We Got Married Seguir história

sseunie Layla Wang

Youngjae e Jackson tinham um relacionamento confuso e complicado, mas bastou o fasing em Mokdong para que tudo entre os dois se acertasse.


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#kpop #got7 #youngjae #jackson #jackjae
Conto
2
490 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único


O fansign em Mokdong havia sido bastante divertido para todos os sete membros do GOT7, principalmente, porque JYP havia voltado atrás na proibição sobre interações entre idol e fã que envolvessem toques ou que chegassem perto demais um do outro, o que causou um grande alvoroço por parte do fandom, tendo pessoas de todas as partes do mundo reclamando da forma que a empresa tratou as fãs. E com a má repercussão dos atos, não demorou muito para JYP voltar atrás e permitir, novamente, que as fãs pudessem tocá-los nas mãos como sempre fizeram.


Porém, para Youngjae aquele fansign havia sido mais do que divertido. Estar com as fãs, fazendo brincadeira com elas e com os outros membros do grupo não tinha preço, mas as boas memórias que poderia ter daquele dia foram apagadas no momento em que Jackson negou se casar com uma fã, porque estaria casado consigo em 10 anos. Nos primeiros segundos que ouviu essa frase vinda do chinês, o mais novo sentiu sua cabeça girar e riu de nervoso sem acreditar nas palavras ditas minutos atrás.


Ficou sem saber o que falar diante daquela situação se permitindo, em apenas, prestar atenção na conversa do mais velho com a fã, se perguntando porquê motivos o moreno teria dito aquilo. Sabia que era uma brincadeira do outro, que teria dito a mesma coisa se fosse qualquer membro do grupo ao lado dele, porém, uma pequena parte de si desejava que fosse verdade.


— Ouvi que você e Jackson vão casar... — A mesma fã perguntou, enquanto se movia para ir falar com Jaebum.


Youngjae riu e assentiu.


— Sim, é verdade, você vai ao casamento?


— Hmm, mas eu vou depois de você, eu sou a próxima da fila! — Exclamou a garota, arrancando uma risada do de cabelos azuis.


Para Youngjae, momentos assim fazem valer a pena todo o tempo de treino pesado e as noites sem dormir, momentos estes que o faziam ter certeza de que havia feito a escolha certa. A fã já estava próxima a Jaebum, porém, antes que iniciasse uma conversa com o líder do grupo, o vocalista lhe deu uma última resposta.


— Então vamos os três nos casar. — Piscou sorrindo e voltou sua atenção para uma outra fã que esperava falar consigo.


O restante do fansign foi normal, regado a mais risadas e piadas que só eles entendiam. Os sete brincavam entre si e com as fãs, cantaram músicas do novo álbum e dançaram como nunca, tudo havia sido prefeito. Youngjae se divertiu como nunca antes, e sentiria falta das fãs que o fizeram se sentir vivo como hoje, mas já estava na hora de se despedir.


Os sete se reuniram no palco e saudaram os fãs, fazendo agradecimentos e desejando a todos uma ótima semana, pedindo para que as mesmas se cuidassem e que voltassem sãs e salvas para casa e além de prometeram que voltariam para outro fansign assim que pudessem.


Durante todo o evento, Youngjae se pegou olhando diversas vezes para Jackson, não era como se conseguisse evitar, ainda mais pelo fato do chinês estar mais bonito que o normal. Porém, tudo ficou impossível após o mais velho falar que em 10 anos estaria casado consigo. O mais novo poderia dizer que aquelas palavras não haviam mexido com seu coração, mas estaria mentindo para qualquer um que perguntasse e para si mesmo, principalmente.


Queria questionar o mais velho sobre aquelas palavras, se eram reais e se deveria acreditar em cada uma delas.


Queria mais do que tudo acreditar que o chinês queria um futuro ao seu lado, não queria pensar no lado negativo, pelo menos não agora.


E foi ali, após todos saírem da JYP, de um fansign e cada um seguir para suas casas, Youngjae optou por pedir uma carona a Jackson, usando uma desculpa qualquer sobre o irmão ter pego o seu carro, porque o dele estava no conserto — o que de fato era verdade — e que não estava disposto a pegar um táxi aquela altura da noite. O mais velho aceitou sem pensar duas vezes.


O chinês dirigia calmamente pelas ruas quase desertas de Seul, eram quase 10 horas da noite e por ser segunda-feira, o fluxo de carros era menor por ser o primeiro dia de trabalho e poucas pessoas saiam para bares ou boates.


A música do novo álbum tocava em um volume baixo no carro esportivo de Jackson, e o de cabelos azuis não se conteve e cantou suas partes da música, tentando as linhas da rapline, o que fez o mais velho rir.


Como rapper, Youngjae era um ótimo cantor.


— Sua voz é ótima Youngjae-ah, a JYP estava perdendo e feio por não lhe dar logo um álbum solo, você possui um vocal incrível e merece por tudo isso em álbum inteiramente seu. — Disse após a música acabar com um sorrisinho no rosto.


Youngjae corou até as orelhas e sorriu envergonhado. Eram esses momentos ao lado de Jackson que o faziam ficar sem saber o que dizer, principalmente, quando o mais velho o enchia de elogios, nunca sabia como agir mesmo estando ao lado do chinês há quase 6 anos. Era sensível demais para essas atitudes alheias e qualquer elogio, mimo ou até mesmo um toque do mais velho em si, já era suficiente para o deixar fora de órbita.


— Yah, hyung, assim você me deixa sem graça — Disse baixinho, não tinha coragem para o olhar e por isso juntou todas as forças que tinha para manter os olhos atentos na estrada como se ele mesmo estivesse dirigindo o carro e não o contrário.


— Mas eu não menti, Jae. É tudo que você merece.


Youngjae não respondeu.


Às vezes tudo aquilo parecia um sonho, um sonho tão bom que tudo o que fazia era esperar pelo momento em que alguém ou algo o acordaria e então, voltaria para a realidade, o que até agora não aconteceu.


Jackson era bom demais consigo, desde o começo sempre esteve lá por si e para si, nunca o deixou de lado, todos os dias que podia elogiar ou fazer piadas bestas para o fazer rir, quando tudo que queria era chorar pela saudades da família e dos antigos amigos. Estar com Jackson era como estar em casa, e isso foi o bastante para que o chinês roubasse o pobre coração do Choi.


Youngjae era apaixonado por Jackson, não tinha dúvidas quanto ao sentimento que sentia pelo mais velho, era um amor puro esperando ser aceito, acima de tudo, ser correspondido.


— Hyung — Quebrou o silêncio que se instaurou no carro há um certo tempo. — Você estava falando sério sobre aquilo no fansign? — Perguntou baixinho, com medo da resposta que viria do outro.


O mais novo mexia as mãos inquieto, aquela pergunta estava presa em sua garganta há horas e agora que saiu, se perguntava se estava fazendo a coisa certa. Não tinha nenhum direito de questionar isso a Jackson, visto que, não tinham sequer um relacionamento sério, haviam se beijado algumas vezes e nada além disso, porém era o bastante para que Youngjae se sentisse nas nuvens toda vez que os lábios do chinês tocavam os seus.


— Hmm? Qual parte? Falei muitas coisas hoje Jae, seja mais específico — Respondeu calmo sem tirar os da estrada


“Mas que grande idiota”, pensou Youngjae. Sentiu vontade de esmurrar a bela cara do chinês, mas ficou quieto. Fechou os olhos e respirou fundo antes de voltar a falar:


— Hyung, você sabe do que eu estou falando… V-você disse que não poderia casar com aquela fã, porque estaria casado comigo… Por-Por que disse aquilo? — Perguntou num fio de voz fitando o mais velho com certa expectativa e medo.


Temia a resposta que receberia, mas naquele momento nada mais importava, precisava saber, tinha que saber se pelo menos, um por cento daquelas palavras eram verdadeiras, porque se fossem, não seria um problema esperar os 10 anos que viriam, caso no final, Jackson estivesse lá, o aguardando para o final feliz dessa história de amor cheia de furos e mal contada.


Mas ela não veio.


Nenhuma palavra fora dita por Jackson e isso matou o mais novo. Era como uma faca cravada em seu coração, dolorosa e agonizante. Piscou algumas vezes, evitando que as lágrimas corressem por seu rosto e respirou fundo, tentando de alguma forma acalmar seu coração que estava aos poucos se partindo em milhares de pedacinhos. Desviou o olhar do mais velho e tentando se distrair com as luzes da cidade, desejando a todo custo que o dia acabasse logo.


Sentia-se irritado, confuso, triste e burro por ter feito aquela pergunta, era tão óbvio que Jackson estava brincando consigo que quase se permitiu rir devido a tamanha estupidez. Não devia ter se deixado levar pelo que sentia pelo mais velho, muito pelo contrário, deveria ter ignorado, ignorado tudo desde o primeiro beijo, mas sabia que mesmo que quisesse não poderia, não quando tudo que queria era amar e ser amado por ele. Mas a vida não é assim, sempre vai existir aquele amor que não vai ser correspondido, vai doer, vai ser como uma morte silenciosa, sem dor física ou marcas, mas diferente da morte que leva as pessoas para sempre, essa pode ser superada, não importa quanto tempo passe, mas chegará o dia em que você saberá que depois de tudo aquilo, finalmente vai poder seguir em frente, com o coração intacto pronto para mais uma aventura.


Novamente sentiu sua visão ficar turva e uma lágrima travar um caminho longo por sua bochecha, mas sequer fez questão de limpá-la. Não tinha forças para tal ato. Encostou a cabeça na janela do carro e fechou os olhos. A rejeição do outro doía mais do que tudo, mas pelo menos, naquele momento iria esquecer os acontecimentos de minutos atrás.


Youngjae não notou o tempo passar até que ouviu seu nome sair da boca do chinês, se perdeu em meio a tantos pensamentos e letras que dariam ótimas composições para um novo álbum, tanto físico ou até mesmo, no SoundCloud.


— Youngjae-ah, já chegamos — Disse baixo, encarando um Youngjae sonolento e de olhos vermelhos. Aquela visão fez o coração de Jackson doer, sabia que o mais novo estava daquele jeito por sua causa, sentiu uma imensa vontade de bater em si mesmo por causar aquilo ao azulado.


Youngjae assentiu, se ajeitando no banco do carona. Suspirou baixinho e encarou o mais velho de volta.


— Obrigada Hyung, até depois de amanhã. — Disse em tom baixo e quando fez menção de abrir a porta do carro sentiu a mão do Wang segurar seu braço, o fazendo parar.


— Você não pode ir ainda, Jae-ah — Respondeu inclinando o corpo na direção do mais novo, encurtando ainda mais o espaço entre os dois. — Eu não respondi a sua pergunta.


— Hyung…


Não sabia como reagir aquilo. Durante todo o caminho buscou, por mais impossível que fosse, esquecer o amor que sentia por Jackson, mas bastou o mais velho o chamar para saber que nunca conseguiria tal proeza.


— A resposta é sim. Não importa se vai ser daqui a 10 anos ou mais, Youngjae, mas eu falei sério sobre me casar com você, não tenho dúvidas quanto a isso, porém se ainda existir qualquer dúvida sua em relação ao que eu sinto, eu espero que isso seja o bastante para eliminar cada uma delas. — Disse firme e um segundo depois, colou seus lábios nos do mais novo.


Youngjae arregalou os olhos, ficando estático e de olhos abertos, assim que sentiu os lábios do outro sobre os seus. Aos olhos dos demais, ele estaria fazendo papel de um idiota que estava sendo beijando pela primeira vez na vida, porém, bastou o chinês segurar seu rosto com firmeza para que finalmente voltasse ao normal e retribuísse o beijo.


Era apenas um selar simples, porém cheio de emoções e palavras que nenhum dos dois conseguia dizer. Era um beijo repleto de carinho e paixão que transmitia para ambos o que sentiam um pelo outro, da melhor forma que poderiam. As mãos do chinês faziam um carinho singelo nas bochechas úmidas do mais novo, enquanto este puxava os fios do mais velho, buscando aproximar ainda mais seus corpos, se separando quando o ar fez falta.


Youngjae permaneceu de olhos fechados, sentindo a respiração do outro em seu rosto se misturar com a sua e quase formar uma só. Abriu os olhos quando sentiu a testa do outro colar na sua e fitou o mais velho nos olhos, sentindo o coração ficar aquecido com o olhar recebido.


Ficou calado, tinham tantas coisas para conversarem, mas não sabia por onde começar e como começar. Suspirou quando Jackson beijou suas bochechas e continuou fazendo carinho nas mesmas, deixando dois beijos em cada lado de seu rosto.


— Jackie… — Tentou dizer, mas fora impedido pelo mais velho, que o silenciou colocando o dedo indicador sobre seus lábios.


— Shhh, Jae-ah, não precisa dizer nada agora ok? — Sussurrou raspando seus lábios nos do mais novo. — Eu te amo. — O beijou novamente.


Aquela altura da noite, nenhum dos dois se importava de estarem em um lugar onde qualquer um pudesse vê-los ou se algum fotógrafo maluco da Dispatch havia os seguido e estava às espreitas tirando fotos e mais fotos para uma matéria sobre os dois.


O futuro de ambos estava selado, porém, não importa o que poderá acontecer ao longo desses 10 anos que viriam. Desde que no final dele, os dois estivessem lá, um pelo outro e para o outro, se amando e se apoiando, buscando a cada dia que passasse a felicidade que só viria se estivessem nos braços um do outro, pelo resto de suas vidas ou até mesmo nas outras que viriam.


— Jackson… — Chamou baixinho, após cessarem o beijo e regulando a respiração, logo exibindo um sorriso largo no rosto


— Sim? — Sorriu de volta.


— Eu também te amo.



20 de Julho de 2019 às 18:16 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~