé com aquele ciúme dela…

Ele voltou a chupar a vagina dela e ao olhar para a garota, que estava com olhos semicerrados, percebeu que ela estava ficando bastante excitada. Sasuke continuou a chupá-la e Sarada gemia.

Oh! Não sei por que esperei o Boru… Oh, continua! Continua!

— O que tem o Boruto? — indagou Sasuke parando de chupá-la para perguntar sobre o comentário da filha.

— Não, deixa pra lá… Apenas pensei em voz alta. Agora é minha vez! — disse a morena mordendo seus lábios inferiores. Então Sasuke sentou-se no sofá enquanto Sarada se ajoelhava para chupá-lo.

Segurou o pênis dele e começou a chupar primeiro a glândula para ele sentir uma ardência na região. Começou a colocar o membro ereto mais dentro de sua boca até a parte que aguentasse chupar.

Sasuke se interessou no que ela estava fazendo, então pegou na cabeça de Sarada e a puxou para ele fazer sua filha dar uma de putinha.

— Você será minha cadela! — comentou Sasuke sorrindo para Sarada.

A garota estava gostando do pai puxar a sua cabeça. E ele ao ver que ela fez um sinal com o polegar para cima, ele se sentiu mais confortável para continuar com aquilo, então puxou com mais força a sua cabeça para ela chupar o seu pau até o fundo de sua garganta.

— Eu vou gozar! — exclamou Sasuke enquanto tirava o seu pênis de dentro da boca de Sarada e gozava no rosto dela.

— O que vocês estão fazendo? — berrou Sakura brava enquanto ia em direção ao sofá que eles estavam transando.

— Eu posso explicar! — disse Sarada se levantando do chão ao ver sua mãe. — Eu…

— Explicar… explicar o quê? Vocês estavam transando! — gritou Sakura.

— Mãe! — exclamou Sarada enquanto tentava dizer que queria explicar o motivo deles estarem transando, mesmo ela sabendo que não tinha um bom motivo para isso acontecer.

— Nada de mãe! Vá no banheiro lavar esse rosto de porra! — berrou Sakura de raiva enquanto balançava os seus cabelos.

Sarada foi até o banheiro para lavar o rosto, mas quando ela entrou no banheiro e tocou nas áreas do rosto e dos seus peitos que estavam cobertos de sêmen, sentiu que não devia desperdiçar aquilo e colocou na língua até acabar com todos. Enquanto isso, Sakura terminava de discutir com Sasuke.

— Meu marido me traindo com a nossa própria filha! — comentou Sakura estressada.

— Mas você não disse que demoraria alguns dias para voltar? O que houve?

— Acabou que não precisaram de mim lá e eu fui dispensada — respondeu Sakura mais calma. — Pera aí, quer dizer que vocês fizeram isso nas outras noites?

— Não! Por acaso aconteceu isso hoje, amor. Nem havia passado pela minha cabeça fazer isso enquanto você estivesse ausente…

— Então você já pensou em fazer isso enquanto eu estivesse presente?

— Não é isso, é só que…

— Sorte sua Sasuke que não vou contar para ninguém! — revelou Sakura. — E que isso nunca mais se repita!



Enquanto isso, na casa de Boruto…



Todos Uzumakis estavam em casa, exceto o Naruto que devia chegar hoje de Suna. Ele estava resolvendo questões importantes com o Kazegake.

Himawari estava mexendo no seu celular e atualmente estava com 16 anos enquanto seu irmão estava com 18 anos.

Hinata estava tirando as roupas do varal e pondo as roupas de Boruto no seu antebraço e foi levar para o quarto dele. Quando ela abriu a porta, deparou com ele assistindo pornô enquanto o mesmo batia punheta. Ao ver a sua mãe rapidamente trocou o site que estava na janela anônima, para um site que estava na janela normal e também tentou esconder o seu pênis com a sua camiseta branca sobre o mesmo.

— Mãe! — gritou Boruto que deu até para Himawari escutar.

— Não vai me dizer que não sabe que eu uso meu Byakugan para inspecionar o que vocês andam fazendo? — questionou Hinata enquanto colocava as roupas do filho em cima de uma mesa que havia no quarto.

— Se sabe que estou batendo punheta, por que não espera ou bate na porta para que eu pare e abra a porta? — questionou o loiro ainda irritado.

— Bem — ela ficou corada —, eu queria ver de bem perto esse seu pau que cresceu muito desda última vez que eu vi!

— Mãe, a senhora quer transar comigo? — perguntou Boruto incrédulo. Ele não acreditava, pois estava sendo fácil demais esse desafio.

— Vem transar com mamãe aqui! — disse a morena enquanto ia em direção a cama dele e se sentava na mesma enquanto retirava a sua jaqueta roxa de manga curta e depois retirou a sua camisa branca mostrando seus grandes mamilos.

Ele foi até a sua mãe e se manteve de pé. Hinata lhe masturbou por um tempo, depois iniciou o sexo oral. Ela era tão boa em oral que Boruto já estava prestes a gozar.

— Mãe, vou gozar! — avisou o loiro. — Ahhhhh! — gemeu ele de prazer.

Uma parte dos fluidos foi direto para a garganta de Hinata, uma outra caiu em cima dos peitos dela. Hinata colocou seu dedo indicador nos locais que tinham caído e depois transferiu para a própria língua.

— Agora vem comer a mamãe! — disse Hinata de um jeito sexy enquanto tirava o restante da sua roupa. Depois subiu na cama e ficou de quatro para Boruto enfiar o pênis dele no seu ânus.

— Eu queria a vagina!

— Não, hoje não é um dia seguro — revelou a morena. Ele não se importou tanto, só queria transar com a sua mãe e assim ganharia a aposta. Logo ele subiu na cama, se ajoelhando atrás da bunda dela e começou a estocar seu pênis no ânus dela.

— Eu vou te foder — ele estocava — até a senhora dizer chega! — ele estocava. Entra e sai, entra e sai. Vários gemidos de ambos resultaram em fluidos de ambos. O loiro tirou o seu pênis do ânus de sua mãe. — Da próxima vez — Boruto tentava falar mesmo exausto —, vou comer essa sua boceta!

— Então compre uma camisinha para que isso ocorra — avisou Hinata também exausta. Ela se levantou e foi pegar suas roupas do chão e começou a vesti-las novamente.

— Mãe...

Ela virou-se para olhar para ele enquanto terminava de abotoar a jaqueta.

— Sim?

— Se tiver… Quando vai ser a próxima vez? — questionou o loiro ainda muito exausto.

— Na próxima vez que seu pai deixar de me foder pra ir em uma reunião em outra vila! — avisou Hinata irritada enquanto olhava para a janela com o Byakugan ativado e saia do quarto.

Boruto não entendeu nada. Após sua mãe sair do quarto, Boruto foi até o computador e percebeu que Sarada estava pedindo por mensagem para ele ligar novamente o volume do programa que eles estavam usando para conversar por videochamada, pois ele havia desligado para que nenhum barulho que saísse atrapalhasse de alguma maneira ele transar com sua mãe.

— E aí, Sarada! — exclamou o loiro ainda com um pouco de dificuldade para falar.

“— Boruto, deu para ver que seu pai estava na janela observando enquanto vocês estavam transando!”

— Ferrou! Ele vai querer tirar satisfação disso! — se assustou Boruto franzindo a testa. — Vou desligar! Tchau, tenho que ver o que ele vai fazer!

“— Tchau e boa sorte!”



Ao desligar a videochamada, ele andou pela casa toda à procura do pai, mas não encontrou ninguém. Foi até o quarto de seus pais e ao encostar na porta não escutou nenhum barulho. Provavelmente devia ser porque eles já deviam dormir, então ele voltou para seu quarto e trancou a porta com medo de que seu pai tentasse estrangulá-lo enquanto ele dormia.

Hinata já estava dormindo mesmo. Porém, Naruto estava no banheiro do quarto com a porta trancada, e chorando pela traição da sua própria esposa.

“Não acredito que eu pisei numa folha e ela escutou!”, pensou ele incrédulo ao se lembrar de ver Hinata ter usado o Byakugan e ter visto ele espionando ela e o seu filho transando. Mas agora ele só queria ir para cama dormir e tentar se esquecer do que tinha acabado de ver agora há pouco.



ANTEONTEM



Entendiados, Sarada e Boruto estavam deitados na cama de solteiro de Boruto olhando para o teto do quarto. O loiro virou-se para a Uchiha e disse que pensou em algo para acabar com o tédio.

— Diz aí! — exclamou Sarada sorrindo.

— Por que não fazemos um desafio um para o outro? — perguntou Boruto.

— Que tipo de desafio? — questionou Sarada interessada.

— Envolve incesto — respondeu o loiro um tanto quanto inseguro de que ela aceitasse.

— Me chamou atenção. Continue.

— É assim: O desafio é que nós dois teremos que transar com nossos pais. Você com o seu pai e eu com a minha mãe. Quem não conseguir, vai ter que fazer o que o ganhador mandar — explicou ele. — Qualquer coisa mesmo!

— Hum… qualquer coisa mesmo? — pensou Sarada dando uma risada maliciosa.

— Sim, qualquer coisa… Mas o que você está pensando em mandar eu fazer se você vencer?

— Eu que não vou contar seu bobinho… Estragaria a surpresa! Mas se você quiser saber logo, é só desistir agora que eu conto.

— Nem que a vaca tussa! Vencerei e você vai pagar uma prenda inesquecível!

— De toda maneira, eu aceito o desafio!

— Certo. A partir de agora está valendo — informou Boruto enquanto apertava a mão de Sarada como se um contrato tivesse sido feito.

— Minha mãe disse anteontem antes de sair para uma missão, que poderia durar alguns dias. Se eu conseguir, tento hoje mesmo fazer isso! — comentou Sarada.



HOJE



Sarada estava novamente na casa de Boruto, mas desta vez ambos estavam sentados no sofá da casa dele.

— Então, ninguém perdeu… — disse Sarada enquanto ativava o Sharigan. Boruto estranhou, mas não falou nada.

— Ninguém perdeu o quê? — perguntou Himawari que acabou de aparecer na sala. Sarada havia percebido que ela tinha chegado antes de Boruto e já tinha preparado uma resposta.

— Nós estávamos jogando… Ninguém perdeu por isso — explicou Sarada rapidamente.

— A televisão está desligada — disse Himawari ao perceber que estavam apenas conversando.

— Não foi hoje. Estávamos relembrando de uma partida que tivemos — explicou Sarada novamente rápido.

— Vou fingir que não estão mentindo! — comentou Himawari e saiu da sala.

— Essa foi por pouco! — comentou Boruto e virou-se para Sarada. — Então, vamos continuar o que estávamos a dizer… Nem eu, nem você perdeu.

— Nem ganhou!

— É, eu sei… Porém não tínhamos criado uma regra para se isso acontece-se! Então quer dizer que empatamos — comentou o loiro. — Foi uma boa observação! — avisou Sarada zoando o que Boruto tinha acabado de dizer.

— Vai se lascar, Sarada! — respondeu Boruto irritado.

— De novo? — indagou ela sendo irônica e começou a rir.

Ele esperou ela parar de rir.

— Deixa eu continuar! Podemos parar por aqui…

— Ou?

— Continuar a brincadeira! — exclamou Boruto sorrindo. — Eu tenho outra ideia.

— Fale.

— É bem assim: Vamos fazer dois bilhetes, mas cada um dentro de um pergaminho. Um para meu pai e um para sua mãe, neles estarão escrito que ele quer conversar com ela, trocar uma ideia basicamente. No outro a mesma coisa, porém, estará escrito que a sua mãe quer trocar uma ideia com ele. E vamos ver se eles vão transar!

— Pera aí.

— Diz.

— Não faz sentido a gente fazer isso! — exclamou Sarada.

— Por quê? — indagou Boruto estranhando, sua ideia parecia tão boa.

— Porque nem um vai ganhar, porque se os dois transarem ou não, daria empate de toda forma!

— Hum… então a gente faz assim: nós colocaremos um microfone escondido, aí o pai que desistir de transar vai ser o perdedor.

— Certo, isso faz algum sentindo! Agora pega lá algumas folhas…



Algumas horas depois eles arrumaram uma forma de entregar aos seus pais. Sarada colocou o pergaminho contendo o bilhete sobre o criado-mudo do lado da cama da sua mãe e Boruto ao visitar o pai, deixou o bilhete dentro de um pergaminho na mesa do escritório do seu pai de uma maneira que ele só encontrasse quando tivesse terminado de ler todos os pergaminhos das missões.

— Naruto — chamou Sakura por ele do lado de fora do escritório.

— Pode entrar! — gritou Naruto.

— Oi Sakura!

— Oi! — disse ela corada.

— Você veio conversar?

— Sim — respondeu Sakura se aproximando da mesa dele.

— Então, sobre o que você quer falar?

— Sobre o pergaminho.

— Ah, Sim… Eu fiquei curioso em saber o que você queria me contar!

— Pelo que eu li, você disse que Hinata lhe traiu com o seu próprio filho!

— P-Pera aí! — berrou ele. — C-Como você soube disso?

— Está no pergaminho que você me enviou.

— Eu não enviei nenhum — disse Naruto convicto disso. — Você que enviou um dizendo que não aguenta mais esconder que Sasuke lhe traiu com Sarada!

— Eu não disse isso para ninguém! — comentou Sakura mais escarlate ainda.

— Depois a gente procura descobrir quem fez isso… Pois se você veio até aqui, com certeza queria conversar sobre isso… Não é?

— Sim.

— Pode dizer!

— Então, foi depois daquele dia que você me chamou pra aquela missão. No dia em que voltei para a vila, quando eu cheguei em casa, escutei gemidos e ao entrar na sala, avistei meu marido agarrado com minha filha! Eu me exaltei, fui na direção deles e mandei pararem. Eu não acreditava que aquilo estava acontecendo! Ele tinha me trocado por uma mais nova, e logo nossa filha!

— Uau! — exclamou Naruto surpreso.

— E como você descobriu que Hinata estava lhe traindo? — questionou Sakura ainda corada.

— Foi no dia em que cheguei de Sunagakure. Quando entrei em casa vi Himawari e ela me disse que estava acontecendo algo de errado no quarto de Boruto. Quando cheguei lá, eu escutei gemidos, porém, eu não consegui ver nada. Então fui para o lado de fora de casa e olhei pela janela do quarto dele e não apenas escutei, mas eu também vi. Foi horrível ver minha mulher me traindo! E logo com meu filho…

— Naruto… vamos dar o troco? — questionou a rosada ainda mais corada.

— Eu e você… — Naruto tentando entender direito o que ela estava dizendo e ficando corado novamente.

— Sim — respondeu Sakura enquanto ia até o Naruto.

— Desde que eramos jovens eu queria te foder! E vai ser agora, depois de tantos anos de espera! Que pena que não é pelo motivo de você me amar…

Sakura sentou no colo de Naruto e tirou sua própria blusa.

— Naruto, cala a porra da boca e me beija! — mandou a rosada enquanto beijava o loiro. Ele correspondeu o beijo enquanto apertava os seios dela.

Naruto levantou ela pela cintura e a colocou sobre a mesa. Puxou a calça junto com a calcinha dela até que saísse por completo. Fez o mesmo com sua própria roupa. Ao penetrar na vagina dela, começou devagar, mas começou a aumentar o ritmo, fazendo os dois gemerem bastante.

— Acho que vou gozar — comentou Naruto pouco antes de finalizar.

— Mas já? — indagou Sakura triste depois que Naruto gozou. Ela nem havia chegado perto do seu ápice e o Naruto só havia se importado com sigo mesmo. Sakura se sentiu mal por ter ousado transar com ele, porque ele ter gozado rápido foi broxante para ela. Sasuke teria aguentado por mais tempo? Talvez teria, mas ele a traiu e agora era impossível voltar atrás.

Eles escutaram a porta sendo aberta.

— Você esqueceu de trancar a porta? — indagou Sakura nervosa tentando se levantar da mesa, mas sem sucesso. Felizmente ela rapidamente tapou os seus peitos com o seu braço esquerdo. Naruto se manteve com o seu pênis dentro da vagina da rosada e os dois olharam em direção a porta.

— PAREM! — gritaram Boruto e Sarada em uníssono ao abrir a porta. Eles ficaram corados.

— O que vocês estão fazendo aqui? — indagou Naruto descendo da mesa. Ao sair, ajudou Sakura a se levantar.

— Vamos, digam logo o que estão fazendo aqui! — mandou Sakura irritada e corada enquanto pegava suas roupas.

— Nós…

Apareceram abruptamente Hinata e o Sasuke ali e os dois ficaram boquiabertos por verem seus conjugues nus, mas ficaram mais surpresos ainda ao verem que seus filhos estavam ali também vendo aquilo.

— Naruto… — Hinata ficou escarlate — e Sakura, por que vocês estão…

— Nus — disse Sasuke interrompendo Hinata. — Acho que decidiram se vingar de nós pagando com a mesma moeda.

— Foi isso mesmo! — exclamou Sakura que estava cobrindo suas partes íntimas com suas roupas.

— Mas… o que vocês estão fazendo aqui? — indagou Sasuke olhando para os jovens.

— Vocês dois, digam o que vieram fazer aqui! — exclamou Naruto.

— Tá, eu conto. Nós sabíamos que eles estariam aqui — disse Sarada.

— E como sabiam disso? — indagou Naruto.

— Por causa dos pergaminhos — revelou Boruto.

— Que pergaminhos? — questionaram Hinata e Sasuke confusos. Sakura e Naruto então mostraram os pergaminhos.

— E como sabiam dos pergaminhos? — perguntou Naruto.

— Porque formos nós que fizemos — respondeu Sarada cabisbaixa.

— E por que fizeram os pergaminhos? — indagou Hinata.

— Porque nós queríamos ver se realmente isso daria certo vocês transarem.

— Só por isso? — indagou Sakura cruzando os braços.

— Não — respondeu Sarada.

— É porque nós fizemos dois desafios um para o outro.

— Que desafios? — indagou Naruto.

— O primeiro desafio era que nós dois teríamos que transar com nossos pais. Sarada com o seu pai e eu com a minha mãe. Depois que o primeiro deu certo, fizemos o do pergaminho que era pra ver se pai e Sakura transariam…

— E por que fizeram os desafios? — indagou Sasuke.

— Estávamos entendidos — responderam Boruto e Sarada em uníssono.

— Estavam entendiados? — todos os pais deles perguntaram em uníssono incrédulos.

— Vocês preferiram transar com seus pais do que vocês dois transarem juntos! — exclamou Sakura indignada.

— Já tínhamos transado antes.

— Já? — indagou Sakura estranhando a resposta.

— Mas é porque eu e o Boruto temos fetiche em pessoas mais velhas e em pais também.

— Mas e agora? Como ficamos? Como vamos conseguir viver agora que sabemos que isso aconteceu? — indagou Hinata preocupada.

— Eu tenho uma ideia do que possamos fazer em relação a isso — comentou Naruto se lembrando de certa uma senhora.

— Diz pra nós — disse Hinata.

— Podemos pedir a senhora Ashiris para que faça todos nós esquecermos de que aconteceu tudo isso — revelou Naruto.

— Acho uma boa ideia — comentou Sakura sorrindo.

— Eu também — disse Hinata, mas ainda tinha medo de que não dê certo.

— E vocês?

— Tenho certeza que o Boruto, assim como eu, está arrependido.

— Sim, também estou de acordo — disse Boruto.

— Só quero que isso acabe o mais depressa possível — comentou Sasuke indiferente das decisões que eles estavam tomando. Observou que Sakura ainda estava com suas roupas sobre suas partes íntimas e Naruto estava com o pênis descoberto desde que ele e Hinata havia aparecido. — Só se vistam logo… Não sei porque vocês inventaram de ficar assim até agora!



Todos eles então foram para a casa da senhora Ashiris e ao chegar, Naruto bateu à porta e a senhora abriu a mesma.

— Sejam bem-vindos à minha humilde propriedade — cumprimentou a Ashiris se curvando a todos os visitantes enquanto entravam na residência. — O que os trazem aqui hoje?

— Senhora Ashiris, queremos que faça todos nós esquecermos para sempre que esses dois — Naruto apontou para o Sasuke e para Hinata — traíram seus companheiros com esses dois e também todos nós queremos se esquecer dos pergaminhos que esses jovens fizeram.

— Certo — disse Ashiris apática. — Tem mais alguém que saiba disso e que não está presente?

— Não — disseram todosconvictos que não havia mais ninguém que sabia disso.

— Um instante. A senhora também vai se esquecer, certo? — indagou Sakura com medo de que isso que aconteceu se espalhe por toda a Konoha.

— Sim — respondeu Ashiris. — No momento em que eu fizer isso, eu irei me incluir. O que aconteceu com vocês não me diz respeito e sempre me mantenho em sigilo absoluto com os meus clientes se esquecendo do que aconteceu junto com eles.

— Mas como isso vai funcionar? — indagou Boruto curioso.

— Vou lhes dar uma bebida e vocês apenas precisaram pensar no que quer esquecer e depois que vocês saírem por aquela porta e começarem a retornar para suas casas, se esquecerão rapidamente. Esta é a melhor forma de vocês se esquecerem de que vieram até aqui, pois, ficariam em dúvida do motivo de estarem aqui e eu só saberia explicar que vocês vieram para se esquecer de algo e continuaríamos sem saber do que se tratava o esquecimento!

— Vamos logo acabar com isso — falou Sasuke impaciente.

— Cada um pegue um copo ali na mesa. Vou pegar a bebida — disse Ashiris e saiu da sala. O grupo de seis pessoas foi até uma mesa que estava ali e cada um pegou um copo. Ashiris voltou com um recipiente transparente contendo um líquido também transparente.

— Parece água — comentou Hinata estranhando a falta de cor na bebida.

— E é — revelou Ashiris. — Entretanto, está misturada com ingredientes secretos que possibilitam o esquecimento.

— Senhora Ashiris, por que a senhora está contando isso? Não tem medo de que algum de nós queira reproduzir essa fórmula? — indagou Sakura.

— Ninguém realmente sabe que eu trabalho com isso e a maioria dos que sabem acabam se esquecendo por tomar a bebida. Por isso, eu não tenho medo algum. Posso contar a vontade, até porque vocês querem se esquecer de que praticaram incesto e que praticaram sexo fora da relação conjugal, então mais um motivo para eu contar quase qualquer coisa para vocês.

A senhora Ashiris parou de falar e foi até eles para colocar a bebida nos copos de cada um.

— Como eu falei antes, é só pensarem no que quer esquecer e beber, e depois que forem embora, que o efeito da bebida começará a funcionar.

Todos, sem exceções, beberam. Como era água não estranharam o gosto por nem conter.

— Aqui está o pagamento — disse Naruto entregando um pequeno saco de moedas.

— Adeus a todos! — disse Ashiris.

— Adeus — responderam todos em uníssono e abriram a porta, saindo uma família de cada vez: Primeiro foram os três Uchihas, que seguiram para a esquerda e depois os três Uzumakis, que foram para a direita.



Algumas horas depois…



— Boruto, você e mamãe não vão mais transar? Nosso pai foi para outra conferência dos Kages…

— Himawari, do que você está falando? — questionou.

— Deixa pra lá!

30 de Agosto de 2019 às 00:52 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Israel Nunes Cruz Atualmente apenas um escritor aspirante, uma brilhante carreira de escritor me aguarda! Minha meta de vida é de me tornar um escritor brasileiro reconhecido mundialmente e quem sabe eu consiga?

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~