Camp Summer- Seguir história

mariana-oliveira1565801678 Mariana Oliveira

Beatriz é uma garota normal, com objetivos normais, e esta pronta para passar as suas últimas férias em um acampamento de verão da melhor forma possível. Várias coisas inesperadas irão acontecer.


Romance Todo o público.

#258
2
649 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

BIA

Oi! Eu sou a Beatriz, e estou finalizando o 3ºano do ensino médio e pra variar ainda não sei o que vou fazer da minha vida, e para ser sincera, não estou nem um pouco preocupada. Pra mim tanto faz qual a faculdade irei fazer, seja ela qual for, sei que no fim vou acabar trabalhando no caixa de uma lojinha qualquer, igualzinho a minha mãe.

O engraçado é que quando eu tinha 14 anos, meu sonho era ir pra Harvard, achar meu príncipe encantado, formar e exercer minha profissão honestamente, mas quando meu pai foi morto, na minha frente, por dever dinheiro para algumas pessoas nem um pouco honestas, eu parei de acreditar que a vida era tão boa assim.

Como minha vida, provavelmente, irá se tornar medíocre depois que eu me formar, o meu objetivo era aproveitar ao máximo as minhas últimas férias de verão, e assim eu farei...

-Ei! Bia... Você está me escutando?

-Oi. Foi mal, eu viajei aqui. Estava pensando nas férias, quero aproveitar o máximo, já que serão as últimas.

Thomas assentiu. Ele também já tinha caído na real, parou de sonhar alto faz tempo, mas no seu caso não havia acontecido nada demais, ele apenas parou de acreditar que algum dia o mundo poderia melhorar.

-Você vai para o Camp Summer com a galera?- Thomas pergunta.

-Mas é claro, você acha mesmo que eu vou perder a viagem mais legal do terceiro? E você não vai me deixar sozinha nessa né?

-É claro que não, aonde você estiver eu também estou hehe.

Thomas sempre foi meu melhor amigo, acho que o fato de que nossas mães são muito amigas e nós somos vizinhos, ajuda um pouco. Enfim ele é como um irmão para mim, sempre esteve comigo nas horas boas e ruins, sempre me defendeu, é nele em que eu mais confio, não seria nada sem a nossa amizade.

-Ei Thomas, fiquei sabendo que a Rachel Cooper vai no acampamento, é a sua chance de pegar ela.-falei com aquele tom de deboche.

-Ah para, você sabe muito bem que ela não me quer. E já que você falou nisso, sabe aquele amigo meu de Hawkings? Então, ele também vai, é sua chance.

Ele estava falando de Kilorny Byers, o garoto mais lindo que eu conheci, para minha sorte ele estudou alguns anos com a gente, até voltar para sua cidade natal, mas isso foi a muito tempo, nós não mantemos contato mais. Seria perfeito se ele fosse, é a definição de férias perfeitas. Já saiu um comentário aqui e outro ali de que ele queria me pegar, mas na época não deu certo e ele acabou indo embora, mas agora era minha chance.

-Quem sabe...




Dias se passaram até que só faltavam duas semanas para irmos para o acampamento. Confesso que estava muito ansiosa pra esse dia chegar. Mas pra minha tristeza também estava na semana das provas finais. Eu e Thomas estudamos todos os dias para irmos bem e não pegarmos nenhuma recuperação, nossa meta era ir pra Camp Summer sem nenhuma preocupação com a escola. E pelo nosso desempenho parece que estamos conseguindo.

Além da semana de provas, hoje também era o dia de tirar as fotos para o nosso álbum de formatura, não existia um dia na escola que dava mais bagunça que esse. Eram meninas lotando os banheiros para fazerem a make perfeita, uma gritaria insuportável no pátio, eram as calouras admirando a beleza dos veteranos, todos os anos é possível ver uma pessoa desesperada procurando algum pertence, ou que foi perdido ou que foi "furtado" por alguns de seus amigos em uma brincadeirinha sem graça. Diferente das outras garotas, eu estava tranquila, já havia feito a minha maquiagem e trocado a minha roupa. Como eu estava sem fazer nada, fui a procura de Thomas, aposto que ele está perdido por aí, provavelmente se lamentando por alguma coisa que esqueceu em casa.

Estava difícil de achar ele naquela muvuca toda, eu nunca fui fã de muito movimento, por isso que eu nunca gostei de festa, acho que também é por isso que as pessoas não gostam muito de mim.-soltei uma risada nervosa após pensar nisso, eu não estava totalmente certa mas também não estava errada.

Finalmente achei ele, e advinha, estava desesperado tentando ligar para sua mãe trazer seus sapatos sociais. Parabéns Thomas, agora você superou todas as minhas expectativas, como conseguiu esquecer os sapatos? Às vezes a sua lerdeza me impressiona.

-Para de me julgar e vê se me ajuda a conseguir um sapato.-Thomas fala com uma tristeza no olhar que chega até a me comover.

-Ok. Vou ajudar.

Fui na secretaria ver se alguém podia me arrumar um sapato descente para a foto, demorou um pouco mas eu consegui achar alguém que me emprestasse.

-Está aqui! Thomas eu não sei o que seria de você sem mim.

-Eu provavelmente já teria caído em um buraco e nunca mais conseguiria sair dele, ou talvez tivesse sido abduzido por áliens.- ele disse.

-Mas aí não seria sequestro, seria resgate.

Depois de conversar um pouco com Thomas, fui em direção ao banheiro arrumar meu cabelo, que já devia ter saído do lugar, mas ao invés de achar várias garotas estéricas, eu me deparei com um garoto que parecia meio perdido, ele tinha cabelo castanhos, pele morena e olhos azuis, tenho que admitir que ele é bem bonito. Esse olhar não me é estranho, tenho a impressão que conheço esse cara.

O garoto estava tão perdido que decidi ver se ele precisava de alguma ajuda. Ele estava literalmente girando a cabeça para todos os lados como se tivesse procurando alguma coisa que não faz ideia de onde está.

-Oi! Você me parece meio perdido, precisa de ajuda?

Ele me olha por alguns segundos, acho que pensando em qual resposta dar, até que finalmente suspira e fala:

-Está tão na cara assim?hahaha!-dei uma gargalhada na tentativa de ser o mais educada possível.

-Bem, pelo que pude notar você não é daqui, e mesmo se fosse, as pessoas não costumam encarar a parede e muito menos rodar a cabeça como você estava fazendo.

Ele me encara por alguns segundos e depois solta uma gargalhada tão alto que todos que estavam a 50 metros do banheiro escutaram.

-Tá bem, você venceu, eu estou sim perdido, na verdade eu estava procurando a secretaria, se puder me falar onde fica.

-Claro!-indiquei o lugar que a secretaria ficava.

-Muito obrigado, se não fosse você eu estaria perdido ainda.

-Que isso, não precisa agradecer.

-Até mais, nos vemos por aí.

Eu espero que sim...

Chegou a hora de tirarmos a foto, e eu não consegui para de pensar naquele olhar, eu tenho certeza que conheço aquele garoto, merda, nem deu tempo de perguntar o seu nome.

"Nos vemos por aí"






14 de Agosto de 2019 às 20:41 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo A VIAGEM

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!