A Intineri Seguir história

iayla-natania1565571277 Iayla Natania

O mundo de Lyla é dividido em reinos de acordo com características especificas. gigantes, sapos entre outros, Lyla é uma ectante: Uma princesa, acostumada a mimos preparada durante toda a vida para se casar com um rei e assumir o trono ao seu lado. Porém com os constantes ataques ao reino de Bellator e a baixa no exército, O rei não sabe o que fazer com súditos cada vez mais revoltados, até que um conselheiro apresenta uma ideia um tanto insana, mas que pode ser a única a dar certo. Lyla se vê incluída em assuntos até então tratado apenas por homens, mas o que fazer se passou a vida toda apenas aprendendo a escutar e se comportar, estudando regras e mais regras de etiqueta para um dia ser uma boa rainha...Mas como isso poderia ajudar nesse momento, se nem mesmo o mais treinado dos soldados conseguiria sair vivo desta missão? Em meio a tantos reinos desconhecidos, criaturas mágicas e perigos, a garota precisa retornar em segurança trazendo a seu povo o que pode ser a única solução, mas cuidado seus próprios instintos podem lhe trair. antes que eu me esqueça, não confie em ninguém.


Fantasia Épico Todo o público.

#fantasia #espada #guerra #amor #odio #luta #vingança #viagem #385 #confiança #coragem #amadurecimento #choro #superaçãodosmedos
1
600 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

um-Lyla

Tamborilava os dedos impaciente enquanto a criada terminava o penteado. sempre detestei formalidades principalmente quando estás se tratavam de meu pai. Sei que é parte do meu dever seguir regras e tudo mais, ainda assim gosto especialmente dos momentos em que passamos conversando como qualquer pai conversa com uma filha, não um rei e uma princesa apenas um pai carinhoso e divertido.


Me pergunto se teria sido mais fácil para papai caso mamãe não houvesse partido talvez hoje seus olhos não pareceriam tão cansados, não sei se aguentaria o peso de carregar um reino e criar dois filhos como príncipe, princesa, mas não deixar faltar o amor e a união como uma família normal.


Quando finalmente a mulher termina o que está fazendo me coloco de pé e deixo que o ar preso em meus pulmões escape em uma bufada , todos os meus trajes estão de acordo a regra de uma convocação não posso me dar ao luxo de deixar que algo passe não posso nem mesmo me adiantar ou atrasar, hoje não serei Lyla a garotinha conversando com o pai que muitas vezes o cobriu a noite depois de vê-lo chorar por horas antes de dormir, hoje Sou Lyla princesa de Bellator.


Olho meu reflexo no espelho sentindo o peso de tal pensamento, confiro mentalmente se não deixei escapar nada, está tudo no lugar, roupas e maquiagem de acordo ao regimento. espero impaciente pelo que parece uma eternidade até que um soldado bate à porta, chegou a hora.

Respiro fundo e caminho de vagar escondendo o nervosismo , aperto os dedos em sinal de ansiedade conforme aproximamos, a poucos passos da sala de reunião encontro Lycos que parece tão perdido quanto eu, aproveito o momento em que o soldado abre a porta para perguntar se ele sabe do que se trata, como resposta recebo um aceno de cabeça em negação, o rapaz sempre animado e brincalhão agora sério aperta com força o cabo da espada deixando os nós de seus dedos brancos. A porta se abre com um Estalo e nossos nomes são pronunciados, me movo com tanta ansiedade que tenho a impressão que a coroa vai cair.


Conforme nos aproximamos do trono todos os olhares se viram em nossa direção, alguns conselheiros conversam entre si, outros apenas dirigem a nós um olhar de desdém como se isso fosse perda de tempo. Como costume nos dirigimos aos tronos ao lado do rei e a reunião começa.


O Rei se coloca de pé e passa a palavra a Louler um senhor de meia idade que aconselha o rei desde que me entendo por gente, até onde sei o homem veio trazido por minha mãe como um criado e conforme ganhou a confiança do rei durante a guerra se tornou conselheiro, o mais velho e respeitado.


Louler olha de mim para Lycos com pesar, por fim desvia o olhar e encara os nobres e conselheiros presentes, todo suspense me faz querer vomitar, seco a palma das mãos no vestido discretamente, o povo começa a se incomodar com a demora do homem em se pronunciar e logo os cochichos se espalham por todo salão, o rei que parece voltar a si, estende a mão e o salão mergulha novamente em um silêncio profundo.


Louler o agradece com um sorriso cúmplice e começa.


— Como todos sabem nosso reino vem sendo atacado por Viribus e perdendo força, estamos perdendo soldados, comida, homens e animais, mulheres e crianças. Se a situação se estender poderemos ser completamente massacrados e até mesmo extintos. O silêncio que se instalou foi tão grande que poderia escutar uma gota de suor caindo no chão, todos ali tinha semblantes carregados, alguns haviam perdidos seus escravos ou plantações outros haviam perdidos familiares.


Louler me olhou de relance e continuou. — Viribus tem mais recursos que nós, mais armas e soldados, não podemos lutar apenas com magia e tivemos baixas consideráveis em todos os setores. O Homem concluiu estendendo a mão ao rei que se levantou e continuou após um pigarreio. — Há alguns anos atrás salvei a vida do príncipe de Nortmed um reino muito grande e evoluído, localizado ao oposto do nosso, para chegar até ele são necessários três meses de viagens sem interrupções, o homem me deve um favor e pode ser nossa única esperança


Todos olhavam com espanto afinal se esse reino é tão longe como conseguiremos sua ajuda.


— como vocês sabem não posso me dar ao luxo de mandar soldados, primeiro porque temos poucos, segundo porque se houver algum traidor em meio a eles todo reino morre, também não posso mandar cartas já que estás seriam interceptadas, não posso abandonar o reino em um momento como este. Um murmúrio se instalou no local alguns com os olhos cheios de pavor outros tapavam a boca para conter um grito, Lycos encarava sério o rei como se pudesse ler seus pensamentos e meu coração acelerava a cada palavra, estamos perdidos! Esse é o nosso fim o fim de todo o reino de Bellator. Como vocês sabem, continuou o rei. — tenho dois filhos gêmeos Lycos meu sucessor e Lyla, não foi fácil chegar a decisão que cheguei mas foi a única encontrada, fecharemos todas as portas e reuniremos todos os soldados dos mais experientes até os novos em treinamento para fazer a segurança de cada casa, homem ou mulher, criança ou animal, como disse anteriormente não posso deixar o reino ou este será invadido e tomado, como meu sucessor Lycos também não pode ir, caso algo me aconteça preciso que me substitua imediatamente. Lyla é nossa única esperança, O rei concluiu.


Meu coração saltou uma batida, não pude conter o espanto o povo conversava entre si, Lycos se colocou de pé. — Lyla não pode ir, são três meses sem nenhuma comunicação, não posso perder minha irmã. — Eu vou! Falei pronta para começar uma briga com Lycos mas fui interrompida por papai.


— Lycos você não pode deixar o reino nesse momento a decisão é de Lyla só ela pode fazer algo, uma mulher não levantará tanta suspeitas e assim que conversar com o rei de Nortmed ele nos ajudará, como todos sabem o povo de Nortmed atravessa então no mesmo dia em que forem avisados seus soldados estarão aqui para nos apoiar.


Ninguém parecia prestar atenção na discussão entre príncipe e rei, estavam todos em seus próprios mundos, alguns diziam estar perdidos, outros diziam que eu não tinha escolha se podia ajudar então seria obrigada a fazê-lo.


Ninguém ali se importava com o perigo que eu correria ou algo do tipo, cada um pensava na sua própria vida, seus negócios.


De qualquer forma aquele era meu reino meu lar. Um dia minha mamãe esteve disposta a salva-lo e tenho certeza que se houvesse outra solução papai a teria encontrado, não posso ser covarde e ver todos que amo morrerem.


Me levantei e estendi a mão cessando assim as conversinhas, pigarreei tentando me mostrar firme, olhei do rei ao povo e falei decida. — Eu vou!


A reunião foi dada por encerrada e logo estávamos apenas nos três na sala. — Não vá, Lycos pedia me abraçando, papai nos encarou com pesar e se juntou ao nosso abraço.


— se houvesse outra maneira não pediria que você fosse mas você é nossa única esperança, gostaria de ter sido só um comerciante ou algo do tipo e ter dado a vocês uma vida normal, sinto muito.


Há muito tempo não o via assim, o homem não parecia nem mesmo a sombra do que costumava ser, agora longe dos olhos de todos era apenas o pai que tivemos durante toda vida.


Voltei ao meu quarto acompanhada pelos dois, Lycos em silêncio apenas nos seguia e papai me passava as instruções, por quantos reinos passaria e a forma que devia agir em cada um, ficou decidido que partiria logo pela manhã, as portas do reino estariam fechadas assim ninguém poderia passar informações a nossos inimigos, partiria sem peso algum levando apenas uma quantidade de dinheiro escondida, e me anunciaria como princesa somente quando chegasse ao castelo de Nortmed.- Lembre-se que eles sabem quando alguém está dizendo a verdade, então se mentir em algo estaremos arruinados.


Depois de todas as explicações e instruções papai reforçou que a escolha seria minha, mas já estava decidida.Tomei um banho longo com a cabeça na viagem em todo tempo.


não podia deixar de imaginar os perigos que enfrentaria e como faria para cumprir minha missão. Sai do banho já vestida para dormir e encontrei Lycos deitado em minha cama, quase adormecido, passei pelo rapaz tentando não o tocar, mas seus dedos envolveram os meus e sua voz saiu baixa. — Lembra quando você tinha medo de ter pesadelos e dormíamos de mãos dadas, você apertava minha mão para ter certeza de que eu estava acordado para te proteger. Sorri com a lembrança apertando seus dedos e ele prosseguiu. — Queria muito voltar ao passado minha irmã e te proteger novamente, não quero que corra este risco, quero que tenha uma vida feliz com alguém que te ame, quero meus sobrinhos correndo por este castelo como você fazia.


Lágrimas começaram a rolar por meus olhos, não havia o que dizer, dormimos assim de mãos dadas relembrando um passado feliz que não voltaria.


***


Antes que a manhã caísse, já estava de pé me preparando pra viagem, Lycos havia acordado primeiro e estava com nosso pai, uma criada trouxe as roupas que deveria usar, diferente de tudo que já havia vestido , a roupa consistia em um vestido simples sem enfeites pedras ou joias, com certeza passaria despercebida por onde fosse com alguns bolsos escondidos onde guardaria o dinheiro, parecia confortável. A despedida foi curta, papai me abraçou chorando e Lycos segurou minha mão até que queimasse, a cor de seus olhos mudara, dando lugar a duas chamas e a voz saiu baixa e rouca. — Eu sou Lycos sucessor de Bellator príncipe do fogo, dou a você o poder de o invocar quando precisar, um fogo que não se apaga com a água somente com a vontade fui tomada por um calor que passou em segundos e seus olhos voltaram a cor normal.


— Um presente pra você se proteger, quando precisar do fogo apenas lembre-se desse momento e tenha vontade que ele apareça ou suma. O abracei agradecida e subi na carruagem que me levaria até o limite do reino de lá, seguirei sozinha.


Tentei não prestar atenção ao chacoalhar da carruagem, me ligando somente as lembranças da minha vida ao lado das duas pessoas mais importantes para mim.


****


Depois de dois dias chegamos ao limite do reino, desci com a ajuda de um soldado e fiquei ali entre a estrada e a floresta observando a carruagem se afastar de vagar, agora eu estava sozinha.



12 de Agosto de 2019 às 17:21 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capitulo 2-vendida

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!