Asas de Anjo Seguir história

sweet-mary Mary

Olhos de jabuticaba, fulgentes como a lua, serenos e apaixonantes, olhos de menina inocente, que desaguam também as mágoas displicentes e as poesias sem rimas. Sorriso largo e franco, de quem chora hoje e amanhã torna a crer. Coração esperançoso e imaginação fértil. Se dependesse dela, a vida seria uma linda tarde de janeiro. Lá está a pequena garota sentada com as pernas cruzadas embaixo de uma araucária com o caderno e a caneta a tiracolo. Não se diz sonhadora ao acaso, as palavras são passageiras e transportadoras, são as asas de um anjo despercebido na multidão. Menina sapeca, doce, corajosa, suporta o inferno da opressão porque não permite que a maldade ao redor roube o seu dom de enxergar as cores da esperança. Às vezes julgada sem motivo algum, por simplesmente ser, mas quem nunca foi? Ser única é um ultraje quando não se consegue ser como todas as outras. Mal sabe a pequena que aquilo que chamam de esquisitice é o seu maior charme. Seu jeitinho curioso e carismático toca até os corações mais resistentes e seu encanto é o equivalente a um punhado de estrelas despejado num céu escuro, triste e infinito. Menina inteligente, solitária, mas jamais desistente. Renata Muriel na certidão de nascimento somente, é por Tita que ela atende.


Poesia Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#descobertas #desejos #desamores #amores #adolescência #infância #revolta #simplesmente-tita #escritora-mary #poesias #frases #pensamentos
1
725 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Talvez

Talvez eu seja um pouco estranha, esquisita, diferente do padrão.

Talvez eu tenha nascido para ditar as minhas próprias regras, enfrentar os medos que eu mesma criei.

Talvez eu seja uma pessoa especial com um incrível propósito a cumprir durante essa curta e imprevisível passagem.

À primeira vista sou indecifrável, fujo do eventual, mas vivo de modo válido a fazer minha existência uma boa experiência.

Talvez eu pague o preço por romper com as normas do sensato, no entanto, não me importo.

6 de Agosto de 2019 às 00:58 2 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo A vida é curta

Comentar algo

Publique!
Fernando Avendanha Fernando Avendanha
No final, o que realmente importa é nossa busca interior pela felicidade. Não devemos nos ater ao normal, a, como você diz, as "normas do sensato". A sociedade impõe normas sobre nós, porém devemos acata-las? Devemos aceita-las? Não se nos prejudicar

  • Mary Mary
    É o que a minha Tita busca. A história em prosa conta a vida dela por partes e no caso esse caderno de sentimentos representaria os 15 anos dela, o ponto em que está em conflito interior,do qual muitas vezes duvida de que sobreviverá, no entanto irá sim e as palavras a ajudarão a externar desejos, alegrias, angústias, questionamentos, medos e revoltas também. Ela vai buscar a felicidade, muitas vezes tropeçando, mas sempre aprendendo algo. 1 week ago
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 12 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!