Ladrão Seguir história

netunochase Netuno Chase

E naquela manhã, o garoto de cabelos alaranjados roubou algo muito mais precioso que o caixote de frutas.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#Yahiko #naruto #romântico #crackshipp #fanfic
Conto
0
704 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Ladrão

Naruto observava as pessoas comprarem na feira, por pura falta do que fazer em casa. Estava entediado e seus amigos ocupados, então resolvera dar uma volta, e ali estava observando as pessoas irem e virem, comprando diversos alimentos para seus lares. De repente, percebeu um movimento estranho; um garoto de cabelos laranjas escondido atrás de uma enorme caixa de melancias, e parecia estar esperando algo. Naruto logo descobriu que o jovem esperava a distração do dono da banca, para poder roubar um caixote com variadas frutas. Ao pegar a caixa, o garoto saiu correndo, e o dono da banca começou a gritar algo como "pega ladrão, ladrão!", mas ninguém pareceu dar atenção ao velho. Decidido a descobrir o que acontecia, Naruto resolveu correr atrás do menino, sempre tomando cuidado de manter uma distância razoável para não ser percebido.

Finalmente, viu o sujeito parar numa esquina vazia e escura para analisar o que tinha roubado. Parecia contente com o conteúdo. Naruto o analisou e percebeu que o rapaz devia ter a mesma idade que ele, e provavelmente estava sem comer há muito tempo, visto que sua alegria era quase palpável. O loiro que observava o estranho se sentiu mal, mas teria que acabar com aquilo uma hora ou outra. Resolveu fazê-lo de uma vez e saiu logo das sombras aonde tinha se escondido.

- Ei, garoto! - chamou, provocando alarde no ladrão.

- O que você quer? - o jovem de cabelo laranja tinha um tom de voz irritado.

- Quero que você devolva o que roubou. Se sente fome e quer comer, deveria pedir ao invés de roubar.

Uma risada amarga pôde ser ouvida. Por algum motivo, Naruto sentiu o peito doer ao ouvi-la.

- Pra você é fácil falar. É sempre mais fácil falar do que fazer. Acha que eu não tentei as coisas do jeito certo? Mas não funciona, porque ninguém se importa com órfãos que sentem fome! Ninguém liga pra nós! - o garoto gritou as duas últimas frases, bem perto de Naruto. Tinha se aproximado enquanto falava, e agora estavam cara a cara. Uma dor familiar envolveu o coração do loiro, ele conhecia aquela história melhor do que gostaria.

Comovido, Naruto resolveu que ajudaria o garoto esfomeado e desiludido. Sabia bem como era aquilo, e lembrava muito bem da alegria que sentira quando o velhote Jiraya havia lhe estendido a mão. Se sentiu feliz por ter a chance de fazer o mesmo por alguém.

- Escuta, vamos fazer um trato. Nós vamos juntos até a banca do moço que você roubou, devolvemos o caixote e depois eu te levo pra comer num lugar especial, prometo que você vai adorar! - falava com um enorme sorriso, e ao terminar, exibiu o dedo polegar em sinal positivo. A animação em sua face era evidente.

- E por que você faria isso? - o outro perguntou, com olhar desconfiado.

- Porque gostei de você e gosto de ajudar as pessoas. - Naruto respondeu com simplicidade.

Yahiko olhou bem o rosto do garoto a

sua frente. Depois de tantos anos, tinha aprendido a encontrar más intenções nos olhares das pessoas. Mas agora, encarando os intensos olhos azuis, não via nada além de boa vontade e gentileza. Resolveu confiar nele.

- Se eu não gostar, vou querer minhas frutas de volta! - avisou, passando pelo loiro que mais parecia um anjo com o enorme sorriso satisfeito que abriu.

- Pode apostar que você vai gostar. Aliás, qual seu nome?

- Yahiko. E o seu?

- Naruto Uzumaki.

Começaram a fazer o caminho de volta pra feira, com Naruto tagarelando sobre coisas totalmente aleatórias. O garoto que o acompanhava achou graça, fazia tempo que não via alguém tão alegre e animado. Suspirou, lembrando-se que há muito tempo não tinha sequer conversado com alguém.

- Algum problema? - Naruto perguntou, percebendo o suspiro do outro.

- Não, só me lembrei de algo... - respondeu de modo vago. Naruto não perguntou o que era, apesar da sua curiosidade. Fosse o que fosse, era uma lembrança dolorosa, pôde perceber pelo olhar do garoto. Era melhor deixar quieto, pensara o loiro.

Finalmente, depois de andarem bastante, encontraram a banca de frutas que Yahiko havia roubado. Encorajado por um olhar firme de Naruto, o ladrão tomou a dianteira e andou com decisão para frente da barraca, sendo encarado pelo dono desta assim que foi visto por ele.

- Boa tarde senhor - fez uma reverência. - Vim devolver esse caixote que roubei, e gostaria que aceitasse minhas desculpas pelo modo como agi. - o tom usado era respeitoso, e Yahiko encarava o chão, visivelmente envergonhado. Mesmo que fosse por necessidade, detestava fazer aquilo, detestava precisar roubar.

- Seu ladrão descarado! - o velho dono da banca gritou, arrancando o caixote das mãos alheias com violência e assustando o ladrão e Naruto. - Devia ter vergonha na cara, seu fedelho! Arrumar um emprego ao invés de roubar os outros!

- Descarado? - Naruto interviu, indignado com o modo como o velho falava com seu amigo. Sim, amigo, Yahiko era agora seu amigo e o loiro iria defendê-lo. - Você parou pra pensar que esse garoto só queria comer, porque não tem lar e ninguém pra ajudá-lo? Você em algum momento estendeu a mão pra ele? Perguntou se ele precisava de algo? Não! Então não grite assim como se fosse o dono da razão, velhote! Se pessoas como você tentassem ao menos ajudar, meu amigo não precisaria disso. Agradeça por ele ter a decência de devolver e se envergonhe por não ter tido a capacidade de ajudar! - se virou e encarou Yahiko, que tinha os olhos arregalados de surpresa. Estendeu a mão e agarrou a do garoto, puxando-o para longe. - Vamos, Yahiko, não quero ficar perto desse velho hipócrita por mais nem um segundo.

Saíram dali depressa, e logo já estavam distantes da banca e do velhote desagradável, mas Naruto continuou segurando a mão do amigo mesmo assim. Ficaram em silêncio por um tempo, até que Yahiko decidiu acabar com aquilo.

- Por quê? Por que fazer aquilo tudo por mim? Você ainda não disse a verdade. - os olhos castanhos observaram o loiro de modo afiado, esperando uma resposta. Esta veio depois de alguns minutos, seguida de um longo suspiro.

- Sei exatamente o que você está passando. Já passei por algo bem parecido. - Naruto revelou - Também sou orfão e sei bem como é depender da boa vontade dos outros pra comer. Ou como não é, já que quase ninguém tem boa vontade. - riu com amargura.

- Você também roubou?

- Não. Eu pedia comida quase sempre, na feira mesmo, e quando não me davam, eu esperava um momento de distração pra destruir as bancas e fazer todo o alimento cair e rolar ladeira abaixo. Pensava que se eu não podia comer, eles não tinham o direito de vender.

- Você preferia estragar tudo ao invés de simplesmente pegar uma quantidade suficiente pra viver? - perguntou Yahiko, com as sobrancelhas franzidas. Naruto riu ao observar a expressão indignada do outro.

- Eu era muito impulsivo e orgulhoso. Me recusava a comer a comida deles porque eles me negavam, mas ao mesmo tempo queria puni-los. Naquela época eu não entendia que vingança era o pior caminho, só aprendi depois que o velho Jiraya me ensinou.

- Quem é esse?

- O único que me estendeu a mão. Ele me tirou da rua e me ajudou. Se não fosse ele, eu teria morrido de fome. - sorriu, lembrando-se do velhote.

- E ele ainda cuida de você? - Yahiko não conseguia esconder a curiosidade diante daquele assunto.

- Sim. Bom, agora ele tá viajando, pra terminar as pesquisas pro livro idiota dele, mas ele meio que me adotou, então tá cuidando de mim sim, mesmo estando longe.

- Você já esteve num Jido Yogo Shisetsu*?

Naruto arregalou os olhos ao ouvir o nome.

- Já... Eu fugi, não aguentei uma semana naquele lugar horroroso. - observou com cuidado a expressão do garoto ao seu lado. - Você já esteve lá? - viu Yahiko assentir e engoliu em seco.

- Eu fiquei lá por um ano. - revelou.

- Tudo isso? Como aguentou? - Naruto estava impressionado.

- Eu consegui amigos lá. Dois grandes amigos. Se não fosse por eles, eu não teria conseguido. - suspirou, a nostalgia atingindo-lhe com força. - A minha primeira semana foi sozinho, e todos me odiavam por algum motivo. Apanhei, virei empregado de quarto e até fiquei sem comer. Até que eles apareceram - sorriu com a lembrança. - Nagato e Konan. Viramos amigos, melhores amigos. Ninguém nos irritava mais, pois erámos inseparáveis, diferente dos bandos de lá, que sempre acabavam excluindo alguém.

- O que aconteceu com seus amigos? - Naruto perguntou, com certa cautela na voz.

- Foram adotados por uma mulher americana que sonhava ter um casal. Eu fiquei sozinho, e depois acabei fugindo. - Naruto ouvia comovido, afinal, sabia como era estar sozinho no mundo, sem pai, mãe ou amigos.

Saiu desses pensamentos assim que percebeu que tinham chegado ao seu destino: Ichiraku. Sorrindo, agarrou a mão do novo amigo, o arrastando para dentro do estabelecimento, determinado a acabar com qualquer melancolia que estivesse presente.

- A gente vai comer aqui? - Yahiko perguntou, os olhos brilhando de felicidade.

- Vamos, sim, e você vai poder pedir o que quiser. - o loiro explicou, enquanto admirava o sorriso do outro. Era tão genuíno e sincero que se tornava impossível não se encantar.

- Mas não vai sair muito caro? - o garoto perguntou, preocupado. Não queria abusar da boa vontade de alguém tão legal como Naruto.

- Ei, não se preocupe com isso, eu me ofereci pra te trazer, então não tô preocupado com preço.

Yahiko estava pronto para protestar, mas não conseguiu, graças ao cheiro maravilhoso que exalava de algum lugar e que o fez perder a fala. Era incrível, e algo que ele não comia há muito tempo, por isso desistiu de protestar. Pediu para o loiro ao seu lado escolher o sabor, alegando que ele devia estar acostumado a comer no lugar e saberia qual o era o prato mais gostoso. Naruto acabou pedindo duas tigelas de lámen tradicional, alegando que o simples era sempre mais gostoso nas horas de indecisão.

Esperaram alguns minutos enquanto os pratos eram preparados, e mataram o tempo conversando sobre banalidades. Quando enfim foram servidos, ambos trocaram olhares cúmplices antes de começar a atacar a comida. Yahiko suspirava, extasiado. Quando se tem fome, um alimento se torna mil vezes mais saboroso do que de fato é, e como o lámen do Ichiraku já tinha fama pelo seu delicioso sabor, pode-se imaginar o quanto parecia maravilhoso para o paladar de um garoto que estava há dias sem comer. Naruto o observava, sorrindo. A satisfação do jovem ao seu lado era o suficiente para lhe proporcionar uma enorme alegria, sentimento que só se intensificou quando Yahiko terminou de comer e abriu mais um daqueles seus lindos sorrisos.

- Muito obrigado mesmo, Naruto! Tava ótimo esse lámen! - o jovem exclamou, contente.

- Quer mais? - Naruto perguntou. Os olhos de Yahiko foram mais rápidos que sua boca, pois brilharam antes que o "não" educado fosse dito. Percebendo a recusa educada do novo amigo, Naruto apenas sorriu e pediu mais um prato, e ao ouvir os protestos de Yahiko, respondeu que ainda sentia fome e que ambos iriam dividir, para assim calar as recusas educadas do outro.

O segundo prato veio e os garotos comeram em silêncio, se encarando de vez em quando. Ao terminarem de comer, ambos agradeceram a tio do lámen com uma reverência e elogios ao delicioso prato. Saíram após o pagamento estar efetuado, com um Naruto afobado puxando Yahiko pela mão, ansioso para levá-lo ao belo parque que existia ali "perto". O "perto" do loiro estava a meia hora de caminhada do local onde estavam, e depois de dez minutos de caminhada, o jovem que o acompanhava resmungava sobre terem andado demais, e sobre como o tal parque era longe e o quanto ele já estava cansado. Naruto apenas ignorou-o e continuou puxando-o pelas ruas de Osaka, até chegarem ao Tennoji Park.

Obviamente, Yahiko conhecia o lugar, ouvira pessoas falando dele várias vezes, mas desiludido como estava com a vida, nunca havia se interessado em visitar o famoso Tennoji Park. Agora, ao lado de Naruto, sentia curiosidade e até mesmo ansiedade para conhecer o local, pois a felicidade o preenchia, fazendo seu interesse pelas coisas crescer consideravelmente. Entraram no parque e andaram por quase toda a extensão do mesmo, passando quase a tarde toda juntos conversando sobre a vida, o clima, as plantas do lugar, os animais e várias outras banalidades. Quando se cansaram, sentaram em um banco em frente ao lago e observaram o céu azul e belo que ajudava a trazer um clima ainda mais agradável para aquele dia perfeito.

Naruto, que passara o dia todo admirando a beleza do amigo, se coçava para fazer uma daquelas perguntas "Narulísticas" - aquelas totalmente inconvenientes e constrangedoras. Incapaz de se segurar por mais tempo, resolveu matar logo sua curiosidade.

- Ei, Yahiko, você já beijou? - o garoto ao seu lado o encarou, sem entender o porque da pergunta.

- Não. Você já?

Naruto riu, lembrando do primeiro beijo que recebera de Sasuke, graças a um desafio idiota que haviam feito entre os amigos de classe. Fora naquela ocasião que descobrira sua preferência por garotos, descobrindo também que sua atração por Sakura nunca fora algo real, e que na verdade sempre havia gostado do melhor amigo. Infelizmente, não era recíproco, pois Sasuke era hétero e ao contrário do que todos pensavam, era apaixonado por Sakura. Perdido nessas lembranças, esqueceu que ainda não tinha respondido Yahiko, e só percebeu quando notou o olhar indagador que este lhe dirigia.

- Já beijei sim. E meu primeiro beijo foi com meu melhor amigo. - acrescentou, sorrindo - Eu poderia te ensinar se quisesse, mas acho que você não gosta da fruta. - Naruto falou sem pensar, e arregalou os olhos ao perceber o que tinha dito. O garoto ao seu lado estava corado, e um silêncio desconfortável se instalou entre eles.

Droga, por que eu sempre estrago tudo?; Naruto se martirizava mentalmente, enquanto maldizia-se por ser tão boca aberta e impulsivo. Resolvido a quebrar o silêncio sem falar alguma besteira, mudou completamente de assunto, voltando a falar sobre Jiraya e sobre quão o velhote era engraçado e querido. Enquanto tagarelava, Naruto pôde perceber uma repentina mudança no comportamento de Yahiko, que parecia estar meio cabisbaixo e olhava constantemente o horizonte, aparentemente triste cada vez que percebia o pôr do sol se aproximando.

- Não precisa se preocupar com a hora de se despedir. - o loiro falou, quando percebeu que a aflição do amigo era por causa da hora de se separarem estar se aproximando. - Depois de tudo que aconteceu hoje, não posso simplesmente abandonar você e agir como se nada tivesse acontecido. A casa do velhote com certeza tem espaço pra mais um, assim como naquele coração manteiga derretida. Assim que ele botar os olhos em você e ouvir sua história, vai resolver adota-lo, nem vou precisar insistir muito.

- As coisas não são tão simples assim, Naruto. - Yahiko comentou, embora tivesse um sorriso agradecido enfeitando seu rosto. - Ter mais uma boca pra alimentar, mais uma vida sob responsabilidade, nada disso é fácil, ainda mais quando se trata da vida de um ladrão.

- As coisas sempre são simples para quem sabe simplificar, e eu e o Jiraya sabemos muito bem como fazer isso. - Naruto replicou, piscando um olho enquanto sorria acolhedor. - E você não é um ladrão. Ladrões roubam por prazer ou por preguiça de trabalhar, e esse nunca foi o seu caso. Não admito mais nenhuma auto depreciação da sua parte, e se você me aborrecer com isso de novo, eu vou deixar todas as tarefas domésticas pra você! - o loiro exclamou com decisão, como quem não aceita mais discutir certo assunto. E realmente era esse o caso.

- Como você pode ter certeza que esse tal Jiraya vai me aceitar? - o amigo perguntou, a esperança aumentando ao ver toda a determinação no olhar de Naruto.

- Eu conheço o velhote, apenas confie em mim.

Deram o assunto por encerrado, e Yahiko se sentia a pessoa mais feliz do mundo. Teria uma família incrível, ganharia um irmão. Fez uma careta ao pensar no loiro como um possível irmão, e decidiu que definitivamente não queria aquilo. Sorriu ao se lembrar da conversa que tinham tido antes de Naruto mudar bruscamente de assunto. Aproximou-se do outro e sussurrou baixinho em seu ouvido:

- Na verdade, Naru, eu aprecio mais essa fruta do que qualquer outra.

O loiro demorou alguns segundos para entender, e quando entendeu, sentiu o coração falhar uma batida. Não, na verdade nem coração o garoto tinha mais, pois podia jurar que Yahiko o havia roubado junto com aquele caixote de frutas naquela manhã. E ao encarar os olhos castanhos cintilantes e sorridentes do amigo, Naruto teve certeza que ele não tinha intenção nenhuma de devolver, assim como o próprio loiro não fazia questão de tê-lo de volta. Tinha se apaixonado com apenas um dia de convivência, só podia imaginar o que aconteceria dali em diante, com Yahiko morando consigo.

- Espero que goste de Yuzu** - o loiro disse, apontando para o próprio cabelo, fazendo o acompanhante rir da comparação idiota.

- Não, não gosto. Mas posso abrir uma exceção pra você. - sorrindo, se aproximou de Naruto na intenção de beijá-lo, e viu ele fazer o mesmo. Os lábios se encontraram, e o loiro tomou a dianteira, pedindo passagem com língua. Yahiko levou uns segundos para entender o que devia fazer, e quando finalmente abriu a boca, sentiu o outro invadir sua cavidade bucal de modo suave, explorando os cantos e buscando a sua língua. Mais segundos foram necessários para que o jovem inexperiente se acostumasse e finalmente se sentisse seguro o suficiente para retribuir, enroscando sua língua na de Naruto e começando uma espécie de valsa suave. Foram obrigados a se separar pela falta de ar, e sorriram ternamente um para o outro.

- Vamos, temos que ir pra casa e começar a arrumar as coisas pra você! - Naruto levantou do banco puxando o companheiro pela mão, com sua típica afobação e animação. Yahiko apenas se deixou ser puxado, sorrindo com as incríveis possibilidades que o aguardavam dali em diante. Agradecia ao caixote de frutas que havia tentado roubar aquela manhã, porque se não fosse por ele, o jovem jamais teria a chance de conhecer o alegre loiro que o puxava. Mal sabia Yahiko que Naruto agradecia tanto quanto ele.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

*Jido Yogo Shisetsu: É como os orfanatos são chamados no Japão. A realidade desses lugares é bem triste, pelo que pesquisei.

**Yuzu: Fruta cítrica japonesa, que adquire cor amarela quando amadurece.

~~~~~~~~~~~~~~~~

Informação básica: Não tenho crédito algum sobre a capa e apenas acrescentei meu nome de usuário e título da obra.

Enfim, é isso, obrigada por lerem. E se puderem votar e deixar sua opinião, serei ainda mais grata, pois isso serve como um incentivo para mim.

3 de Julho de 2019 às 18:33 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Netuno Chase Afogando as mágoas na escrita! Contas: Wattpad; Netuno_Chase Spirit; Netuno_Chase2

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~