Animago Seguir história

ya-young1554031536 Ya Young

Para se aproximar de quem se gosta fazemos de tudo até nós transformarmos em coruja.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#bokuaka #harrypotter #crossover #akaashi #bokuto
Conto
0
393 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Coruja

" Um animago é um mago que decide se transformar em um animal. "

" Você sabe que eu posso me disfarçar com mais eficiência. "

Bokuto povs.

A lua estava alta e bem brilhante no céu iluminando os corredores de Hogwarts, passei pelos quartos da Gryffindor conseguindo chegar até sala comunal.

– Hora de ir velo.

Disse me transformando em um linda coruja branca com algumas manchas cinzas nas penas, bati minhas assas alçando voo, logo estava riscando o céu, pude o ver ele quebra as regras para estudar, somente com a companhia da lua, e de uma simpática coruja.

📷

Akaashi Keiji um aluno filho de pais trouxas que se esforça para se sair bem nas aulas, pousei ao seu lado no banco.

– Olá sr. Coruja. - ele disse ao me ver.

Passei a observar mais uma vez ele, cabelos pretos rosto fino, olhos de iris azul que se perdem no seu olhar perdido, físico mediano, ombros largos, dedos finos tudo isso em um homem de um metro e setenta.

Ele folheava o livro velho, relendo as palavras para proferir os feitiços. Senti sua mão acariciando minha penugem, quente, um toque quente e acolhedor.

– Sr. Coruja não vai voar e caçar hoje?

Sua voz me acalma, eu já não aguento estar nessa escuridão de não estar cem por cento com ele.

– Se eu te contar um segredo promete não contar as outras corujas? - ele gargalho por fim. – Sou apaixonado em Bokuto Koutarou, ele e de casa diferente, campeão de quidditch, dono das melhores reações, e com certeza o melhor bruxo de Hogwarts.

Akaashi fechou o livro e beijou o topo da minha cabeça, voltando correndo para dentro, voe de volta para a ante sala da Gryffindor, me joguei no chão voltando a forma humana.

– Ele... Ele gosta de mim, eu preciso agir com essa informação.

Dia seguinte

Olhei a sala ainda vazia da professora Minerva, logo que sentei nas ultimas carteiras senti uma mão em meu ombro e dei um pulo indo ao chão com tudo, Kuroo ria alto, segurando a barriga, ele estendeu a mão tentando me ajudar a levantar, o puxei com tudo derrubando ele no chão, começamos a rir.

– Você saiu novamente do dormitório daHufflepuff, não vou te acobertar a... - Hinata parou de falar olhando para nós dois, a pessoa ao seu lado me olhou com certa tristeza.

– Vamos nós sentar Hinata. - a voz que me acalma me fez estremecer, Akaashi parecia muito triste.

– Ainda não conversou com ele sem ser coruja? - Kuroo sussurrou em meu ouvido, fiz sinal de silencio levando o dedo aos lábios dele.– Covarde.

No que ele terminou Kei Tsukushima o alvo de todos os seus olhares e sonhos eróticos entrou, junto com os outros alunos, Kuroo me deu um soco no ombro e eu um tapa em seu peito.

– Se não se levantarem agora vou tirar pontos de ambas as casas. - ouvimos a voz da professora.

Nós levantamos rápido sentando mais rápido ainda, Minerva caminhava entre as mesas, depois de transformações e feitiços, me afundei totalmente na cadeira, Kuroo deu duas batidas de leve no meu ombro indicando que me deixaria sozinho.

– Se eu tomar coragem para falar com aquela pessoa, você também vai ter que falar com o seu bruxinho. - disse por fim ficando em silencio.

– Vai ficar por aqui também? - não precisava nem me mover, sei exatamente de quem é essa voz.

– Desculpa já estou saindo. - disse me levantando, dei dois passos para trás dele e me virei.– Não estude tanto, já deve ser difícil para você estudando toda noite naquele banco frio.

Os olhos azuis se arregalaram, me encarando, se rosto completamente estático e com a respiração bem fraca me forçavam a rir, joguei a vontade longe o puxando para um abraço. Sai o deixando sozinho; no corredor vazio ecoava os batimentos forte do meu coração, como um tambor enorme, minha túnica foi segurada firmemente me mantendo no lugar.

– Como sabe? - Keiji me olhava assustado.

– Segredo, mas eu posso te contar como soube essa noite no campo dequidditch. - aproveitei para inalar seu perfume, assoprei sua nuca e caminhei na direção oposta. Quando me distanciei coloquei a mão no peito tentando não ir ao chão com tudo girando a minha volta.

📷

Vi a túnica com detalhes em verde se aproximando olhei para frente vendo Kuroo, me segurei nele e fomos ao chão novamente, não podia acreditar na coragem que tive de falar daquele jeito com Akaashi. Contei tudo que fiz para Kuroo, ele só sabia fazer caras e bocas ouvindo a tudo.

– E agora o que pretende fazer, vai se mostrar?

– Não, bom sim... Ai sei lá, estou confuso.

– Acha que não gosta dele?

– Claro que eu gosto, aquele ser foi feito pra mim, só não sei o que ele vai fazer depois de tudo.

– Meu caro amigo o não você já tem, corra atrás do sim.

– Agora é com você também, vai fazer o que a respeito do seu bruxinho de óculos?

– Vamos resolver o seu problema cara coruja sem assa. O meu fica pra depois, más já lhe aviso não vai demorar muito.

Continuamos o caminho para a próxima aula, e assim foi até o termino do dia, voltei rápido para o dormitório, tentando acalmar meu coração que revirara em pulos no meu peito; Tomei um banho e coloquei o uniforme de quidditch, olhei o relógio que marcava 00h00min, todos ali já babavam em seus travesseiros.

– Bom é hora de perguntar as respostas.

– Não seria responder as perguntas? - Sugawara disse bem ao pé do meu ouvido.

📷

– E eu não disse exatamente isso? - ele começou a rir.

– Onde vai assim, não posso deixar você violar as regras, como...

– Prometo ser a ultima vez, eu... Tem alguém me esperando, não me faça ter que usar a varinha.

– Pode ir, más não demore.

Chamei minha vassoura e voei janela a fora, em poucos minutos já avistava o campo de quidditch, e ao centro estava ele, em pé envolto com sua túnica com detalhes em amarelo me lembrando que não somos da mesma casa, seu cachecol dançava com o vento.

–Lumos. - a ponta da minha varinha se acendeu, Akaashi olhou para minha direção.

Saltei me soltando por completo da minha vassoura e no ar me transformei na coruja que faz companhia a ele nas noites de estudo; Seus olhos me perseguiam enquanto dançava pelo céu.

📷

– Foi assim que eu soube do seu segredo, foi assim que pude me aproximar de você, foi a unica forma de poder estar ao seu lado desde o primeiro dia aqui em Hogwarts. -abaixei a cabeça quando estava perto dele.

– Eu desconfiei que podia ser você, a pequena coruja que vinha me ver.

Foi minha vez de ficar surpreso, ele levantou minha cabeça olhando fundo em meus olhos.

– Foi só juntar as peças, Kuroo fazia varias vezes símbolos de pássaro para você e as penas da coruja me lembram muito seu cabelo, a surpresa que fiz transparecer era pra sabe se teria coragem de se mostrar.

– Você ousou jogar comigo senhor Akaashi Keiji? - ele deu uma piscada.– Bom essa coruja já ouviu o seu segredo, mas não disse o dela não é? Hora de ouvir o meu. - puxei o corpo a minha frente com certa força, fazendo ele se encaixar em meu peito e caindo ao chão com ele por cima de mim.– Escute o som que ele faz cada vez que te vejo, ouso sua doce voz, ou sinto seus toques.

Fechei meus olhos sentindo o leve peso sobre meu corpo, o senti se remexer e logo meus lábios foram tocados pelos dele, um beijo, ele esta me beijando, girei nossos corpos.

– Seras meu para sempre senhor Keiji. - disse por fim retornando a beija-lo.

Minha mão invadiu sem pedir licença as vestes do menor, não pararia por nada o que ele começou, acariciei seus mamilos, deslizei minha mão até seu pescoço acariciando e apertando aquele local, Keiji adentou seus dedos nos fios finos do meu cabelo me puxando mais para si.

– Está frio aqui.

Puxei o corpo dele mais para mim, chamei minha vassoura e logo voávamos para longe do campo, tinha que achar um lugar onde ninguém nos atrapalharia, pensei no corredor do terceiro andar, muitos evitavam até falar naquele lugar. Guiei minha vassoura e entramos por uma janela que da acesso ao terceiro andar.

– Se não quiser que seja...

– Cala boca já demoramos demais com isso.

Akaashi conjurou uma proteção, nos deixando isolados de todos, olhei ele fazendo aquilo e não me segurei em perguntar.

– Por que não fez isso lá?

– Nervoso.

Mordi seu pescoço, usando meu peso para leva-lo ao chão, em pouco minutos usávamos nossas roupas para não deitarmos no frio, Akaashi tentava cobrir o corpo e as vezes meus olhos para não o ver nu.

– Agora não é hora para estar com vergonha.

– IDIOTA.

– Não grite meu pequeno.

– IDI... - o calei com um beijo e quando acariciei se pênis.

– Depois você me xinga.

Trilhei um caminho de mordidas até seu membro o levando aos lábios e dando-lhe um beijo antes de envolve-lo com minha boca e começar a sugar delicadamente. O pequeno se contorcia se agarrando aos meus fios de cabelo, meu membro latejava querendo fazer parte da brincadeira.

– Vou te preparar. - disse ao introduzir um dedo em seu anus, depois de um tempo mais um aproveitei para fazer movimentos de tesoura , depois mais um dedo.

– Estou pronto.

Deitei de costas sobre as roupas e ajudei Akaashi a se ajeitar sobre mim, ele foi se movendo enquanto meu pênis o penetrava, apertado e quente, como eu sempre imaginei, não melhor que qualquer sonho que tive.

– Você é perfeito. - disse enquanto movia meus quadris para maior contato com ele.

Uni minha mão ao dele e sorri, ele virou nossas posições ficando abaixo de mim, segurei seu corpo por baixo prendendo minhas mãos em seu ombro e arremetendo meu quadril contra o dele.

– Eu vou...

– Vamos juntos. - peguei o membro dele esquecido e comecei a masturbá-lo.

Gozei preenchendo seu interior e ele sujando a minha mão, puxei seu corpo para dentar sobre o meu, e beijei o topo de sua cabeça, ato que sempre fez comigo na versão coruja. cobri nossos corpos com minha túnica e fechei meus olhos.

– Não podemos dormir aqui.

– Só um pouco, já voltamos para nossos dormitórios, e amanhã vai estar sempre ao meu lado. - apertei mais ele em mim.– Meu pequeno namorado.

Senti uma eletricidade percorrer meu corpo, quando ele me beijou novamente, não demorou para ele me fazer levantar e me arrumar para voltarmos aos nossos devidos dormitórios, não seria assim tão facil, logo que terminamos me transformei em coruja e segui ele para os dormitórios daHufflepuff.

Ignorei os protestos dele para ir embora, me deitando ao seu e me deixando dormir com ele, deixaria as brigas e perdas de ponta para outro dia.

5 anos depois

📷

22 de Agosto de 2019 às 16:40 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~